Gerdau, Ipiranga e Zaffari vão construir hospital em tempo recorde em Porto Alegre

Obra começará ainda este mês e ficará pronta até o fim de maio; projeto custará R$ 10,4 milhões

hospital-poa

Maquete da unidade que será construída em Porto Alegre Foto: DIVULGAÇÃO

Gerdau, Ipiranga e Grupo Zaffari vão investir R$ 10,4 milhões na construção de um hospital em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. A unidade terá 60 leitos construídos em uma área do Hospital Independência, na capital gaúcha, onde está concentrado o maior número de casos de Covid-19 no Estado. O objetivo é entregar a obra em tempo recorde, até o fim de maio.

“Dentro dos pilares que escolhemos para ajudar ao combate à pandemia, a ampliação da capacidade hospitalar é uma variável importante”, diz o presidente da Ipiranga, Marcelo Araújo. Segundo ele, durante a crise, a unidade será usada como base de tratamento do coronavírus. Nesse período, a instituição será administrada pelo hospital privado Moinhos de Vento – outro parceiro do projeto.

Passado, o período de pandemia, a unidade será transferida para a Prefeitura de Porto Alegre e incorporada ao Hospital Independência, virando um legado para a cidade, diz Araújo. A construção começará ainda neste mês e deverá ser concluída no final de maio. A rapidez das obras só será possível por causa da técnica de construção modular, criada pela construtech Brasil ao Cubo.

Tecnologia

Com uma velocidade quatro vezes maior que uma construção comum, essa técnica consiste no encaixe de módulos individuais, produzidos em fábrica e, então, montados no local escolhido. O modelo já foi usado pela própria Gerdau em outra iniciativa em São Paulo. Em parceria com a Ambev, a empresa construiu uma unidade em M’Boi Mirim, em São Paulo, também para o tratamento do Covid-19.

No projeto de Porto Alegre, 300 profissionais, entre médicos e equipe multidisciplinar, serão deslocados para a nova unidade, que oferecerá atendimento 24 horas. Segundo o presidente da Gerdau, Gustavo Werneck, o momento é desafiador e requer agilidade e colaboração: “A inovação, aliada à rapidez da construção, são essenciais para erguer o centro de tratamento, que salvará muitas vidas.” Além da doação em dinheiro, a Gerdau fornecerá 400 toneladas de aço e vai auxiliar no processo construtivo.

Renée Pereira, O Estado de S.Paulo
25 de abril de 2020 | 10h00



Categorias:Outros assuntos, Pandemia Coronavírus

3 respostas

  1. Muito nobre o gesto mas é interessante como funciona esta coisa de hospitais em Porto Alegre,ja faz muitos anos tinhamos na Zona Norte um hospial chamado lazzarotto,não era pequeno ,como saude e aind mais hospitalar é cara não se manteve quebrou e foi derrubado,hoje é um estacionamento.Se eu não me engano havia um hospital perto da Cristovão Colombo que quebrou e segundo um prefeito não me lembro o nome Fogaça,Fortunati seria encampado pela Prefeitura de Porto Alegre e seria um centro modelo de recuperação de drogados,foi feito,toda vez que passo por lá não me dá esta impressão.No centro temos a Beneficiência Portuguesa local relativmente bem localizado e até um tempo atras estava em vias de fechar,não sei como esta hoje e para encerrar do que me lembro há um hospial na zona Sul que fechou o Parque Belem se não me engano não sei como esta hoje.mas enfim Gerdau,Ipiranga e Zaffari são grandes humanistas.

    Curtir

  2. Excelente iniciativa mas acho um pouco exagerado chamar de hospital pois sendo uma unidade anexa ao já existente Independência, provavelmente vai ser bem mais simples do que um hospital completo usando muito da estrutura já existente como lavanderias, setor administrativo, salas de exames, etc.
    Faria mais sentido e seria mais justo anunciar como Gerdau, Ipiranga e Zaffari vão ampliar estrutura do Independência.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: