Nova rodoviária terá melhorias com ‘pé no chão’

Concessão. Novidades incluem maior conforto para usuários, com ar-condicionado nos ambientes e escadas rolantes, enquanto problemas de circulação deverão ser atacados

rodoviaria-nova

Maquete mostra como ficaria a entrada da estação, com acesso amplo e escadas rolantes laterais | REPRODUÇÃO

Nos períodos de pensamentos futurísticos mais febris sobre Porto Alegre, a rodoviária sempre foi um alvo para a criatividade. O poder público já cogitou erguer um novo prédio, mudar a rodoviária de lugar, construir garagens e túneis subterrâneos. Houve comentários até sobre uma espécie de shopping envolvendo a estação.

A realidade será mais “pé no chão”. O projeto de concessão em breve será avaliado pelo governo do RS, que vai receber sugestões ao longo de 30 dias de consulta pública. A ideia é proporcionar modificações importantes, ainda que não tão sonhadoras. A rodoviária não vai mudar de lugar, o prédio será o mesmo e não existirá garagem subterrânea ou túneis ligando ao Centro Histórico. Mas o conforto vai melhorar. Além de salas de espera com ar-condicionado, o local receberá escadas rolantes – a principal, na entrada.

rodoviaria-nova2Outras medidas para melhorar a vida dos viajantes serão a instalação de cobertura para o setor dos táxis e um braço da passarela para facilitar o acesso à estação.

Estrutura mantida

A perspectiva é que o edital que integra o programa RS Parcerias esteja pronto até agosto, conforme o diretor do Departamento de Concessões e PPPs da Secretaria de Governança e Gestão Estratégica, Rafael Ramos. Se tudo der certo, a obra poderia começar no início do ano que vem. “A estrutura será mantida. A obra será feita sem fechar a rodoviária, em fases. É uma obra que vai impactar Porto Alegre”, afirma.

Detalhes como a circulação dos ônibus, táxis e veículos que deixam passageiros na entrada da rodoviária poderão ser definidos mais adiante. Quanto a alterações no trânsito, se houver, caberão à EPTC.

Jornal Metro – Porto Alegre, 27/03/2019



Categorias:Arquitetura | Urbanismo, Outros assuntos, Rodoviária de Porto Alegre

21 respostas

  1. Na minha opinião,a Rodoviária precisa de uma gestão competente e seria e obras de melhorias em todo o prédio, por que do jeito que ta, não da mais, uma dessas obras seria a realocação dos boxes dos ônibus, por exemplo ali onde sai os ônibus interestaduais e internacionais deixar apenas para desembarque interestadual e internacional, e passar os ônibus dali para os 10 guiches do outro lado ( do 33 ao 43 ), ficando os boxs dos ônibus concentrado num lugar só, tirar os guiches de vendas de passagens dali e também la perto dos táxis e fazer um espaço central com guiches maiores para todas as empresas de ônibus, tanto as que fazem viagem aqui no RS como fora, ficaria um espaço maior até para a circulação das pessoas comprarem suas passagens, e também mais organizado. Na rodoviária de SP por exemplo é assim, os guiches para vendas das passagens é tudo num lugar só.e por fora também fazer uma readequação do transito ali na frente do terminal, cobertura para acessar o trensurb, enfim da pra mudar pra melhor.

    Apenas deixando claro que essa é a minha opinião.

    Curtir

  2. Fui frequentador assíduo das linhas de ônibus desta rodoviária por mais de 15 anos de maneira rotineira. Além do mais morei ali próximo, na Santo Antônio, durante 3 anos (minha atual companheira morou 5 na Ernesto Alves)
    Hoje, morando na região metropolitana, continuo a passar por ali seguidamente, mas agora com meu próprio transporte.
    Assim me sinto com propriedade para falar que o transtorno que um terminal rodoviário naquela região causa ao trânsito local de veículos é absurdo. Reconheço que o terminal em si não é o principal problema, mas sim todo o emaranhado de linhas de ônibus municipais, taxis, pedestres, e demais estruturas. que um equipamento urbano deste porte demanda – é uma reação em cadeia. Isso degradou a região por anos de maneira visível e inegável afastando empreendimentos públicos e privados voltados a melhorar a qualidade urbana (quando estes investimentos ocorrem é pensada majoritariamente a condição de resolver os problemas de trânsito, esquecendo que o urbano é muito mais que isto e que a vida no entorno existe para além do terminal).
    Ao mesmo tempo em que acho absurdo o transtorno, reconheço que para o usuário diário (e diurno) a localização é boa (infelizmente quem se desloca ao terminal ou dele tem que sair a noite – seja a pé, de metrô ou de ônibus ou com veículo próprio – sempre faz isso sob forte stress por questão de segurança). Mesmo assim devemos reconhecer que a localização atual, para o usuário, tem muito mais prós do que contras.
    Se na minha opinião ele deve ser transferido para outro lugar?
    Sinceramente não sei, mas daria uma chance de que alguma proposta fosse apresentada, antes de descartar completamente a possibilidade. Propostas de para onde iria e como seria sua configuração e propostas do que seria feito com o atual terminal. Acho que abrindo um pouco a mente e deixando de ser tão intransigentes, podemos nos surpreender de maneira positiva (ou não) com o potencial de melhora urbana que uma mudança destas pode trazer para pontos distintos da cidade. E o melhor é que não temos nada a perder em ouvir outras formas de pensar o urbano e podemos aprender muito com isso.

    Curtir

  3. Não tenho mais usado tanto, mas acho que essa rodoviária tem tamanho adequado e é muito bem localizada, só precisa de investimento (do que trata esta matéria) e algumas ideias melhores de aproveitamento – por exemplo, começar a receber ônibus metropolitanos, como falado. Não sei onde o sujeito mora, mas ao que comentou sobre acesso, você pode chegar na rodoviária de 5 jeitos diferentes, 1- ônibus, 2- táxi/uber, 3-trensurb, 4-a pé (pra quem mora até 2-3km, o que engloba até o Moinhos, Rio Branco, Centro, Independência, Bom Fim, enfim, vários bairros), 5- até mesmo catamarã, se o sujeito é de Guaíba. Não conheço outra rodoviária que possibilite isso.

    Curtir

    • Concordo em tudo, mas a parte do ir a pe, a pessoa tem que ser corajosa, pq o entorno, esta entre os piores possiveis de Porto Alegre, em todas as direcoes.

      Curtir

  4. Quando a estação rodoviária foi construida Porto Alegre era outra,não havia nem a metade do transito que há hoje,nem todas as linhas de onibus que entram lá hoje entravam. O tempo passou e a estrutura fisica permaneceu a mesma com algumas maquiagens. Realmente hoje ela em alguns momentos emonstra estar saturada apesar de ter uma localização otima.Há anos cogitou-se expandi~la para a antiga estação de trens onde hoje esta a secretaria de segurança publica..Agora isto tem de ser bem pensado e estudado como torná-la viavel por um longo tempo.

    Curtir

    • Não há porque expandir. O número de passageiros no transporte intermunicipal está caindo ano a ano. É uma tendência sem volta, com vôos mais baratos e mais carros sendo adquiridos.

      Curtir

  5. O que impede de aproveitar a infra-estrutura do aeroporto velho para a rodoviária ir para lá?

    Curtir

    • Honestamente, eu acho que o que impede é o fato de não fazer muito sentido.

      A nossa rodoviária tem um posicionamento excelente: fácil acesso à saída da cidade por meio de via expressa, conexão com linhas de ônibus urbanas e localização central. Nesse sentido, estamos muito próximos ao modelo europeu, onde o hub de transporte terrestre de longa distância (estação de trem) está inserido no centro da cidade, e muitas vezes é o principal nexo dela.

      Mover para o entorno do aeroporto não beneficiaria os usuários e, adiciono, não ajudaria a desafogar o trânsito da região como muitos sugerem; o trânsito daquela região pouco tem a ver com a circulação dos ônibus de viagem, e sim com a confluência de vários eixos viários em um emaranhado de cruzamentos e viadutos. Tirar a rodoviária não faria isso sumir, até porque certamente seria substituído por algum outro pólo atrator de viagens.

      Curtir

    • O que impede é que a concessão do aeroporto é da Fraport, e duvido que ela tenha algum interesse nisso. De qualquer forma, a rodoviária de Poa está muito bem localizada, é o trânsito na frente que precisa ser reorganizado através de uma parada de ônibus no canteiro da Av. da Conceição com acesso subterrâneo, aproveitando o acesso do Trensurb. Mas isso depende da boa vontade da Prefeitura.

      Curtir

      • Não acho que esteja bem localizada. Aquele lugar é congestionado de ônibus municipais que vão e voltam do centro, somando-se a isso os onibus intermunicipais da rodoviária. É uma região degradada, perigosa e cheia de ambulantes. O usuário sai da rodoviária e encontra paradas de ônibus lotadas por conta da população que trabalha na região, além de ônibus lotados indo e voltando do centro. Além disso a calçada na frente da rodoviária é cheia de ambulantes e sujeita a assaltos e intempéries, não existe nem cobertura, vc sai da rodivária pegando chuva. Ser perto do centro também é um convite para “carregadores da mala” que saem pegando a tua mala para “ajudar” e depois cobram 20 reais e se vc não paga, arremessam longe. É perto do estação de metrô, entretanto, isso é só para quem vai para cidade das RM ou para o aeroporto, visto que nenhuma estação do transurb em Porto Alegre é ligada a algum terminal de ônibus, como acontece em outras capitais, como no Rio, que existe o “metro na superfície” que são ônibus ligados ao metrô, que levam para dentro dos bairros. A linha 2 não sai nunca e não existe nenhuma conexão entre esses dois modais de transporte. Era melhor mandar abaixo aquela rodoviária e aproveitar isso para desafogar o trânsito na região, construindo uma nova perto da Arena do Grêmio ou no terminal 2 do aeroporto ( aproveitando aquela estrutura, já que a frapport vai fechar o terminal 2), aproveitando liga-lo via aeromóvel ao metrô, estendendo a linha já existente.

        Curtir

        • Tudo o que você citou e negativo tem a ver com o entorno da rodoviária, e não de fato com a localização dela. Há várias opções de chegar ali e isso se encontra em pouquíssimos lugares. É necessário sanar a chegada dos carros e ônibus metropolitanos e dar melhores condições internas para receber as pessoas. Quanto a área degradada do entorno merece a atenção da prefeitura para comprar aqueles prédios caindo de velhos e que abrigam atividades obscuras.

          Curtir

  6. O valor disponível para os serviços é realmente bom e com um projeto de qualidade dá para dar uma bela transformada nessa rodoviária. Gostaríamos de algo contemporâneo ousado e pelo menos com um ar daquilo que um arquiteto de excelência como o argentino César Pelli tem feito pelo mundo, como no caso deste terminal em São Francisco – EUA
    https://www.archdaily.com/356982/transbay-transit-center-in-san-francisco-pelli-clarke-pelli

    Curtir

  7. Impressionante, como esse governo municipal é tacanho e obtuso principalmente a figura nefasta que o prefeito socialista fabiano do partido que rouba merenda, colocou como presidente da EPTC. Se o prefa não tem grana privatiza essa merda de rodoviária! Tá mais que óbvio que porto alegre precisa levar a rodoviária interestadual para perto do aeroporto e trensurb e usar atual prédio para rodoviária metropolitana! Porto alegrense não aguenta mais pagar a conta de trocentos ônibus da Viamão, Guaiba, Canoas e outros municípios nas ruas de poa, não é só uma questão de mobilidade mas também de saúde mental. E infelizmente com essa notícia porto alegre começa a voltar para mãos do #Rsdonão logo, logo vão botar um assentamento do mtst na nova orla ou vão desapropriar o pontal depois dele pronto. Prefeito medíocre, presidente da EPTC medíocre, Porto Alegre falida e abandonada na mão do #Rsdonão.

    Curtido por 1 pessoa

  8. Sonhar nao custa nada 🙂
    Aqui em Boston estao querendo construir uma torre em cima da estacao de trem/onibus ha anos (https://boston.curbed.com/boston-development/2018/10/31/18047980/south-station-tower-hines). Parece que ano que vem sai.

    Imaginem um edificio de uso misto em cima da rodoviaria, hotel, escritorios, e residencias, com uma ponte fechada connectando diretamente ao novo Cais do Porto.

    Curtir

  9. Só esquecem sempre do principal: a dificuldade de chegar, desembarcar, cruzar a frente da rodoviária. Que o prédio comporta fácil inúmeras melhorias e que elas são necessárias é óbvio. Mas o inferno que é chegar ou sair dali todos os dias de manhã cedo e no fim da tarde nunca é discutido. Assim vamos ter uma estrutura melhorada mas com aquele acesso caótico desde 1900 e tanto. E antes das críticas, não sou da ala dos caranguejos que não querem que nada mude e deixe como está, mto pelo contrário.

    Curtir

  10. Tem que ser os ônibus da Zona Norte,passando na frente,pois só os da Zona Sul podem ir e vir,tranquilamente!

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: