Empreendedores de Porto Alegre confirmam interesse em operar na orla

imagem182165

Conjunto da obra está em fase final  Foto: Joel Vargas / PMPA

A licitação realizada para definidir os operadores das áreas comerciais do trecho revitalizado da orla do Guaíba confirmou o interesse de empreendedores da Capital em operar os negócios nos quatro bares e no restaurante panorâmico. Os cinco pregões eletrônicos tiveram disputa entre os candidatos, o que acabou elevando o valor de outorga inicial, que era o critério de julgamento das propostas. O montante superou os R$ 100 mil.

Conforme o vice-prefeito Gustavo Paim, a concorrência na disputa confirma o planejamento de entregar a nova orla do Guaíba à população em um modelo com serviços de qualidade e sustentabilidade ao investimento público. “A secretaria de Parcerias Estratégicas teve o cuidado de estruturar um projeto de negócios adequado para a licitação, enquanto o Desenvolvimento Econômico dedicou-se a mobilizar os empreendedores e apresentar os potenciais daquela infraestrutura que elevará o patamar de atratividade turística e de lazer da orla”, avalia Paim.

A obra que concretizou o projeto assinado pelo urbanista Jaime Lerner no trecho de 1,3 quilômetro entre a Usina do Gasômetro e a Rótula das Cuias está em fase final. A equipe de fiscalização da prefeitura acompanha a realização dos ajustes finais junto ao consórcio responsável pela execução, enquanto é feita a instalação do piso podotátil e a recuperação do monumento Olhos Atentos. “O conjunto da obra está em estágio final, praticamente concluído. Com o piso podotátil, um trabalho que está sendo realizado para garantir acessibilidade ao espaço público, e a recuperação do piso do monumento, que também é um quesito de segurança, pretende-se ter o espaço pronto para entrega à população no final deste semestre ou on início do próximo, com a sustentabilidade necessária que os comércios irão conferir à infraestrutura”, projeta o vice-prefeito.

Os gestores municipais têm feito visitas períodicas ao canteiro de obras, acompanhados dos técnidos dos órgãos, para definir os últimos ajustes da entrega do projeto e da operação, envolvendo as secretarias que atuam nos serviços de infraestrutura, planejamento e segurança. Após os pregões para definir os operadores das áreas comerciais, começa a fase de análise da documentação dos vencedores. O contrato dos habilitados deve ser assinado em até 30 dias e terá 36 meses de duração, prorrogável pelo mesmo período. Nô ambito da adoção das áreas verdes do parque, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade mantém interlocução com empresas interessadas para definir um responsável pela manutenção do local.

Infraestrutura das áreas comerciais – O restaurante panorâmico, área mais nobre para exploração comercial, avança a margem do Guaíba e tem 282 metros quadrados de área interna, instalado junto ao ancoradouro para embarcações turísticas. O espaço tem sanitários masculinos e femininos, com acessibilidade, vestiários para funcionários, balcão de atendimento ao público, área de preparo de alimentos e salão panorâmico. O vencedor da licitação poderá optar pela inclusão da área externa de 223 metros quadrados contígua ao restaurante na permissão de uso.

Os quatro espaços comerciais destinados a bares têm cerca de 190 metros quadrados de área interna cada um, incluindo área de atendimento, sanitários, depósitos e cerca de 400 metros quadrados de área externa. As quatro lojas são destinadas exclusivamente a serviços de alimentação e bebidas, como bar, café, lancheria, pizzaria sem forno a lenha, confeitaria, restaurante e sorveteria.

imagem179719

Restaurante panorâmico está junto ao ancoradouro  Foto: Joel Vargas / PMPA

Todas as estruturas já possuem as instalações hidrossanitárias, elétricas, de gás natural e de climatização, além de acessórios como ar-condicionado, coifa e lâmpadas. Os operadores serão responsáveis pela instalação dos demais equipamentos e mobiliários necessários ao funcionamento dos negócios, que poderão ser retirados ao final do contrato.

Atracadouro – No aniversário de 246 anos de Porto Alegre, 26 de março, a prefeitura inaugurou o novo atracadouro, que integra o conjunto de obras de revitalização da orla do Guaíba. O local concentra os barcos turísticos da região e deve impulsionar o turismo náutico no Guaíba. Com a conclusão do atracadouro, o espaço que estava fechado havia dois anos voltou a abrigar três embarcações turísticas: os barcos Cisne Branco, Porto Alegre 10 e Noiva do Caí.

 



Categorias:Outros assuntos, Projeto de Revitalização da Orla

Tags:

7 respostas

  1. Mas pelo que entendi são 2 coisas separadas:
    1) Permissionários que alugam os locais comercais
    2) Empresa que vai financiar a manutenção do parque
    Pelo que entendi esse é o ponto (1) que foi fechado. O (2) ainda está aberto. é isso?

    Curtir

  2. Mas tinha gente aqui dizendo que ninguém ia querer. O que aconteceu?

    Curtir

    • Em primeiro lugar a obra precisa aberta (pronta já está há seis meses, mas não foi liberada). Não sei quando será; nem eu nem ninguém, além de algumas “notícias”. Passei por lá semana passada e a meia dúzia de operários do canteiro de obras, lustrava os postes. Enquanto a PMPA não pagar o que deve ao empreiteiro, a obra não vai ser liberada pela construtora, nem hoje nem em 10 anos.

      Curtir

    • Mas tinha gente aqui dizendo que ninguém ia querer. O que aconteceu?

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: