Porto Alegre dá início ao Plano de Ação Climática com recursos do Banco Mundial

Porto Alegre – Vista aérea – Gilberto Simon – Arquivo Porto Imagem

A cooperação técnica entre prefeitura de Porto Alegre e Banco Mundial foi ratificada nesta sexta-feira, 11, durante a Conferência Mundial do Clima (COP27), no Egito. O secretário municipal do Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade, Germano Bremm, e a diretora regional de Desenvolvimento Sustentável do Banco Mundial, Anna Wellenstein, se reuniram para confirmar a iniciativa a ser conduzida pelo Banco Mundial em direta articulação com a Secretaria de Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade, com recursos do City Climate Finance Gap Fund. O fundo específico para mudanças climáticas em cidades destinará US$ 250 mil (cerca de R$ 1,2 milhão) para contratar a empresa responsável por desenvolver o Plano de Ação Climática de Porto Alegre, que irá planejar como a Capital irá cumprir a meta de zerar as emissões de carbono até 2050.

O prefeito Sebastião Melo comemorou o resultado. “O descuido histórico com a questão ambiental é uma realidade, com cidades de rios poluídos, excesso de carros e poluição dos sistemas de transporte. O poder público precisa estar comprometido e colocar Porto Alegre no caminho para cumprir a meta de zerar as emissões de carbono”, defende Melo.

A consultoria terá um ano e meio para estabelecer medidas concretas de mitigação de emissões de gases de efeito estufa e adaptação frente às mudanças climáticas na Capital, com base no estudo de vulnerabilidade e risco climático a ser desenvolvido e no Inventário de Gases de Efeito Estufa, elaborado em 2021. O plano deverá contemplar questões ambientais, econômicas e sociais para garantir um aumento da resiliência da cidade frente a eventos extremos da mudança climática e da variabilidade climática.

“Para alcançarmos as metas que nos comprometemos na COP 26, em Glasgow, de reduzir as emissões pela metade até 2030 e zerar as emissões até 2050, precisamos organizar um planejamento a longo prazo que ultrapasse necessariamente uma gestão e seja um projeto de cidade, no qual a gente consiga estabelecer, de forma organizada, todas as estratégias e planejamento de como alcançar essas metas, quais ações, como elas serão distribuídas ao longo do tempo e de que forma a gente vai envolver a sociedade nesse processo”, explica o secretário Bremm.

A diretora do Banco Mundial, Anna Wellenstein, falou de sua satisfação na parceria com Porto Alegre. “O Plano de Ação Climática será parte importante de um esforço que está sendo desenvolvido pela cidade para combater as causas e efeitos das mudanças climáticas. Para o Banco Mundial, é um prazer contribuir para estabelecer prioridades de ação climática, junto com investimentos para a redução dos riscos de alagamentos e qualificação de espaços verdes no centro da cidade, que tornarão o desenvolvimento da cidade mais sustentável, beneficiando a qualidade de vida de seus habitantes.”

O Plano de Ação Climática e o Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa são dois instrumentos fundamentais para que a prefeitura busque recursos internacionais a fundo perdido para a realização de obras mitigatórias, principalmente nas áreas periféricas, encostas e margens de rios, onde a população é ainda mais vulnerável.

Participação da população – Também faz parte da estratégia de zerar as emissões de carbono, garantir a ampla participação dos moradores no processo de construção do Plano de Ação Climática, assegurando o acesso da sociedade e demais entidades a informações, eventos e relatórios. Para isso, está prevista uma série de atividades de discussão sobre os caminhos a serem tomados.

“Vamos engajar a população para cada um fazer a sua parte. Importante a conscientização da sociedade que as mudanças climáticas são uma realidade, e os graves efeitos nos atingem diretamente. Precisamos desenvolver o senso de pertencimento, de coletividade e de preocupação com o planeta”, reforça a diretora de Políticas e Projetos de Sustentabilidade, Rovana Reale Bortolini.

Centro+4D – A cooperação técnica do Banco Mundial faz parte do programa de investimentos Centro +4D, com cofinanciamento da Agência Francesa de Desenvolvimento. Este financiamento está em fase de preparação e é coordenado pela Secretaria de Planejamento e Programas Estratégicos de Porto Alegre. Estão previstos investimentos em infraestrutura, mobilidade urbana, desenvolvimento social e serviços resilientes ao clima.

Link: https://prefeitura.poa.br/smamus/noticias/porto-alegre-da-inicio-ao-plano-de-acao-climatica-com-recursos-do-banco-mundial



Categorias:COP27, Meio Ambiente

Tags:, ,

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: