Orla: Guarda usa taser para impedir vandalismo

DSC_0104

Foto: arquivo Porto Imagem

A Guarda Municipal precisou fazer uso de um taser, uma arma de choque, para parar a ação de skatistas, que, de acordo com a Guarda, estavam causando dano ao patrimônio público na nova orla do Guaíba. Um grupo de 15 skatistas estaria fazendo manobras num dos bancos da estrutura recém-inaugurada e teria reagido a abordagem dos agentes, na madrugada de ontem.

Segundo a divulgação feita pela Guarda Municipal, um dos integrantes do grupo teria reagido de maneira agressiva e com palavras ofensivas, o que levou à ação dos agentes.

O indivíduo foi levado ao HPS e depois à delegacia e autuado por desacato à autoridade.

Jornal Metro – Porto Alegre – 03/07/2018 

Foto: Gilberto Simon



Categorias:Orla Moacyr Scliar, Projeto de Revitalização da Orla, vandalismo

Tags:, , , ,

23 respostas

  1. Enquanto não houver investimento em educação nos só iremos ver a destruição do patrimônio público e coisas piores. E realmente ingenuidade dos projetistas em não criarem estruturas mais resistentes uma vez que o skate de rua e uma realidade no mundo todo e aqui não seria diferente.

    Curtir

  2. Daleee SKATE,
    vandalismo nunca,
    Incrível 30 anos para reformar a Orla sem oferecer uma área para andar de SKATE.
    SKATE é esporte, é urbano, é arte.
    Na revitalização do Largo dos Açorianos é a mesma coisa, um monte de buracos, escavações, terreno todo concretado, sem uma única área para andar de SKATE,
    temos a pista do Marinha e do IAPI, ambas abandonadas e ultrapassadas.


    https://polldaddy.com/js/rating/rating.js

    Curtir

    • Cara…
      Não só skate é arte. O projeto deste parque é arte, os paisque cuidam e educam seus filhos é arte e, por que não, meu trabalho é arte também…
      Minha arte não me dá direito de desrespeitar a arte alheia. Nem de prejudicar ninguém.
      Se há carência de locais para a prática adequada, por que não lutar per este ideal respeitando para ser respeitado ?
      No mais, se tem pista no Marinha, ali ao lado, por que utilizar o banco para tal (inclusive na orla)?
      Eu ando de bike. Como o ciclista sempre é o ultimo a ser levado em consideração na mobilidade urbana, que tal eu e meus amigos formos lá e fazer umas manobras no banco? Ou, quem sabe, na pista de skate?
      “Mudando de saco para mala”, mas mantendo o tema em São Leopoldo a comunidade ajudou a construir uma pista de skate numa escola municipal. Ficou legal e foi bastante usada pela população. Mas a alguns dias uma criança se feriu e o município (ou seja, nós contribuintes) foi obrigado a pagar indenização à família da criança por ter permitido o a construção (embora o Município quisesse retirar a pista ha tempos, mas a comunidade não permitia).
      http://brittoelemmertz.com/municipio-e-condenado-a-indenizar-jovem-que-se-acidentou-em-pista-de-skate/
      Coisas para refletir…

      Curtir

  3. a mais de ano, logo que se tirou fotos desses bancos prontos aqui mesmo no blog se comentou coisas do tipo ” duvido ninguem andar de skate ali” ” nao dou uma semana para o skatistas estarem pulando la.

    Nota-se é um erro de projeto obvio.

    Se a atividade esportiva estava danificando o banco deve-se impedir sua prática.

    Se a guarda foi la avisar pra nao praticarem esta atividade e o pessoal resistiu com palavras ofensivas etc como diz ali, que se prenda e preste esclarecimentos.

    Nada de notorio.

    Curtir

    • Meu querido, eu estava lá quando tudo aconteceu, o guri que foi preso é meu amigo e nada, absolutamente NADA que está escrito ai é verdade. Pra começar, não havia 15 skatistas, nós éramos um grupo de 8 pessoas e só um tinha um skate, e o mesmo q estava com o skate era uma criança de 12 anos, sobrinho do guri q foi preso. Segunda coisa, eles não chegaram pedindo p que eles parassem, chegaram arrancando o skate da criança e o tio dele logicamente foi lá ver oq era e tentar pegar o skate de volta, o guarda empurrou ele é atirou e os mesmos ainda quase quebraram o braço de outro amigo meu com o bastão retrátil e deixaram o braço de uma das meninas q estava junto, roxo. Então antes de publicarem reportagens deste tipo, procurem se informar sobre TODA a verdade


      https://polldaddy.com/js/rating/rating.js


      https://polldaddy.com/js/rating/rating.js


      https://polldaddy.com/js/rating/rating.js

      Curtir

    • Não creio que erro de projeto seja a expressão mais adequada quando o indivíduo que realmente comete o erro não foi o arquiteto e sim quem fez mau uso do equipamento projetado.
      Se projetas uma cerca de 2 metros de altura em tua casa e mesmo assim os bandidos entram, não é um erro de projeto. Há coisas que um projeto arquitetônico não consegue evitar, como por exemplo, a má educação das pessoas.
      De qualquer modo, tenho que concordar que este “design” de banco é um incentivo ao uso pelo pessoal que anda de skate e que isso poderia sim ser evitado (ou adotado como partido) no projeto.

      Curtir

  4. Aberto ao povo. Foi dada a largada para a destruição. Há coisas que precisam ser resolvidas no país, muito antes de se investir em obras públicas. Coisas que estão na base da pirâmide de uma sociedade. Civilidade, educação, respeito ao patrimônio público. E para que isso seja alcançado, é imperativo educar e punir concomitantemente. Não há educação possível sem antes as pessoas saberem que há leis rigorosas e que os infratores serão efetivamente punidos conforme a legislação.

    Curtir

  5. Excelente a ação da guarda municipal. O patrimônio é da cidade, é um absurdo que alguém se ache no direito de destruir. Acho que além do desacato, devem pagar o dano que tenham causado.

    Curtir

  6. isso acontece em todo centro urbano, desde a Europa até NY, ingenuo foram os projetistas em fazerem ambientes sem barreira alguma para a pratica do skate, ou durabilidade para tal.
    Se botaram guardas, andarão de madrugada.
    Infelizmente porto alegre só tem uma pista de skate descente, do IAPI, e a prometida pista da fase 2 na Orla não tem mais previsão pra sair, ou seja, se for nunca, no minimo daqui 20 anos.

    Curtir

  7. Espero que divulguem o vídeo das câmeras de segurança. Hahaha

    Curtir

  8. Eu sempre soube que isso aí não irá durar muito tempo.
    Além do que esses lambris de madeira são muito finos, muito delgados para uma obra exposta continuamente ao tempo, trânsito pesado de pessoas, sol, chuva, inundações, vandalismo, etc…
    Essas madeiras deveriam ter o dobro da espessura para uma obra adequada desse tipo nesse local. Mas o povo aceita qualquer obra de coisa meia-boca…
    Querem fazer apostas?
    Quem dá mais previsão de tempo de durabilidade desses decks e bancos de madeira da orla?

    Curtir

    • Tenho que discordar sobre teu comentário a respeito dos decks.
      Te convido para ires na praça em frente ao Boteco do Paulista (sob o aeromóvel) onde exatamente os mesmos perfis de madeira foram utilizados. Claro procurando vais encontrar alguns problemas, mas naturais de uma obra pública exposta às intempéries e uso intensivo por mais de 2 anos.
      Em vários cantos do mundo se constrói usando madeira. Na serra, com clima chuvoso e frio se constroem casas muito boas de madeira!!!
      Por que somente em Porto Alegre não pode dar certo?

      Curtir

      • A questão que eu levantei não é sobre o uso de madeira. É claro que um deck deve ser de preferência feito em madeira.
        A questão, se você interpretar meu comentário, é a pouca espessura das tábuas utilizadas. Que deveriam ter o dobro da espessura para uma obra pública com trânsito pesado de pessoas na beira do lago. Questão de aumentar a resistência às intempéries e ao vandalismo, e mais segurança aos usuários do espaço, evitando acidentes com a mais rápida degradação que essas tábuas mais finas terão. Decks desse tipo pela Europa são feitos com tabuas de 3 polegadas de espessura.

        Curtir

  9. Desacato não (isto para começar nem era para ser crime)! Dano ao patrimônio mesmo!

    Curtir

  10. Eu sempre soube que isso aí não irá durar muito tempo.
    Além do que esses lambris de madeira são muito finos, muito delgados para uma obra esposta continuamente ao tempo, sol, chuva, inundações, vandalismo, etc…
    Querem fazer apostas?
    Quem dá mais previsão de tempo de durabilidade desses decks e bancos de madeira da orla?

    Curtir