Mercado Livre deve mudar operação do Rio Grande do Sul para Santa Catarina

Impasse com o governo gaúcho motivou decisão, porém Piratini tenta reverter a situação

Centro-de-Distruibuio-do-Mercado-Livre-em-Cajamar

Pelas normas atuais, cada vendedor que comercializa produtos pela plataforma teria de abrir uma filial gaúcha

O Mercado Livre confirmou ao Portal AMANHÃ que desistiu de instalar seu Centro de Distribuição (CD) em Gravataí, na região Metropolitana de Porto Alegre. “O Mercado Livre confirma que, infelizmente, as negociações com o governo gaúcho para desburocratizar a atuação de vendedores de fora do Rio Grande do Sul dentro do estado resultaram infrutíferas até o momento”, revela a nota de esclarecimento.

“No entanto, mantemos nosso propósito de instalar um CD no Sul do Brasil, por ser um importante mercado para nossos usuários, tanto vendedores quanto compradores da plataforma. Já iniciamos conversas com outras localidades na região, onde identificamos um modelo de atuação mais favorável aos empreendedores que atuam em nosso marketplace”, revela a nota enviada pela assessoria de imprensa da gigante varejista. O destino do Mercado Livre já está traçado: Santa Catarina. AMANHÃ confirmou a informação com a Secretaria de Estado da Fazenda (SEF/SC). “A SEF está trabalhando com o Mercado Livre e já atendeu a companhia em algumas ocasiões. O secretário Paulo Eli concedeu o regime especial solicitado pela empresa, relativo às obrigações acessórias”, afirma a nota enviada pelo governo catarinense.

“Agradecemos muito pela receptividade tanto do governo do Rio Grande do Sul quanto da prefeitura de Gravataí em conversar e ouvir nossas necessidades para operar, e confirmamos que nada mudará com nosso hub de entregas que já existe em Porto Alegre. O Mercado Livre se mantém à disposição para futuras oportunidades”, finaliza o esclarecimento. Em março, a companhia anunciou uma tentativa de negociação com o governo gaúcho, que chamou de “trâmites operacionais de ordem fiscal”.

Segundo o Blog Acerto de Contas, da jornalista Giane Guerra, da Rádio Gaúcha, a empresa explicou em março que, pelas normas atuais vigentes no estado, cada vendedor que comercializa produtos pela plataforma teria de abrir uma filial no Rio Grande do Sul. Essa exigência inviabilizaria o empreendimento, porém o Mercado Livre se mostrava confiante na condução do assunto pela Secretária Estadual da Fazenda (Sefaz). A companhia pedia que uma alteração fosse feita, como aconteceu em São Paulo, onde o Mercado Livre tem CDs em Cajamar (foto) e Louveira.

O governo do Rio Grande do Sul esclareceu ao Portal AMANHÃ que não foi informado oficialmente a respeito da suposta desistência definitiva da empresa Mercado Livre de instalar um CD em Gravataí.

“Desde o início das negociações, o governo, prezando pelo interesse dos cidadãos gaúchos, tem procurado garantir as condições para que a companhia amplie seus negócios já existentes no Estado com a instalação desse CD”, diz a nota oficial. “Por meio da Sefaz, foi oferecida, conforme demanda da empresa, uma harmonização da legislação tributária do Rio Grande do Sul com a de São Paulo para que fosse possível a instalação do CD nas mesmas regras de outros centros de distribuição. A Sefaz permanece tentando superar questões adicionais ao modelo paulista em vigor, surgidas à medida que as negociações avançaram. A Receita Estadual, inclusive, está levando esse assunto ao âmbito do Confaz para que seja discutido um padrão nacional para as operações de Fulfillment (logística de e-commerce). O governo do Estado tem empreendido todos os esforços possíveis para garantir o investimento e busca o melhor entendimento para que a instalação do CD seja positiva para o Estado e para a própria companhia, respeitando aspectos comerciais da economia como um todo”, afirma o documento enviado pelo governo gaúcho.

Revista Amanhã



Categorias:Comércio, Economia, Economia Estadual, Outros assuntos

Tags:, , ,

13 respostas

  1. Faz alguns anos havia uma decalque que se colocava nos automóveis – “Orgulho de Ser Gaúcho”,
    Então vejamos….cesta básica mais cara do país, gasolina mais cara, álcool para carros com preço proibitivo, ICM altíssimo e uma discussão interminável de quanto o RS gasta com funcionalismo, se tudo ou quase tudo, enfim, orgulho de ir ficando para trás em relação aos outros estados. Acho que nos falta uns 15% de sangue espanhol….

    Curtir

  2. Brasil de uma massaroca fiscal, tributária, corrupção e burrocrata, estamos no atraso na globalização

    Curtir

  3. Lamentavel, é uma situação complexa.

    Uma pena nao termos um estado capaz de tomar decisões complexas com soluções modernas.

    Ja trabalhei concursado no governo federal, municipal de poa, e de sapucaia e no estadual.

    Sem sombra de duvidas posso afirmar que o governo estadual é o menos eficiente no que se trata de agilidade e troca de informações, existem protocolos antigos, falta de padronização de operações, muitas mas muitas informações estao contidas em pessoas, nao em documentos e processos.

    Nao é papo de liberal, nem de pregador do estado minino, o estado do RS tem que aproveitar melhor suas capacidades, estrutura e mão de obra.

    É necessário modernizar, dar aulas de gestão, obrigar os orgãos e entidades a seguirem um BPM – Gerenciamento de processos de negócio, sob a pena de ter de reduzir custos cortando na carne, desempregando pessoas e desassistindo cidadãos (o que ja esta ocorrendo)

    Curtir

  4. Gente, essa situação é complexa. Essas empresas de e-commerce trabalham num sistema que não gera um centavo de imposto para os estados onde estão os consumidores. Se o governo do Estado abre uma exceção para o Mercado Livre emitir nota fiscal aqui sem imposto, em seguida outros varejistas estariam querendo mesmo e o caos jurídico estaria criado. Sei que é frustrante perder investimentos, mas esse é um caso que não se compara com a Ford.
    No modelo atual, só o Estado de São Paulo ganha dinheiro com o e-commerce. O governo do RS tem mesmo que levar essa situação para o Confaz, que é a instância que busca harmonizar as regras tributárias entre os Estados.

    Curtir

  5. Nada é por acaso… Ford, Cais Mauá, Mercado Livre…

    Se procurarem a palavra “atraso” no dicionário, encontrarão a bandeira do Rio Grande do Sul…

    Que tristeza!!!!

    Curtir

  6. Basta ir a outros estados do país para iniciarmos a comparação de estrutura estadual de nosso estado e os outros do nosso país.
    É quase inevitável que a sensação de que o Rio Grande do sul é o pior estado da região sul do Brasil.
    Em comparação com estados do nordeste, também estamos ficando para trás,.

    Curtir

  7. Triste e absurdo! Depois dessa o senhor Eduardo precisa ser mais cobrado hein!

    Curtir

  8. Mas o q o governador quer agora..? Tentar reverter o estrago q já causou? Se já decidiram ir p Sc. Toda hora perdemos empresas p eles. Tudo vai pra lá, moradores e investimentos.
    Parece q não tem solução este estado mesmo. Acorda Rs!

    Curtir

  9. Perder uma empresa para outro estado é quem nem perder Gre-nal.
    É muito irritante.
    Logo esse governo que tinha como propaganda atrair empresas para o RS.
    Lamentável.

    Curtir

  10. Parabéns Eduardo Leite, vc e o Nelson Marquezan formam uma dupla fantástica, onde o que impera é uma planilha em excel e um PPT. PSDB consolidando a quebra do estado, não temos um hospital de campanha, 90 dias parados, MKT no fantástico e no JN e a RBS aplaudindo.

    Povo quieto, RS ficou no passado.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: