Prazo para licença de obras de baixo impacto cai para oito dias úteis

Porto Alegre avança no licenciamento autodeclaratório. De 1º de janeiro até 20 de agosto, o Escritório de Licenciamento da Capital autorizou 596 projetos nessa modalidade, alcançando no mês de agosto prazo médio de análise documental de oito dias úteis, um avanço para licenças de pequeno e médio impactos urbanísticos. Cerca de 90% desses processos aprovados são de habitações unifamiliares, onde uma única residência é construída por lote. 

Foto: Gilberto Simon. Arquivo Porto Imagem

“Antes da Licença Autodeclaratória, os processos tramitavam num tempo médio de 250 dias. Com a implantação do novo serviço, a expectativa era reduzir o prazo para 20 dias. Agora, os dados apontam uma redução ainda maior, de oito dias úteis para os processos que apresentarem a documentação corretamente”, explica o diretor do Escritório de Licenciamento, Cássio Weber.

Nesse modelo conhecido como Licenciamento Expresso, o responsável técnico, seja ele engenheiro ou arquiteto, se compromete em garantir que o projeto e a obra do imóvel estejam em conformidade com a legislação vigente. A regra vale para obras de reforma e construção de casas e pequenos estabelecimentos comerciais e de serviços. Em abril deste ano, o prefeito Sebastião Melo editou decreto ampliando a gama de negócios que podem se enquadrar nesse modelo, alcançando 66% de todo o licenciamento de obras da Capital.

“Estamos investindo em tecnologia e inteligência para desburocratizar e automatizar todo o processo de licenciamento de obras da Capital para emitirmos as licenças em poucos minutos. O trabalho de simplificação de processos está alinhado com a Lei de Liberdade Econômica e vai facilitar a abertura de novos negócios, com menos burocracia e mais compromisso do responsável técnico”, afirma o secretário Municipal do Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade, Germano Bremm. 

O licenciamento Expresso não exime o proprietário e o responsável técnico de cumprirem as legislações municipal, estadual ou federal. A prefeitura prossegue com seu papel fiscalizador. Em caso de irregularidades, o responsável técnico e o proprietário do imóvel serão notificados para que façam as correções necessárias e estarão sujeitos a penalidades.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Arquitetura | Urbanismo

Tags:,

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: