ATP diz que transferência da bilhetagem vai desequilibrar ainda mais o sistema de transporte

Foto: Samuel Maciel

A Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP)  disse em nota que vai cumprir a decisão  da Justiça sobre o controle da bilhetagem do transporte público em Porto Alegre.  Alertou, porém, que “a bilhetagem faz parte dos contratos e sua transferência  vai aumentar o desequilíbrio do sistema de transporte coletivo na cidade.

Pela decisão judicial, ATP e Prefeitura terão até inicio de outubro para montar um cronograma de transferência da gestão, hoje feita pelas empresas, para o município.

Diz a nota:

“A ATP cumprirá o que for decidido na esfera judicial, sem prejuízo, contudo, de defender seu entendimento de que a bilhetagem faz parte do modo de execução dos contratos de concessão e de que a sua transferência para o Município compromete ainda mais o seu equilíbrio, o que implica a necessidade de ampliar as providências necessárias para reestabelecê-lo.”

A nota dá a entender que haverá recurso, mas isso não foi confirmado, nem desmentido, pela assessoria. “O que temos de informações está na nota” disse o assessor à reportagem do Jornal JÁ.

A prefeitura, por meio da assessoria de comunicação da Secretaria de Mobilidade Urbana, informou que ainda não foi notificada da decisão e só depois irá se pronunciar.

Confira na íntegra a nota da ATP:

“O prazo será cumprido. Trata-se de prazo para apresentar cronograma de implementação da medida, que, por sua complexidade, reconhecida pelo juiz, demanda providências mais demoradas”.

“A ATP cumprirá o que for decidido na esfera judicial, sem prejuízo, contudo, de defender seu entendimento de que a bilhetagem faz parte do modo de execução dos contratos de concessão e de que a sua transferência para o Município compromete ainda mais o seu equilíbrio, o que implica a necessidade de ampliar as providências necessárias para reestabelecê-lo.”

Jornal Já



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito, onibus

Tags:, ,

3 respostas

  1. Máfia, desde sempre Máfia!

    Curtir

  2. Ainda usam essa maquina pré-histórica? Putz, isso tinha em 2010.

    Curtir

  3. Sabe o que é o pior?

    A Carris, sendo estatal, poderia fornecer todas as informações necessárias para avaliar quais são os principais fatores que aumentam o custo, quais os detalhes que podem reduzir o desperdício de tempo, quais os itens do ônibus que merecem manutenção preventiva e quais não são tão necessários, visando menos paradas não planejadas com menor custo de manutenção…

    Mas por incrível que pareça, a Carris é a mais obscura de todas, onde poucos anos sai de prejuízos astronômicos para lucros. Por que? Porque “o que é de todo mundo não é de ninguém” e o objetivo da Carris acaba sendo colocar mais e mais cupinchas, ganhar “presentinho” dos terceirizados e fornecedores, entre outras coisas.

    A empresa que deveria ser a piloto para avaliar as demais e puxar melhorias acaba sendo a pior em termos administrativos.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: