Prefeitura de Porto Alegre publica decreto que extingue cobradores de ônibus

A prefeitura de Porto Alegre publicou nesta quinta-feira (27) o decreto que instaura o programa de extinção gradativa da função de cobrador do transporte coletivo por ônibus na Capital.

Medida já está em vigor e deve reduzir o preço da passagem, segundo o Executivo.
Foto: Divulgação

Desde ontem já são permitidas viagens sem a presença do profissional nos veículos, mas as empresas concessionárias devem aderir a partir de terça-feira (1º). O motorista deve ficar responsável pelo controle de embarque e cobrança de tarifas.

As empresas que prestam o serviço no município terão prazo de 90 dias para implementar meios que facilitem o pagamento e o controle da cobrança da passagem. Para isso, é necessária autorização da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

A adesão ao programa vai começar pelas linhas com menor número de passageiros que pagam em dinheiro. A operação sem a presença de cobrador nas linhas com alto número de passageiros pagantes em dinheiro só deve ocorrer em horários de movimento mais baixo.

A extinção completa deve ocorrer até 1º de janeiro de 2026 e pode alterar o valor da tarifa de ônibus.

Link: https://www.osul.com.br/prefeitura-de-porto-alegre-publica-decreto-que-extingue-cobradores-de-onibus/



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito, onibus

Tags:

20 respostas

  1. queria apenas deixar minhas gargalhadas pra quem acha que o fim do cobrador vai baratear passagem

    Curtir

  2. Medidas URGENTES que a prefeitura precisa tomar:

    1) simplificação da aquisição do cartão TRI

    Hoje em dia o passageiro precisa se dirigir a postos de atendimento super escassos, preencher um formulário ridiculamente desnecessário e esperar o absurdo prazo de SETE DIAS para retirar o cartão. Este sistema é absurdo, pois exige que o usuário gaste duas idas ao posto, perdendo dinheiro na passagem e, mais importante, perdendo tempo.

    O TRI deveria ser facilmente adquirível, de preferência em máquinas e de maneira anônima. Uma posterior personalização do cartão deveria ser possível, mas jamais obrigatória.

    2) eliminação do pagamento da tarifa em dinheiro

    Não dá pra conceber que o trabalho do motorista envolva dirigir um veículo complexo de múltiplas toneladas E ficar perdendo tempo e concentração contando moedinha, quando a tecnologia já permite uma operação com zero atrito. Em um cenário onde a aquisição do TRI foi simplificada, os passageiros deixam de ter motivo pra não terem um cartão. Como bônus, reduziríamos em certa medida o risco de assaltos ao ônibus.

    3) adoção de pagamento por aplicativo / QR code

    Implementar um sistema que emita um QR code para representar um pagamento não é difícil. O usuário poderia pagar sua passagem em um aplicativo no celular e, ao chegar na roleta, apresentaria o QR code a um leitor. O leitor daria baixa no código (registrando-o como utilizado) e destravaria a catraca.

    Em comparação com o TRI, esse sistema tem a desvantagem de requerer conectividade ininterrupta do ônibus, pois esse precisa comunicar e verificar a baixa do QR-code em tempo real (para evitar utilização duplicada). O TRI suportava sincronização em lote, pois a segurança contra utilização duplicada era local ao cartão. Hoje em dia, conectividade ininterrupta já não é mais um problema; de fato, a maior parte da cidade já está muito bem coberta por redes de dados, e é plenamente possível resolver uma requisição de baixa e checagem em alguns milissegundos.

    A vantagem adicional de um sistema de pagamento baseado em QR-code é que seria bastante possível dispensar o uso de um aplicativo! A rigor, o usuário poderia imprimir os códigos em papel se assim preferisse.

    4) fiscalização espontânea de isenções por amostragem

    Uma das defesas que se fazia à existência do cobrador era que ele tinha função de controlar fraudes em isenções. O problema que eu tenho com isso é que não só eles não faziam muito bem esse trabalho, como muitas vezes usavam essa posição para eles mesmos cometerem fraudes (já vi isso ao vivo).

    Como claramente não queremos repassar essa responsabilidade para a pessoa que já está ocupada dirigindo um veículo de múltiplas toneladas (ver ponto 2), essa tarefa poderia ser dada a fiscais volantes que embarcariam em ônibus aleatoriamente, e checariam os passageiros já embarcados, pedindo-lhes que apresentem o TRI utilizado para girar a roleta. Dessa forma, a verificação por fraudes se daria sem a pressão da fila na roleta, e poderia ser mais focada.

    Curtir

  3. Não adianta dar emprego pra todo mundo se a atividade realizada for inútil. Se fosse assim, empregaríamos pessoas pra cavar buracos e pessoas pra tapar os tais buracos em seguida, e estaríamos felizes porque temos pleno emprego.

    É muito mais produtivo pra sociedade que essas pessoas que estavam alocadas nos trabalhos que a tecnologia tornou obsoleto sejam alocadas para outras funções. No caso dos cobradores, com o advento do TRI isso podia TRANQUILAMENTE ter sido feito há MAIS DE 15 ANOS já.

    Dava pra ter bancado o re-treinamento dessas pessoas.
    Dava pra ter oferecido PDV.
    Dava pra ter oferecido adiantamento de aposentadoria em alguns casos.

    Optamos por não fazer nada disso, seguramos uma posição inútil, cobramos caro de todos os passageiros para isso e ainda vai ser um parto pra operacionalizar isso.

    Curtir

  4. Podemos ver claramente o desemprego na Europa, Eua, Asia, Oceania, gerado pelo fim das profissões dos cobradores. Imagina quando descobrirem que não tem frentista nos postos.

    Curtir

  5. Pelo visto tem pessoas que acham que a solução pro Brasil ficar rico é ter 5 cobradores por ônibus. Por que não? kkkk

    Curtir

  6. Porque estão acusando meu ego e interesse pessoal quando falo que A MAIORIA DA POPULAÇÃO não quer pagar mais caro pra ter cobrador de onibus. Na visão de vocês, eles irão morar nas ruas assim que assinarem a demissão, quando na verdade vão se reinventar em uma profissão que seja benefica pra sociedade e a tarifa de onibus ficará mais barata pra população (na verdade eu nem acredito que vá ficar mais barata, mas é outros 500) só de tirar uma pessoa que pouco produz e instigar ela a produzir mais para o todo, já melhora nossa convivencia em sociedade. O mundo ta se reinventando o tempo inteiro, as vezes as pessoas conseguem criar um ambiente pra acompanhar essa revolução e por vezes, elas dependem que o estado cortem seus empregos (como no caso do cobrador) para que elas continuem a prosperar.

    Curtir

    • “Vão se reinventar numa outra profissão que seja benéfica pra sociedade.” Vamos analisar essa assertiva. Cobrador de ônibus então não é uma profissão benéfica pra sociedade e vai ser bem tranquilo eles acharem emprego, visto que tem emprego sobrando no mercado. Entendi. Vamos fazer o inverso, ok. Você perde o seu emprego e fica feliz da vida pois pode achar um emprego mais benéfico pra sociedade e vai ser bem fácil de se recolocar em outro posto de trabalho em outra atividade. Você toparia bem na boa que teu empregador lhe demitisse? Pessoas como você odeiam outras pessoas. Tá na cara isso. Você não exitaria um segundo sequer em ferrar o emprego de qualquer pessoas se visse que isso atendesse os seus interesses pontuais e pessoais…e você faria isso de modo inclemente, ou como se diz na gíria britânica: “no quarter”. Empregos não dão em árvores, amigo. Nem aqui nem em Cingapura, o país mais próspero do mundo. Empregos são sagrados, pois são o sustento das famílias. Não há tecnologia mágica em automação do terceiro milênio que consegue colocar comida na mesa. Isso é uma fantasia tecnocrata e liberal, no que tem de pior. Pessoas e sociedades precisam de empregos. Não há dilema algum entre automação X emprego. Quando se apresenta essa escolha, a opção é única: EMPREGO. É o emprego que sustenta famílias, não tecnologias robóticas nem virtuais. Uma tecnologia que suprime postos de trabalho é uma tecnologia ad hominem. As pessoas precisam comer, vestir, sobreviver com dignidade. E não esqueça, um dia você também pode perder o emprego enão adianta vir com a conversa de que não tem medo, por que tem formação e competência, como se isso fosse suficiente pro teu empregador não te demitir. Ao contrário, quando uma empresa ou instituição está em grande crise, os primeiros demitidos são justamente os melhores, os que ganham mais. Vide caso da ULBRA que demitiu primeiramente todos os maiores salários. Foi todo mundo pra rua, O Grêmio é outro exemplo bem atual. Mandou embora quem? Os que ganhavam mais.

      Curtir

  7. Vamos tentar manter o nível no debate aqui certo
    Manter uma profissão apenas por “coitadinhos ficarão desempregados” não faz o menor sentido, a conta não fecha. O poder público trabalha pro povo, e o povo não quer saber de pagar mais caro pra sustentar cobrador sendo que a tecnologia o substitui com melhor qualidade e eficiencia. Eu quero é pagar mais barato na passagem, se isso significa tirar o motorista, o onibus e os corredores não me importa. Quero o menor custo possível com melhor conforto quando vou do ponto A ao ponto B. Nós como seres humanos pra nossa sociedade prosperar devemos nos especializar, estudar, progredir na vida mesmo com tantas dificuldades impostas.

    Curtir

    • Eu sabia que seria exatamente esse o seu argumento. Egoísta e sem a menor noção do que é viver em sociedade. Pessoas como você acham (só acham) que tudo o que interesse o seu interesse pessoal e imediato e que a despeito disso, não haveria nenhuma consequência paralela desse interesse egocêntrico sendo atendido. Uma sociedade requer bem estar SOCIAL, sem o qual, não há como se ter um povo feliz. Se todos não estão felizes, ninguém estará feliz. Minha mãe me ensinou isso desde quando eu era um adolescente e queria ter vantagens pessoais. Ela me disse: de quê adianta um estar bem se o restante que está à tua volta não estar? O que vai acontecer é que todos os descontentes vão tentar de tirar o que tu tens tens, na lábia ou na violência. O individualismo atual faz muitas pessoas como você pensarem que se tiverem uma sociedade se define na “minha vontade”, “no meu interesse”, no “meu desejo pontual”. Não. As pessoas precisam de emprego, pois precisam comer, precisam sobreviver, precisam também um pouco de diversão, sem pelos quais uma vida se torna uma cruz e um pesadelo. Pessoas precisam de alguns momentos de felicidade e tranquilidade. TODAS as pessoas. Isso é viver em sociedade. E quando eu falo em sociedade nada tem a ver com ideologia socialista, mas com a visão antropológica, a natureza da espécie humana quando vive em grupo, quando compartilha da vida coletiva. O bem estar social só que atinge quando todos ou a maioria é atendida. Por mais que tenhamos classes sociais distintas, clãs, interesses pessoais ou individuais, ninguém consegue ser feliz ou viver em paz se as pessoas que o cercam estão infelizes. Ok, você quer pagar menos tarifas? Eu também. Quem não quer? Acontece que no caso em tela, pra você (teoricamente) pagar menos, estará desempregando muitas centenas de pessoas, que mercê da falta de ganha pão o quê vão fazer? Morar nas ruas, na soleira da porta da sua casa, mendigando, mijando e defecando na sua casa, eventualmente ameaçando a sua vida, assaltando seus filhos…afinal não há almoço grátis, como pessoas como você mesmo gosto de falar. Tudo tem um custo, principalmente quando se joga milhares de pessoas no olho da rua. As pessoas precisam aprender a ter consciência de que uma sociedade é composta pelo conjunto total de seus indivíduos vivendo com dignidade, caso contrário uma sociedade é apenas um conglomerado de clãs tentando desesperadamente proteger suas posses da cobiça de desvalidos. No mundo de hoje falta aquela palavrinha que muita gente esquece: EMPATIA…não pra bancar o “bonzinho” ou bom samaritano, mas por que as pessoas precisam compreender que uma sociedade com muita gente insatisfeita é um grande tiro no pé de quem acha que os seus interesses privados são o umbigo do mundo. Falta entendimento do que é viver em sociedade e de todas as implicações que suprimir o ganha pão de outros pode acarretar. Falta noção e espírito de coletividade.

      Curtir

      • “Manter uma profissão apenas por “coitadinhos ficarão desempregados” não faz o menor sentido, a conta não fecha. O poder público trabalha pro povo, e o povo não quer saber de pagar mais caro pra sustentar cobrador ” (Leandro)
        Eu não sei como uma pessoa não fica constrangida de escrever uma barbaridade dessas publicamente. Um desmerecimento a profissão dos outros, um ódio e descaso ao sustento de outras pessoas. Um triste retrato de gente que se sente o centro do mundo. Só o que vale é a sua atividade, a sua profissão, os seus interesses privados. O resto pode descartar. O resto é lixo, é supérfluo, é parasita. Deprimente ler uma coisa dessas vindo de um “cidadão”.

        Curtir

        • Melo, Adaptação é necessaria na vida.
          Eles podem fazer como eu fiz quando tinha 14 anos e abrirem seu próprio negócio. Vejo oportunidades de empreender em todo canto que vou, oportunidades demais até e vejo claramente que a única coisa que impede a maioria das pessoas de enxergarem isso é a própria mentalidade delas. Estão acostumadas a ficarem tranquilas em um empreguinho qualquer e deu… que os cobradores aproveitem agora com as facilidades da internet por exemplo, criem seus próprios negócios e podem até gerar empregos para outros… então Melo, não faltam oportunidades para empreender com praticamente nenhum capital inicial, você está utilizando suas táticas esquerdista bem desonestas contra o Leandro. Vamos parar com essa mentalidade de coitadinho, menos estado atrapalhando, mais cidadão empreendendo.

          Curtir

  8. Onibus autonomos não estão tão distante, seria incrível não é mesmo? Quanto a manutenção, se implementarmos o eletrico vai reduzir bastante também esse custo… seu comentário foi bastante visionário !!!

    Curtir

    • Sim. Tudo autônomo e com baixíssimo custo…e todos os outrora funcionários na sarjeta passando fome e te assaltando pra sobreviver. Algumas pessoas acham que o trabalhador e o emprego são apenas estorvos. Escuto muito isso dos vereadores “liberais”, que de liberais não têm nada, visto que estão pendurados no serviço público, aquele mesmo serviço público e eles mesmos tentam desconstruir no dia a dia. Cretinos. De nada adianta atividades automatizadas se não houver emprego. Além do mais, tu vais ver que a passagem dos ônibus vai continuar subindo no mesmo ritmo. A falta de postos de trabalho gera violência, miséria e derrocada social…em qualquer país, em qualquer tempo na história pregressa, atual e futura. Quem não consegue compreender isso ou é muito burro ou age com desonestidade intelectual.

      Curtir

      • Você acabou de dizer que motoristas/cobradores de ônibus vão assaltar a população pra não morrer de fome? Você deveria ser no mínimo banido desse fórum.

        Curtir

        • Não, amigo. Curso de exegese básica pra você. O que eu escrevi é que pessoas desempregadas são potenciais devedores insolventes, mendigos, contraventores ou similares. Quanto mais emprego menos marginais (strictu sensu). Quando alguém perde um emprego e não consegue mais se inserir no mercado de trabalho ele vai ter que ter que fazer o que for necessário pra colocar comida na mesa da família, e isso eventualmente pode incluir atos violentos para obter comida. Você entendeu a lógica das necessidade humanas ou ainda não? Será tão difícil assim compreender o ponto central de um simples texto? Vá pedir o banimento da sua vó torta.

          Curtir

  9. Próxima etapa: ônibus sem motorista e empresas de ônibus sem pessoal da manutenção. Meta ideal: emprego zero e lucro máximo, com tarifas que continuarão reajustadas acima da inflação. É a classe patronal em festa.

    Curtir

    • kkk. Segundo o amigo aqui deveríamos ressuscitar a profissão de cocheiro, entregador de leite, datilógrafo, ascensorista e outras tantas que já ficaram na história… O mundo anda pra frente amigo, e as profissões de baixa complexidade são substituídas por profissões de alto valor agregado. Olhe por exemplo a crise de logística que está acontecendo no Reino Unido: faltam caminhoneiros para entregar todas as cargas. Aí que tem que entrar a tecnologia dos veículos autônomos, por exemplo.

      Curtir

    • Sua revolta não resolve o problema.
      Já é realidade em alguns países que apenas uma porcentagem da população trabalhando sustenta todo o resto. Porém ou as tecnologias evoluem como sempre ou ficamos estagnados. Graças a tecnologia temos maquinário para agricultura, para termos alimentos para toda população. Nas favelas mesmo…pessoal com SOBREPESO, até OBESOS!
      A tecnologia continuará a evoluir…cada vez mais os robôs assumirão funções humanas… como resolver isso de maneira orgânica eu não sei, só sei que tudo menos as cag@das e atrasos gerados pelas ideias comunistas.

      Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: