Fios: Emaranhado no alvo

Limpeza na paisagem. Projeto-piloto da CEEE para identificar os cabos de telefonia irregulares ou excedentes nas avenidas Borges de Medeiros e Padre Cacique está em fase final. Fios serão retirados dos postes ainda este mês

emaranhado

Técnicos da CEEE identificaram os cabos com plaquinhas | ANDREIA FANTINEL/GRUPO CEEE

Até o começo de dezembro, o emaranhado de fios nos postes das avenidas Borges de Medeiros e Padre Cacique será desfeito pela CEEE (Companhia Estadual de Energia Elétrica). O projeto, que foi iniciado nessas vias e será expandido para o restante da capital, busca identificar os cabos de telefonia instalados de maneira irregular ou excedentes, notificar as empresas responsáveis e fazer a retirada do material.

Ontem, foi realizada a última etapa da fiscalização: o agrupamento dos cabos que ainda não foram identificados para serem removidos. Hoje, será apresentado o relatório da ação para as empresas que compartilham a infraestrutura da CEEE, que foram notificadas do projeto desde agosto.

A iniciativa tem três objetivos principais: despoluir visualmente a cidade, diminuir os riscos de descargas elétricas e acabar com a inadimplência. Para usar os postes, as empresas têm que seguir as regras de colocação dos cabos e efetuar o pagamento mensal de um valor entre R$ 3,59 e R$ 8, que é revertido para diminuição da conta de luz.

A execução da retirada dos fios poderá causar interrupção nos serviços de internet, telefone e TV a cabo nos locais próximos às avenidas. Quem tiver problemas deverá contatar a operadora, pois a CEEE tem responsabilidade somente sobre o abastecimento de energia e está respaldada por uma resolução da Anatel para remover os cabos irregulares.

Os próximos locais a receberem a fiscalização serão trechos da Terceira Perimetral. A fase seguinte do projeto irá abranger as avenidas Dom Pedro II, Augusto Meyer e Carlos Gomes. Ainda não foi divulgada a data do início dos trabalhos desta etapa.

Jornal Metro – 08/11/2018



Categorias:Coleta mecanizada de lixo, Outros assuntos

8 respostas

  1. O problema dos furtos nada tem a ver com enterrá-los ou não. É um problema de código penal e tolerância com vandalismo e marginalidade. Fizessem parecido com Cingapura, aqui o vandalismo seria praticamente zero. mas pra isso, há de se ter vontade política e intolerância máxima ao socialismo fabiano que foi engendrado no país através dos disfarçados de bonzinhos e dos cretinos meios de comunicação. Criaram um ambiente propício aos bandidos e maus cidadãos.

    Curtir

  2. Em realidade, abrir buraco aqui não gera votos… países do leste europeu, pouco tempo após se abrirem ao capitalismo, estão há anos luz em termos de infraestrutura e transportes.

    Curtir

  3. Pelo menos isso. Válido. Todavia, contudo, porém o ideal seria que a fiação fosse subterrânea né. Dizem que é hiper caro, mas se formos ver há vários países como por exemplo os do Leste Europeu, que têm economias bem modestas cujas cidades possuem fiação enterrada; o que vejamos é muito melhor para a regularidade do fornecimento de energia, favorece a arborização urbana, e evita acidentes de forma ampla, enfim resumindo, é evolução. Evolução e adequação que parecem nunca chegar nestas terras brasucas dominadas por interesses, e vejamos que as indústrias que produzem os tais postes para as tais companhias, com certeza lutam por seu mercado e contam com digamos suportes úteis, para que tudo seja como sempre foi.

    Curtir

    • No momento creio que nenhum projeto piloto de fiaçao subterranea em novos bairros ou em pontos historicos e turisticos esteja ocorrendo devido ao furto de fios.

      A av Castelo branco por exemplo tem trechos de fio (subterraneos) roubados mensalmente
      A Rodovia do parque por exemplo tem trechos de espinhos de ferro nos postes para que os fios nao sejam roubados e mesmo assim estes sao roubados.
      Na av edvaldo volta e meio se roubam fios.

      É a triste realidade, se tem quem compre aparece quem venda.

      Curtir

      • A Castelo Branco fica deserta durante a noite, mas nos bairros residenciais o roubo de fios subterrâneos é bem menor… Aliás, por que enterrar os fios na Castelo Branco? Quase não tem árvore, ninguém mora ao longo da avenida e ninguém caminha ao longo dela.

        Curtir

    • Como se não roubassem fiação aérea

      Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: