Dirigir em corredor de ônibus vira infração gravíssima a partir desta sexta, em todo o Brasil

(Foto: Oswaldo Corneti/ Fotos Públicas)

(Foto: Oswaldo Corneti/ Fotos Públicas)

A partir desta sexta-feira (31) é considerado infração gravíssima trafegar pelo corredor de ônibus, nos horários exclusivos, em todo o Brasil.

A mudança no Código Brasileiro de Trânsito, sancionada pela presidente Dilma Rousseff e publicada hoje no Diário Oficial da União, prevê que quem desobedecer a lei, irá perder 7 pontos na carteira, deverá pagar multa de R$ 574 e ainda pode ter o veículo apreendido.

Antes da lei entrar em vigor, o tráfego na faixa exclusiva era considerado infração leve, nos corredores à direita, e grave, nos corredores à esquerda. Nenhum dos casos previa a apreensão do veículo.

Portal UOL / Rede TV

Justiça mantém exigência de atestado na licitação dos ônibus

Documento confere maior segurança em parâmetros de qualidade   Foto: Joel Vargas/PMPA

Documento confere maior segurança em parâmetros de qualidade   Foto: Joel Vargas/PMPA

A 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul acolheu pedido do Município de Porto Alegre e concedeu efeito suspensivo à decisão que afastava a obrigatoriedade de apresentação de atestado técnico relativo à quantidade média mensal de passageiros transportados, equivalente a 50% do número estimado para cada lote da licitação do transporte coletivo da Capital.

A solicitação feita pela Stadtbus Transportes Ltda. havia sido atendida pela 1ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre. No recurso, a Procuradoria-Geral do Município (PGM) alegou que a exigência cumpre a função de demonstrar se efetivamente os concorrentes possuem capacidade técnica para executar o serviço de transporte coletivo de passageiros, conferindo maior segurança no atendimento dos parâmetros de qualidade mínimos à prestação do serviço. Além disso, segundo o procurador Carlos Eduardo Silveira, que atuou na ação, não há qualquer restrição na Lei nº 8.666/93 às exigências de comprovação de capacitação técnico-operacional das empresas licitantes, desde que sejam pertinentes e compatíveis com o objeto do certame e indispensáveis à garantia do cumprimento das obrigações.

De acordo com o desembargador relator Sérgio Luiz Grassi Beck, “resta caracterizado o fundado receio de dano irreparável ou de difícil reparação”, sendo “razoável e ajustada a exigência”. Ainda segundo a decisão, disponibilizada na terça-feira, 28,  “não há prova de que a exigência viole os princípios constitucionais da isonomia, igualdade e impessoalidade”.

A previsão é de que a Comissão de Licitação publique a ata de julgamento das propostas no Diário Oficial desta quinta-feira, 30.

Prefeitura de Porto Alegre

GPS nos táxis de Porto Alegre não funciona   

Foto: Gilberto Simon

Foto: Gilberto Simon

A prefeitura poderá rescindir o contrato assinado no dia 24 de julho do ano passado com a Show Tecnologia do Brasil Ltda., empresa responsável pela instalação do Sistema de GPS na frota de táxis da capital gaúcha.

A decisão será anunciada nesta segunda-feira (20) durante audiência no Paço Municipal e atende à reivindicação do Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi).

Segundo o presidente Luiz Nozari, a rescisão do contrato se deve à inoperância do serviço, já que os permissionários não conseguem acompanhar o movimento dos táxis, nas telas dos computadores, tablets e smartphones.

O rastreamento deveria ser em tempo real com atualização do sistema a cada 60 segundos, mas isto não acontece na prática e há casos em que, pelo GPS instalado, o táxi permanece parado por horas nu! m determinado ponto da cidade, só que o veículo está circulando e transportando passageiros.

Affonso Ritter

Tempo de viagem reduz em até 37% pelo corredor da Praia de Belas

Faixa exclusiva agiliza circulação entre a área central e a região SulFoto:    Joel Vargas/PMPA

Faixa exclusiva agiliza circulação entre a área central e a região SulFoto:    Joel Vargas/PMPA

Após a criação do corredor de ônibus da avenida Praia de Belas, em março deste ano, as linhas de ônibus tiveram um ganho no tempo de até 31% no pico da manhã e 37% no pico da tarde, em seus deslocamentos no trecho entre a avenida Icaraí e a avenida Borges de Medeiros. Os dados levantados pela Coordenação de Monitoramento do Transporte Público da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), por intermédio do Sistema de Ônibus Monitorado Automaticamente em Tempo Real (Somart), são os seguintes, sentido bairro / Centro, pico da manhã:  deslocamento em 24 minutos, antes da criação do binário; 18 minutos, com o binário, e 16 minutos, com as viagens pelo corredor. No pico da tarde, as medições apontaram 28 minutos no tempo de viagem antes de funcionamento do binário; 21 minutos, após a criação do binário, e 17 minutos, com as viagens realizadas pelo corredor.

A diretora-técnica da EPTC, engenheira Maria Cristina Molina Ladeira, afirma que os dados comprovam o acerto da medida. “A criação do binário da Praia de Belas / Borges de Medeiros, com priorização no deslocamento do transporte coletivo, representa uma medida acertada, com a garantia de mais conforto e qualidade para todos os usuários dos ônibus. Os motoristas dos demais veículos também ganham, pois não disputam espaço na via com os ônibus, que se deslocam pelo corredor”.

Corredor da Borges de Medeiros – O próximo passo, agora, é a entrega do corredor de ônibus da avenida Borges de Medeiros, uma nova etapa no projeto de criação do binário com a Praia de Belas. A medida está programada para a manhã deste sábado, 18, dependendo das condições climáticas. Além da pintura indicativa na cor azul para sinalizar o corredor e da instalação de faixas de segurança para uma maior proteção dos pedestres em seus deslocamentos, foram implantadas cinco estações no sistema Parada Segura, com iluminação e bancos para um melhor conforto dos usuários. Técnicos da área de transporte irão monitorar a criação do corredor da Borges de Medeiros, com a participação também dos agentes de fiscalização na orientação de motoristas e pedestres.

Prefeitura de Porto Alegre

O espraiamento de Atlas: como o corporativismo automobilístico destruiu o pedestre

Espraiamento urbano de Colorado Springs, CO visto do céu. Foto: chriswaits @ Flickr

Espraiamento urbano de Colorado Springs, CO visto do céu. Foto: chriswaits @ Flickr

Por Michael Lewyn

Os libertários sonham com uma nação capitalista laissez-faire, com regulamentação governamental mínima e cheia de empresários. Existem muitas razões pelas quais essa meta é difícil de conseguir; no entanto, uma das razões é inerente ao capitalismo em si. Assim que uma empresa se torna grande o suficiente para ter algum dinheiro de sobra, ela pode usar esse dinheiro de sobra para obter favores do governo.

Claro, eu não sou a primeira pessoa a descobrir isso. Por exemplo, o enredo de Atlas Shrugged (A Revolta de Atlas) da Ayn Rand, famosa autora libertária, centra-se menos sobre os males do estado de bem-estar social do que sobre os esforços de uma empresa siderúrgica bem conectada (Orren Boyle’s Associated Steel) buscando favores do governo para acabar com a concorrência da Rearden Steel.

O Livro Fighting Traffic de Peter Norton mostra como as leis de trânsito orientadas para o automóvel são, pelo menos parcialmente, um resultado de manipulação governamental semelhante.  (…)

Clique aqui para ler o artigo completo de Michael Lewyn no Caos Planejado

*Michael Lewyn é professor de Direito Urbano da Touro Law Center e escreve regularmente para o site Planetizen.

Ponte de Laguna será inaugurada no dia 15 de julho

Estrutura tem 2.830 metros de comprimento e 52 vãos. (Foto: Geraldo Gê/Prefeitura de Laguna/Divulgação)

Estrutura tem 2.830 metros de comprimento e 52 vãos. (Foto: Geraldo Gê/Prefeitura de Laguna/Divulgação)

O governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, confirmou com o Palácio do Planalto, na manhã desta quarta-feira, que a presidenta Dilma Rousseff inaugurará a Ponte Anita Garibaldi, na BR-101, em Laguna, no dia 15 de julho, quarta-feira. Todos os detalhes do ato serão definidos pelo gabinete da Presidência da República nos próximos dias.

A Ponte Anita Garibaldi é a primeira ponte estaiada (suspensa por cabos) em curva do Brasil. Ela tem 2.830 metros de comprimento e 52 vãos, 136 estacas escavadas e 716 aduelas pré-moldadas. Foram investidos mais de R$ 600 milhões na obra. Nesta semana, a ponte está passando por testes de carga.

A estrutura é uma das principais reivindicações de moradores e motoristas e pode solucionar o problema do trânsito em um piores pontos da BR-101 em SC.

JORNAL O SUL

Mais um binário: trechos da Silveiro e Dona Augusta terão sentido único

Mudança ocorre a partir das 9h deste sábado, 11   Foto: Divulgação/PMPA

Mudança ocorre a partir das 9h deste sábado, 11   Foto: Divulgação/PMPA

A partir das 9h deste sábado, 11, os trechos da rua Silveiro e a rua Dona Augusta, localizadas no bairro Menino Deus, terão sentido único de circulação aos veículos. As alterações de fluxo são necessárias em razão da construção de empreendimento de grande porte na região do antigo estádio dos Eucaliptos, que atrairão centenas de novos moradores e visitantes a partir dos próximos meses.

A rua Silveiro passará a ter sentido único, na direção da avenida José de Alencar até a rua Otávio Dutra. A partir da Otávio Dutra, a Silveiro segue em mão-dupla. Já a rua Dona Augusta, que é paralela à Silveiro, terá sentido inverso, a partir da rua Dona Sofia e em direção à José de Alencar. O estacionamento será proibido junto aos principais cruzamentos, em um dos lados das vias, tanto na Silveiro como na Dona Augusta, para garantir uma faixa a mais de circulação.

A linha de ônibus 177 – Menino Deus e a as lotações 02.1 – Menino Deus e 02.11 – Menino Deus via José do Patrocínio, que circulam hoje na Silveiro, no sentido bairro-Centro, passarão a trafegar na rua Dona Augusta.

O projeto de engenharia viária é da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) e tem o objetivo de disciplinar o tráfego, ampliando a segurança e a fluidez para motoristas e pedestres. A EPTC está instalando novas placas e paradas de ônibus e executando pinturas no asfalto para reforçar as alterações na região.

Como fica o trânsito nas ruas próximas

  • Rua Dona Sofia – A via, que era de mão-dupla, passa a ter um sentido de circulação, na direção Silveiro-Dona Augusta.
  • Rua Otávio Dutra – Os condutores que estão na Silveiro podem seguir acessando à esquerda na Otávio Dutra, em direção à av. Padre Cacique.
  • Ruas Barão do Guaíba, Barão do Cerro Largo e Miguel Couto – Todas seguem em mão-dupla, entre Silveiro e Dona Augusta.

Prefeitura de Porto Alegre

Licitação do Salgado Filho à iniciativa privada deve atrasar, diz Padilha

Ministro explicou que o governo está revendo as metas para novas concessões aeroportuárias

Ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha, participa de audiência pública na Comissão de Viação e Transportes da Câmara | Foto: Gabriela Korossy / Câmara dos Deputados / Divulgação / CP

Ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha, participa de audiência pública na Comissão de Viação e Transportes da Câmara | Foto: Gabriela Korossy / Câmara dos Deputados / Divulgação / CP

Agência Brasil

O ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha, disse nesta terça-feira que o processo licitatório para o leilão que irá conceder o Aeroporto Internacional Salgado Filho à iniciativa privada deve atrasar.

“Em reunião que fizemos recentemente, nossa previsão é que esses leilões sejam feitos no primeiro trimestre de 2016. Essa é a nossa meta, mas eu arriscaria dizer que isso só acontecerá no primeiro semestre do ano que vem, devido a alguma defasagem no processo”, disse Padilha durante audiência pública na Câmara dos Deputados.

Segundo Padilha, as próximas concessões aeroportuárias deverão resultar em pelo menos R$ 8,5 bilhões em investimentos nos aeroportos de Porto Alegre (R$2,5 bilhões), Florianópolis (R$ 1,1 bilhão), Salvador (R$ 3 bilhões) e Fortaleza (R$ 1,8 bilhão).

Correio do Povo

Cinco empresas apresentam propostas para licitação dos ônibus em Porto Alegre (atualizado)

Abertura dos envelopes da licitação de ônibus de Porto Alegre Local: Auditório da EPTC Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

Abertura dos envelopes da licitação de ônibus de Porto Alegre Local: Auditório da EPTC
Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

Licitação de ônibus tem candidatos para todas as seis bacias

Foram conhecidas nesta segunda-feira, 6, as empresas interessadas na prestação do serviço de transporte coletivo de Porto Alegre. Realizada pela primeira vez na história da cidade, a licitação de ônibus de Porto Alegre teve cinco empresas interessadas, que apresentaram propostas para as seis bacias previstas no terceiro edital publicado no Diário Oficial de Porto Alegre (Dopa). O prefeito José Fortunati, juntamente com o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, e da Comissão Especial de Licitação, acompanhou a entrega das propostas e a abertura dos envelopes que ocorreu no auditório da EPTC.

Fortunati falou da importância da licitação para qualificar o serviço de transporte na cidade, utilizado diariamente por cerca de 1 milhão de cidadãos. Conforme ele, o novo edital é um dos mais transparentes do país, consolidado após dois anos de trabalho da equipe técnica da EPTC e de outros órgãos da prefeitura. “Quero destacar a nossa satisfação porque em 243 anos da história de Porto Alegre nunca se conseguiu viabilizar uma licitação do transporte coletivo em ônibus. Pela primeira vez, enfrentando muitos interesses, conseguimos viabilizar. Em todas as seis bacias tivemos empresas interessadas que apresentaram propostas. Consequentemente, isso significa que a licitação está sendo exitosa”, ressaltou Fortunati.

Para o prefeito, o mais importante da licitação é a imposição de uma série de normas que vão obrigar as empresas participantes a se qualificarem permanentemente para os próximos 20 anos. “Nós temos a tranquilidade de que a partir de agora não teremos mais qualquer questionamento jurídico quanto à não realização de licitação, mas com a licitação feita as normas terão de ser cumpridas. O transporte coletivo de Porto Alegre terá uma qualidade melhor a ser ofertada ao usuário, e com a participação do usuário na fiscalização do sistema”, sublinhou.

O diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, destacou o trabalho realizado pela prefeitura, ponderando uma série de evoluções técnicas da elaboração do edital. “Com a experiência da nossa equipe nos primeiros dois editais, que deram vazios, a gente tornou o edital mais completo e também algumas decisões importantes”, disse Cappellari, citando como exemplo a diminuição do tamanho do investimento dos concorrentes.

Para Cappellari, o maior avanço foi na questão do modelo tarifário. A prefeitura fez um grande estudo nacional com a Frente Nacional de Prefeitos e Associação Nacional das Empresas operadoras de transporte coletivo. Conforme o diretor-presidente da EPTC, o modelo tarifário hoje é muito mais transparente para que a população possa acompanhar. “Hoje as informações são atualizadas, vários itens da planilha anterior foram descartados e outros foram colocados dentro da tarifa, exatamente trazendo para os dias atuais o modelo tarifário. Uma outra evolução importante do modelo tarifário foi a questão de separar o que é custo do serviço e o que é lucro do empresário. Na planilha anterior, esse custo e lucro estavam no mesmo item, e isso criava uma discussão pública que havia uma caixa preta, por exemplo, dentro do modelo tarifário. Agora não, está tudo detalhado exatamente para que a população possa acompanhar individualizado o que é o custo e o que é o retorno do capital financeiro dos operadores”, ressaltou.

Cálculo da tarifa única – As empresas apresentaram o valor de tarifa técnica para cada lote, por isso ainda não é possível calcular o valor final da tarifa (chamada tarifa social). Este calculo é feito pela Câmara de Compensação Tarifária, o que permite que todos paguem o mesmo valor da passagem, numa tarifa única. “Cada lote tem um determinado tamanho, tem um determinado custo e, consequentemente, um determinado impacto na tarifa. Então, ninguém consegue pegar, apanhar hoje os valores apresentados, fazendo o cálculo de qual será a tarifa técnica final. Isso será feito posteriormente”, explicou o prefeito. Conforme Fortunati, diálogos permanentes com o TCE buscam, acima de tudo, uma planilha técnica transparente, que se encontra publicada no site da prefeitura.

Próximos passos – A Comissão Especial de Licitação, após o recebimento das propostas, tem prazo de até 60 dias para conferir se os preços indicados estão em consonância com o edital e considerados exequíveis. Após, serão abertos os envelopes referentes às documentações de habilitação jurídica e técnica das empresas interessadas na prestação do serviço. Posteriormente à análise das documentações, serão declarados os vencedores de cada lote. Cada empresa vencedora terá prazo de até 45 dias para assinatura do contrato e, posteriormente, 180 dias para início das operações, previstas para o primeiro semestre de 2016.

Participação dos usuários – O edital é resultado de mais de dois anos de trabalho das equipes da EPTC e de demais órgãos da prefeitura, como a Procuradoria Geral do Município (PGM) e Secretaria Municipal da Fazenda (SMF). O conteúdo, que prevê ampliação e qualificação do serviço prestado ao cidadão, foi enriquecido com contribuições efetivas dos usuários.

Uma série de encontros com a comunidade foi realizada para abrir espaço a sugestões: três audiências públicas, uma na Câmara Municipal e duas no Ginásio Tesourinha, a última em 15 de abril; e 24 reuniões nas 17 regiões da cidade no âmbito do Orçamento Participativo (OP), com a presença de cerca de 1.700 pessoas. Foi criado, ainda, um canal de participação da população via internet (licitacaodeonibus@portoalegre.rs.gov.br), com o registro de 241 e-mails com sugestões individuais e representativas de entidades, todas analisadas por técnicos do município.

Avanços no novo edital – O novo edital, publicado no Diário Oficial de Porto Alegre (Dopa) em 6 de maio, aberto também às empresas internacionais, dividido agora em seis lotes, prestação do serviço por 20 anos, prevê, para um maior conforto da população, a ampliação gradual de ar-condicionado na frota, para não pesar no preço da tarifa.

No prazo máximo de 10 anos, 100 % da frota terá ar-condicionado, sendo 25% já no primeiro ano, em todos os lotes das bacias. A licitação define ainda como itens de qualificação do serviço a previsão de acessibilidade em toda a frota; a ocupação de, no máximo, quatro pessoas por metro quadrado, diferente dos seis usuários atuais por metro quadrado, um aumento projetado de 72 veículos na frota atual de 1.709 ônibus; a criação do Sistema de Qualidade de Serviço, para analisar, através de indicadores de desempenho, o grau de qualidade do atendimento prestado à população, em razão de cumprimento de horários, a partir das reclamações dos usuários, dos índices de avaliação nas vistorias, dos relacionamentos com os passageiros, que podem resultar em penalizações para as empresas exploradoras do serviço, com multas revertidas para a qualificação do sistema; e instalação de GPS em toda a frota, entre outros avanços em relação ao atendimento prestado atualmente na cidade. Será criado, também, um Conselho de Usuários, para acompanhar todo o processo de concessão do sistema.

Empresas que participaram do certame:

1) Empresa Stadtbus Transportes Ltda (propostas para os lotes 1,4 e 5)

2) Consórcio Via Leste, cuja empresa líder é Viação Alto Petrópolis Ltda (proposta para o lote 5)

3) Consórcio Mob Mobilidade em Transportes e Informação Ltda, cuja empresa líder é Sociedade de Ônibus Porto Alegrense Ltda (proposta para o lote 2)

4) Consórcio Sul, cuja empresa líder é Transportes Coletivos Trevo S/A (propostas para os lotes 3 e 4)

5) Consórcio de Mobilidade da Área Integrada Sudeste – Mais, cuja empresa líder é Sudeste Transportes Coletivos LTDA (Proposta para o lote 6)

Propostas para a Bacia Norte/Nordeste

Lote 1
Empresa Stadtbus Transportes Ltda

Lote 2
Consórcio Mob Mobilidade em Trasnportes e Informação Ltda

Proposta para a Bacia Sul

Lote 3
Consórcio Sul

Lote 4
Empresa Stadtbus Transportes Ltda
Consórcio Sul

Proposta para Bacia Leste/ Sudeste

Lote 5
Empresa Stadtbus Transportes Ltda
Consórcio Via Leste

Lote 6
Consórcio de Mobilidade da Área Integrada Sudeste – Mais

Prefeitura de Porto Alegre

(matéria atualizada às 20:42, substituindo a do Correio pela da Prefeitura, bem mais completa)

ATP confirma que todos os empresários vão apresentar propostas para licitação

Foto: Gilberto Simon

Foto: Gilberto Simon

A terceira tentativa da Prefeitura de Porto Alegre de licitar o sistema de ônibus vai, enfim, contar com a participação das empresas que hoje operam a frota. A ATP confirma que todos os empresários vão apresentar propostas nesta segunda-feira (06), na sessão marcada para as 14h, na EPTC.

Conforme o gerente técnico da entidade, Gustavo Simionovschi, a mudança do modelo econômico no terceiro edital, lançado no início de maio, motivou a decisão. Em vez de estabelecer custos fixos aos operadores, o novo texto condiciona os investimentos ao retorno financeiro durante o período de exploração do transporte, de 20 anos.

Embora ainda considerem a proposta da Prefeitura rígida, os operadores garantem ter condições de oferecer as melhorias exigidas, como ar condicionado imediato em 25% dos ônibus. “Apesar de todos esses requisitos do edital – o ar condicionado, 70% com elevador, mais de 240 carros novos -, a questão econômica é diferente, baseada na apropriação dos custos daquele momento. Ou seja, se no futuro mudar a característica do veículo ou da operação, vindo o BRT ou qualquer outro sistema, isso poderá ser apropriado ao longo do tempo” explica.

Ainda, o edital divide o sistema em seis bacias da cidade. Hoje, há quatro áreas, sendo três operadas pela ATP e uma pela Carris. O presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, diz que a notícia atende à expectativa da Prefeitura de atrair mais investidores após as alterações. Além das já conhecidas, ele espera que empresas de menor porte – inclusive do interior do Estado, que já teriam pedido informações sobre o processo – compareçam com propostas.

Affonso Ritter

Entrega de propostas para licitação dos ônibus será segunda-feira

Terceiro edital publicado pelo município prevê qualificação do transporte coletivo  Foto: Joel Vargas/PMPA

Terceiro edital publicado pelo município prevê qualificação do transporte coletivo  Foto: Joel Vargas/PMPA

Conforme prevê o edital publicado em 6 de maio, será realizada nesta segunda-feira, 6, às 14h, a seção para entrega das propostas das empresas interessadas na prestação do serviço de transporte coletivo da Capital. O ato ocorre na sede da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), rua João Neves da Fontoura nº 7, bairro Azenha. Poderão participar empresas nacionais e internacionais, de forma isolada ou em consórcios. O objetivo é qualificar o serviço de transporte  na cidade, utilizado diariamente por cerca de 1 milhão de cidadãos.

Para o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, este terceiro edital consolida o trabalho da prefeitura em busca de um transporte coletivo mais qualificado para a população. “É o esforço conjunto de técnicos da EPTC, da Secretaria Municipal da Fazenda e da Procuradoria-Geral do Município, com a participação dos mais diversos segmentos da sociedade, para que Porto Alegre realmente avance na qualificação no perfil deste serviço essencial para toda a população. Estamos muito confiantes de que surgirão propostas das empresas nesta segunda-feira”, destacou Cappellari.

Participação dos usuários – O edital é resultado de mais de dois anos de trabalho das equipes da EPTC e de demais órgãos da prefeitura, como a Procuradoria-Geral do Município (PGM) e a Secretaria Municipal da Fazenda (SMF). O conteúdo, que prevê ampliação e qualificação do serviço prestado ao cidadão, foi enriquecido com contribuições efetivas dos usuários.

Uma série de encontros com a comunidade foi realizada para abrir espaço a sugestões: três audiências públicas, uma na Câmara Municipal e duas no Ginásio Tesourinha, a última em 15 de abril; e 24 reuniões nas 17 regiões da cidade no âmbito do Orçamento Participativo (OP), com a presença de aproximadamente 1.700 pessoas. Foi criado, ainda, um canal de participação da população via internet (licitacaodeonibus@portoalegre.rs.gov.br), com o registro de 241 e-mails com sugestões individuais e representativas de entidades, todas analisadas por técnicos do município.

Qualificação do serviço – O novo edital, dividido agora em seis lotes, com exploração do serviço por 20 anos, prevê, para um maior conforto da população, a ampliação gradual de ar-condicionado na frota, para não pesar no preço da tarifa. No prazo máximo de 10 anos, 100 % da frota terá ar-condicionado, sendo 25% já no primeiro ano, em  todos os lotes das bacias.

A licitação define ainda como itens de qualificação do serviço a previsão de acessibilidade em toda a frota; a ocupação de, no máximo, quatro pessoas por metro quadrado, diferente dos seis usuários atuais por metro quadrado; um aumento projetado de 72 veículos na frota atual de 1.709 ônibus; e instalação de GPS em toda a frota, entre outros avanços em relação ao atendimento prestado atualmente na cidade. Serão criados, também, um Conselho de Usuários, para acompanhar todo o processo de concessão do sistema, e o Sistema de Qualidade de Serviço, para analisar, através de indicadores de desempenho, o grau de qualidade do atendimento prestado à população. O controle poderá resultar em penalizações para as empresas exploradoras do serviço, com multas revertidas para a qualificação do sistema.

Prefeitura de Porto Alegre

Duplicação da primeira parte da Voluntários deve estar pronta em novembro

Obras do segundo trecho ainda não têm data para começar

Trabalhos na via estão concentrados na colocação do pavimento | Foto: Samuel Maciel

Trabalhos na via estão concentrados na colocação do pavimento | Foto: Samuel Maciel

 

As obras de duplicação de 800 metros da rua Voluntários da Pátria, entre as ruas da Conceição e Ramiro Barcelos, deverão estar concluídas em novembro deste ano. A previsão foi anunciada nesta quinta-feira pelo secretário municipal de Obras e Viação (Smov), Mauro Zacher, durante a inspeção realizada.

Segundo Zacher, a rua Álvaro Guaspari será liberada em 60 dias ao tráfego de veículos da Estação Rodoviária em direção a Farrapos. Os trabalhos na via estão concentrados na colocação do pavimento. O secretário informou que as obras na via fazem parte do primeiro trecho de duplicação da Voluntários da Pátria. Já a duplicação do segundo trecho (cerca de 2,7 quilômetros ainda não tem data para iniciar. A prefeitura terá que negociar as desapropriações no restante da extensão, que vai da rua Ramiro Barcelos até a avenida Sertório.

Conforme o secretário, a duplicação da Voluntários da Pátria tem o acompanhamento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) já que na região existem pelo menos três edifícios considerados de valor histórico. O Iphan monitora as obras para garantir que as construções não sejam comprometidas.

Segundo a Prefeitura de Porto Alegre, o investimento para duplicação dos 3,5 quilômetros da Voluntários da Pátria, entre a rua da Conceição até a avenida Sertório, é de R$ aproximadamente R$ 50 milhões.

Cláudio Isaías – Correio do Povo

Trensurb admite que trens novos falham mais, mas explica: ‘fase de adaptação’

Novos trens entraram em circulação no início do ano | Foto: Luiz Soares/Trensurb

Novos trens entraram em circulação no início do ano | Foto: Luiz Soares/Trensurb

Desde o início deste ano, quando a Trensurb colocou em circulação novos trens, passageiros reclamam que o sistema de transporte ferroviário metropolitano tem apresentado mais problemas do que anteriormente e questionam se foi uma decisão acertada incorporar as novas composições ao sistema. A Trensurb confirma o aumento no número de falhas técnicas, porém, diz que já eram esperadas e fazem parte de um período de adaptação do novo sistema, com a perspectiva de estabilização para o ano que vem.

O aumento no número de problemas é recorrente entre quem utiliza o meio de transporte diariamente. A usuária Mariana Leite, que pega o Trensurb todos os dias para ir e voltar do trabalho, afirma que a situação está “horrível”. “Eu odeio o trem novo. Dependendo da estação, para várias vezes”, diz, enquanto aguarda por um trem na estação Aeroporto.

Pedro Nunes utiliza o serviço de trens todos os dias para ir de Canoas, onde mora, para Porto Alegre, onde estuda e trabalha, e também percebeu o aumento nos problemas desde a implantação dos novos veículos. “Toda semana passou por uma situação dessas”, afirma.

Por outro lado, João Batista Varriento, também um usuário diário do trem, diz que não notou nenhuma diferença do número de atrasos para anos anteriores. “Atraso sempre tem, mas nada fora do normal”, disse.

Contudo, a própria Trensurb reconhece que estão ocorrendo mais atrasos neste ano do que no ano passado por causa dos trens novos. “Essa sensação de aumento de atrasos é verdadeira e estão diretamente relacionados aos trens novos”, afirma Carlos Belolli, diretor de Operações do Trensurb.

De acordo com a assessoria de comunicação da companhia, o número de reclamações de usuários em relação aos trens novos também aumentou bastante. Um passageiro, inclusive, chegou a enviar uma carta pedindo que as novas composições não circulassem até Novo Hamburgo.

Porém, este aumento de atrasos já era esperado para os técnicos da Trensurb. Há até mesmo um termo técnico para isso: curva de bacia. “Quando tu colocas um novo sistema para operar, ele necessariamente passa por essa curva da bacia. Ele tem uma maior incidência de falhas no início de sua vida útil, depois ele estabiliza e, no final da sua vida útil, volta a ter uma quantidade alta de falhas”, diz Belolli.

O diretor salienta ainda que as falhas ocorrem no início devido a defeitos de instalação de componentes, falhas de projeto, falhas de fabricação e componentes inadequados.

Leia a matéria completa, no SUL21, clicando aqui.

__________________

Leia em Zero Hora:

Trensurb opera parcialmente após acidente com morte na estação Anchieta

Um acidente que resultou na morte de uma mulher de 25 anos interrompeu parcialmente as operações do trensurb nesta manhã.

Obras da trincheira da Cristóvão Colombo avançam para nova etapa (veja fotos inéditas)

Fortunati e os secretários Schmitt e Zacher acompanharam os trabalhos   Foto: Luciano Lanes / PMPA

Fortunati e os secretários Schmitt e Zacher acompanharam os trabalhos   Foto: Luciano Lanes / PMPA

As obras da trincheira da avenida Cristóvão Colombo, na Terceira Perimetral, estão passando por uma nova etapa. No início da tarde desta quinta-feira, 25, o prefeito José Fortunati, o secretário de Gestão, Urbano Schmitt, e o secretário de Obras e Viação, Mauro Zacher, acompanharam o andamento dos trabalhos.

Estão em andamento as escavações para a passagem subterrânea sob a pista da avenida Dom Pedro II e a instalação das estacas do canteiro, localizado no corredor de ônibus da perimetral. Também estão em fase de execução a rede pluvial e o passeio público entre a rua Felicíssimo de Azevedo e a Dom Pedro II.

No local, Fortunati falou sobre os avanços da obra e o cumprimento dos prazos pelo consórcio responsável pelo projeto. Conforme o prefeito, aspectos externos interferem no pleno andamento das obras, como a desapropriação de uma área de um condomínio e a derrubada de um muro protegido pelo patrimônio histórico da cidade, que precisa ser licitado.

“Temos dois problemas para resolver, um deles é com o condomínio que fica nas proximidades e nós já temos um acordo judicial sobre o valor da indenização da desapropriação. E o outro é a remontagem de um muro que foi tombado pela Equipe do Patrimônio Histórico e Cultural da Escola do Verde. São duas questões que fugiram completamente do planejamento da obra”, destacou.

A previsão de conclusão da obra completa é para o primeiro semestre de 2016. Entretanto, para outubro deste ano está prevista a liberação do trânsito e dos corredores de ônibus na Dom Pedro II.

Trechos já concluídos – No trecho à direita de quem se desloca da zona Sul em direção ao aeroporto, pela Terceira Perimetral, já foram executadas as redes de drenagem pluvial, de água e de esgoto cloacal. No local, também foram colocados os postes da nova iluminação pública.

Trincheira – A trincheira terá extensão de 198 metros, contando com duas faixas de trânsito em cada sentido e pistas que permitem acesso à Terceira Perimetral. A passagem subterrânea integra o conjunto de cinco grandes obras executadas com o objetivo de qualificar o fluxo do trânsito no local. O valor total da obra é de R$ 12,5 milhões.

Veja mais fotos :

Todas as fotos de Luciano Lanes / PMPA

Prefeitura der Porto Alegre

EPTC analisa autuar pelas imagens das câmeras de monitoramento

Resolução permite que procedimento seja estendido para todas as vias  Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

Resolução permite que procedimento seja estendido para todas as vias  Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) projeta, para a próxima semana, o início das ações que possibilitarão a autuação dos infratores de trânsito através das imagens das câmeras de monitoramento da circulação na cidade. Essas autuações se tornaram possíveis pela recente publicação da Resolução 532/2015, que altera a Resolução 471/2013, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Anteriormente, conforme a Resolução 471/2013, a fiscalização somente poderia ser realizada nas estradas e rodovias. Agora, com a nova resolução, este procedimento foi estendido para todas as vias, contanto que haja a disposição de sinalização indicativa de fiscalização.

O diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, explica a medida. “Muitos motoristas somente respeitam as leis de trânsito na presença dos agentes de fiscalização. Fora isto, cometem uma série de infrações, com graves riscos à segurança dos demais condutores e dos pedestres. Esta decisão do Contran, de também liberar autuações pelas câmeras de monitoramento, busca reduzir a acidentalidade, aliada às permanentes ações de educação para o trânsito na cidade”.

Prefeitura de Porto Alegre

Moradores contra o local do aeroporto 20 de Setembro

aeroporto-20-de-setembroOs moradores de Portão atingidos pela proposta de construção do Aeroporto 20 de Setembro e a Comissão Pró-Aeroporto Salgado Filho reuniram-se, na tarde desta quinta-feira (11), com os Procuradores da República, Enrico Freitas e Nilo Marcelo de Almeida Camargo, para denunciar irregularidades e impactos que o projeto vai acarretar para a comunidade e o meio ambiente.

De acordo com os moradores, há uma série de irregularidades na condução dos procedimentos de escolha e delimitação da área que, supostamente, abrigará um novo aeroporto de cargas gaúcho. Eles reuniram documentos e avaliações técnicas que comprovam que a área de 2.100 hectares, além de abrigar 97 famílias de pequenos e médios produtores rurais (cerca de 500 pessoas), é composta por uma riqueza hídrica significativa.

O laudo ambiental desenvolvido pela empresa Roos identificou, no local, em torno de 400 nascentes afloradas pelo Aquífero Guarani, que alimentam as bacias dos rios Caí e dos Sinos, além de grande diversidade de flora e fauna.

Affonso Ritter

Câmara discute perda de arrecadação por atraso na ampliação do Salgado Filho

Foto: José Arthur Eidt

Foto: José Arthur Eidt

A Comissão de Economia, Finanças, Orçamento e do Mercosul (Cefor) da Câmara Municipal de Porto Alegre realizou na manhã desta terça-feira (9/6) reunião ordinária afim de discutir a perda da arrecadação em importações pela ausência de pista adequada do Aeroporto Internacional Salgado Filho. O encontro, presidido pelo vereador João Carlos Nedel (PP), contou com apresentação feita pelo desembargador Francisco Moesch.

Em sua explanação Moesch destacou que o tema é bastante intrincado. “Atualmente grande parte das importações feitas por via aérea utilizam os aeroportos de Guarulhos e Viracopos, no estado de São Paulo. Ou seja, mesmo que o produto tenha como destino final o estado do Rio Grande do Sul, a arrecadação dos impostos é concedida para o local onde é feito o desembaraço aduaneiro de entrada”, explicou.

Ao comentar acerca de alguns dos principais impostos que incidem sobre os produtos industrializados, como o IPI e o ICMS, por exemplo, o desembargador disse que para o importador o que importa é a velocidade. “O importador quer que seu produto seja o mais rapidamente possível desembaraçado e colocado logo à disposição do público final. Cabe a cada estado trabalhar no sentido de garantir a arrecadação dos tributos para si”, afirmou.

Segundo Moesch, a ampliação do aeroporto é uma questão urgente. “Tenho quase 20 anos de experiência como magistrado, já apreciei mais de 40 mil processos tributários, por isso posso dizer que se tratam de números expressivos que o estado está deixando de arrecadar”, disse ao enfatizar que o olhar voltado a situações como esta deve ser mais rico. “Temos que ser alunos no aprendizado e observar experiências próximas e também de outros estados”, enfatizou, ao utilizar o aeroporto de Brasília como exemplo esplendoroso nessa aérea .

João Carlos Nedel cumprimentou o desembargador pela explanação e o vereador Guilherme Socias Villela (PP) perguntou a opinião do magistrado sobre uma possível concessão do Aeroporto Internacional Salgado Filho. Para Moesch existem alguns rigorismos extremos que inviabilizam as concessões. “É necessário garantir também que o concedente tenha condições de exercer sua atividade. O fato é que sou favorável às concessões, pois temos que pensar a longo prazo e na viabilidade do negócio, pontos que se ajustam com o tempo”, opinou.

O vereador Cassio Trogildo (PTB), que também é presidente da Frente Parlamentar da Expansão da Pista do Aeroporto Salgado Filho, comentou sobre os valores estimados que o estado está deixando de arrecadar por não ter os 920 metros da pista do aeroporto necessários para receber os aviões cargueiros. Já o vereador Airto Ferronato (PSB) disse que quando os governos falam em finanças públicas, pensam pequeno demais.

Idenir Cechin (PMDB) destacou que em todos os polos é necessário ter criatividade. “Temos que ter uma preocupação em gerar novas ideias e buscar alternativas para o aumento da arrecadação. Defendo a ampliação da pista do aeroporto Salgado Filho e fico inconformado com a possibilidade de criação de um novo aeroporto antes da ampliação do aeroporto já existente”, afirmou. O vereador Bernardino Vendrusculo (PROS) disse não entender o porquê do aeroporto não ter objetivos compartilhados com a aeronáutica, por exemplo, que em Canoas tem uma pista compatível para receber esse tipo de carga.

Texto: Lisie Venegas (reg. prof. 13.688)
Edição: Marco Aurélio Marocco (reg. prof. 6062)

Câmara Municipal de Porto Alegre

Aeroporto 20 de Setembro não estará no pacote de concessões, afirma Padilha

Foto: José Arthur Eidt

Foto: José Arthur Eidt

Conforme notícia do jornal NH de hoje, o Aeroporto 20 de Setembro não aparece no pacote de concessões de infraestrutura que será anunciado pela presidente Dilma Rousseff nesta terça-feira (9 de junho).

Somente o Salgado Filho, esclarece o ministro.

A princípio, o vencedor da concessão fará, até 2018, a extensão em mais 920 metros da pista do Salgado Filho e as obras dos novos terminal de cargas, estacionamento e pátio das aeronaves.

Leia a matéria no Jornal NH clicando aqui.

Reunião de Dilma e ministros define concessões

Aeroporto Salgado Filho deverá ter administração privada

Dilma disse esperar que a segunda etapa do programa de concessões repita os resultados da primeira | Foto: Roberto Stuckert Filho / Divulgação PR / CP

Dilma disse esperar que a segunda etapa do programa de concessões repita os resultados da primeira | Foto: Roberto Stuckert Filho / Divulgação PR / CP

A presidente Dilma Rousseff se reuniu neste domingo com sete ministros — da equipe econômica, da área de infraestrutura e da coordenação política — no Palácio da Alvorada, para definir os últimos detalhes do plano de concessões de aeroportos, portos e rodovias. O lançamento do pacote de concessões à iniciativa privada será na terça-feira, em cerimônia no Palácio do Planalto. Nas últimas reuniões, foram discutidos pontos como valores esperados das concessões e modelos de financiamento para as concessões em infraestrutura e logística.

Após a assinatura do contrato de concessão da ponte Rio-Niterói, em 18 de maio, Dilma disse esperar que a segunda etapa do programa de concessões repita os resultados da primeira. “Acreditamos que o programa de concessões terá o mesmo sucesso que o primeiro teve. Este vai ser um programa de concessões um pouco mais amplo, porque vai abranger não apenas rodovias, mas também ferrovias, aeroportos, portos e outras concessões”, disse Dilma, na ocasião.

A previsão do Planalto é que o novo programa deve movimentar entre R$ 110 bilhões e R$ 130 bilhões nos próximos anos. Serão repassadas à iniciativa privada obras de rodovias, ferrovias, portos e aeroportos. O governo trata o pacote como fundamental para fortalecer uma “agenda positiva” que ajude a reverter o cenário de dificuldades causado por crises na economia e na política.

Participaram da reunião deste domingo os ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil), Joaquim Levy (Fazenda), Edinho Silva (Comunicação Social), Eliseu Padilha (Aviação Civil), Nelson Barbosa (Planejamento), Antônio Carlos Rodrigues (Transportes) e Edinho Araújo (Portos).

Aeroporto Salgado Filho no pacote de concessões

Após meses de negociações internas, o governo já teria decidido que a Infraero deverá ter participação máxima de 15% na administração dos aeroportos a serem concedidos à iniciativa privada. Inicialmente, o Planalto trabalhou para conceder os aeroportos de Porto Alegre, Salvador (BA) e Florianópolis (SC). Porém, nas negociações decidiu-se incluir o terminal de Fortaleza (CE).

No caso das ferrovias, houve divergências no Planalto sobre se entrariam ou não no pacote de concessões. Os trens de Porto Alegre e Belo Horizonte devem ser os principais desse adendo ao programa de logística.

Correio do Povo

Negada liminar para acelerar início das obras de ampliação da pista do aeroporto

Associação entrou com ação alegando que, em maio, aeronave teve de realizar pouso de emergência

Negada liminar para acelerar início das obras de ampliação do aeroporto | Foto: Samuel Maciel / CP

Negada liminar para acelerar início das obras de ampliação do aeroporto | Foto: Samuel Maciel / CP

A 2ª Vara Federal de Porto Alegre negou um pedido de liminar para que a publicação do edital de concorrência para a ampliação da pista do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, ocorra em no máximo 30 dias. A juíza Paula Beck Bohn decidiu aguardar as fases de contestação e produção de provas para retomar a apreciação do caso. Cabe recurso da decisão dela ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

O processo foi movido pela Associação Oasis do Sul, tendo como alvos a União e a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). A entidade sustenta que ambos se comprometeram a realizar a obra para a Copa do Mundo, mas que, até agora nada foi feito, o que gera prejuízos à cidade. Na ação, a associação adverte, ainda, que uma aeronave teve de realizar pouso de emergência em outro local, em maio, em função da dimensão na pista. Além disso, esclarece que esse não foi o primeiro caso.

Ao examinar a questão, a magistrada ressaltou que a concessão de liminar exige prova concreta das alegações e receio de dano irreparável – ou de difícil reparação -, em caso de negativa. A juíza também pontuou que o pedido se fundamentou em um incidente específico, e frisou que as notícias veiculadas pela mídia, à época, dão conta de que a causa do pouso emergencial foi uma falha técnica da aeronave.

Correio do Povo / Rádio Guaíba

Aeromóvel: assinada Ordem de Início para linha Guajuviras, em Canoas

Prefeito Jairo Jorge mostra a Ordem de Serviço assinada com o diretor da Aeromovel Brasil, Marcus Coester.

Prefeito Jairo Jorge mostra a Ordem de Serviço assinada com o diretor da Aeromovel Brasil, Marcus Coester.

Foi assinada, na manhã desta terça-feira (2), a Ordem de Início para a implantação do aeromóvel em Canoas, que compreende os projetos executivos e a fiscalização das obras civis da primeira linha no Município, entre a estação Mathias Velho da Trensurb e o Bairro Guajuviras. A assinatura foi feita pelo prefeito Jairo Jorge e pelo secretário municipal da Fazenda, Marcos Bosio, com o diretor da Aeromovel Brasil S/A, Marcus Coester. O trabalho vai permitir que a Prefeitura, até o final do ano, abra licitação para as obras da Linha 1 – Guajuviras.

“Este ato é mais um passo para tornar o sonho uma realidade. Ter em Canoas a experiência do aeromóvel, como uma solução robusta, sustentável e de qualidade para o transporte de massa, colocará a cidade em uma vitrine para o mundo. Com a proximidade ao aeroporto, será possível que qualquer pessoa conheça a experiência. Um investimento que estamos fazendo na cidade para as pessoas. Existem os críticos e sabemos o por que. Existem interesses em jogo, uma tecnologia, genuinamente gaúcha, é uma ameaça ao mercado, mas o caminho é superar e vencer”, declarou o prefeito Jairo Jorge.

O diretor da Aeromovel Brasil S/A comentou sobre o que deve representar para Canoas esse meio de transporte idealizado por seu pai, Oskar Coester, ainda nos anos 60: “É a realização de um sonho. São mais de 30 anos dedicados a esse projeto. Demos um passo extremamente importante com o empreendimento da Trensurb no aeroporto Salgado Filho. Foi a primeira linha comercial do aeromóvel, e hoje completa dois anos de operação com mais de 1,5 milhão de passageiros transportados. Agora, Canoas significa um passo adiante, uma aplicação de trânsito efetiva, de integração no Município. Dentro da visão do prefeito Jairo Jorge, traz essa estratégia de mobilidade da cidade, onde o aeromóvel e o Trensurb são peças fundamentais para redesenhar a mobilidade da cidade em função do conforto e da qualidade de vida do cidadão”, disse. Ele acrescentou que a primeira tarefa será concluída em cerca de três meses. “A gente estima que em torno de 90 dias deve estar pronto o projeto executivo, que será parte integrante do edital para a contratação das obras civis”, completou Coester. (Ouça aqui)

Sede da empresa vai se mudar para Canoas

Uma grande novidade anunciada nesta terça-feira (22) por Coester é que a sede da Aeromovel Brasil S/A vai se mudar de São Leopoldo para Canoas. “A gente vai se mudar para onde o sistema vai funcionar, para poder acompanhar tudo bem de perto”, comentou Marcus Coester.

O contrato assinado com a Aeromovel Brasil tem valor de R$ 149,26 milhões. O trabalho de 24 meses compreende projetos executivos da tecnologia; projetos executivos das obras civis; fornecimento de equipamentos e subsistemas; instalação dos equipamentos e subsistemas; colocação do sistema Aeromovel em operação; e gerenciamento do projeto e fiscalização da execução das obras civis.

Linha 1

Com a conclusão do projeto executivo das obras civis, será possível lançar o edital de licitação das obras da linha 1 (Guajuviras) do aeromóvel. Esse trecho ligará a Estação Mathias Velho da Trensurb à Avenida 17 de Abril, no Bairro Guajuviras. Essa primeira etapa terá 5,9 quilômetros e nove estações.

Os recursos estão garantidos pelo Ministério das Cidades. Serão R$ 272 milhões para as obras e os projetos desse primeiro trecho. A contrapartida do Município é de R$ 15 milhões, totalizando R$ 287 milhões.

História e tecnologia

O veículo de transporte coletivo foi idealizado nos anos 60 pelo engenheiro Oskar Coester, mas só ganhou forma no começo dos anos 80, com financiamento privado. O protótipo ficou estacionado por quase 30 anos. Em 2013, foi inaugurado o aeromóvel junto ao Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre.

O aeromóvel é um meio de transporte de tecnologia nacional, 100% automatizado (sem condutores a bordo). O movimento é produzido a partir do impulso gerado pela compressão do ar. Do solo, ventiladores industriais de alta eficiência energética e baixa potência enviam o ar para dentro da via elevada.

Tem baixo custo de implantação e de operação e gera impacto urbano bem menor do que os sistemas convencionais.

Tony Capellão – Prefeitura de Canoas

Viaduto da Bento será liberado para ônibus na próxima segunda

Trecho no segundo andar possui 540 metros e duas pistas nos dois sentidos | Foto: Ricardo Giusti / PMPA / CP

Trecho no segundo andar possui 540 metros e duas pistas nos dois sentidos | Foto: Ricardo Giusti / PMPA

A partir das 9h desta segunda-feira, 1°, será entregue a segunda etapa das obras do viaduto da avenida Bento Gonçalves. Será liberado o trânsito no corredor de ônibus para as cinco linhas de transporte coletivo que fazem o trajeto entre as zonas Norte e Sul (T2, T4, T11, T11A e a linha 280.2 Otto / HPS / 3ª Perimetral). A pista fica um nível abaixo do pavimento no qual circulam os demais veículos.

Também ficarão liberadas à circulação de veículos, a partir das 6h da manhã, a alça lateral da 3ª Perimetral junto ao viaduto, sentido Sul/Leste (acesso à avenida Bento Gonçalves em direção à cidade de Viamão), e a pista para quem trafega pela avenida Bento Gonçalves, bairro/Centro (acesso ao lado do quartel, em direção à avenida Ipiranga).

Viaduto São Jorge – A primeira parte do viaduto São Jorge foi entregue no dia 26 de março, no aniversário de Porto Alegre. Com 540 metros de extensão e seis faixas de tráfego, garante maior fluidez aos cerca de 90 mil veículos que fazem o trajeto entre as zonas Norte e Sul, além das cinco linhas de transporte coletivo.

De acordo com cálculos da EPTC, quem se desloca da zona Sul para a zona Norte, e vice-versa, teve um ganho de 15 minutos após a liberação em março. A obra interliga as avenidas Salvador França e Aparício Borges sobre a avenida Bento Gonçalves, sem interrupções. Possui três níveis: o do asfalto, o superior para veículos e o intermediário, na parte central, para a passagem de cinco linhas que cruzam a Bento.

A obra é executada pelo Consórcio Nova Bento (Construtora Cidade Ltda e Sultepa Comércio e Construções Ltda), vencedor da licitação, com custo de R$ 79,4 milhões.

Outros ajustes no trânsito da região:

Laços de quadra (retornos) – Também serão alterados os laços de quadra para quem trafega pela 3ª Perimetral Sul/Norte, com destino ao Centro, e quem trafega pela avenida Bento Gonçalves, Centro/bairro, com destino ao Norte da cidade.

Laço Sul/Centro – 3ª Perimetral (S/N), rua José Rodrigues Sobral, travessa Guedes da Luz, av. Bento Gonçalves (B/C);

Laço Centro/Norte – av. Bento Gonçalves (C/B), travessa Guedes da Luz, av. Veiga, 3ª Perimetral (S/N);

Av. Veiga – Terá o sentido de circulação invertido, no trecho entre a travessa Guedes da Luz e a 3ª Perimetral, passando a ter sentido em direção à 3ª Perimetral;

Rua José Rodrigues Sobral – Terá o sentido de circulação invertido, no trecho entre a travessa Guedes da Luz e a 3ª Perimetral, passando a ter sentido em direção à travessa Guedes da Luz;

Travessa Guedes da Luz – Passará a ter sentido duplo de circulação em toda a sua extensão.

Prefeitura de Porto Alegre

Sartori pede agilidade em estudo sobre expansão do Catamarã

Transporte fluvial chegou a 3 milhões de usuários

Sartori pede agilidade em estudo sobre expansão do Catamarã | Foto: Luiz Chaves / Palácio Piratini / CP

Sartori pede agilidade em estudo sobre expansão do Catamarã | Foto: Luiz Chaves / Palácio Piratini / CP

O governador do Estado José Ivo Sartori pediu nesta quinta-feira agilidade na análise da Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan) de expansão do serviço do Catamarã. O estudo, que avalia interesse de passageiros e trajetos possíveis, visa atender Charqueadas, São Jerônimo e Triunfo na região do Delta do Jacuí.

No entanto, uma pesquisa que começou em abril do ano passado, ainda depende do modelo de concessão do governo do Estado e da abertura de licitação para ver interessados. As declarações foram feitas durante a celebração dos três milhões de passageiros que utilizam o transporte fluvial, em Guaíba.

Às 18h, na viagem sentido Porto Alegre-Guaíba, a CatSul fará o sorteio de uma passe livre de um mês a um dos passageiros. O Catamarã dispõe de três embarcações, sendo duas com 122 passageiros e um com 140, que já fizeram 45 mil viagens. São uma média de 3,3 mil passageiros ao dia.

Correio do Povo – Mauren Xavier

Infraero não tem mais dinheiro para obras de ampliação do Salgado Filho

Foto: José Arthur Eidt

Foto: José Arthur Eidt

O ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Eliseu Padilha, admitiu nesta quarta-feira, 6, que o Fundo Nacional de Aviação Civil (Fnac), criado para financiar, entre outros projetos, a expansão da aviação regional no País, poderá ser usado pelo governo para atingir as metas do ajuste fiscal.

Isto significa que a Infraero não terá dinheiro para nada.

O que inclui as obras de expansão do Aeroporto Salgado Filho, Porto Alegre.

A verdade é que o fundo não poderá ser contigenciado, porque já sumiu no caixa único da União.

É por isto que a Infraero e o ministro empurram tudo com a barriga e criam dificuldades onde elas não existem, como a participação da prefeitura e do governo estadual no negócio, no qual são coadjuvantes voluntários.

Padilha comentou que o fundo, de acordo com as regras, não pode ser usado para bancar outros empreendimentos que não sejam aqueles vinculados à aviação. Por outro lado, seus recursos são integralmente depositados no caixa único da União. Uma vez que esteja no Tesouro, portanto, basta ao governo reter a sua liberação.

“Compreendo a dura missão dos ministros Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento). Penso que ambos têm uma missão dificílima, mas a minha também é difícil”, declarou Padilha, durante audiência pública no Senado.

Padilha foi questionado se poderia garantir que o Fnac não sofrerá retenções de valores pelo governo. Previsto para arrecadar R$ 4,2 bilhões só neste ano, a partir de cobranças de taxas aeroportuárias e das concessões de aeroportos, o Fnac é o meio de o governo viabilizar o prometido programa de aviação regional, que prevê a construção ou reforma de 270 aeroportos no Brasil.

“Tenho tido compreensão do governo, da área fazendária e do planejamento”, comentou Padilha. “A Fazenda não vai mexer no Fnac, porém a arrecadação toda vai para o caixa único da União. Não pode mandar para lugar nenhum, mas é base para o resultado primário. Portanto, será sempre uma disputa legítima da Fazenda, querendo manter seus números, e da SAC, querendo manter seus projetos”, disse.

Eliseu Padilha disse que a presidente Dilma Rousseff tem dado apoio ao plano, prometido desde 2012, e que deseja ver os 270 projetos com obras concluídas e em andamento até 2018. “Não pode ter incompatibilidade entre o que quer a presidenta e o que queremos. Não vamos começar com a velocidade que queríamos, mas vamos iniciá-lo.”

Políbio Braga

_______________________________

2 comentários que vale a pena reproduzir, do site do Políbio:

_______________________________

O mínimo que se espera é que a contrapartida exigida pelo concessionário que ganhar a licitação do Salgado Filho seja a ampliação da pista dele!

E para que isso ocorra não pode ser exigida como contrapartida também a construção do novo aeroporto de Portão. Sabem porquê? Porque senão ninguém vai querer tantas contrapartidas bilionárias para um aeroporto que nem é tão movimentado lucrativamente como Guarulhos.

O esgotamento do Salgado Filho é uma falácia e o consórcio asministrador de Guarulhos já disse que há muita coisa possível de se fazer no Salgado Filho.

A ampliação da pista é algo obrigatório ma licitação do Salgado Filho! Exigimos isso! Não aceitaremos o contrário! Lutaremos até o fim para tanto!

_______________________________

Padilha precisa entender algo, talvez alguém precise “desenhar” pra ele e Dilma entenderem logo “dilmavez”:

A gigantesca imensa maioria dos gaúchos quer e exige a ampliação do Salgado Filho e rejeita a ideia de um novo aeroporto em Portão em detrimento dele. Remar contra isso só os queimará cada vez mais e causará o aumento da rejeição deles pelos gaúchos.

A ampliação da pista é algo fora de negociação, pois exigimos ela! E lutaremos nas redes sociais e fora dela junto com o movimento em defesa do Salgado Filho para tanto.

Se não há dinheiro, que se exija na licitação do aeroporto que a iniciativa privada o faça por conta dela, como contrapartida da concessão.

Prepare-se, pois se necessário certamente virá panelaços e outdoors pela cidade.

EPTC manifesta otimismo com o novo edital do transporte coletivo

Proposta de qualificação do serviço é aberta a empresas estrangeira   Foto: Joel Vargas/PMPAs

Proposta de qualificação do serviço é aberta a empresas estrangeira   Foto: Joel Vargas/PMPAs

Após a publicação, nesta quarta-feira, 6, do terceiro edital de licitação para o transporte coletivo de Porto Alegre, a direção da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) está otimista sobre a entrega de propostas no dia 6 de julho. Com a oficialização do interesse na exploração do serviço, aberto também às empresas de fora do país, e seguidos todos os trâmites legais, o início das operações está previsto para o primeiro semestre do próximo ano. O objetivo é qualificar o atendimento oferecido na frota de ônibus da cidade, utilizada diariamente por cerca de 1 milhão de cidadãos.

 Para o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, o novo edital é um dos mais transparentes do país, consolidado após um exaustivo trabalho da equipe técnica da EPTC e de outros órgãos da prefeitura, com ajustes realizados após as experiências anteriores, que resultaram desertas. “Nossa equipe técnica é muito competente. Além dos avanços tecnológicos, o novo edital detalha o que é custo de serviço e o que representa o lucro dos empresários, entre outras questões”, afirma Cappellari.

O aviso da concorrência pública está publicado no Diário Oficial de Porto Alegre (Dopa). Para consultar, clique aqui. A abertura da licitação, com a entrega dos envelopes, está marcada para 6 de julho, às 14h30, no auditório da EPTC (rua João Neves da Fontoura, nº7, bairro Azenha). A íntegra do edital está disponível no site da Secretaria Municipal da Fazenda.

Participação dos usuários – O edital é resultado de mais de dois anos de trabalho das equipes da EPTC e de demais órgãos da prefeitura. O conteúdo, que prevê ampliação e qualificação do serviço prestado ao cidadão, foi enriquecido com contribuições efetivas dos usuários. Uma série de encontros com a comunidade foi realizada para abrir espaço a sugestões: três audiências públicas, uma na Câmara Municipal e duas no Ginásio Tesourinha, a última em 15 de abril; e 24 reuniões nas 17 regiões da cidade no âmbito do Orçamento Participativo (OP), com a presença de cerca de 1.700 pessoas. Foi criado, ainda, um canal de participação da população via internet (licitacaodeonibus@portoalegre.rs.gov.br), com o registro de 241 e-mails com sugestões individuais e representativas de entidades, todas analisadas por técnicos do município.

O novo edital, dividido agora em seis lotes, prevê, para um maior conforto da população, a ampliação gradual de ar-condicionado na frota, para não pesar no preço da tarifa. A exigência do recurso passará do percentual atual de 23% para 100% no prazo máximo de 10 anos, sendo 25% já no primeiro ano, em  todos os lotes das bacias.

A licitação define ainda como itens de qualificação do serviço a previsão de acessibilidade em toda a frota; a ocupação de, no máximo, quatro pessoas por m², diferente dos seis usuários atuais por m², um aumento projetado de 72 veículos na frota atual de 1.709 ônibus; a criação do Sistema de Qualidade de Serviço, para analisar, através de indicadores de desempenho, o grau de qualidade do atendimento prestado à população, em razão de cumprimento de horários, a partir das reclamações dos usuários, dos índices de avaliação nas vistorias, dos relacionamentos com os passageiros, que podem resultar em penalizações para as empresas exploradoras do serviço, com multas revertidas para a qualificação do sistema; e instalação de GPS em toda a frota, entre outros avanços em relação ao atendimento prestado atualmente na cidade. Será criado, também, um Conselho de Usuários, para acompanhar todo o processo de concessão do sistema.