Viaduto dos Açorianos está interditado

20200510_Cesar Lopes_GP_PMPA_003

Fiscalização detectou graves anormalidades estruturais na construção   Cesar Lopes / PMPA

O Viaduto dos Açorianos está interditado desde domingo, 10. A decisão foi tomada pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior, por questões de segurança, devido à situação em que se encontra a construção, apresentando graves anormalidades estruturais nos elementos do encontro sul. Para solucionar os problemas identificados, serão realizadas futuramente obras de recuperação estrutural dos encontros do viaduto. Será a maior intervenção nos 47 anos da estrutura.

No despacho enviado à secretaria, o prefeito Nelson Marchezan Júnior destacou: “Em face das constatações técnicas de risco em virtude de evidências na estrutura, determino a interrupção total e imediata do trânsito de veículos automotores de  qualquer porte, até que seja executado um sistema de escoramento sob a estrutura do encontro danificado, ou até que nova análise ou alternativa sejam apresentadas”.

GCS - Reurbanização do Largo dos Açorianos

Foto: Jefferson Bernardes – PMPA

A necessidade de priorizar a recuperação do Viaduto dos Açorianos foi detectada através de um programa de inspeções nos viadutos e pontes da Capital, criado pela prefeitura para identificar os que precisam de manutenção, conforme as normas técnicas da ABNT-NBR 9452:2016. Após vistoria pelos técnicos da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (Smim), foi contratada uma empresa para execução do projeto de recuperação estrutural. A contratada, acompanhada de técnicos da secretaria, realizou na última quinta-feira, 7, inspeção na parte interna do viaduto, o que não ocorria havia mais de dez anos.

A partir da análise do relatório da vistoria, conclusivo quanto ao grave dano estrutural nos elementos do encontro sul da construção, a área técnica da Smim emitiu posicionamento encaminhado ao prefeito na noite de sexta-feira, 8. Marchezan  solicitou mais informações técnicas e, diante dos fatos, decidiu pela interrupção total e imediata do trânsito de veículos automotores de qualquer porte, até que seja executado um sistema de escoramento sob a estrutura do encontro danificado.

Localizado na Borges de Medeiros, sobre a avenida 1ª Perimetral, no Centro Histórico, o viaduto construído em 1973 possui 202 metros de comprimento, com cinco vãos livres, duas pistas de rolamento, três faixas de tráfego em cada uma, além de passeios públicos em ambos os lados e um divisor físico de concreto entre as pistas. “Nosso objetivo é garantir a segurança dos cidadãos que por ali trafegam. Trabalhamos para executar a recuperação estrutural o mais rápido possível”, garante o secretário de Infraestrutura e Mobilidade Urbana, Marcelo Gazen.

Os serviços para a execução do projeto começaram no último dia 4 de maio e terão investimento de R$ 84.457,97. Serão levantados pela empresa dados detalhados da situação das estruturas do viaduto e suas patologias, bem como projetadas todas as intervenções necessárias para a execução da obra.

Trânsito

Em função da interdição, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) informa que serão realizados bloqueios e desvios de trânsito para garantir o atendimento das linhas de transporte público e o deslocamento da população.

Os veículos que circulam em direção ao Centro pela avenida Praia de Belas serão direcionados para a 1ª Perimetral (avenida Loureiro da Silva), onde podem acessar a rua Gen. Lima e Silva, à esquerda, e seguem pela rua Cel. Fernando Machado até chegar à avenida Borges de Medeiros.

Para quem trafega via Borges em direção à Zona Sul será permitido acessar a rua Demétrio Ribeiro, à esquerda, para chegar à rua José do Patrocínio e alcançar a Perimetral para então seguir via avenida João Pessoa. Ou, no sentido oposto, em direção à Orla do Guaíba para seguir pela av. Edvaldo Pereira Paiva, ou retornar na Câmara dos Vereadores, para seguir na Loureiro da Silva até a rua Antônio Klinger Filho e chegar à av. Borges de Medeiros.

As duas paradas de ônibus do trecho, uma em cada sentido, serão desativadas temporariamente, enquanto os coletivos e lotações realizarão os mesmos desvios.

Todos os desvios terão monitoramento e orientação dos agentes da EPTC para minimizar os impactos no trânsito. Outras alterações poderão acontecer a partir da necessidade da operação. As informações serão atualizadas, em tempo real, pelo twitter @EPTC_POA.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito, Outros assuntos

Tags:

3 respostas

  1. A pergunta que vem é quanto tempo vai demorar para ser liberado em condições.

    Curtir

  2. Interessante passei uma parte de minha vida morando ai bem pertinho deste viaduto e se não me falhe a memoria ele passou por uma obra em uma das administrações do PT,Só não me lembro se foi no Governo de Tarso Genro ou Raul Pont,,bem já faz muito tempo mas me parece que tinha a ver com algo estrutural. Como não tenho conhecimento tecnico e não sei de quanto em quanto tempo estes viadutos devem passar por reformas é melhor executar antes que de algo mais grave. Uma coisa eu notava quando atravessa ele a pé,quando passava transito mais pesado ele chacoalhava um pouco não sei se isto é normal. Bem Faz mais de cinco anos que não passo por ai.

    Curtir

    • até certo ponto é normal balançar, senao a estrutura raxa e se destroi.

      Oscilaçoes, até certo ponto, sao normais nas estruturas, a passarela da rodoviaria por exemplo meche muito.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: