Prefeitura se prepara para a revitalização do Quadrilátero Central

Vias do Centro Histórico serão revitalizadas
Foto: Joel Vargas/Arquivo PMPA

Abril marcará o início a obra de maior impacto do projeto Centro+: a revitalização do Quadrilátero Central, perímetro composto por trechos de nove ruas, identificados como os pontos de maior circulação de pessoas de Porto Alegre em virtude da intensa atividade nos ramos do comércio e de serviços. As obras pretendem renovar aquela que é uma das primeiras áreas de ocupação da cidade, valorizando o patrimônio cultural existente.

O projeto executivo foi elaborado pela ENCOP Engenharia, com o acompanhamento de diversas secretarias municipais. A proposta privilegia a circulação de pedestres, ampliando as calçadas, qualificando as travessias, reduzindo barreiras de acessibilidade e melhorando a pavimentação em geral. Haverá, também, a implantação de novo mobiliário urbano, melhorias na iluminação pública e a ampliação do sistema de videomonitoramento.

As intervenções resultarão em uma profunda remodelação do Centro Histórico da Capital, alinhando a região a conceitos contemporâneos de urbanismo e mobilidade. “Sem dúvida, será a obra que ‘mudará a cara’ do bairro. Temos convicção de que o Quadrilátero Central dará a dimensão do esforço que vem sendo feito pela atual administração para resgatar a autoestima e o protagonismo da região”, afirma o secretário de Planejamento e Assuntos Estratégicos, Cezar Schirmer.

Os recursos para a execução da obra são oriundos do financiamento do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) destinado ao Programa Orla POA, iniciativa coordenada pela Secretaria de Planejamento e Assuntos Estratégicos (SMPAE) e operacionalizada pela Secretaria de Obras e Infraestrutura (SMOI). O investimento é de R$ 16 milhões e possui prazo para a conclusão dos serviços de 18 meses, contados a partir da data de início das obras.

Diálogo com a comunidade – Antes mesmo do início dos trabalhos, a Prefeitura de Porto Alegre estabeleceu o diálogo com diversos setores da sociedade, aproximando os atores que, de uma forma ou de outra, possuem ligação com revitalização do Quadrilátero Central. Duas questões são consideradas prioritárias: minimizar possíveis impactos a comerciantes, prestadores de serviços e consumidores e achar uma solução consensuada para a questão dos vendedores ambulantes que hoje atuam no Centro Histórico.

Ao longo dos últimos meses, as secretarias de Desenvolvimento Social (SMDS), Desenvolvimento Econômico e Turismo (SMDET) e de Segurança (SMSEG) vêm elaborando uma estratégia que visa a remoção dos ambulantes Centro Histórico aliada à oferta de oportunidades de recolocação no mercado de trabalho. Para tanto, técnicos da SMDS vem cadastrando os ambulantes, buscando identificar as alternativas para cada caso. Entre as opções oferecidas pela PMPA está o acesso a microcrédito, a possibilidade de ocupação de salas comerciais no Centro Popular de Compras (POP Center), e o encaminhamento ao SINE Municipal – onde os ambulantes terão acesso a cursos e oficinas de capacitação profissional e o direcionamento a entrevistas de emprego.

Nesta sexta-feira, 18, ocorrerá uma reunião com as diretorias do Sindilojas POA, CDL-POA e Sindicato de Hospedagem e Alimentação de POA e Região (Sindha). Na oportunidade, o projeto de revitalização do Quadrilátero Centro será apresentado e as entidades poderão expor as opiniões e apresentar questionamentos. “Queremos um processo pactuado com a sociedade civil organizada, visando a execução dos serviços com o menor transtorno possível a quem movimenta a economia da região. Esse será o primeiro de muitos encontros e servirá para corrigirmos questões pontuais e projetarmos o acompanhamento de todo o processo”, afirma Schirmer.

Revitalização

(trecho marcado no mapa em laranja)

Rua dos Andradas – trecho entre a rua General Câmara e a rua Marechal Floriano Peixoto – reforma completa do calçadão de pedestres;

Rua dos Andradas – trecho entre a rua Marechal Floriano Peixoto e a rua Dr. Flores – recuperação do pavimento histórico da via e reforma completa dos passeios;

Rua Uruguai – trecho entre a rua dos Andradas e a rua Sete de Setembro – reforma completa do calçadão de pedestres;

Urbanização

(trecho marcado no mapa em verde)

Rua Voluntários da Pátria – trecho entre a rua Marechal Floriano Peixoto e a rua Dr. Flores – recuperação do pavimento do corredor de ônibus, reforma completa dos passeios;

Rua Otávio Rocha – trecho entre a rua Marechal Floriano Peixoto e a rua Dr. Flores – recuperação do pavimento da via, reforma completa dos passeios e qualificação do canteiro central;

Rua General Vitorino – trecho entre a rua Marechal Floriano Peixoto e a rua Dr. Flores – substituição do pavimento da via e reforma completa dos passeios;

Rua Doutor Flores – trecho entre a rua General Vitorino e a rua Voluntários da Pátria – substituição do pavimento da via e reforma completa dos passeios;

Rua Vigário José Inácio –trecho entre a rua General Vitorino e a rua Voluntários da Pátria – substituição do pavimento da via, reforma completa dos passeios e do calçadão de pedestres;

Rua Marechal Floriano Peixoto – trecho entre a rua General Vitorino e a rua Otávio Rocha – substituição do pavimento da via e reforma completa dos passeios;

Avenida Borges de Medeiros – trecho entre a avenida Salgado Filho e a rua Sete de Setembro – substituição do pavimento da via, reforma completa dos passeios, qualificação do canteiro central e da Esquina Democrática. 

Link: https://prefeitura.poa.br/smpae/noticias/prefeitura-se-prepara-para-revitalizacao-do-quadrilatero-central



Categorias:Arquitetura | Urbanismo, Programa de Reabilitação do Centro Histórico

Tags:,

2 respostas

  1. Ouço esse papo desde quando era criança e assistia RBS no canal 12 ao meio dia em tv de tubo com chuvisco. Ainda sou “jóvem”, estou na casa dos 30 mas vi muitas melhorias! Tenho certeza de que há muito o que melhorar e que nada integrado e revolucionário foi feito.

    Gostaria de relembrara aqui com vocês de algumas obras importantes que perduram até hoje e que suas somas individuais contribuíram bastante para melhoria do centro histórico.

    “Remoção” do camelódromo.
    Reativação do chalé da praça XV
    Criação do pop center e novos terminais de ônibus.
    Reforma e reforço da iluminação na Borges de Medeiros e arredores com a inclusão de luz para pedestres e postes esteticamente mais bonitos.
    Reforma(s) da praça da alfandega.
    Reforma(s) do largo Glenio Peres
    Criação e reforma(s) dos Quiosques do lado de fora do mercado público
    Pintura externa do mercado público.
    Reforma da ponte de pedra e lago.
    Reforma(s) da praça em frente a prefeitura (praça montevideo)
    Reforma da rua andrade neves
    Liberação de Decks general câmara;
    Calçadovia da DR. flores
    Ciclovia da Mauá e sete
    Reforma da galeria Chaves
    Reforma da galeria Guaspari.

    Infelizmente algumas dessas obras já precisam ser refeitas, é perceptível que a soma de diversas iniciativas boas não tem o mesmo efeito que uma grande obra integrada e trazendo padrão de referência poderia fazer;

    Curtir

  2. Em linhas gerais, esta correto o diagnóstico – óbvio e visualmente observável – e, claro, é louvável o esforço da atual administração. O problema de Porto Alegre passa pelo fato de que, faz décadas… sai administração/ entra administração…. diagnóstico e esforços são sempre os mesmos… sobretudo na Área Central…..ou seja, tem alguma coisa maior trancando esta cidade, que a maioria ainda não percebeu…. Reitero minha velha opinião: Estamos precisando – para além das bem vindas perfumarias urbanas – é de Divã…

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: