Parque Pontal terá um ‘aperitivo’ durante a obra

Publico hoje esta matéria muito boa do Jornal Metro, que enfoca o parque provisório que terá na área do Pontal.

 

Empreendimento deve começar a ser construído em até seis meses, e previsão é de ficar pronto entre 2021 e 2022; protótipo deverá ser inaugurado em 7 de julho

O Pontal, empreendimento que será construído na área do antigo Estaleiro Só, foi apresentado ontem pela manhã em um telão de 29 metros de comprimento por quatro metros de altura. Imagens do projeto deram uma boa ideia de como vai funcionar a junção entre o Parque Pontal, público, e as áreas privadas, como hub da saúde do Hospital Moinhos de Vento, shopping e escritórios. Mas para ter uma noção ainda maior de como será, daqui a pouco mais de três semanas a população poderá visitar um protótipo do parque público, na avenida Padre Cacique, próximo à Fundação Iberê Camargo.

O espaço temporário terá 10 mil metros quadrados e contará com uma prainha. Leandro Melnick, presidente da incorporadora Melnick Even – responsável pela construção –, diz que o local provisório deverá ser inaugurado em 7 de julho e ficará aberto durante a obra, até que seja necessário desmontá-lo para terminar a construção.

A criação do protótipo, que custará R$ 2,3 milhões, é mais uma das inúmeras mudanças pelas quais o projeto passou nos últimos 13 anos. “Agora não muda mais”, garantiu Melnick, sorridente. As licenças da prefeitura foram todas obtidas. Falta somente a Licença de Instalação, que já foi solicitada e vai liberar o início dos trabalhos. As obras devem começar em no máximo seis meses e se estender até o final de 2021 ou início de 2022.

O prefeito Nelson Marchezan Júnior repetiu o que fez durante o evento da assinatura da ordem de início das obras do Cais Mauá, em 1º de março. Outra vez, seu discurso focou em críticas aos movimentos contrários aos projetos. “Este local espera um empreendimento desde 1995. Isso é uma quebra de paradigma na nossa cidade. Como dói mudar em Porto Alegre. Todos os argumentos para isso não acontecer tiveram espaço. O que Porto Alegre precisa é de reformas, é de quebra de paradigmas.”

Enquanto o prefeito e os construtores explicavam o projeto à imprensa em uma sala da Casa NTX, na zona norte da capital, quem estava no salão lotado recebia as primeiras informações sobre venda de espaços. O metro quadrado estava custando R$ 17.390, e havia unidades por R$ 535.280. Foram anunciados descontos a partir de 5%.

Jornal Metro – 13/06/2018



Categorias:Arquitetura | Urbanismo, Outros assuntos, parque do pontal, Pontal do Estaleiro

Tags:, , , , ,

7 respostas

  1. Genial, assim não vão poder ficar de mimimi por terem cercado uma área pública abandonada.
    Sabe como é, o povo resolve valorizar o lugar quando as obras começaram.
    Hahahaha

    Eu sabia que agora eles iriam estudar bem para não deixar espaço pro pessoal do atraso rosnar. Ótimo trabalho.

    Curtir

  2. Novidade em breve… Aguardem.

    Curtir

  3. Aguardando ansiosamente para ir do Gasômetro até o Ibere aproveitando a paisagem!

    Curtir

  4. Muito interessante e prática a ideia.
    Desta forma, permitindo a permeabilidade pública junto ao local do futuro empreendimento aproveitam para “domesticar” a população com relação ao projeto como um todo. Também impõem no subconsciente a proposta de um local acessível à população e não de um complexo privado e fechado.
    Além do mais este acesso ao terreno também serve para aproximar o público ao atrativo plantão de vendas onde se encontra a tal maquete do complexo.
    Estratégia muito bem pensada !!!

    Curtir

  5. ótimo, o que farão naquele terreno do estacionamento na santana com olavo bilac? já demoliram e agora estão fazendo o showroom, terreno pega as 2 ruas da quadra

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: