EPTC debate novas ciclovias com a comunidade

Foto: Bruno Alencastro

A prefeitura, por intermédio da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), realizará reunião com a comunidade na segunda-feira, 3, às 20h, na Igreja Sagrada Família (rua José do Patrocínio, nº 954). A pauta do encontro serão as propostas de implantação de ciclovias na rua José do Patrocínio e na avenida Loureiro da Silva, área central da cidade. O evento, aberto ao público, terá a presença do diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, além dos técnicos responsáveis pelos projetos.

O objetivo da EPTC é interligar essas novas ciclovias com as da Edvaldo Pereira Paiva e Ipiranga, que estão em obras. De acordo com as propostas iniciais, na José da Patrocínio, o espaço exclusivo para os ciclistas terá 880 metros de extensão, ligando as avenidas Loureiro da Silva e Venâncio Aires. Na  Loureiro da Silva, a ciclovia terá 1,2 mil metros, interligando a José do Patrocínio e Vasco Alves.  “Vamos apresentar as propostas originais, debater com as pessoas, receber sugestões. Acreditamos que ações como essa contribuem significativamente para a cidade, qualificando cada vez mais a mobilidade. A próxima etapa, após os debates com a comunidade, será a de elaborar o projeto e posterior implantação, com investimentos do município”, afirma Cappellari.

Prefeitura de Porto Alegre

==== Comentário Daniel Serafim ====
Excelente notícia, uma cidade que não pensa nas pessoas que utilizam bicicleta e não dão oportunidade para que elas sejam utilizadas, tende a entrar em colapso no seu trânsito.
As bicicletas além de proporcionarem redução de custos com infra estrutura viária, ainda melhora a saúde das pessoas que a utilizam, gerando assim redução em custos com saúde.

Internautas organizam protesto contra fechamento do Bar Bambus

Smic interditou o bar nesta quinta-feira. Foto: Carolina Guterres/PMPA/Jornal do Comércio

Um grupo de internautas está organizando, para a noite desta sexta-feira (27), um protesto contra o fechamento do Bambus, tradicional bar da noite porto-alegrense que foi interditado pela Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio (Smic) na tarde de ontem.

Por meio de uma página criada no site de redes sociais Facebook, o grupo está mobilizando frequentadores do bar para “reagir”, ocupando o espaço na frente do bar. Mais de 2,4 mil pessoas já confirmaram a presença no protesto. O Bambus está localizado na esquina das ruas Independência e Barros Cassal.

Em publicação na página, os manifestantes afirmam que “alegando ‘algazarra’, a prefeitura dá continuidade a uma política conservadora e autoritária que vem restringido o funcionamento dos bares em Porto Alegre”.

Em nota, a Smic afirmou que o bar foi fechado “devido ao funcionamento irregular”. “O bar funciona com grande aglomeração de pessoas em frente ao estabelecimento, consumo de bebidas na via pública, e denúncias de frequentes brigas e algazarras dos frequentadores”, afirma o texto.

Na ação de ontem, além do Bambus, a Smic também fechou o Café Moinhos, o Lord Lanches e o Gato Félix.

Jornal do Comércio

Confira o andamento das obras do PISA

Emissário subaquático: já instaladas 18 tubulações de 515 m, totalizando 9270 m, com os trechos terrestres a obra alcança 85 % do emissário pronto. A obra consiste na instalação de 22 tubulações subaquáticas e 1800m terrestre, devendo finalizar em julho – Emissário terrestre: obra concluída, em fase de recebimento definitivo – EBE Cristal/EBE C2 e Chaminé de Equilíbrio: obra concluída, em fase de recebimento definitivo – Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Serraria: todas as unidades estão em execução, com 50% das obras civis concluídas. Iniciou-se em junho a montagem de tubulações e equipamentos eletro-mecânicos – Interceptor da Restinga: Obra concluída, em fase de recebimento provisório – EBE Restinga, na avenida Juca Batista, próximo a Hípica: Obra retomada sua execução após a interdição. Em execução a desmontagem da estrutura danificada – Estação de Bombeamento C1, na avenida Diário de Notícias: obra concluída, em fase de recebimento definitivo – Emissário da Restinga: Obra concluída. Em fase de acabamentos para o recebimento provisório.

Prefeitura de Porto Alegre

Atacadão Sertório inaugurou hoje

Estivemos no Atacadão Sertório que inaugurou no lugar onde antes funcionava o Carrefour Sertório que pertence ao mesmo grupo.
Lembra muito o estilo do Makro, Sams Club (em frente) e do Maxi Atacado.

Seguem imagens externas e internas do local.

Bourbon Wallig – Imagens internas dos 4 pisos principais

Ontem estivemos na coletiva de imprensa e também na festa de inauguração do Bourbon Wallig.
Trazemos para vocês imagens exclusivas e um vídeo inédito mostrando as lojas e corredores de 4 pisos principais de lojas e serviços.
Nesse vídeo podemos ver os pisos 1, 2, 3 e 4

O vídeo tem a proposta de trazer a informação em primeira mão para vocês do blog.
Desculpem pela qualidade do vídeo, mas com certeza vocês terão uma ideia de como são os
4 principais pavimentos do empreendimento e poderão ver um pouco como estava a festa de
inauguração para os convidados.

Seguem as plantas do 5 pavimentos de Lojas e serviços
E1 – Subsolo e lojas de serviços, como encontramos em outras operações Bourbon, piso com acesso via Grécia

bourbon wallig piso e1 - clique para ampliar

clique para ampliar

Piso 1 – Piso com acesso via Assis Brasil, onde encontramos uma das lojas âncora, Hipermercado Zaffari

bourbon wallig piso 1 - clique para ampliar

clique para ampliar

Piso 2 – Neste piso encontramos as lojas âncoras da C&A Renner e Riachuelo (todas com dois pisos)

bourbon wallig piso 2 - clique para ampliar

clique para ampliar

Piso 3 – Neste piso encontramos as lojas âncoras da C&A Renner e Riachuelo (todas com dois pisos)

bourbon wallig piso 3 - clique para ampliar

clique para ampliar

Piso 4 – Piso de lazer, onde está a praça de alimentação e será inaugurado no futuro as 8 salas de cinema

bourbon wallig piso 4 - clique para ampliar

clique para ampliar

Mais algumas imagens

Este slideshow necessita de JavaScript.

Bourbon Wallig é apresentado a mídia – Parte 1

Fomos convidados a participar da coletiva de imprensa do Bourbon Wallig que é a 7ª operação da divisão Bourbon Shopping do grupo Zaffari.

Este é o maior prédio registrado na prefeitura de Porto Alegre com 199.200 m²,  boa parte por conta do estacionamento estar integrado no shopping que conta com 3 mil vagas cobertas.

São 230 operações distribuídas em 4 pavimentos, sendo os 3 primeiros composto de lojas e no quarto pico localiza-se a praça de alimentação e cinemas.

No pavimento também existe uma alameda gastronômica com restaurantes, onde se encontra o Dado garden Grill, com acesso próprio e vista para a Av. Grécia

O empreendimento conta com 6 lojas âncoras, sendo 5 dedicadas ao setor de moda; Renner, Riachuelo, C&A, Marisa e Centauro.

O Hipermecardo Zaffari é a 6ª loja âncora e conta com uma área de vendas de 5.516 m², 38 checkouts e emprega diretamente 320 pessoas. É a 30ª unidade da rede Zaffari e Bourbon.

Pode-se perceber que exitem muitas lojas em construção ainda, parte deste atraso em decorrência de falta de mão de obra.
Os acessos de veículos são através das avenidas Francisco Trein, e Grécia, evitando-se assim congestionamento na avenida Assis Brasil.

A tão esperada sala de cinema IMAX deve ser inaugurada na segunda, prevista para julho de 2012.juntamente com as outras 7 salas de cinema.

Abaixo o vídeo em 3D mostrando a área externa do shopping.

Dados institucionais

  • Localizado na Avenida Assis Brasil, nº 2611, entre a Avenida Francisco Trein, a Rua Antonio Joaquim Mesquita e a Avenida Grécia
  • É a 7ª e a maior unidade da redeBourbon Shopping
  • Total de 2.000 empregos gerados durante as obras, e previsão de 3.000 novos empregosdiretos após a inauguração de todas as operações do mix

Dados comerciais

  • O shopping inaugura com 72% da ABL (Área Bruta Locável) em operação
  • 230 operações distribuídas em 4 pavimentos
  • Seis lojas-âncoras: Renner, C&A, Riachuelo, Centauro, Marisa e Hipermercado Zaffari
  • Nove megalojas: Siberian, Memove, Fast Shop, Paquetá Esportes, Camicado, Colombo, Bradesco, Caixa Econômica Federal e Luigi Bertolli
  • Oito salas de cinema, com cerca de 2 mil lugares
  • 1 Sala IMAX, a primeira do Rio Grande do Sul, para projeção 2D e 3D (inaugura em julho)
  • Praça de Alimentação com 1.000 lugares, 18 operações e 4 casual restaurants
  • Alameda Gastronômica de restaurantes, com ambientação e acesso próprios

Dados do edifício

  • Total de área construída:199.200 m²
  • 45,6 mil m² de Área Bruta Locável
  • 3 mil vagas de estacionamento cobertas
  • 32 equipamentos entre esteiras e escadas rolantes, e 10 elevadores
  • Área livre vegetada com 6 mil m² e área vegetada compensatória com 13,9 mil m²
  • Instalações para todas as operadoras fixas e móveis de telefonia
  • Sistema de climatização contando com reservatório de água gelada com 1,8 milhão de litros


Dados da loja Zaffari

  • Área de vendas:5.516 m²
  • Nº de checkouts: 38
  • Empregos diretos: 320
  • Arquitetura contemporânea
  • Departamentos: padaria e confeitaria com produção local de grande variedade de itens, açougue, peixaria, laticínios, adega ampliada de vinhos nacionais e importados, floricultura especializada.

Imagens/maquetes:

Coletiva de imprensa – Inauguração do Bourbon Shopping Wallig

Estamos na coletiva de imprensa do Bourbon Wallig onde será apresentada a 1ª fase de inauguração.

Acompanhe pelo facebook e pelo twitter.

http://www.facebook.com/BlogPortoImagem

http://www.twitter.com/PortoImagem

Ação contra prefeitura e EPTC pede bloqueio do orçamento para ciclovias

Ação pede aplicação do Plano Diretor Cicloviário da Capital

A Promotoria de Justiça de Habitação e Defesa da Ordem Urbanística ingressou na 1ª Vara da Fazenda Pública, nesta quarta-feira, 18, com ação civil pública contra a Prefeitura de Porto Alegre e a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) para que o Plano Diretor Cicloviário seja cumprido. O pedido de liminar solicita que sejam bloqueados do orçamento municipal R$ 6.225.999,99.

O valor é correspondente à quantia das multas de trânsito não aplicada desde 2009 na construção de ciclovias e em programas educativos, previstos na Lei Complementar Municipal n. 626 de 2009, que institui o Plano Diretor Cicloviário da Capital. O parágrafo 2º do artigo 32 da lei prevê que 20% das multas sejam revertidos para essas finalidades. O MP solicitou à Justiça, ainda, que seja imputada multa diária de R$ 1 mil, no caso da Prefeitura e EPTC não comprovarem a aplicação dos recursos provenientes da arrecadação das multas de trânsito a partir de janeiro de 2012.

Após o trânsito em julgado, o promotor Luciano de Faria Brasil, que assina a ação, pede que os próximos orçamentos municipais prevejam o destino correto de 20% das multas em ciclovias; além disso, os valores não aplicados desde 14 de outubro de 2009 devem ser direcionados para esse fim em prazo máximo de dois anos. Brasil solicita, ainda, que a aplicação dos recursos, tanto do exercício orçamentário em andamento e quanto dos já vencidos, devem ser publicados na imprensa oficial e em pelo menos dois jornais de grande circulação. Em caso de descumprimento, a multa diária sugerida é de R$ 10 mil.

A ação deriva de inquérito civil instaurado neste ano pela Promotoria. Durante as investigações, a EPTC informou que, em 2009, foram aplicados R$ 206 mil (5,71% das multas de trânsito). Em 2010, foram R$ 2.123 milhões (8,71%), e em 2011, foram R$ 2.364 milhões (8.98%).

Por Jorn. Marjuliê Martini do Ministério Público

Crescimento da frota de veículos na Capital é cerca de cinco vezes superior ao aumento da população

Dados divulgados pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) apontam que a frota de veículos na cidade aumentou 48,67% no período entre 2001 e 2011 – saltou de 481.914 para 716.493, com acréscimo de 234.579 unidades. Quase no mesmo período, entre 2000 e 2010, a população da Capital cresceu 3,58% – de 1.360.590 para 1.409.350, com acréscimo de 48.760. Ou seja, o crescimento da frota de veículos é cerca de cinco vezes maior do que o da população.
Informações estatísticas sobre o trânsito e a população de Porto Alegre estão disponíveis no Observatório da Cidade de Porto Alegre (ObservaPOA).

Fonte: ObservaPOA

Sobre largura mínima para ciclofaixas e ciclovias


Essa tabela está na penúltima página do relatório final do Plano Cicloviário de Porto Alegre.[baixar]

Qual é a largura das ciclofaixas da Icaraí e Nilo Wulff mesmo…? Beira em 1,5 metros de largura total. Levando em conta que o tachão e mais duas faixas brancas (área não-ciclável) ocupam 45cm, isso significa que o ciclista fica com espaço de menos de um metro para se equilibrar (excluí 10cm da conta porque tem que haver uma distância entre o pneu e o cordão por motivos óbvios). Ou seja, a EPTC não faz juz à largura mínima ciclável de 1,20 metros e nem o afastamento total necessário (60cm) somando o dos automóveis e do cordão.

Pesquisando em textos acadêmicos, encontrei nessa monografia (páginas 33 e 34) de Engenharia Civil a seguinte ilustração que confirma a tabela acima:

E agora, será que a EPTC vai cair na real e fazer ciclofaixas de verdade ou inventar outras desculpas? Divulguem para que isso fique no conhecimento de todos.

Blog Vá de Bici

Índice de conclusão das obras de expansão da trensurb chega a 84,36%

Entre últimos avanços, destaca-se o início da instalação da cobertura na Estação Fenac.

As obras de expansão da Linha 1 da Trensurb até Novo Hamburgo chegaram a 84,36% de conclusão, aponta o 40º relatório de medição emitido pela Coordenação de Planejamento da empresa, que supervisiona os trabalhos. O índice geral foi recalculado, a partir de agosto, devido à suplementação orçamentária aprovada pelo governo federal para a realização de serviços e obras complementares à expansão.

A primeira etapa da expansão, que compreende 4,9 quilômetros de via elevada, duas estações (Rio dos Sinos, em São Leopoldo, e Santo Afonso, em Novo Hamburgo), duas pontes (metroferroviária e rodoviária), já apresenta as obras civis finalizadas. Seguem os serviços operacionais nas áreas de rede aérea, abastecimento de energia, sinalização e bilhetagem. Os testes dinâmicos, com deslocamento simultâneo de dois trens na via, já estão sendo realizados no local.

Com 4,4 quilômetros de via elevada e três estações (Industrial, Fenac e Novo Hamburgo), a segunda etapa, que segue até o centro de Novo Hamburgo, tem os avanços mais significativos do último período, entre eles: a montagem e lançamento de cabos da rede aérea entre as estações Industrial e Fenac; o início da instalação da cobertura na Estação Fenac; início da execução das vigas-travessas na Estação Novo Hamburgo; e, no trecho final da via, logo após a estação, a conclusão do estaqueamento e início da execução dos blocos de fundação.

A expansão até Novo Hamburgo

O empreendimento prevê, no total, mais 9,3 quilômetros de Linha 1, atingindo 43 quilômetros de extensão, de Porto Alegre a Novo Hamburgo. Todo o trecho será estruturado em via elevada e comportará cinco novas estações – Rio dos Sinos, em São Leopoldo, e Santo Afonso, Industrial, Fenac e Novo Hamburgo, no município hamburguense. O Consórcio Nova Via – constituído pelas empresas Norberto Odebrecht, Andrade Gutierrez, Toniolo/Busnello e T’Trans – é o responsável pela execução da obra. O projeto é orçado em R$ 939,6 milhões.

Foto: Marco Pecker, da Trensurb
Trensurb

===
A conclusão desta obra não estava anunciada para final de março?

Daniel Serafim 

Yes, We Can – Nós podemos, todos juntos tornar Porto Alegre mais alegre

Desculpem-me pelo título em inglês, mas ao ver o vídeo foi a primeira frase que me veio a cabeça.

Sei que muitos concordam, alguns discordam mas TODOS NÓS devemos cuidar e zelar pela nossa cidade.

Semana passada estivemos presentes na instalação da ecobarreira junto a PUC e em uma conversa foi citado que a ecobarreira serve para chamar a atenção da população e do poder público para o cuidado que devemos ter com nossos recursos hídricos, e que simplesmente acumular lixo, sujeira na ecobarreira e o dmlu fazer o recolhimento, seria como enxugar gelo.

Portanto repito mais uma vez agora em bom português, SIM, NÓS PODEMOS tornar nossa capital melhor, seja fazendo alguma ação, participando junto com nossos vizinhos e amigos em atitudes de prevenção da degradação dos espaços, seja cobrando do poder público, mas acima de tudo sejamos cidadãos.

A ação que esta registrada no vídeo abaixo teve o começo através do Facebook e PortoAlegre.cc

Cidadão:  indivíduo que, como membro de um Estado, usufrui de direitos civis e políticos por este garantidos e desempenha os deveres que, nesta condição, lhe são atribuídos
Fonte: Dicionário Houaiss

Porto Alegre 240 anos – Armandinho e queima de fogos no Largo Glênio Peres

Estivemos hoje no Largo Glênio Peres para fazer registros da projeção 3D que tinha início marcado às 20hs desta segunda feira, mas devido ao mau tempo foi cancelada.

A projeção 3D ira ocorrer nesta terça e quarta às 20hs com duração aproximada de 10 minutos e conta com a tecnologia da empresa Cápsula Sonora que utiliza 5 projetores de alta tecnologia para reproduzir imagens no mercado público.

Não será necessária a utilização de óculos para percepção das imagens 3D.

Aproveitamos e fizemos um pequeno registro  do show do Armandinho e a queima de fogos que teve aproximadamente 4 minutos  que pode ser conferido no vídeo abaixo.

24H de Cultura apresenta 62 eventos culturais gratuitos | Porto Alegre 240 Anos


O projeto 24H de Cultura, que abre as comemorações dos 240 anos de Porto Alegre, oferecerá um total de 62 eventos culturais gratuitos entre as 10h de sábado (24) e as 20h de domingo (25). As atividades se espalham por 24 locais de 19 bairros e vão da MPB ao rock, do jazz à música clássica, de Moliére ao teatro de rua, da dança flamenca ao balé clássico, além de palestras, cinema e oficinas.

Como de costume, as atrações que devem juntar maior público são musicais e acontecem em geral ao ar livre. Os destaques de sábado ficam com Maria Rita, que traz o show Viva Elis ao anfiteatro Por do Sol às 18h. Hermes Aquino, Jorge Mautner (acompanhado de Nelson Jacobina), Tonho Crocco e Júpiter Maçã tocarão das 21h à 1h45 no Teatro Renascença.

No domingo, a música clássica do pianista Arthur Moreira Lima toma conta do espelho d’água do Parque da Redenção a partir das 10h. Shana Muller e Delicatessen estarão na Praça da Alfândega das 17h às 19h15 e no palco da prainha do Gasômetro Nei van Soria, Topaz e Acústicos e Valvulados fazem seus concertos das 16h às 19h30. Na Praça da Encol, Fernando Noronha e Black Soul estarão tocando blues a partir das 17h. Também na Redenção, a Banda Municipal, Buenas e M’espalho e os roqueiros do Apanhador Só fazem shows das 17h30 às 20h40 em frente ao Monumento ao Expedicionário.

Uma atração incomum do 24H de Cultura será a Maratona de Dança, que no domingo envolverá 400 bailarinos de 6 companhias, durante 6 horas (das 16h às 22h) no Teatro Renascença. Haverá peças de teatro também gratuitas para adultos (Tartufo, de Molière, às 21h e 23h) e infantil (A Cãofusão – Uma Aventura Legal pra Cachorro, às 16h) no Teatro de Câmara em ambos os dias, além de espetáculos de rua em vários bairros.

O Museu de Porto Alegre inaugura no sábado sua nova exposição permanente de longa duração “O Solar que virou Museu. Memórias e Histórias” e no Centro Municipal de

Cultura acontecem palestras como Tropicalismo: 70 Anos de Caetano e Gil, às 20h com o professor Flávio Azevedo, e às 21h30 Judeus Europeus no Brasil, com os professores Deonísio da Silva e Voltaire Schilling.

O 24H de Cultura, que abre a 53ª Semana de Porto Alegre, realizará 34 shows, 16 peças de teatro e dança, 5 eventos de cinema, 4 exposições, além de palestras e oficinas gratuitos. A Semana de Porto Alegre encerra-se no dia 31 de março, com o tradicional Baile da Cidade, às 21h no Parque da Redenção em frente ao Espelho d’Água.

Porto Alegre 240 anos

===
Excelente oportunidade de aproveitar um pouco mais a nossa cidade.
 Daniel Serafim

Porto Alegre registra volume de chuva excepcional

O volume de chuva que atingiu Porto Alegre nesta quarta-feira, 14, foi um dos mais altos dos últimos anos, segundo os meteorologistas do Sistema Metroclima da prefeitura. Em apenas 12 horas, a precipitação praticamente atingiu a média histórica (série 1961-1990) de todo o mês de março, de 104,4 milímetros. O meteorologista Luiz Fernando Nachtigall diz que a precipitação foi extraordinária não somente porque os volumes foram muito altos, mas também porque o grande acumulado de chuva se deu em período muito curto.

Quanto choveu – As estações automáticas do Sistema Metroclima registraram, até o começo da tarde desta quarta-feira, volumes de 89,7mm no Moinhos de Vento, 86,5mm no Menino Deus, 81,3mm na Lomba do Pinheiro, 62,2 na avenida Sertório e 61,4mm no bairro Lami. Estação automática particular de apoio ao Sistema Metroclima na Chácara das Pedras indicou 74,8mm. No Jardim Botânico, a estação do Instituto Nacional de Meteorologia acusou um volume de 76,8mm. De acordo com os técnicos do Sistema Metroclima, é provável que em alguns pontos a precipitação tenha ficado ao redor de 100mm.

Dois aguaceiros – A maior parte dos volumes de chuva em Porto Alegre ocorreu durante dois intensos aguaceiros. Na madrugada, a cidade já tinha registrado ao redor de 15mm. No começo da manhã, quando se deu a primeira ocorrência de chuva intensa, a Capital teve ao redor de 50mm, metade da média mensal, em cerca de apenas uma hora. Quando o sistema de drenagem começava a dar conta do grande volume de água ocorrido, no fim da manhã um novo aguaceiro trouxe mais 20mm a 30mm de chuva para a maioria dos bairros.

Causas da chuva – O motivo principal para a chuva intensa foi o avanço de uma frente fria pelo Rio Grande do Sul. Com o avanço de ar seco e frio do Sul, a instabilidade se intensificou do Centro para o Norte do Estado, onde predominava ainda a atmosfera quente e úmida que favoreceu temporais com chuva intensa na véspera na região do Vale do Sinos. Nuvens muito carregadas se formaram entre 7h e 8h sobre Porto Alegre, despejando grande volume de água. Na área metropolitana e em quase todo o interior do Estado, as precipitações não foram significativas. A ocorrência de chuva extrema na Capital foi um fenômeno muito localizado.

Histórico – O maior volume de chuva em 24 horas (entre 9h de um dia e 9h do outro) em Porto Alegre, em março, na série histórica 1931-1960 foi de 63,8mm, em 30 de março de 1942, quando a medição ainda era feita no Centro da Capital. Já na série 1961-1990, a altura máxima em 24 horas atingiu 92,9mm, marca esta registrada na estação do Instituto Nacional de Meteorologia do Jardim Botânico em 8 de março de 1983. Em 1914, março teve um dia em que caíram no Centro de Porto Alegre 38,1mm em somente 40 minutos, volume semelhante ao registrado no primeiro aguaceiro da manhã desta quarta-feira. O maior volume de chuva ocorrido em Porto Alegre na história recente da cidade se deu em maio de 2008, quando um ciclone extratropical trouxe mais de 200mm de chuva para a Zona Sul em pouco mais de 24 horas, segundo dados do Sistema Metroclima, que já operava à época.

Previsão – Uma massa de ar seco e frio gradualmente ingressa na área de Porto Alegre nesta quinta-feira, 15. O sol deve aparecer, mas ainda são esperadas nuvens. Não se descarta chuva ou garoa passageira, sobretudo na primeira metade do dia. O dia vai ser ameno e agradável. As mínimas ficam ao redor de 19ºC no final do período, e durante a tarde deve fazer entre 25ºC e 27ºC. Na sexta-feira, 16, o sol predomina com possibilidade de nevoeiro isolado ao amanhecer na região. A madrugada será amena, com mínimas entre 15ºC e 17ºC, mas aquece rapidamente durante o dia com o sol e o ar seco. À tarde, as máximas ficam ao redor de 30ºC. Segundo os meteorologistas do Metroclima, o tempo segue ensolarado no fim de semana, com noites amenas e tardes de calor. No domingo, 18, as máximas podem ficar entre 33ºC e 35ºC.

Prefeitura de Porto Alegre

Bicicletada Nacional – Uma forma de não deixar as mortes de ciclistas cairem no esquecimento

Nesta terça feira dia 06 de março, foi realizada em 39 cidades a Bicicletada Nacional com a proposta de não deixar passar em branco a morte de ciclistas na semana passada.

Em Porto Alegre foram reunidos cerca de 500 ciclistas que passaram pelas avenidas Loureiro da Silva, João Pessoa, Gen. Lima e Silva, Túnel da Conceição, Mauá, Júlio de Castilhos, Ipiranga. Nas esquinas da Av. Ipiringa com a Av. Érico Veríssimo foi feito um protesto chamado “die-in” protesto no qual cada ciclista deita no meio da rua, simulando morte,  sentindo-se um pouco morto pelas perdas no trânsito das nossas cidades.

Hoje é muito perceptível a prioridade do poder público ao uso de transporte particulares (carros) em detrimento de investimentos e incentivos do transporte público ou outros que ocupem menos espaço nas ruas.
Um carro tem  uma ocupação média de 1,2 passageiro por veículos e chega a ocupar 4 metros quadrados de espaço público, tornando assim nossas cidades cada vez mais poluídas e congestionadas, inclusive para a própria circulação de veículos automotores.

Abaixo deixo algumas fotos da Bicicleta Nacional pelo Brasil e um vídeo com um breve resumo de como foi esta manifestação pacífica que busca tornar nossas cidades mais humanas e amigáveis.

Este slideshow necessita de JavaScript.


Créditos : Fora do Eixo

Aproveito para deixar registrado aqui meus parabéns a equipe de agentes da EPTC que conseguiram conduzir e organizar com excelência os fechamentos das ruas para a manifestação em total enquilíbrio e diálogo com os manifestantes.

Ministério Público acata pedido de ciclistas e vai investigar prefeitura por descumprir leis

Ciclistas pedem cumprimento de artigo que prevê aplicação de 20% das multas de trânsito na construção de ciclovias | Foto: Ramiro Furquim/Sul21

Na última sexta-feira, um grupo de ciclistas e de representantes do Laboratório de Políticas Públicas e Sociais (LAPPUS) pediu à Promotoria de Justiça de Habitação e Defesa da Ordem Urbanística do Ministério Público para que sejam averiguados os motivos para o descumprimento do Plano Diretor Cicloviário Integrado (PDCI) por parte da Prefeitura de Porto Alegre. O promotor de Justiça Luciano de Faria Brasil acolheu o pedido e nesta segunda-feira (9) foi Instaurado o Inquérito Civil para apurar as irregularidades.

A reclamação dos ciclistas é referente aos parágrafos 01 e 02 do artigo 32 da Lei Complementar Municipal nº 626 de 2009, que institui o PDCI. O artigo determina que, anualmente, no mínimo 20% dos valores arrecadados com multas de trânsito sejam aplicados na construção de ciclovias. A lei prevê, também, que o dinheiro seja destinado a programas educativos para a orientação e conscientização de motoristas, pedestres e ciclistas quanto ao uso adequado da bicicleta, do sistema cicloviário e das regras de circulação e segurança.

De acordo com o advogado, ciclista e diretor da LAPPUS, Marcelo Sgarbossa, “é esperado que, com o inquérito instaurado, a prefeitura reconheça que não cumpre a lei e que passe a cumpri-la a partir de agora”. Além disso, ele frisa que é muito importante que o executivo municipal não alegue que fez campanhas educativas do trânsito como justificativa do gasto dos 20% da verba arrecada em multas. “A Campanha da Mãozinha, por exemplo, é uma campanha voltada para o trânsito como um todo, mas o Artigo 32 da Lei 626 é claro quando diz que o valor deve ser investido em ações educativas da bicicleta, tanto para ciclistas, quanto motoristas”.

Sgarbossa sugere ainda que seja montado um calendário de compensação para recuperar os anos anteriores. “Já que o (Vanderlei) Cappellari informou que não há retroação dos valores de 2009 e 2010, então que seja feito um calendário ao longo de 2012, para que não percamos essa verba”, propôs.

Ao final da reunião entre os ciclistas e a promotoria, o promotor Luciano Brasil propôs que fosse constituído um fundo de utilização de campanhas voltadas para a cicloatividade onde o executivo não pudesse usar tal valor. Apesar de bem quista a ideia do promotor, os ciclistas não acreditam que a prefeitura concordaria com tal proposta. “Infelizmente temos uma prefeitura que acredita que os veículos motorizados são sinônimos de progresso e qualidade de vida. Um fundo para campanhas de educação a utilização de bicicletas seria, na mentalidade deles, um retrocesso”, garantiu um dos cicloativistas presentes.

Da Redação – SUL 21

____________________________________

=========== MEUS COMENTÁRIOS

Os orgãos públicos as vezes pensam que somos cegos e não estamos de olho na falta do cumprimento das leis.

Em Outubro do ano passado solicitei as vistas do projeto de duplicação da Av. Grécia que esta sendo duplicada e deveria ter ciclovia segundo o plano cicloviário  (Ver Post)  e a resposta que não estava sendo implantada a ciclovia por não ser o gabarito final de 30 metros… Poxa, se já estão sendo feitos investimentos privados (pelo Grupo Zaffari) porque não se aproveita para ECONOMIZAR nosso dinheiro público e já fazer bem feito e de uma só vez?

Pois agora após uma tentativa de marginalizar o grupo massa crítica com vídeos incompletos e falsas declarações que seria um grupo violento, estamos mobilizados e exigindo que os orgãos responsáveis por prover e implementar mobilidade urbana em Porto Alegre façam valer a lei, pois não deve ficar “só no papel”

Daniel Serafim

Inquérito investiga cumprimento do Plano Cicloviário na Capital


Ativistas chegaram ao MP de bicicleta Fotos/Luiza Peres

Após receber representação de cicloativistas, a Promotoria de Justiça de Habitação e Defesa da Ordem Urbanística abriu um inquérito civil para investigar a efetiva aplicação do artigo 32, § 2º, da Lei Complementar Municipal nº 626 de 15 de julho de 2009, que institui o Plano Diretor Cicloviário Integrado de Porto Alegre.

A representação foi entregue ao titular da Promotoria, promotor de Justiça Luciano de Faria Brasil, na sexta-feira, 6, por um grupo de cicloativistas e de representantes do Laboratório de Políticas Públicas e Sociais – LAPPUS. O ponto essencial da representação é o pedido de cumprimento do artigo que determina que, anualmente, no mínimo 20% dos valores arrecadados com multas de trânsito sejam aplicados na construção de ciclovias. A lei prevê, também, que o dinheiro seja destinado a programas educativos para a orientação e conscientização de motoristas, pedestres e ciclistas quanto ao uso adequado da bicicleta, do sistema cicloviário e das regras de circulação e segurança.

 

Grupo entregou representação sobre aplicação de recursos no Plano Cicloviário

Inquérito civil foi aberto pelo promotor Luciano Brasil

Por Jorn. Marjuliê Martini – Ministério Público

Se o “Olhos Atentos” vai ser restaurado, os outros monumentos também devem

Foto: Francielle Caetano/PMPA

Foi divulgado esses dias que a Prefeitura vai remover para restaurar a obra de arte intitulada “Olhos Atentos“, polêmico “mirante” localizado na orla, próximo à Usina do Gasômetro.

Pois bem, então poderia ser desenvolvida uma ação para recuperação, restauro e limpeza de todos os outros monument0s da cidade, tão ou mais importantes do que este “mirante” enferrujado.

Vejam as imagens:

Estes são só alguns exemplos.

Apenas dois nos últimos anos ganharam uma limpeza: o Monumento ao Expedicionário, na Redenção e o Monumento a Castelo Branco (foto abaixo), no Parcão.

Fotos: Equipe Porto Imagem

Ministério Público reúne Massa Crítica e EPTC para diálogo sobre o trânsito

 

Luciano Brasil (C) reuniu ciclistas, EPTC e a BM ... Fotos/Camila Sesti

Com o propósito de iniciar um diálogo entre a Empresa Pública de Transporte e Circulação e o grupo de ciclistas intitulado “Massa Crítica” na busca de consensos com relação ao trânsito de bicicletas em Porto Alegre, o promotor de Justiça de Habitação e Defesa da Ordem Urbanística Luciano de Faria Brasil reuniu, na tarde desta quinta-feira, 20, representantes das partes interessadas.

“Pretendemos que este seja o primeiro de diversos encontros para alcançar um alinhamento que agrade aos dois lados”, iniciou o Promotor, destacando que o Ministério Público não defende nem EPTC, nem ciclistas. “Estamos preocupados com a coletividade e com o interesse público”.

Em relação ao trajeto prévio, principal divergência entre as partes, ficou acertado que no próximo evento da Massa Crítica, que acontece nesta sexta-feira, às 19h, um agente da EPTC acompanhará o início da atividade com a finalidade de conhecer o caminho a ser percorrido.

Por sugestão de Luciano Brasil, será criado um Fórum Permanente de Discussão sobre Mobilidade Urbana, com objetivo de, incialmente, debater a questão dos ciclistas e, posteriormente, ampliar para outros temas.

O Promotor sugeriu, ainda, que os integrantes do movimento divulguem, através de blogs e redes sociais, os temas debatidos na reunião. O objetivo é que, no próximo encontro, marcado para 12 de janeiro, às 14h30min, sejam levadas sugestões e encaminhamentos dos participante do Massa Crítica, “principalmente no que se refere a questão da antecipação do trajeto”, destacou Brasil.

Participaram da reunião o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Luis Cappellari, acompanhado de servidores da empresa; o comandante do Policiamento da Capital, tenente-coronal Stocker; e um grupo de aproximadamente 12 representantes do Massa Crítica, entre eles Aires Frederico Becker e Marcelo Sgarbossa, que se manifestaram em nome do grupo.

Por Jorn. Camila Sesti – Ministério Público

Teatro de rua promove educação para o trânsito no fim de ano

A Equipe de Educação para o Trânsito elaborou uma forma diferente de sensibilizar a população para os cuidados no trânsito. Utilizando o recurso teatral, procuramos chamar a atenção com o uso dos personagens vida e morte, motociclista na cadeira de rodas, pedestre com muletas e placas informativas das situações de risco no trânsito, diz a Coordenadora da Equipe, Léa de Bittencourt Ferrão. A intenção é fazer com que a população visualize essas situações como realmente possíveis caso não sejam observados os cuidados necessários no trânsito.  Veja a matéria na íntegra.

Atividade no Largo Glênio Peres


Equipe de Educação para o Trânsito EPTC

Porto Alegre só poderá ter servidores com ficha limpa

ELDER OGLIARI – Agência Estado

Os poderes Executivo e Legislativo do município de Porto Alegre não poderão nomear ou designar para cargo em comissão ou função de direção, chefia ou assessoramento pessoas inelegíveis em razão de atos ilícitos por determinação de um projeto de emenda à Lei Orgânica do Município aprovado hoje por 29 votos a um, em segundo turno.

 

 

A nova legislação leva também para a esfera municipal as exigências da Lei da Ficha Limpa nacional e será promulgada ainda nesta semana pela presidente da Câmara de Vereadores, Sofia Cavedon (PT). Não está vedada a contratação de servidores que respondam a processos que não tenham sido julgados em última instância.

 

Autor da proposta, o vereador Aldacir Oliboni (PT) acredita que a emenda amplia a transparência do serviço público, mas sugere que sua aplicação seja acompanhada pela população. “Precisamos que a sociedade nos ajude a fiscalizar”, ressalta.

Estadão

Flashmob pela paz na Cidade Baixa ocorreu neste domingo na Redenção

Neste domingo que passou, a PÉ NA LATA Produções e Diversões, em parceria com a Casa do Lado promoveram um flashmob  na Redenção. Diversas pessoas dançaram em frente ao chafariz e com esta ação busca estimular o diálogo entre moradores, comerciantes e frequentadores dos bares para uma convivência pacífica nesta que é uma das regiões mais boêmias da cidade.

Abaixo um vídeo do convite do flashmob com informações relevantes da Cidade Baixa.

Aqui um vídeo do flashmob

Quem quiser assistir a um vídeo produzido pela ZH, pode acessar aqui

 

Largo Vivo – Apanhador Só

Todas as terças feiras os cidadãos de Porto Alegre são convidados a participar da retomada do espaço público no Largo Glênio Peres, e este belo vídeo produzido pela Aura mostra como tem sido esta ocupação pacífica.

Largo Vivo – Apanhador Só from Aura on Vimeo.

Apanhador Só na sétima edição do Largo Vivo. 01/11/2011

Para saber mais sobre o Largo vivo:
facebook.com/groups/218922804837886/
youtube.com/watch?v=-TsuamtJ7ps

Todas as terças-feiras, a partir das 18h, no Largo Glênio Peres.

Gravação de som: Marcos Lopes da Silva
apanhadorso.com

37ª Romaria em homenagem a N. S. Aparecida reuniu milhares de motociclistas em Porto Alegre

A 37ª edição da tradicional Romaria dos Motocilistas em honra à Nossa Senhora Aparecida movimentou Porto Alegre neste dia 12 de outubro. A  procissão,  já se consolidou como uma das mais marcantes expressões de fé à padroeira do Brasil na capital gaúcha. A movimentação começou bem cedo, as 8h da manhã.

A concentração e saída ocorreu na Av. Augusto de Carvalho, ao lado do Parque Maurício Sirotsky Sobrinho.

O trajeto teve em torno de 12kms e durou aproximadamente uma hora. O grupo passou pelas vias Loureiro da Silva, Siqueira Campos, Júlio de Castilhos, Conceição, Farrapos, Sertório, Assis Brasil, Francisco Silveira Bittencourt e Plínio Kroeff chegando ao Complexo Cultural do Porto Seco onde foi feita a benção das motos e a entregra de dez mil adesivos com a imagem de Nossa Senhora Aparecida para o capacete dos participantes.

Na edição de 2010, estiveram presente 25 mil motociclistas. Estima-se que em 2011 se reuniram 40 mil pessoas na procissão.
Abaixo podem ser vistas algumas fotos e vídeo exclusivamente para o Porto Imagem

Este slideshow necessita de JavaScript.

EPTC responde sobre ausência de ciclovia na Av. Grécia

Primeiramente é interessante fazer uma pequena introdução sobre o plano diretor cicloviário de Porto Alegre.

Em 16 de Julho de 2009 foi publicado no Diário Oficial de Porto Alegre sob o número 626,  lei complementar que  institui o Plano Diretor Cicloviário Integrado de Porto Alegre.

Neste mesmo documento oficial fica registrado as vias que devem ter ciclovias quando forem duplicadas, dentre as quais a Av. Grécia faz parte.

Mapa plano cicloviário

Mapa plano cicloviário

Acontece que como podemos ver neste vídeo, não existe a construção da ciclovia:

Portanto  no dia 06 de setembro fiz uma solicitação junto a EPTC na Av. Érico Veríssimo para que fosse fornecido as vistas do projeto da duplicação da Av. Grécia e o motivo que não esta sendo cumprida a lei complementar 629, e hoje chegou a resposta da EPTC:

Diante do disposto pela EPTC e visto que me parece impossível o alargamento dos atuais 20 metros para 30 metros, percebo que o poder público não esta comprometido em cumprir com o que esta em lei, e me pergunto para que servem as leis se não são cumpridas nem pelo primeiro setor?

Infelizmente noto que além de cidadãos temos que ser fiscalizadores do que ocorre na nossa cidade.

Quem tiver interesse em verificar o relatório final do Plano Cicloviário, pode ter acesso neste link

http://vadebici.wordpress.com/2011/08/18/relatorio-final-do-plano-cicloviario/