Cezar Schirmer: “Muro da Mauá está com os dias contados”

Imagem: Jornal Já

O secretário de Planejamento e Assuntos Estratégicos de Porto Alegre, Cezar Schirmer, definiu a proposta de derrubar o “Muro da Mauá” como uma das “medidas fundamentais” para o projeto de revitalização do cais, cujo objetivo é “devolver o Guaíba à cidade”.

Schirmer falou na manhã desta quarta-feira no quatro workshop organizado pelo consórcio que prepara o projeto de revitalização, voltado para os profissionais da imprensa: ” Me atrevo a dizer: o muro da Mauá está com seus dias contados”, disse o secretário, depois de explicar que “não é possível pensar numa solução para o cais, sem pensar na sua integração com o centro histórico de Porto Alegre”.

O muro, de três metros de altura e 2.600 metros de extensão, construído nos anos 1970, como proteção contra enchentes, separa o centro da área do cais. Sua derrubada já foi aventada diversas vezes mas sempre enfrentou a resistência do meio técnico das áreas de engenharia e hidrologia.

A ideia que está em exame não é eliminar o muro, mas transferi-lo para trás dos armazéns do porto, junto à borda do cais, com um terço da altura atual e uma estrutura removível que poderia ser acoplada para ampliar a proteção em caso de emergência.

JORNAL JÁ

————————

Só rindo mesmo …. kkkk



Categorias:Muro da Mauá, ORLA, Projeto de Revitalização do Cais Mauá

Tags:,

25 respostas

  1. De qualquer modo, esse novo muro vai continuar obliterando a vista para o Guaiba, e o seu custo não passaria, nestes tempos de finanças públicas cambaleantes.
    Para resolver o problema estético, uma sugestão seria deixar o muro atual com um metro de altura, com os restantes 2 metros dobrados lateralmente e para baixo através de articulações, de forma a poder colocá-los em posição de perfazer a altura original de 3 metros com muita facilidade, em caso de emergência. Esta obra seria relativamente barata, uma vez que a maior despesa seria construir as fundações do muro e estas já estão prontas. Enfim, tenho certeza que a engenharia saberá encontrar a solução que otimize as questões de proteção da cidade, estética e custo.

    Curtir

    • Aí sim ! Concordo!

      Curtir

    • Mesmo sendo uma opção mais barata, ainda creio que o custo seria muito alto. Teríamos o corte de 2m de altura em um muro de concreto com 2600m de comprimento, além da instalação do sistema móvel. É muito dinheiro apenas para que tenhamos uma vista do Guaíba nessa região específica.
      Temos muitos quilômetros de Guaíba para apreciar, não acho prudente nem econômico dispender tanto recurso para isso.

      Curtir

    • 🤔derrubar um muro e criar outro?🙈🙆🏻‍♂ será q eu vou ter q ir com minhas idéias e dizer como tem q ser feito…🙋‍♂️🕺não precisa nem mesmo ser engenheiro.Somente usar da inteligência…

      Curtir

  2. O muro é uma solução ultrapassada e imbecil para os dias de hoje. Tirem esse muro de uma vez e se precisar coloquem uma solução inteligente que venha de alguém com cérebro.

    Curtir

    • Temos conhecimento para adotar outra soluçao tecnica. O problema é o custo. Pesquisa sobre a barreira móvel instalada em Veneza e seu custo. Foram bilhões de euros gastos em uma barreira muito menor do que o atual muro. E esse é só um exemplo.

      Para uma cidade que luta para promover obras básicas, a remoção do muro e a instalação de outro sistema de combate a cheias é dispensável .

      Curtido por 1 pessoa

    • Tira tudo e já era…
      Convenhamos, não vai ser o muro que vai barrar a água…

      Curtir

      • Claro que vai. Além do mais não é só o muro. É um sistema de 68km de extensão. O muro é só na área do porto. Tem diques ao longo da cidade, que vão até canoas. A Av. Edvaldo Pereira Paiva fica em cima de um dique, já percebeu? E aí um sistema que custou milhões e foi feito se planejando anos a fio, cai por terra por um grupo de pessoas que não querem caminhar mais até a orla após o Gasômetro pra ver o Guaíba. Ou seja, só por estética da cidade. A segurança de toda a infraestrutura da cidade, incluindo fibra-ótica enterrada, cabos elétricos, dutos de ar e outros, tu quer sacrificar tudo isso? Caso tire o muro, e haja uma enchente, teremos prejuízo de bilhões ! Quem vai fazer isso? Quer a resposta ? NINGUÉM!
        Outro fator. A cidade não precisa disso agora. Tem muitas outras prioridades pra essa cidade que é apenas mais uma cidade brasileira cheia de problemas estruturais. A mudança do sistema de controle de enchentes nunca vai mudar.

        Curtir

  3. A pergunta lógica para decidir sobre o muro é :
    -Porto Alegre suportaria os prejuízos de uma enchente das evitadas pelo atual muro?
    -Quem pagará pelos prejuízos aos particulares, caso suprimirem o muro e a inevitável enchente vêm?
    -Seria factível um plano de minimização dos prejuízos econômicos e transtornos em caso de enchente sem o muro?

    Como o muro já está aí, penso que continua sendo a melhor opção. Quanto ao aspecto estético, caso levantassem ao longo dele um aterro ajardinado que servisse como passeio público ao mesmo tempo que escondesse a muralha, não seria aceitável? Lembro que na altura do estádio Beira-rio a função de represa é exercida por uma estrada – aterro como a que mencionei.

    Curtir

    • Acho que tu não leste o texto; Não será a simples derrubada do muro, outro muro de contenção será erguido com a mesma eficácia do atualmente existente.

      Curtir

      • De qualquer modo, esse novo muro vai continuar obliterando a vista para o Guaiba, e o seu custo não passaria, nestes tempos de finanças públicas cambaleantes.
        Para resolver o problema estético, uma sugestão seria deixar o muro atual com um metro de altura, com os restantes 2 metros dobrados lateralmente e para baixo através de articulações, de forma a poder colocá-los em posição de perfazer a altura original de 3 metros com muita facilidade, em caso de emergência. Esta obra seria relativamente barata, uma vez que a maior despesa seria construir as fundações do muro e estas já estão prontas. Enfim, tenho certeza que a engenharia saberá encontrar a solução que otimize as questões de proteção da cidade, estética e custo.

        Curtir

  4. me parece uma ideia estranha, tirar o muro para termos vista para o cais e mover ele para continuar tapando a vista do guaiba… ainda que seja um muro mais bairo nao parece algo inteligente, que se diminua a altura dele onde está entao e se remova algumas partes e crie estrutura para diques moveis serem instalados quando necessário…

    Curtido por 1 pessoa

  5. Finalmente Porto Alegre tem tudo para recuperar seu Cais com essa visão de projeto e posteriormente ação, que tem de acontecer! Pela proposta conforme li trata-se de algo já utilizado a larga data em países realmente desenvolvidos e por aqui mesmo é que causa ou querem sentir “certa estranheza”, isso pelo atraso geral inclusive de mentalidade que ainda reina, infelizmente. Pelo que entendi é algo como a solução perfeita, posto que as placas estarão lá na beira do cais dispostas para quando surgir o risco de alagamento serem prontamente acionadas protegendo dos danos de uma cheia, tanto os estabelecimentos (que merecem ok) como o centro da cidade! Será que tem de desenhar isso!? Será que o ‘vírus reclamation sem noção’ não está tocando as pessoas e vá lá, dá-lhe reclamar sem nem sequer ter como sustentar uma constestação plausível. Por favor, que deixem Porto Alegre ser mais moderna, limpa, linda, ousada, contemporânea e assim brilhar, sendo que seu Cais Mauá revitalizadaço e sem muro decrépito tem tudo para ser como o diamante na ponta da coroa. Também noto que a mídia vive atiçando pânico na mente do cidadão portoalegrense que se condói por uma cheia única que ocorreu em 1941, fato minha gente. Blumenau já passou por várias e outras virão, só que os caras não param, fazem suas vidas, fazem sua cidade vibrar e aquele povo é um ótimo exemplo de pragmatismo, de bola pra frente, que não se deixa derrubar pelo passado, vive o presente e cria o futuro da sua linda cidade. Queremos mais desse espírito positivo em Poa, sendo que mais do que nunca nota-se que finalmente já está começando e a cidade queiram alguns negar, indubitavelmente deixou de decair e já está bem melhor do que já foi, para desgosto de certos tipos que vão ficando pra trás!

    Curtir

  6. Tragam um técnico lá da Holanda – país de reconhecida expertise no assunto – até Porto Alegre e aí deixa o cidadão analisar e apresentar soluções. Se ficarem se baseando nesses palpiteiros aí, daqui 100 anos ainda vão estar discutindo se o muro é importante ou não.

    Curtir

  7. Eu e uma ponto 50 x muro, vamos ver se ele aguenta!

    Curtir

  8. Mas fazer um muro junto ao cais, mesmo que seja de um metro de altura, continuará mantendo o Guaíba fora da vista da cidade. S é para retirar o atual, que não se faça outro mais a frente. Então que deixem como está, apenas mantendo-o em condições adequadas, afinal, muro por muro, o da Trensurb também é feio e separa Canoas em duas.
    Outra questão: dias contados, vírgula, porque estão concedendo o msm para um empresa, por dois anos.

    Curtir

    • Concordo. Ideia mais idiota que já vi, transferir o muro mais pra perto do Guaíba.

      Curtir

      • Sim, então que retirem este e façam algo que permita despoluir total a visão e que possa fechar quando necessário, como uma solução de segurança.
        Mas tem um fator: os próprios armazéns ainda assim serão barreira à vista ao Guaíba.

        Curtir

    • Um muro de um metro de altura não impediria a vista do Guaíba, isso é altura de guarda-corpo padrão e vários cais e pelas ao redor do mundo se utilizam de guarda corpos.

      O mais importante é a análise técnica, para ver se essa altura mais baixa é capaz de conter cheias do Guaíba.

      Curtir

  9. Isso sim seria um GRANDE benefício para a cidade!!!!

    Curtir

  10. Me atrevo a dizer que é uma grande irresponsabilidade. Onde estão os estudos hidrológicos para afirmar ser possível reduzir em 1/3 a altura do muro? E o custo para remover o muro existente e construir esse menor? Em uma cidade que ainda não concluiu as obras da copa de 2014, como pensar em uma obra tão cara e insegura?

    Curtir

    • Não entendeu o texto? A base será de 1m mas as placas elevarão o muro a uma altura suficiente para conter as cheias.
      Mais, os custos serão incorridos pelos permissionários do cais.

      Curtir

      • Não considero a barreira removível. Precisa ter uma proteção fixa e passiva.

        Imagina armazenar 2600m dessa barreira? Será de concreto ou aço para resistir ao empuxo da água .
        E a manutenção? E a logística para essa instalação?

        Pensa que pode ser usada daqui a 70 anos. As futuras geraçoes de funcionários da prefeitura deveriam ser treinadas e testes periódicos deveriam acontecer para colocar em funcionamento.
        As estruturas de fixação deveriam ser bem mantidas para a situação de emergência.

        E o custo? Demolir algo funcional, instalar esse sistema, prover treinamento aos funcionários, ter uma logistica de instalação preparada, fazer a manutenção, armazenar…tudo isso para termos a vista do lago no centro.

        Seria uma otima solução para cidades com alagamentos mais frequentes e previsíveis

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: