Prefeitura finaliza edital e relógios devem ser instalados ainda este ano em Porto Alegre

Desde 2015, aparelhos não estão funcionando; esta é a quarta tentativa de licitar os relógios de rua

Equipamentos estão desligados desde 2015, quando venceu a última licitação | Foto: Guilherme Testa

O edital de licitação para instalação de 168 novos relógios de rua em Porto Alegre foi concluído hoje pela Secretaria Municipal de Parcerias Estratégicas. O documento será enviado nesta terça-feira para a Central de Licitações (Celic) da Secretaria Municipal da Fazenda para uma avaliação dos técnicos. O secretário municipal de Parcerias Estratégicas, Bruno Vanuzzi, disse que a colocação dos equipamentos deverá ocorrer ainda este ano. O investimento será de aproximadamente R$ 10 milhões. Os equipamentos estão há mais de dois anos desligados na Capital.

Com relação aos relógios, a ideia da secretaria é dotar a cidade de relógios que forneçam outras informações além do horário, temperatura ou qualidade do ar. Eles poderão, por exemplo, dispor de câmeras de segurança. Hoje, de acordo com a prefeitura de Porto Alegre, existem 50 relógios desligados na cidade. Um deles localizado no largo policial militar Valdeci de Abreu Lopes, no cruzamento da avenida Ipiranga com a rua Silva Só, no bairro Santa Cecília. Outro que chamava a atenção da população que circulava pelo Centro de Porto Alegre era o relógio localizado na praça da Alfândega. A estrutura do equipamento que estava bastante deteriorada e corria o risco de cair foi retirada pela prefeitura.

A intenção do Executivo municipal é ampliar o número de relógios em Porto Alegre passando de 50 para 168 equipamentos, observando critérios urbanísticos, de trânsito, de segurança e de tecnologia. Os equipamentos pararam de funcionar em 2015, quando a gestão do ex-prefeito José Fortunati rescindiu o contrato com a empresa que realizava a manutenção dos esquipamentos.

O atual processo é a quarta tentativa de reativar os equipamentos. A licitação mais recente acabou sendo cancelada na metade do ano passado, na medida em que o poder público municipal concluiu que o modelo proposto – que previa a instalação de placas de logradouros como contrapartida – estava afastando eventuais interessados.

Correio do Povo – Cláudio Isaías

Anúncios


Categorias:Arquitetura | Urbanismo

Tags:, ,

14 respostas

  1. Faz um edital assim:

    “Permissão para propaganda de 1mx1m por 2 anos, desde que tenha embaixo um mostrador de no mínimo 50cmx1m que marque no mínimo as horas e a temperatura”. Quem pagar mais para a prefeitura ganha. Deu, em 1 mês essa poha de relógio está funcionando!

    Mas não… faz anos que a prefeitura inventa moda que quer colocar a qualidade do ar, câmeras de segurança, wifi, poesias do dia, fitinha mimosa… e a coisa nunca sai e fica abandonada caindo os pedaços.

    E não me vem dizer que não dá que teve até banner da Coca Cola amarrado nas colunas do palácio.

    Curtir

  2. Um projeto muito bem feito pode render uma grana extra para a prefeitura, vejam por exemplo os relógios em São Paulo, informam a hora, temperatura e qualidade do ar e ainda exibem propaganda em um aparelho bonito que valoriza a região.
    A nossa cidade precisa disso, chega de ser precário e medíocre.
    O problema é que é mais uma notícia de tentativa, e não do fato já consumado.
    Mas vamos torcer.
    Torcer também para que um dia surja uma notícia da reforma da Rua da Praia.

    Curtir

    • Aqui o lance do mobiliário urbano (MOBU) não decolou. O projeto virou enrolation e também não é bem assim para que a iniciativa privada queira aderir. Nem os parklets conseguiram sair do papel.

      Curtir

      • Tem parklet na frente da faculdade entre a praça da matriz e biblioteca pública e outro sendo terminado na Andradas passando o zaffari em direção a casa de cultura. São esses os que eu conheço.

        Curtir

        • Talvez esses parklets sejam iniciativas individuais.

          Curtir

          • Notícia de hoje na página da PMPA.
            “A prefeitura anunciou a permissão de uso do primeiro parklet licenciado da cidade, depois do decreto nº 19.808, de agosto de 2017. As obras foram custeadas pelo restaurante Poke´s. Nas próximas semanas, a prefeitura planeja assinar a liberação da construção de mais 12 parklets, que atualmente estão em processo de tramitação.”

            Curtir

          • Sim, caso o senhor não saiba, o projeto desses parklets em sua concepção é para ser custeado pelos particulares. A Prefeitura irá apenas analisar o pedido e deferir ou não.

            Curtir

      • Para o José. Eu trabalho ao lado de quem desenvolveu o projeto dos parklets. É óbvio que eu sei.

        Curtir

        • Então acho melhor sair da internet e focar mais no trabalho, conversando com o coleguinha do lado, porque como o amigo em cima falou, vai sair um parklet e já tem dois sendo construidos.

          Curtir

  3. Quem precisa de relógio? Aquelas pessoas que não têm telefone celular; aproximadamente nenhuma. Talvez os mendigos, o problema é que pra eles não faz a menor diferença saber que horas são. Marchezan; pára com essa frescura de relógio de rua que os teus amigos não estão afim de fazer um rachid contigo nessa falcatrua. Cancela esse projetinho non sense e substitui os relógios por câmeras de monitoramento que já estará excelente, ah – e sem muito rachid ok. Só uma beirinha.

    Curtir

  4. 10 milhões pra evitar perguntar as horas pra pessoa ao lado? pelo amor de deus

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: