Só em 2020 Porto Alegre terá Mercado Público restaurado

incendio-mercado-2013

Incêndio em julho de 2013 destruiu parcialmente o prédio histórico

Nesta segunda feira, quase cinco anos depois do incêndio que destruiu o segundo andar do Mercado Público de Porto Alegre, começam as obras de recuperação do prédio histórico, por onde passam mais de 100 mil a cada dia.

Pelo acordo entre a prefeitura e a  Associação do Comércio do Mercado Público Central, que fez o projeto e vai executar a reforma, o prazo para conclusão das obras é 18 meses, a contar da assinatura, que foi no dia 4 de maio.

A exigência de um novo Plano de Prevenção e Proteção contra Incendio (PPCI) pelo corpo de bombeiros talvez aumente os custos da reforma, mas não atrasará o andamento dos trabalhos, segundo a Ascomecp.

Se o prazo for cumprido, o Mercado parcialmente interditado desde julho de 2013, só será entregue por inteiro à cidade no início de 2020.

Jornal Já



Categorias:Outros assuntos

14 respostas

  1. Desde que me conheço por gente o mercado publico de Porto Alegre fede e era muito pior antes da atual reforma feita na gestão petista que deu ares de modernidade para o predio antigo,entretanto tanto permissionários como muitos frequentadores não souberam cuidar do local, apesar dos vários erros construtivos e de baixa qualidade feitos.E vejam bem pessoas que estavam acostumadas com a decrepitude do local antes da reforma não gostaram do que viram.Quanto ao publico ele é sempre cheio de gente entretanto muitas vezes compro alguns produtos com preços melhores na rede Zaffari.

    Curtir

  2. Ah outra, sempre que vem um turista, eu mostro com orgulho o Ibere, os parques (com orgulho ferido), os estádios, a zona da IIIa perimetral, a zona sul. Mas pulo o Mercado. Dá vergonha.

    Curtir

  3. Há tempos eu venho dizendo…
    …Porto ex-Alegre!!!
    Quando é que vão atualizar para o real definitivo:
    Porto Triste!!!

    Curtir

  4. Deviam vender o mercado público para um gestor de espaços comerciais competente. E fazer uma reforma geral com limpeza daquele lugar. Não tem cabimento um ponto desses ser tão mal aproveitado. É um comércio muito fuleiro, deveriam qualificar o local.

    Curtir

    • Imagina! O portoalegrense médio adora aquela espelunca do jeito que é: fedendo à peixe e com o chão encardido. Aí tu pergunta pro vivente qual a última vez que ele foi lá, e pergunta qual a última vez que ele foi no Iguatemi ou no Barra Shopping… Aquilo é desagradável no verão e no inverno, só vai lá meia dúzia de gente “de mais idade” saudoso dos tempos que aquilo era decente. Mas deixa assim, em Porto Alegre as coisas levam décadas a acontecer, com briga de algumas dezenas de anos ganhamos a nossa orla, daqui uns 50 o nosso Mercado pode ficar parecido com o de São Paulo ou de outras grandes cidades do mundo. Até lá se contentem com comida de baixa qualidade e altos preços como a da Banca 40 onde tu compra um sanduiche de “fillet” e vem um pedaço de bife cheio de cartilage no lugar…

      Curtir

      • Não há como manter um local limpo se ele está no meio do lixo – centro de Porto Alegre. Não existe milagre. Mas você ainda escreveu várias inverdades como por exemplo, dizer que lá só frequentam meia dúzia de pessoas e idosos. Milhares de pessoas de todas as faixas etárias circulam e compram no Mercado Público todos os dias; ele está permanentemente abarrotado de gente. Apesar de evidentemente o Mercado ser muito mais sujo do que eu gostaria que ele fosse, lá ainda é o melhor local para se encontrar especiarias e produtos que não são encontrados – todos reunidos – em nenhum outro lugar do estado, e aqui quem escreve é fã de shoppings. A contingência dos mercados públicos é a da integração com áreas centrais das cidades, justamente por propiciar circulação abundante de pessoas, mesmo por que, os mercados públicos nasceram no centro das grandes cidades. Outra ilação impertinente a sua é de que o porto-alegrense adora o aspecto fedido do Mercado. Não é uma observação justa. O fato do Mercado ser sujo e fedido não pode ser colocado na conta do gosto do porto-alegrense médio.

        Curtir

        • Um mercado renovado, junto com o cais do porto, poderia ser um vetor de melhoria para toda aquela região. Tirando algumas bancas que vendem especiarias, não tem nada que se aproveite no mercado. Não imagino um shopping com lojas de luxo, mas restaurantes decentes, bares, cafeterias num ambiente limpo e mantendo as marcas históricas seria muito bom.

          Curtir

      • Eu vou seguidamente lá. Adoro o Mercado. E frequento o centro histórico sempre que posso também. Todo o mercado tem o mesmo jeitão. Não sei por que o preconceito contra o mercado e contra o centro verificado aqui por meia duzia de pessoas, e parece que é o padrão… caiam na real. Não é um shopping, é um mercado…

        Curtir

        • Já foram no Mercado de São Paulo? Curitiba? E em outros Mercados semelhantes pelo mundo? Os outros não fedem, mesclam bons restaurantes (com boa estrutura, com ar-condicionado e comida boa de verdade, não só o “hype” que tem a Banca 40 e outros estabelecimentos que fazem fortuna vendendo porcaria) . Só que pra isso acontecer, os barões que mandam naquele LOCAL PÚBLICO teriam que perder espaço. Difícil no curto prazo. Passa muita gente no Mercado, grande parte de baixa renda comprando quinquilharia chinesa barata nas lojinhas do lado do mercado. O Mercado não é sustentado por quem compra bacalhau na 6a feira santa e nem pela venda de erva de chimarrão uruguaia. O mercado está descaracterizado, e vocês são a prova de que o povo médio porto alegrense acha ótimo do jeito que está. Vivemos em uma democracia, eu só passo lá para atalhar para o metrô, se vocês aproveitam aquele lixaredo, que bom.

          Curtir

          • Ninguém está a negar que outros mercados públicos são mais organizados e limpos do que o nosso. estamos apenas a argumentar que o nosso mercado Público, no meio da nossa cidade, portanto pertencente à nossa contingência de cidade suja e esculhambada, é CONFORME a cidade em que moramos. Nós também gostaríamos que o mercado (e a cidade toda) fossem bem melhores. Não nos subestime nem nos coloque a pecha de falta de senso crítico. Eu mesmo sou extremamente ácido com as nossas mazelas, e todos aqui sabem disso.

            Curtir

          • Obrigado! O teor das respostas e das avaliações negativas dos meus comentários me fazia pensar que eu era uma voz dissonante na avaliação do nosso pobre Mercado. Sonho com o dia que teremos um mercado à altura da capacidade dessa cidade que eu tanto gosto. E para isso acontecer os sangue-sugas que hoje parasitam esse local público vão ter que mudar, ou se mudar.

            Curtir

  5. O probleama ai nao foi “burrocracia” foi empurra empurra, cada um tentando capitar as verbas de uma secretaria diferente e por sua vez alguns empurrando pra nao fazer a obra procurando especular outras alternativas para o mercado.

    no geral nao é burrocracia nao, é falta de vontade de arrumar o bem par ao público.

    Curtir

  6. Veja que só vai sair depois que a Associação do Comércio do Mercado Público Central assumiu e deixou de depender do estado. O Mercado está a uns 50m da prefeitura e mesmo assim nada! É impressionante como o estado é incompetente em simplesmente tudo!

    Curtir

  7. Correção; segundo a manchete Poa terá Mercado Público restaurado em 2020. E de manchetes já somos bem vacinados. A minha intuição diz que a restauração não tem chance alguma de materializar-se. Se desde agosto de 2013 não conseguiram acertar as pontas entre bombeiros, PMPA e permissionários, é por que há um entrave intransponível. Os permissionários não vão arcar – de jeito nenhum – com o ônus da reforma. Porto Alegre é o ku do mundo e inclusive eu defendo mudança imediata do status de capital para outra cidade menos ridícula. A esfera administrativa do estado não pode mais ser baseada aqui nessa várzea. Isso aqui é um sumidouro de gestão pública.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: