Justiça decide que Porto Alegre deve receber R$ 193,1 milhões por obras não realizadas na Arena

Valor a ser pago corresponde a conjunto de obras pactuado em 2014. Foto:  Luciano Lanes/Arquivo PMPA

A Justiça atendeu pedido da prefeitura de Porto Alegre e do Ministério Público do Rio Grande do Sul e converteu a obrigação assumida pela Arena Porto-Alegrense, Albizia, e Karagounis de fazer as obras no entorno da Arena em obrigação financeira. Em decisão proferida na tarde desta quarta-feira, 7, a 10ª Vara da Fazenda Pública determinou que as empresas efetuem o pagamento de R$ 193,1 milhões no prazo de 15 dias. Veja aqui a íntegra da decisão. Cabe recurso à medida.

O valor corresponde ao conjunto de obras previstas no termo de compromisso firmado em 2014. O juízo fundamentou a decisão no fato de que “o processo tramita há anos, nele sobrevindo diversas tentativas judiciais e extrajudiciais – audiências, reuniões, acordos parciais – de cumprimento das obrigações assumidas pelos réus, sem sucesso efetivo”.

No ano passado, após extensa negociação, foram repactuadas as obrigações das empresas, com a redução do volume de obras a serem realizadas. No entanto, como a maior parte do acordo estava condicionada à aquisição da Arena pelo Grêmio, o que não se concretizou, as intervenções não foram realizadas.

De acordo com o procurador-geral adjunto de Domínio Público, Urbanismo e Meio Ambiente, Nelson Marisco, a decisão é importante porque é dirigida a grupo de empresas não atingidas pela recuperação judicial da OAS e que, em tese, dispõem de liquidez para arcar com os compromissos. “Também merece destaque que o grupo OAS, raiz das empresas aqui demandadas, passou por processo de desmembramento em outras duas empresas, subdivididas em outras tantas, e não seria surpresa se ditas transações fossem, mais uma vez, utilizadas para frustrar o cumprimento das obrigações assumidas para com o desenvolvimento da cidade e com o bem- estar da população e que até agora não foram minimamente atendidas”, analisa.

O pedido foi feito no âmbito da ação de cumprimento de sentença ajuizada em agosto para cobrar os empreendedores a cumprir as obrigações pactuadas em 2014, já que o próprio acordo firmado no ano passado previa que, em caso não concretização da compra da Arena pelo Grêmio até 7 de outubro de 2021, ficaria mantido integralmente o termo de acordo anterior. 

Outras medidas – Além da ação de cumprimento de sentença, o Executivo encaminhou à Câmara Municipal projeto de lei que estipula prazo de um ano para o início das obras na área do Olímpico e entorno da Arena. Caso as intervenções não comecem neste período, será revogado o regime urbanístico especial e será instituído um regime básico de acordo com o entorno de ambas as regiões.

Fonte: https://prefeitura.poa.br/pgm/noticias/justica-decide-que-porto-alegre-deve-receber-r-1931-milhoes-por-obras-nao-realizadas



Categorias:Arena do Grêmio

Tags:,

4 respostas

  1. A arena não tem dinheiro nem pra manutenção do estádio, visto o que é aquela cobertura suja a anos. Acompanho o blog desde a época da construção do estádio e é até triste ver ele jogado, sem manutenção. Parou em 2012 e não se atualizou, sem contar das obras em volta.

    Curtir

  2. É só o Gremio entrar em crise de novo que algum jornalista da RBS lança como matéria a “Iminente compra da Arena pelo Grêmio”

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: