Vídeo: Orla Trecho 3

Vídeo publicado em 01 de outubro de 2021.

Autor: Viver Rodando

Captura de tela:



Categorias:ORLA, trecho 3 da orla, video

Tags:

27 respostas

  1. Alguém sabe como ficou a “troca” que ocorreria entre as Escolhinhas do Gremio no Cristal e a revitalização daquele trecho da orla pela Multiplan?

    Curtir

  2. Poderíamos ser uma Florida, mas vocês não gostam de Jerivás..

    Curtir

    • CREDO. Nem num lugar rico como a Flórida essa palmeira nefasta soma, aliás, prejudica. Nessa mesma foto uma jardineira com amor-perfeito agradaria mais os olhos do que os jerivás. O HORROR.

      O jerivá destrói até a arborização de lugares valorizados, incrível o efeito negativo do nosso coqueirinho-pato que nem dá sombra, nem dá copa, nem dá altura e imponência, nem dá fruto comestível ou q sirva ao menos pra cachaça, nem nada, deveria ser abolido, proibido e aqui no estado pra cada jerivá deveria ser replantada uma araucária. Fazer um parque estadual do jerivá num lugar bem remoto do estado e replantar todos os jerivás lá e deixar as nossas cidades livres dessa praga.

      Eu sei que parece exagero, mas como existe uma OBSESSÃO em plantar o jerivá em qualquer lugar, o remédio tem que ser na mesma dose.

      Em nível de comparação, nas regiões próximas dos trópicos nos USA costuma ser arborizada dessa forma, olha o NIVEL de diferença:

      Curtir

      • Quer mais choque de realidade?

        Uma avenida em Maringá arborizada pelo poder público se preocupando com o paisagismo, beleza e conforto visual porque entendem que gera qualidade de vida. Alguma semelhança com a arborização tradicional de POA até os anos 60?

        Curtir

      • O pessoal do Meio Ambiente do municipio poderia ter orientado árvores nativas, floridas e frondosas.

        Curtir

        • Exatamente Elizabeth. Araucárias, guapuruvus, pau-ferro, ou mesmo as exóticas que são culturalmente nativas da cidade como as palmeiras californianas, extremosas, flamboyant, jacarandás, figueiras.

          A questão da araucária então, pra mim é um enigma, as pessoas não entendem que essa árvore só existe aqui em todo planeta. E além de ser bonita, tem a pinha – o pinhão é um artigo de luxo, a gente não dá valor porque é comum aqui, mas é algo muito único!, tem toda uma fauna que gira em torno dela e que praticamente se extinguiu do seu habitat natural, ficou só preservada na serra mas a araucária se estende pro planalto e de forma esparsa até no pampa ou na região lagunar de Pelotas e serra do sudeste ela é endêmica.

          Agora, o que tá acontecendo na cidade/estado é que a própria arborização privada tá se resumindo ao jerivá. Significa que o jerivá vem sendo implantado na cabeça dos arquitetos e paisagistas. Praga urbana.

          Eu tento não ficar poluindo o blog aqui com o meu ponto de vista já que o próprio Gilberto fez um post sobre isso com base num comentário que fiz (obrigado Gilberto!), mas cada nova obra em POA: uma nova mini-floresta de jerivá. Absurdo.

          Curtir

        • Isso aí infelizmente é regra hoje em dia.

          Edifício quadrado e cheio de vidro, calçada tijolos de concreto e coqueiros. Se prolifera em todo lugar.

          Curtir

    • Sério que vocês não perceberam a ironia?

      Curtir

      • Nos EUA pelo menos quando alguém vai construir uma casa, fazer um jardim, já sabe o estilo, eles têm uma identidade. Porto Alegre também precisa ter sua própria identidade, pelo menos quanto as calçadas e árvores já tem sim. Nossas calçadas de basalto e arborização devem ser respeitadas, não ficar fazendo calçadas com tijolinhos de cimento e jerivás! Se não tivermos uma identidade, cada um fará o que bem entender e transformará a cidade em um verdadeiro frankstein.
        Gramado tem seu padrão de construções e arborização, devemos manter o nosso também.
        Acho muito mais bonito uma rua com Tipuanas e Jacarándas que esse aspecto artificial das Palmeiras alinhadas em Beverly Hills.

        Curtir

  3. Bem legal, apesar de eu achar que poderia ter sido feito com alguns pontos diferentes.
    Contudo, não faço questão nenhuma de passear por aí. Muito concreto e pouco verde.
    Prefiro 1.000 vezes subir a Borges a partir do trem e ir direto para o Marinha do Brasil. Lá sim dá pra encontrar um lugar que é quase um paraíso.

    Curtir

  4. Pena o excesso de mato na beira, fora isso ta muito legal!!!

    Curtir

  5. Espero que cuidem melhor do Trecho 3!
    No Trecho 1, já é possível ver os sinais de desqualificação: há locais em que não há grama alguma mais, em outros a grama está alta, guarda-corpos já vandalizados, concreto das arquibancadas já escurecido de sujeira, calçadão tomado por diversos ambulantes. Preocupante!

    Curtir

    • Eu avisei isso lá atrás quando apresentaram o projeto…É tão patético quanto alguém plantar frágeis flores em uma cidade, simplesmente não dá! Não se pode fazer nada pensando em constante manutenção, pois sabemos que na prática não haverá. Quanto a limpeza, de tempos em tempos resolve…

      Curtir

    • Vai melhor quando a população ficar mais “espraiada”
      A grama esta morrendo porque é pisoteada.

      Curtir

      • A grama está ali para servir as pessoas ou as pessoas a grama?
        Verão chegando, serão mais pisoteadas ainda.
        Deck e bancos de madeira, perfeitos para serem arranhados intencionalmente ou não.
        Já a passarela é bem resistente.

        Curtir

    • Já tem uma empresa que ganhou contrato para manutenção, mas até agora a única coisa que fez foi socar um estacionamento pago no Harmonia. De resto, não fez manutenção de nada ainda.

      Curtir

  6. Tem que plantar árvores. Está muito feio e sem vida sem elas

    Curtir

    • Bonito e bem aproveitado era como estava antes…..pessoal que se pendurava em árvores está em crise com o desenvolvimento

      Curtir

    • Mas plantaram mais de 300 árvores.. jerivás. Absurdo mas eis POA e sua fixação por essa palmeira horrenda, melhor seria não tê-las plantado. Pelo menos ali do lado tem o parque Marinha com árvores de verdade.

      No mais, o trecho ficou incrível, contudo os jerviás vão ser de fato um entrave paisagístico e vão enfeiurar a paisagem com o tempo.

      Curtir

      • Sim, temos tantas árvores lindas que podem ser bem aproveitadas, algumas até coloridas, mas o negócio é plantar coqueirinhos…acho que fazem de propósito

        Curtir

        • E tu tem alguma dúvida? Imagina, em todo o planeta a araucária é típica só do sul e de algumas regiões mais altas do sudeste única e exclusivamente deste país… em todo PLANETA. Não só o pinhão como também o butiá são iguarias extremamente raras quando se leva em consideração a escassez diante do mundo. Tanto uma quanto outra é linda. Araucária é majestosa, com esse aspecto único pré-cambriano e o butiazeiro é um coqueirinho ornamental belo pleno. Optar por plantar jerivá única e exclusivamente já deixou claro que tem o condão de atacar o paisagismo pq plantas bonitas criam ambientes ainda mais qualificados, como por exemplo Gramado. Pra evitar esse “problema” futuro que é a existência da beleza, então planta-se algo eternamente feio e na cara dura: em todo esse trecho nem capim plantaram, só jerivá.

          Curtir

  7. E o trecho 2? Já saiu a licitação?

    Curtir

    • Pelo que sei, está em fase de elaboração do novo edital de licitação pra concessão. Se não me engano o edital anterior lançado não teve interessados.

      Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: