Pastéis, crepes e bistrô na Praça da Alfândega

Caminho dos Jacarandás – com obras em fase final, permissionário do espaço estima que a inauguração do novo ambiente no Centro da capital deve ocorrer no mês que vem

Deque de madeira é uma das novidades do empreendimento na Praça da Alfândega | JOÃO MATTOS/ESPECIAL

Na revitalização da Praça da Alfândega, que foi concluída em março de 2014, um prédio, no espaço batizado de Caminho dos Jacarandás, foi construído para receber nove lojas. O imóvel, ao lado da Caixa, ficou desocupado de lá para cá, mas em janeiro começaram obras para transformá-lo em uma praça de alimentação, que deve passar a funcionar em meados de junho.

O vencedor da licitação para explorar o empreendimento, Robson Vieira, acredita que as obras devam ser finalizadas na próxima semana. “Na semana que vem esses tapumes serão retirados. A gente ainda quer fazer uma cobertura, botar umas luzes verdes e refazer os jardins aqui na frente. Estamos falando com a prefeitura para ter a autorização para isso. Mas mês que vem queremos inaugurar.”

Vieira, que também é o administrador da nova praça de alimentação, revelou que o local irá abrir com quatro atrações gastronômicas: Cenoura Pastéis, Ki-Kreppe, Bistrô Flor de Eva e uma cafeteria. “A ideia é que seja também um espaço boêmio. Vai ter chope e petiscos para o público. Também queremos colocar música ao vivo em alguns dias da semana.”

Além das opções alimentícias, haverá uma banca de revistas e a Banca do Mel no ponto.

A inspiração para as reformas na estrutura veio de uma rua de Porto Alegre onde há bares e restaurantes que as pessoas frequentam depois do expediente. “Eu queria dar uma cara tipo os bares da rua Padre Chagas. Daí saiu a ideia de um deque de madeira e outras melhorias que foram feitas”, conta Vieira.

Melhorias na Praça

O permissionário disse que tem conversado com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, que teria garantido que melhorias na Praça da Alfândega serão feitas para recuperar alguns aspectos do ambiente.

Vieira disse que o poder público está atento às necessidades do local. “Falaram que vão recuperar a iluminação e o calçamento aqui na praça. Também disseram que vão melhorar a segurança e a limpeza por aqui.”

Jornal Metro Porto Alegre – 16/05/2018

Postado sob licença do Jornal Metro Porto Alegre.

Anúncios


Categorias:Arquitetura | Urbanismo, Comércio, Outros assuntos

Tags:,

2 respostas

  1. se nao tiver hamburguer nao vinga.
    hoje me dia em poa tudo é hamburguer

    Curtir

  2. Povoar as áreas não resolve per si, mas ajuda muito nos quesitos de insegurança e vandalismo. Onde tem gente andando, onde tem comércio, tem menos sensação de insegurança e quando tem vandalismo a tendência é ser limpado, pois o dono do comércio não quer o seu comércio no meio da sujeira. Parece que estamos aprendendo que não basta fazer uma reforma e esperar que não chova, que ninguém faça vandalismos, que não precise de manutenção. NYC, Barcelona, Tokyo e outras cidades não tem ausência de vandalismo, elas tem prefeituras que cuidam das suas praças, de suas propriedades. E polícias efetivas… Em Porto Alegre o prefeito gastou não sei quantos milhões para reformar o viaduto Otávio Rocha, e depois esperou que os anjos afastassem a umidade do local, o que acabou não acontecendo, levando mofo, obvio que as pessoas levando colchões, morando, defecando e urinando no local só piorou a situação, mas houve ZERO atividades de manutenção depois da reforma milionária do viaduto…

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: