Geração de energia por biomassa terá investimento de R$ 1 bilhão no RS

04153433_1531714_GDO

Novo empreendimento para geração de energia sustentável a partir do uso de biomassa deve gerar emprego e renda na Região Sul – Foto: Dani Barcellos/Palácio Piratini

Um novo empreendimento para geração de energia sustentável a partir do uso de biomassa deve gerar emprego e renda na Região Sul do estado. O governador José Ivo Sartori entregou, nesta quarta-feira (4), licença prévia emitida pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) para empresa que vai se instalar no município de Pinheiro Machado. O documento, que atesta a viabilidade ambiental do projeto, deu entrada no Sistema Online de Licenciamento Ambiental há menos de seis meses.

O empreendimento da empresa Pellco prevê investimento de R$ 1 bilhão com a participação de empresas nacionais e estrangeiras. A produção consiste na fabricação de pellets em madeira e a cogeração de eletricidade a partir de biomassa (toras moídas, cascas/galhos e feixes de árvores e casca de arroz), visando a uma capacidade mensal de produção de 75 mil toneladas de pellets e cogeração de 50 MW de energia elétrica. A área a ser construída será superior a 112 mil metros quadrados. O pellet deve ser exportado para países como Japão e Estados Unidos, para ser queimado em caldeiras de usinas.

Sartori comemorou a construção de um sistema de licenciamento, pela Secretaria do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, que não atrapalha a vontade de quem quer investir e gerar emprego no Rio Grande do Sul. “Não criamos obstáculos, mas condições através do diálogo e entendimento. Para nós, a formação de emprego, de trabalho e renda para as pessoas é extremamente importante. (O licenciamento) é uma construção coletiva, dos empreendedores, dos municípios e do Estado. Entregar essa licença, para mim, é uma satisfação enorme porque os empreendedores sempre respeitaram esse processo. O tempo médio para liberação de licenças passou de 900 para 90 dias, e isso sem prejudicar o ambiente e a preservação da natureza. Acredito, sim, que esta é uma maneira de modernizar o Estado e oferecer as condições necessárias àqueles que querem investir no RS”, afirmou.

“Todo mundo sabe a diferença que faz uma energia de qualidade e barata para uma comunidade. Estamos colaborando com isso para um planeta mais limpo, mais seguro, com mais oxigênio para as próximas gerações. A gente percebe que esses conceitos ambientais não são mais uma teoria, não atravancam os processos, mas estão fazendo com que o homem invista de forma sustentável. Qualquer empreendimento que precisar de licenciamento, hoje, temos técnicos capacitados que vão produzir uma licença de qualidade e que respeita a legislação”, reiterou a secretária do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Ana Pellini.

Empregos

O presidente da Pellco Brasil, Luiz Eduardo Batalha, afirmou que a empresa já trabalha há dois anos e meio no projeto e a estimativa é de que serão criados 1,5 mil empregos diretos na fase de construção e mais 1,2 mil para o funcionamento da indústria. “Temos 45 anos de agronegócio, somos uma empresa que se mantém com um trabalho de qualidade e coragem. Ninguém pode competir com a gente no campo florestal, temos gente de muita competência que sabe muito sobre madeira. E, para se ter uma ideia, o pellet é uma energia limpa e renovável que pode limpar a poluição que 5 bilhões de toneladas de carvão por ano dissipam no mundo. De pellets, apenas 27 milhões de toneladas são produzidos atualmente. Então, vamos partir tranquilamente em um mercado que vai fazer com que puxe toda essa sujeira. A gente tem muito a crescer, agradecemos a oportunidade de investir no Rio Grande do Sul”, disse.

O processo para licenciamento deu entrada na Fepam no dia 31 de janeiro deste ano e foi analisado no Relatório Ambiental Simplificado, seguindo as premissas da Resolução Conama 279/2001, para empreendimentos de geração termoelétrica com impacto ambiental de pequeno porte. O projeto da Pellco deve beneficiar também a linha férrea da região, que pode ser reformada se aprovado o projeto.

Acompanharam a entrega os deputados estaduais Fábio Branco; Ernani Polo; Liziane Bayer; Zilá Breitenbach; o  prefeito de Pinheiro Machado, José Antônio Duarte Rosa; o vice-prefeito do município, Jackson Luiz Fagundes Cabral; o presidente da Câmara de Vereadores de Pinheiro Machado, Jaime Iran Fernandes Lucas; diretores técnicos da Fepam, uma comitiva de representantes do empreendimento e do meio empresarial.

Portal do Governo do RS



Categorias:Biomassa, Economia Estadual, Energia, Formas alternativas de energia, Outros assuntos

7 respostas

  1. Pesquisei e nao encontrei uma noticia antiga de um biodigestoer de degetos suinos que produzia energia aqui no rs, foi criado no inicio dos anos 2000

    Curtir

  2. Em época de campanha eleitoral, só agenda positiva. E a vida segue.

    Curtir

    • Carvão, biomassa, etc. Amanhã tem mais agenda positiva. Eleições 2018. Vote Sartori.

      Curtir

    • Se fazendo “agenda positiva” já estamos nesta crise, imagina o dia que ser fizer “agenda negativa” então….
      Parabéns a nós todos pela notícia e espero que ela se concretize como anunciado. Agora é ficar de olho e fiscalizar.

      Curtir

  3. Seis meses para uma licença e que quando sai vira evento.

    Curtir

    • Faz parte do foco do Blog, economia, sendo no RS. Ainda mais algo sustentável como este, preocupado com o futuro do ambiente. Faço questão de publicar algo assim. Sem falar nos números do investimento. R$ 1 bilhão é notícia em qualquer lugar do mundo !

      Curtir

      • Sem dúvida. Obrigado por publicar. Minha crítica não é ao blog e sim aos entraves governamentais que de tão difíceis viram eventos importantes.

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: