Marchezan assina contrato para Centro de Convenções e Eventos

imagem184811

Complexo será erguido em uma área de 3,7 hectares ao lado do Estádio Beira-Rio Foto: Ricardo Giusti / PMPA

O prefeito Nelson Marchezan Júnior assinou nesta sexta-feira, 13, no Salão Nobre do Paço Municipal, o contrato de elaboração dos projetos de arquitetura e complementares de engenharia do Centro de Convenções e Eventos. O trabalho ficará a cargo da empresa Mafra Arquitetura, que terá prazo de dez meses para a conclusão do trabalho e receberá R$ 910 mil. O complexo será erguido em uma área de 3,7 hectares ao lado do Estádio Beira-Rio e será fundamental para o turismo de negócios de Porto Alegre, que perde grandes eventos por falta de um local adequado.

O prefeito destacou a utilização de recursos federais para a construção. A Caixa Econômica Federal é a gestora dos R$ 60 milhões destinados pela União ao projeto via PAC Turismo, a fundo perdido. “Este projeto é a continuidade do desenvolvimento da região do Guaíba. A orla é um grande avanço para a cidade”, afirmou Marchezan, ressaltando que em breve serão retomadas as obras do Cais Mauá. “Será uma transformação para Porto Alegre”, completou.

Segundo secretário municipal de Parcerias Estratégias, Bruno Vanuzzi, a expectativa é ter a aprovação do projeto até setembro de 2019 e no segundo semestre a abertura do processo de licitação para execução da obra. “Temos uma oportunidade para cidade que não se repete tão cedo”, disse o secretário referindo-se à verba federal. A ideia da administração municipal é que o complexo tenha, em sua primeira fase, um salão principal com capacidade para 3 mil pessoas e salas para convenções e eventos corporativos para atender de 300 a 500 pessoas. Em uma segunda etapa, estão previstos um grande espaço de 15 mil metros para feiras e estacionamento no piso inferior.

O titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Leandro de Lemos, destacou a importância do Centro para o município, que está entre as cidades que mais receberam eventos esse ano – desde abril foram 1.500. “Este projeto agrega valor à economia da orla do Guaíba”, observou. O diretor-geral da Mafra Arquitetos Associados, Cláudio Mafra Mosqueira, também participou do ato de assinatura e salientou a expectativa de realizar um bom trabalho na Capital. “Faremos um projeto digno de Porto Alegre”, disse ele que é de Minas Gerais.

Também estiveram presentes na solenidade o vice-prefeito, Gustavo Paim, e representantes de entidades.

Prefeitura de Porto Alegre

_______________________

Nota do Blog: Se forem usados somente os 60 milhões de reais, será um centrinho de pequenas convenções. Terá que ter aporte de muito mais dinheiro para que saia um projeto a altura da nossa capital. Esse valor mal da pra o estacionamento do centro.

Outra coisa que não gosto, e é uma característica de Porto Alegre: fazer as obras em etapas.  Primeira fase será assim, segunda fase terá não sei o quê. Faz um investimento grande duma vez, prospectem novos investidores, faz a obra completa! 



Categorias:Centro de Eventos do RS, Outros assuntos

5 respostas

  1. Parece que o Vale dos Vinhedos também está desenvolvendo, em fase final, um projeto de um mega centro de eventos.
    Se souberes de alguma coisa, Gilberto, seria uma matéria bem interessante.

    Curtir

  2. Não acho que 60 milhões seja tão pouco assim. Acho que dá prá fazer algo bem interessante com este valor (mas certamente não é suficiente para algo digno de nossas aspirações)…
    Enfim, se vai ser menor que o da FIERGS, não vejo motivo para ser feito.
    E por favor… concurso de arquitetura… chega de arranjos e licitações por menor preço.

    Curtir

  3. Apenas 15000 metrinhos quadrados para um Grande espaço de exposições? Estão de brincadeira né? Hahahaha
    Até o Centro de Eventos da FIERGS é maior e mais completo, contando o pavilhão e todas as salas e espaço externo.
    Isso aí será um Centrinho de Convençõeszinhas e de Eventinbos de muito pequeno porte, e não um “Centro de Convenções e Eventos” digno desse nome, como a prefeitura vem propagandeando, nem condizente com o tamanho do que seria necessário para Porto Alegre.
    E ainda por cima, sem um concurso de arquitetura, o que será construído, isso se o for, será um caixote cinzento e sem atrativo algum.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: