Com 11 estações e 110 bicicletas, novo Bike Poa entra em operação

Sistema deve ser implementado na íntegra até o mês de abril

bikepoa-2018

Uma das novidades é a possibilidade integração do Cartão TRI | Foto: Guilherme Almeida

Com as primeiras 11 estações e 110 bicicletas, o novo Bike Poa já está à disposição dos usuários na Capital. O sistema, que deve ser implementado na íntegra até o mês de abril, com 41 bicicletários e 410 “laranjinhas”, tem entre suas propostas solucionar antigos problemas de acesso aos equipamentos.

Uma das novidades é a possibilidade integração do Cartão TRI para poder utilizar as novas bikes. Ele funciona, contudo, apenas para a liberação dos veículos, já que a cobrança permanece sendo da conta do usuário. Para usar o TRI, no site de cadastro ao novo Bike Poa, o número do cartão deve ser informado.

O mesmo vale para usuários do TRI escolar, que, pelo menos inicialmente, não terão distinção dos demais. Antigos utilizadores do Bike Poa precisam se cadastrar novamente, mas desta vez o registro será integrado e possibilitará o uso das bicicletas em todas as cidades onde funciona o bike sharing do Itaú. “Esse sistema é com certeza o mais moderno”, disse o prefeito Nelson Marchezan Júnior, ao comparar o modelo instalado em Porto Alegre com outras cidades do mundo.

O chefe do Executivo ainda destacou que o novo Bike Poa se tornou mais seguro para tentativas de roubo e furto de peças, problema segundo ele registrado no sistema anterior. Ele realizou o lançamento oficial na manhã de ontem em frente a estação em frente a Fundação Iberê Camargo junto de representantes do Itaú e da tembici, empresa responsável pela operação.

O diretor-presidente da EPTC, Marcelo Soletti, comentou que o modal bicicleta tem crescido em Porto Alegre. Somente nos cinco anos de Bike Poa, já foram registradas mais de um milhão de viagens e 210 mil inscritos. Ele também afirmou que em breve devem ser entregues as ciclovias das avenidas Ipiranga e Goethe e que a Prefeitura estuda a instalação de novas, porém dentro de uma rede estruturada e integrada entre si e aos planos de Mobilidade, Diretor – que está sendo revisto – e Diretor Cicloviário. “Para podermos fazer tudo dentro de uma lógica completa e não só de um modal e uma forma de visão da cidade”, explicou.

Alguns dos destaques do novo sistema do Bike Poa, segundo a gerente de investimentos do Itaú, Simone Gallo, são referentes às travas – simplificadas para que os usuários retirem as bicicletas – e ao controle de posições. Ao contrário do sistema anterior, este tem a possibilidade de instalar um número ilimitado de vagas. Dessa forma, ao analisar pontos em que as bikes são mais retiradas e em que elas têm uma maior frequência de devoluções, é possível adicionar ou remover posições. A bicicleta em si, conforme Simone, agora tem uma menor exigência de manutenção.

Apresentada em São Paulo em junho do ano passado, a “laranjinha” agora tem um design mais moderno e uma estrutura menor, se tornando mais leve, ergonômica e, ao mesmo tempo, mais robusta. O cesto passou a ser adaptável para o tamanho da bagagem sem acumular água ou sujeita e o banco teve os ajustes de altura atualizados.

Correio do Povo / Henrique Massaro



Categorias:Aluguel de biciletas, Bicicleta, Outros assuntos

11 respostas

  1. Odiei isso, pois, particularmente, eu utilizava para sair da academia, na estação mae de deus, e devolver na estação beira rio, mas ambas foram extintas, ou seja, a empresa perdeu um cliente, e com certeza não sou o unico. E não há previsão de serem reativadas, conforme o contato que tive com o Bike Poa

    Curtir

  2. uma ciclovia no bordo da redenção somada a uma calçada pavimentada (por que senao os pedestres usarao a ciclovia como calçada) seria uma boa, só de começo

    Curtir

    • é claro, fazendo a ligação com a ciclovia da loureiro

      Curtir

    • Calçada pavimentada no entorno do parque é fundamental, inclusive para concentrar as pessoas na calçada permitindo a vegetação se desenvolver no resto, diminuindo poeira, terra e barro no sistema de esgoto, assoreamento… Mas fico imaginando a bancada do atraso dizendo que vão asfaltar o parque.

      Curtir

    • e essa seria uma das ciclovias mais baratas de todas, só pavimentar. Dia de chuva fica horrível pegar onibus nas paradas da redenção, tudo lama.

      Curtir

    • Uma calçada ali na Redenção é fundamental. Aliás, não só ali, mas ao redor de todas as praças e parques da cidade. Em volta do Marinha começaram a fazer e ficou muito bom (embora ainda falte um bom pedaço). Não precisa inventar muito.

      Curtir

  3. nao tem previsão de ciclovia na av joão pessoa?? nunca vi ela inclusa em nenhum projeto.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: