Obras da Severo Dullius aguardam continuidade para ligar zona Norte

Cenário reflete parada nos trabalhos bem longe de concretizar o empreendimento

Cenário reflete parada nos trabalhos bem longe de concretizar o empreendimento | Foto: Guilherme Almeida

Uma possibilidade para ligar a região do Aeroporto Salgado Filho com o extremo Norte de Porto Alegre segue sem resolução. A situação da avenida Severo Dullius reflete o cenário da maior parte das chamadas Obras da Copa. Programado para competição de 2014, o empreendimento ainda não está pronto no ano em que se realizará mais um mundial de futebol.

A expectativa da Prefeitura, no entanto, é que os procedimentos sejam, pelo menos, retomados ainda nesse semestre. Quem passa pela região vê bem o estado de abandono da obra. É possível perceber, ainda, que ela foi interrompida muito antes de um possível término. Apenas os alicerces estão construídos, mas ainda sem sinal do prolongamento duplicado de 2,4 metros que seriam feitos sobre eles. No entorno, há apenas terra e um amontoado de ferros, pedras e materiais de construção de maneira geral.

Iniciada em setembro de 2015, a obra previa a implantação de pontes e canalização de esgoto pluvial. Haveria, ainda, conexão com a avenida Sertório, que seria feita pelas ruas Dona Alzira e Sérgio B. Dietrich. A ideia ia ao encontro das novas instalações do aeroporto, além de proporcionar uma alternativa de acesso à zona Norte para veículos vindos da BR 116 e da avenida dos Estados.

Apesar de o empreendimento também não ter essa parte concluída, motoristas utilizam o local durante o dia e conseguem acessar a avenida Sertório por ali. O acesso é feito por uma das ruas que se forma junto ao canteiro de obras, formada parte por chão batido e parte por asfalto. Segundo motoristas, apesar de inacabado, o trecho permite o acesso diário ao extremo Norte e já faz meses que ninguém é visto trabalhando na obra. De acordo com a Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão, depois de retomar a obra, a previsão de conclusão é de aproximadamente 18 meses.

Com o percentual de execução em 49%, a continuidade do empreendimento será possível devido a negociação com o Ministério das Cidades para remanejamento de R$ 115 milhões que inicialmente estavam previstos para os BRTs. Há, ainda, um financiamento junto ao Banrisul no valor de R$ 120 milhões.

Correio do Povo / Henrique Massaro

Anúncios


Categorias:Obras da Copa 2014

Tags:, ,

2 respostas

  1. uma coisa no minimo curiosa é que os gestores publicos responsaveis pelo contratação das obras não serem cobrados, o Brasil é uma piada. só da PT como canta o funkeiro.

    Curtir

  2. Porto Alegre está quase igual à Pripyat, a cidade russa abandonada à 32 anos em Tchernobyl.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: