Toyota confirma intenção de ampliar operações em Guaíba

A empresa ainda não tem valor definitivo do aporte

toyota-em-guaibaUma das maiores empresas do setor automobilístico do mundo, a Toyota, confirmou, nesta terça-feira (10) que pretende investir mais no Centro de Distribuição de Guaíba, na Região Metropolitana de Porto Alegre. A informação foi divulgada pelo presidente da multinacional no Brasil, Rafael Chang Miyasaki (foto), em reunião com o governador José Ivo Sartori , no Palácio Piratini.

O Centro de Distribuição de Guaíba, inaugurado em 2005, é a porta de entrada dos veículos (Hilux e SW4) que a marca produz na Argentina. O local instala peças nos automóveis, faz as adequações que a legislação brasileira exige e depois distribui para as 236 concessionárias da empresa no país. Hoje, é o maior gerador de renda para o município de Guaíba.

O presidente da Toyota explicou que a empresa ainda não tem números definitivos dos novos investimentos porque os detalhes da expansão no Estado estão sendo fechados. “Assinamos um compromisso para seguir com a parceria e aumentar nossas atividades em Guaíba. Queremos um projeto de ampliação, não só das nossas operações, mas também para gerar mais empregos e incluir fornecedores de peças do Rio Grande do Sul”, projeta Miyasaki.

O Centro de Distribuição de Guaíba é um dos três que a Toyota possui no Brasil. Os outros ficam em Vitória, no Espírito Santo, e Suape, em Pernambuco.

Revista Amanhã

Anúncios


Categorias:Economia Estadual, Outros assuntos

Tags:,

8 respostas

  1. Nao importa quantas melhorias guaiba receba, ninguem nunca vai perdoar a ford por ter fujido!

    Curtir

  2. Cegonheiras com Hilux e SW4 entram todo dia aqui por Uruguaiana, onde estou morando, com direção à Guaíba. Dezenas, todo santo dia. Nunca entendi porque não investem no transporte hidroviário desde Buenos Aires, onde está a fábrica da Toyota.

    Curtir

    • Há um tempo atrás eu comecei a fazer uma planilha de custos para instalações industriais e curiosamente o transporte hidroviário custa o dobro do rodoviário. Como sempre o estado cria uma parafernália regulatória que torna esse modal inviável.

      Curtir

  3. Não podemos de esquecer nunca, que graças a um governador (Olívio Dutra) sem visão e com idéias petistas ultrapassadas, foi o responsável pela não instalação da Ford no estado. Um homem desses, não pode ser eleito nem para sindico de um prédio. Hoje o estado está perdendo 1 bilhão de Reais em impostos. Realmente é um político muito tapado.

    Fernando

    Curtir

  4. Toyoya maior que a celulose rio grandense? nuss incrível o impacto de uma montadora

    Curtir

    • Deve ter tido um equívoco. A Celulose Riograndense deve ser bem maior que a Toyota, pois essa Toyota de Guaíba não é montadora, é uma central de distribuição, com pequenos ajustes nos veículos pra atender a legislação brasileira. Eles devem ter “esquecido” a CMPC.

      Curtir

      • Depende do destino da produção da CMPC. A parcela da produção que é exportada tem imunidade tributária. Se a maior parte da produção tiver como destino a exportação, de fato a contribuição tributária pode ser pequena.

        Curtir

  5. Ótima notícia pra Rio Grande.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: