Liberado hoje o trânsito de automóveis pelo viaduto São Jorge

Com seis faixas, estrutura dará maior fluidez entre as zonas Norte e Sul  Foto: Ricardo Giusti/PMPA

Com seis faixas, estrutura dará maior fluidez entre as zonas Norte e Sul  Foto: Ricardo Giusti/PMPA

O viaduto São Jorge, no cruzamento da Terceira Perimetral com a avenida Bento Gonçalves, teve o trânsito liberado para automóveis às 7h desta quinta-feira, 26, dia em que Porto Alegre comemora 243 anos. Com 540 metros e seis faixas de tráfego, o viaduto dará maior fluidez aos cerca de 90 mil veículos que fazem o trajeto entre as zonas Norte e Sul, além das cinco linhas de transporte coletivo. Esta foi a primeira etapa da obra. Dentro de cerca de um mês, a prefeitura deve liberar a passagem das linhas de ônibus no local.

 “É um belo presente para Porto Alegre, uma vez que este é o principal gargalo do trânsito da cidade depois do X da rodoviária. A mobilidade urbana, sem dúvida, é um importante diferencial na qualidade de vida das pessoas”, disse o prefeito José Fortunati, referindo-se à diminuição de tempo de deslocamento. De acordo com cálculos da EPTC, quem se desloca da zona Sul para a zona Norte e vice-versa terá um ganho de 15 minutos com a liberação a partir de hoje. Além disso, destacou o prefeito, aumentou de forma significativa a segurança dos usuários do transporte coletivo. “Aqui era uma região com muitos atropelamentos, principalmente do passageiro que necessita fazer a integração de linhas para o Centro. Esta é uma demonstração de que estamos trabalhando pela qualidade de vida do condutor e do passageiro de transporte coletivo ao mesmo tempo”, acrescentou.

A obra interliga as avenidas Salvador França e Aparício Borges sobre a avenida Bento Gonçalves sem interrupções. Possui três níveis: o do asfalto, o superior para veículos e o intermediário na parte central para as cinco linhas de Transversais que cruzam a Bento. De acordo com o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, a obra é inédita na América Latina e tem despertado o interesse de arquitetos de outros estados. “Acredito que, de todas as obras da Copa, esta seja a mais importante, tanto pela segurança do passageiro quanto pela fluidez do trânsito”, disse, ressaltando que a tendência é de aumento no número de usuários do transporte coletivo, em função da tranquilidade na troca do coletivo. “Na Terceira Perimetral, atualmente circulam 100 mil passageiros ao dia”, concluiu.

A liberação do trânsito também foi acompanhada pelos secretários de Gestão, Urbano Schimitt, e de Obras, Mauro Zacher.

imagem137894

imagem137856

imagem137854 Fotos: Ricardo Giusti/PMPA

Obra - O viaduto São Jorge é uma das cinco obras da Terceira Perimetral (além das passagens de nível das avenidas Ceará, Anita, Plínio Brasil Milano e Cristóvão Colombo). A obra teve um investimento de R$ 79,4 milhões. Para facilitar a orientação aos condutores e pedestres, foram instaladas 25 novas placas indicativas de trânsito no local.

Estrutura - O viaduto tem extensão total de 540 metros, com seis faixas de tráfego, rampa com declividade de 8% para veículos e de 6% para corredor de ônibus. O viaduto incorpora estação de ônibus do corredor da Terceira Perimetral e alças laterais para acesso à avenida Bento Gonçalves.

Próximas etapas – Nas etapas seguintes, que têm previsão de conclusão no primeiro semestre, serão liberadas as alças laterais e a estação de ônibus. A partir disso, o transporte público também vai utilizar o viaduto.

Desvios – Nas próximas etapas, as alças laterais serão liberadas ao tráfego e os trabalhos para a estação de ônibus São Jorge, concluídos. Com isso, os usuários de transporte coletivo poderão realizar a integração entre as linhas que circulam na avenida Bento Gonçalves e Terceira Perimetral (Aparício Borges). Até a conclusão da segunda fase das obras do viaduto, o desvio implantado pela EPTC segue valendo para as linhas ônibus. Os condutores que pretendem acessar a Bento Gonçalves, nos dois sentidos, vindos das avenidas Aparício Borges ou Salvador França, também deverão utilizar o desvio.

Veja o vídeo:

Prefeitura de Porto Alegre

Primeira etapa do viaduto da Bento será liberada para o trânsito

Viaduto terá extensão total de 540 metros, com seis faixas de tráfego  Foto: Divulgação/PMPA

Viaduto terá extensão total de 540 metros, com seis faixas de tráfego  Foto: Divulgação/PMPA

A partir das 7h desta quinta-feira, 26, data do aniversário de 243 anos de Porto Alegre, será entregue oficialmente à cidade a primeira etapa do viaduto da Bento Gonçalves, com a liberação do trânsito de veículos. Os condutores que circulam nos dois sentidos da Terceira Perimetral, avenida Aparício Borges, poderão transpor o cruzamento com a avenida Bento Gonçalves sem interrupções, ganhando tempo significativo nos deslocamentos.

A liberação de uma das mais importantes obras de mobilidade da Capital terá a presença do prefeito José Fortunati e dos secretários dos órgãos envolvidos. O objetivo do viaduto é qualificar o fluxo de mais 80 mil veículos que circulam por dia na região, conforme dados da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). Para facilitar a orientação aos condutores e pedestres, foram instaladas 25 novas placas indicativas de trânsito no local.

A obra de mobilidade, que interliga as avenidas Salvador França e Aparício Borges, sobre a avenida Bento Gonçalves, faz parte das cinco obras da Terceira Perimetral (além das passagens de nível das avenidas Ceará, Anita, Plínio Brasil Milano e Cristóvão Colombo) e é uma intervenção urbanística já prevista no projeto original. A obra é executada pelo Consórcio Nova Bento (Construtora Cidade Ltda e Sultepa Comércio e Construções Ltda), vencedor da licitação, com custo de R$ 79,4 milhões.

“A primeira etapa da liberação será somente para veículos. Nas próximas etapas, que têm previsão de conclusão no primeiro semestre, serão liberadas as alças laterais e a estação de ônibus. A partir disso, o transporte público também vai utilizar o viaduto. Acreditamos que a obra vai facilitar muito a vida das pessoas, sendo a principal alternativa, mais ágil e segura, para interligar as zonas Norte e Sul”, afirmou Vanderlei Cappellari, diretor-presidente da EPTC.

O viaduto terá extensão total de 540 metros, com seis faixas de tráfego, rampa com declividade de 8% para veículos e de 6% para corredor de ônibus. O viaduto vai incorporar estação de ônibus do corredor da Terceira Perimetral e alças laterais para acesso a Bento Gonçalves. A altura mínima entre a superestrutura do vão do Viaduto e a Bento Gonçalves é de 5,5 metros. Nos retornos sob os acessos ao vão central, a altura livre é de 3,8 metros.

Desvios – Nas próximas etapas, as alças laterais serão liberadas ao tráfego e os trabalhos para a estação de ônibus São Jorge, concluídos. Com isso, os usuários de transporte coletivo poderão realizar a integração entre as linhas que circulam na avenida Bento Gonçalves e Terceira Perimetral (Aparício Borges). Até a conclusão da segunda fase das obras do viaduto, o desvio implantado pela EPTC segue valendo para as linhas ônibus, em razão da continuidade das obras na estação São Jorge, que segue bloqueada para embarque ou desembarque.

Os condutores que pretendem acessar a Bento Gonçalves, nos dois sentidos, vindos das avenidas Aparício Borges ou Salvador França, também deverão utilizar o desvio, pois as alças laterais ainda não estão concluídas.

Prefeitura de Porto Alegre

Iniciativa privada assumirá aeroportos do sul

Concessões do Salgado Filho, em Porto Alegre, e Hercílio Luz, em Florianópolis, serão realizadas no primeiro semestre de 2016

Obra do Aeroporto Internacional Salgado Filho - Terminal 1. Foto: Infraero

Obra do Aeroporto Internacional Salgado Filho – Terminal 1. Foto: Infraero

O ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, confirmou nesta terça-feira (24) que os aeroportos de Porto Alegre, Salvador e Florianópolis serão concedidos à iniciativa privada no primeiro semestre do ano que vem como o portal AMANHÃ adiantou no dia 12 março (leia aqui).

A intenção do governo é licitar os três aeroportos juntos, mesmo considerando que a elaboração do edital referente ao Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, seja mais complexa do que a dos demais. “A ideia é licitar todos juntos, no primeiro semestre do ano que vem, porque lá [em Porto Alegre] teremos a construção de um novo aeroporto. Faremos a concessão do já existente [Salgado Filho] com a obrigação do concessionário [de] construir um novo. Já fizemos sondagens no mercado com possíveis operadores”, ressaltou Padilha.

O novo terminal, que será construído a cerca de 20 quilômetros do Salgado Filho, deve ficar pronto em 2029. “O novo terminal será construído na cidade de Portão, região metropolitana de Porto Alegre. Atualmente, o Salgado Filho está em obras. E vai começar [a ser construído] um hotel, vai haver uma extensão de pista. Ele [aeroporto] está sendo adequado para atender ao Rio Grande do Sul até 2029. Até lá, o outro vai estar pronto”, informou o ministro.

Revista Amanhã

Primeira etapa do viaduto da Bento será liberada para o trânsito nesta quinta-feira

Obra irá qualificar o fluxo de mais 80 mil veículos que circulam por dia na região   Foto: Joel Vargas/PMPA

Obra irá qualificar o fluxo de mais 80 mil veículos que circulam por dia na região   Foto: Joel Vargas/PMPA

A partir das 7h desta quinta-feira, 26, data do aniversário de 243 anos de Porto Alegre, será entregue oficialmente à cidade a primeira etapa do viaduto da Bento Gonçalves, com a liberação do trânsito de veículos. Os condutores que circulam nos dois sentidos da Terceira Perimetral, avenida Aparício Borges, poderão transpor o cruzamento com a avenida Bento Gonçalves sem interrupções, ganhando tempo significativo nos deslocamentos.

A liberação de uma das mais importantes obras de mobilidade da Capital terá a presença do prefeito José Fortunati e dos secretários dos órgãos envolvidos. O objetivo do viaduto é qualificar o fluxo de mais 80 mil veículos que circulam por dia na região, conforme dados da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). Para facilitar a orientação aos condutores e pedestres, foram instaladas 25 novas placas indicativas de trânsito no local.

A obra de mobilidade, que interliga as avenidas Salvador França e Aparício Borges, sobre a avenida Bento Gonçalves, faz parte das cinco obras da Terceira Perimetral (além das passagens de nível das avenidas Ceará, Anita, Plínio Brasil Milano e Cristóvão Colombo) e é uma intervenção urbanística já prevista no projeto original. A obra é executada pelo Consórcio Nova Bento (Construtora Cidade Ltda e Sultepa Comércio e Construções Ltda), vencedor da licitação, com custo de R$ 79,4 milhões.

“A primeira etapa da liberação será somente para veículos. Nas próximas etapas, que têm previsão de conclusão no primeiro semestre, serão liberadas as alças laterais e a estação de ônibus. A partir disso, o transporte público também vai utilizar o viaduto. Acreditamos que a obra vai facilitar muito a vida das pessoas, sendo a principal alternativa, mais ágil e segura, para interligar as zonas Norte e Sul”, afirmou Vanderlei Cappellari, diretor-presidente da EPTC.

O viaduto terá extensão total de 540 metros, com seis faixas de tráfego, rampa com declividade de 8% para veículos e de 6% para corredor de ônibus. O viaduto vai incorporar estação de ônibus do corredor da Terceira Perimetral e alças laterais para acesso a Bento Gonçalves. A altura mínima entre a superestrutura do vão do Viaduto e a Bento Gonçalves é de 5,5 metros. Nos retornos sob os acessos ao vão central, a altura livre é de 3,8 metros.

Desvios – Nas próximas etapas, as alças laterais serão liberadas ao tráfego e os trabalhos para a estação de ônibus São Jorge, concluídos. Com isso, os usuários de transporte coletivo poderão realizar a integração entre as linhas que circulam na avenida Bento Gonçalves e Terceira Perimetral (Aparício Borges). Até a conclusão da segunda fase das obras do viaduto, o desvio implantado pela EPTC segue valendo para as linhas ônibus, em razão da continuidade das obras na estação São Jorge, que segue bloqueada para embarque ou desembarque.

Os condutores que pretendem acessar a Bento Gonçalves, nos dois sentidos, vindos das avenidas Aparício Borges ou Salvador França, também deverão utilizar o desvio, pois as alças laterais ainda não estão concluídas.

Prefeitura de Porto Alegre

Fortunati perde paciência e diz que a Infraero amarra de propósito as obras do Salgado Filho

Foto: José Arthur Eidt

Foto: José Arthur Eidt

Durante o encontro de representantes do governo do Estado, da Prefeitura de Porto Alegre e da Empresa de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), que discute a ampliação da pista do Aeroporto Salgado Filho, o prefeito José Fortunati declarou que o município já concedeu todas as condições necessárias para o aumento a via no terminal:

- Todas as condições necessárias para o início das obras foram realizadas pela prefeitura de Porto Alegre”

O prefeito falou durante encontro na Assembléia do RS.

Conforme Fortunati, a remoção total de famílias da Vila Dique deve ser concluída até agosto de 2015. “A Infraero não pode culpar a remoção de casas ou colocar obstáculos para não ter feito a licitação da obra do aeroporto. Não tenho dúvida de que a licitação da obra pode ser feita hoje. Entraves têm o objetivo de postergar a ampliação”, acrescentou o prefeito.

Fortunati comentou ainda que toda documentação exigida foi entregue à Infraero, assim como a área em que a pista do Salgado Filho será ampliada.

Presente ao encontro, o representando da Infraero, Carlos Alberto Souza, disse que as obras só começarão no final do ano que vem – se começarem.]

José Fortunati voltou a bater de frente:

- Tem alguma coisa estranha acontecendo. Me parece muito claramente que querem impedir a ampliação.

- O governo Dilma precisa investir R$ 700 milhões nas obras de ampliação, mas parece não ter o dinheiro ou quer ganhar tempo para privatizar o aeroporto e não tem coragem de dizer isto.

Políbio Braga

Impasse sobre remoção de famílias pode adiar obra no Aeroporto Salgado Filho

Integrantes do Comitê em Defesa do Aeroporto Salgado Filho se reuniram sexta para tentar agilizar obras da pista. Fortunati diz que prefeitura cumpriu exigências|Foto: Cristine Rochol/PMPA

Integrantes do Comitê em Defesa do Aeroporto Salgado Filho se reuniram sexta para tentar agilizar obras da pista. Fortunati diz que prefeitura cumpriu exigências|Foto: Cristine Rochol/PMPA

Da Redação*

Na terceira reunião do Comitê em Defesa do Aeroporto Salgado Filho, realizada na manhã desta sexta-feira (20), o prefeito José Fortunati apresentou um conjunto de documentos que comprovam que o governo cumpriu as exigências necessárias e que não haveria entraves técnicos para o início das obras de ampliação da pista para pouso e decolagem do local. Isso porque, nos últimos dias, surgiu uma nova exigência imposta pelo Conselho de Administração da Infraero, responsável pelos aeroportos: a remoção de todas as famílias da Vila Nazaré, localizada ao redor da área atingida pelo prolongamento da pista do Salgado Filho. Tal imposição não estava prevista nos primeiros documentos, assinados em 2011.

“A remoção das famílias de Vila Nazaré não impacta o início das obras da primeira fase. A área se encontra completamente desocupada. Todas as garantias necessárias foram atendidas para o começo das obras”, garantiu Fortunati, sobre as imposições feitas pelo governo federal e Infraero.

Quanto ao ofício da Infraero solicitando a “remoção de obstáculos”, referindo-se a árvores, antenas e postes, o prefeito afirmou que parte deles já foi retirada e o restante ocorrerá depois da ampliação da pista, já que não estão na área abrangida pelo prolongamento da pista. Em relação às famílias que vivem em áreas ao redor do Salgado Filho, ele informou que já foram removidas 922 e que a conclusão desse trabalho ocorrerá em dezembro de 2016, conforme cronograma estabelecido. O mandatário da Capital também argumentou que a Infraero não levou adiante as duas licitações devido à troca de comando da estatal e a problemas nos editais, como falhas em projetos, e não pela remoção das famílias.

Foto: Camila Domingues/Palácio Piratini

Foto: Camila Domingues/Palácio Piratini

O presidente da Associação Nacional em Defesa dos Direitos dos Passageiros do Transporte Aéreo (Andep) e integrante do comitê, Cláudio Candiota Filho, por sua vez, pediu uma ação urgente da Infraero e celeridade no processo, uma vez que a obra é aguardada há mais de 30 anos. “Essa nova exigência não faz o menor sentido. É o típico ‘te dou por aqui e te tiro por ali’. É o governo federal que está dificultando, não a Infraero. Uma vez que a questão técnica já foi resolvida pela prefeitura, a obra poderia começar amanhã”, argumentou ele, referindo-se à remoção de todas as famílias da Vila Nazaré.

Em resposta às cobranças do prefeito e da Andep, o superintende da Infraero na Região Sul, Carlos Alberto da Silva Souza, informou que o começo das obras depende do aval do Conselho de Administração da Infraero e que a licitação só deverá ocorrer no final de 2016. A ampliação da pista de pousos e decolagens em 920 metros está estimada em cerca de R$ 500 milhões. Atualmente, a extensão da pista é de 2.280 metros.

Terminal de passageiros

Enquanto a ampliação da pista de pouso e decolagem não sai do papel, a reforma e ampliação do terminal de passageiros do Salgado Filho está em andamento e deve estar concluída em janeiro de 2017. A obra, que iniciou em setembro de 2013, prevê ampliação da área do terminal de 37,6 mil m² para 60,3 mil m², aumentando a capacidade de passageiros de 15,3 milhões para 18, 9 milhões ao ano. A ampliação do terminal está contemplada no PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento), a um custo de R$ 181 milhões.

Antes da Copa do Mundo de 2014, foram realizadas algumas melhorias no aeroporto. Foi feita a reforma e a ampliação do piso térreo de desembarque, com duas novas esteiras de restituição de bagagens.

*Com informações da assessoria de imprensa da prefeitura.

SUL 21

Fortunati participará de reunião do comitê em defesa do aeroporto

Prefeitura deu as garantias necessárias ao início da ampliação da pista  Foto: Joel Vargas/PMPA

Prefeitura deu as garantias necessárias ao início da ampliação da pista  Foto: Joel Vargas/PMPA

O prefeito José Fortunati participa nesta sexta-feira, 20, da terceira reunião técnica do Comitê em Defesa do Aeroporto Salgado Filho. No encontro, marcado para as 9h30 no Plenarinho da Assembleia Legislativa, ele irá reforçar que todas as garantias necessárias ao início das obras de ampliação da pista de pousos e decolagens foram dadas à Infraero pela Prefeitura de Porto Alegre, e apresentará todos os documentos que comprovam que as condições exigidas pela empresa foram atendidas. Fortunati falará sobre os investimentos já feitos pelos governos municipal, estadual e federal e sobre o cronograma de remoção das famílias das áreas do entorno do sítio aeroportuário.

Sobre o comitê – O Comitê em Defesa do Aeroporto Salgado Filho foi instalado pela OAB/RS, com o objetivo de agrupar diversas entidades e setores da sociedade civil para estudar a matéria e propor soluções, amparadas em dados técnicos, que justifiquem a ampliação do terminal de passageiros e de carga e o prolongamento da pista do Aeroporto. A criação do comitê aconteceu na primeira reunião técnica do grupo, no dia 22 de janeiro, onde também foi apresentado o cronograma de ações e as definições das responsabilidades.

Segunda reunião técnica – Foi realizada no dia 6 de fevereiro, com a participação do ministro de Estado da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha, autoridades dos executivos municipal e estadual, do Legislativo e do Judiciário. Na reunião foi feita a apresentação do Plano Diretor do Aeroporto Salgado Filho, elaborado pela Infraero.

Trânsito no viaduto da Bento Gonçalves será parcialmente liberado na próxima semana

Segundo secretário de Obras, Mauro Zacher, faltam apenas alguns ajustes

Serão seis faixas de tráfego, com extensão total de 540 metros em três níveis | Foto: André Ávila

Serão seis faixas de tráfego, com extensão total de 540 metros em três níveis | Foto: André Ávila

Com data marcada para inauguração no dia 26 de março, o viaduto da Terceira Perimetral com a avenida Bento Gonçalves está pronto para circulação. Faltam apenas alguns ajustes, que serão finalizados nos próximos dias. Na manhã desta quinta-feira, o secretário de Obras e Viação de Porto Alegre, Mauro Zacher, vistoriou a obra. Na próxima semana, o trânsito será parcialmente liberado em toda a estrutura.

As quatro pistas (duas em cada sentido) do nível superior serão usadas, para o deslocamento de veículos de passeio. Os ônibus continuarão utilizando os desvios, segundo informações da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). Os últimos detalhes já estão sendo concluídos nessas pistas, como a pintura anti-pichação nas muretas da elevada, preparação da iluminação e limpeza do pavimento. “Está tudo em perfeitas condições, atendendo ao cronograma proposto”, afirmou. De acordo com Zacher, a entrega da obra completa ocorrerá em junho deste ano, quando serão liberadas as estações definitivas e uma pista em cada sentido para os coletivos.

Ainda é preciso remover quatro famílias residentes entre as avenidas Ipiranga e Bento Gonçalves para dar continuidade à obra nas vias laterais. Da mesma forma, existe ainda a necessidade da liberação por parte do governo estadual para que parte da área da Brigada Militar seja cedida para a construção de um desvio. “Até junho tudo será resolvido, as situações estão bem encaminhadas também com o Demhab (Departamento Municipal de Habitação)”, explicou o secretário.

O novo viaduto visa desafogar o fluxo de veículos na Terceira Perimetral. Serão seis faixas de tráfego, com extensão total de 540 metros em três níveis. O viaduto liga as avenidas Salvador França e Coronel Aparício Borges, é uma das cinco intervenções na Perimetral. A obra tem um custo estimado em R$ 79,4 milhões, e foi iniciada em janeiro de 2013. O projeto foi proposto como uma das melhorias para a Copa do Mundo.

Zacher explicou os imprevistos na construção de estruturas, que inviabilizaram a inauguração do viaduto antes do mundial de futebol. “A Copa do Mundo é um grande pretexto. A Prefeitura optou por fazer investimentos em obras públicas que trouxessem benefícios para a cidade, não em estádios. Estamos lidando com uma cidade ‘viva’, onde podem acontecer imprevistos.”

Correio do Povo – Jéssica Mello

Prefeitura intensifica trabalhos na trincheira da Cristóvão

Obra na avenida Cristóvão Colombo se desenvolve em três frentes  Foto: Maia Rubim/PMPA

Obra na avenida Cristóvão Colombo se desenvolve em três frentes  Foto: Maia Rubim/PMPA

Na atual fase das obras da trincheira da avenida Cristóvão Colombo, a intervenção na via se desenvolve em três frentes. A passagem subterrânea integra o conjunto de cinco grandes obras executadas com o objetivo de qualificar o fluxo do trânsito da Terceira Perimetral.

No trecho à esquerda de quem se desloca da zona Sul em direção ao aeroporto, pela Dom Pedro II, já foi executada a colocação de todas as 200 estacas que formam as paredes de contenção da trincheira. Com a parede de contenção estabelecida, iniciou-se o processo de escavação da passagem subterrânea. No trecho, também estão finalizadas as redes de drenagem pluvial, de água e de esgoto cloacal.

Do outro lado da via, foi executada toda a rede de drenagem pluvial, de água e de esgoto cloacal. No local, também foram colocados os postes da nova iluminação pública.

Na pista sentido norte-sul da Dom Pedro II, no cruzamento com a Cristóvão Colombo, está sendo realizada a cravação de 50 estacas que formarão a parede de contenção da trincheira naquele trecho. O trabalho será concluído em até 60 dias, e o mesmo serviço será executado na outra pista.

A passagem subterrânea deve ser liberada para trânsito em dezembro de 2015. Com valor de R$ 12,5 milhões, a trincheira terá extensão de 198 metros, contando com duas faixas de trânsito em cada sentido e pistas que permitem acesso à Terceira Perimetral.

Prefeitura de Porto Alegre

Vereador propõe redução do limite de velocidade em Porto Alegre

Foto: Gilberto Simon - Porto Imagem

Foto: Gilberto Simon – Porto Imagem

Com o objetivo de aumentar a segurança no trânsito, o vereador Marcelo Sgarbossa (PT) está propondo a redução do limite de velocidade nas vias urbanas. Arquivado no fim de 2014, o projeto de lei (001/15) foi reapresentado e começou a ser discutido no plenário da Câmara Municipal de Porto Alegre nesta segunda-feira (16/3).

Atualmente, a velocidade máxima é de 60 quilômetros por hora (km/h). Se o projeto for aprovado, carros e motos não poderão ultrapassar 50km/h. Já para ônibus e caminhões, o limite cai para 40km/h. Segundo Sgarbossa, a medida vai diminuir o número e a gravidade dos atropelamentos e acidentes de trânsito.

O vereador cita estudo do Observatório de Segurança Viária da Espanha, que mostra que quanto maior a velocidade do veículo, maior é o risco de morte. “Um atropelamento com o carro a 80km/h é praticamente mortal. Mas quando o veículo trafega a 50km/h, o número de mortes é reduzido para 40%, o de feridos para 55%, e 5% das vítimas conseguem escapar ilesas. Agora, com velocidade de 30km/h, o índice de mortes cai para 5%, sendo que 30% das vítimas não sofrem nenhum ferimento”.

Marcelo acrescenta que a redução da velocidade máxima nos centros urbanos também faz com que as ruas sejam devolvidas civilizadamente a pedestres e ciclistas. “Cria-se um ambiente de convivência com motociclistas e motoristas, na perspectiva do compartilhamento respeitável e pacífico das vias urbanas”, afirma.

Segundo ele, reduzir e controlar a velocidade dos automóveis no meio urbano é uma tendência mundial. “Exemplo disso, revela-se nas políticas de diversos países da Europa, fundadas no traffic calming, que passaram a desenvolver e adotar técnicas, medidas de redução e controle sistemático da velocidade, induzindo motoristas e motociclistas a conduzir seus veículos de modo mais apropriado à segurança e ao meio ambiente.”

Na justificativa, o parlamentar cita, ainda, uma entrevista do diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) ao jornal Zero Hora (on-line, 7/1/2012), na qual Vanderlei Cappellari reconhece que “a velocidade de 60 km/h já é elevada”. “Nesse sentido, é urgentemente necessário que o limite seja reduzido, em prol da segurança de pedestres e ciclistas”, ressalta Sgarbossa.

Texto: Maurício Macedo (reg. prof. 9532)
Edição: Marco Aurélio Marocco (reg. prof. 6062)

Câmara Municipal

Câmara derruba veto a projeto que obriga ar condicionado em ônibus

Proposta exige equipamento em toda a frota.  Foto: Elson Sempé Pedroso

Proposta exige equipamento em toda a frota. Foto: Elson Sempé Pedroso

Na tarde dessa segunda-feira (16/3), o plenário da Câmara Municipal de Porto Alegre rejeitou o veto do Executivo e manteve o projeto de lei que estabelece a obrigatoriedade do serviço de condicionamento de ar em todas as linhas e horários do transporte coletivo para os veículos que já o possuam e inclui os condicionadores de ar no rol de características mínimas para a inclusão de novos carros na frota. Apresentada pelo vereador Paulinho Motorista (PSB), a proposta aprovada modifica a Lei 2.758, de 4 de dezembro de 1964, e suas alterações posteriores. Com a derrubada do veto, caberá agora ao presidente da Câmara, vereador Mauro Pinheiro (PT), a promulgação da lei.

Pelo projeto, as empresas de ônibus públicas e privadas do município serão obrigadas a manter os condicionadores de ar dos ônibus adequados a seu tamanho e em temperaturas entre 20ºC e 24ºC. Os aparelhos deverão estar equipados, permanentemente, com filtro de ar, receber limpeza geral no mínimo a cada seis meses e exibir dispositivo de regulagem de temperatura visível aos passageiros.

Conforto e dignidade

Paulinho Motorista destaca a importância de qualificar o transporte coletivo “com o mínimo de conforto e dignidade para os passageiros, dada a grande variação térmica e as temperaturas extremas de calor e frio” na Capital. “No verão, as temperaturas na cidade estão batendo recordes, chegando aos 40ºC, com sensação térmica passando de 44ºC”, afirma. “Andando nos ônibus de Porto Alegre nesta época, podemos perceber o desconforto da população que utiliza o transporte coletivo.”

O vereador informa que, segundo a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), em torno de 30% da frota de ônibus da Capital têm condicionadores de ar, mas “raríssimas são as linhas dos bairros da periferia que apresentam ônibus com esse serviço, imprescindível nos verões atuais”. Na opinião do autor do projeto, “numa situação de ônibus lotado e sensação térmica interna de aproximadamente 50ºC, é grande o risco de um passageiro idoso, com saúde frágil, ou mesmo de qualquer pessoa passar mal devido ao calor”.

Paulinho ainda ressalta o fato de o projeto “considerar a oferta do serviço de condicionamento de ar conforme a disponibilidade dos equipamentos na frota existente, bem como nos veículos novos, adquiridos para renovação ou ampliação da frota. “É um cuidado que tomamos para diminuir o impacto financeiro e evitar sua incidência no valor da passagem”, explica. O vereador também lembrou ser importante que as janelas dos ônibus possam ser abertas para facilitar a ventilação quando o serviço de ar condicionado não for necessário.

Texto: Claudete Barcellos (reg. prof. 6481)

Edição: Marco Aurélio Marocco (reg. prof. 6062)

Câmara Municipal

Erosão das cidades pelos carros

6e609595Faz uma semana que uma obra ficou pronta aqui em Porto Alegre. É o Binário da Praia de Belas, uma obra que inverteu o sentido de duas avenidas, transformando elas em avenidas de mão únicas. Não entendi muito bem o motivo quando vi a obra, até porque ultimamente não passo muito por ali. Mas daí lembrei do clássico livro da Jane Jacobs, “Morte e Vida das Grandes Cidades”, escrito em 1961, e entendi tudo.

No livro ela fala sobre o conceito de “erosão das cidades pelos automóveis”, que funciona basicamente assim: o congestionamento de carros gera um alargamento de rua, que por sua vez gera a transformação da rua em uma avenida, que gera uma avenida de mão única, que gera a sincronização de semáforos, que gera os viadutos – e por aí vai. Não lembro realmente se foi ela que criou esse conceito ou se foi outra pessoa, mas no livro está mapeada a exata ordem da transformação que os carros em demasia imprimem na mobilidade urbana da cidade.

Assim como o passo-a-passo de como uma cidade pode ser erodida pelos carros, Jane Jacobs também discorre por páginas e mais páginas sobre o quão prejudicial é essa abordagem para a vida de uma cidade. Isso porque, segundo ela (e eu concordo), quanto mais espaço se der aos carros na cidade, maior se tornará a necessidade do uso deles e, por consequência, de ainda mais espaço para carros. É um círculo vicioso já diagnosticado há mais de 50 anos, mas que infelizmente continua a acontecer nas nossas cidades.

A obra na Praia de Belas foi feita por causa do intenso trânsito que existia ali. Para tentar diminuir o congestionamento, a Prefeitura transformou as avenidas em vias de mão única, diminuindo assim os cruzamentos existentes nas duas ruas para uma maior fluidez ao trânsito. A real é que a obra não adiantará muita coisa, pois ela é um convite para que mais carros ganhem as ruas. Com mais carros nas ruas, só a inversão de sentido da avenida não será suficiente, sendo necessário no futuro que um viaduto seja construído ali. E por aí vai.

Caos Planejado

Por Luciano Braga – 3 de março de 2015

Governo estuda conceder Salgado Filho para a iniciativa privada

Além do aeroporto do RS, terminais de Salvador e Florianópolis estariam na mira

Terminal é administrado pela Infraero desde 1974 | Foto: Samuel Maciel

Terminal é administrado pela Infraero desde 1974 | Foto: Samuel Maciel

A presidente Dilma Rousseff confirmou nesta quinta-feira que o governo estuda conceder à iniciativa privada os aeroportos de Porto Alegre, Salvador e Florianópolis. As declarações foram dadas durante inauguração de obras em um terminal portuário no Rio de Janeiro.

O Aeroporto Internacional de Porto Alegre Salgado Filho é administrado pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) desde 1974. Em outubro de 2001 foi inaugurado o terminal internacional do aeroporto e, em dezembro de 2010, reinaugurado o antigo terminal de passageiros.

O Aeroporto Internacional de Salvador Deputado Luís Eduardo Magalhães opera cerca de 220 voos domésticos diários e 57 voos internacionais por semana, fazendo de Salvador uma das principais portas de entrada do turismo na Bahia e, consequentemente, na Região Nordeste.

O Aeroporto Internacional de Florianópolis Hercílio Luz foi elevado, pelo então Ministério da Aeronáutica, à categoria de Aeroporto Internacional, em 1995, e passou por obras de ampliação e climatização em 2000.

Correio do Povo

Com Agência Brasil

Duplicação da Wenceslau Escobar deve começar em 15 de abril

Vice-prefeito Sebastião Melo coordenou a reunião para agendar início das obras   Foto: Luciano Lanes / PMPA

Vice-prefeito Sebastião Melo coordenou a reunião para agendar início das obras   Foto: Luciano Lanes / PMPA

A duplicação da avenida Wenceslau Escobar, na zona Sul da Capital, deve começar em 15 de abril. Secretários e técnicos de sete órgãos da Prefeitura de Porto Alegre reuniram-se com o vice-prefeito Sebastião Melo para conferir o projeto e dar o sinal verde para o alargamento da via. Os últimos preparativos e levantamentos necessários para executar a obra avaliada em aproximadamente R$ 3,6 milhões serão providenciados até o final deste mês. “Foi uma reunião final, promovida para ajustar os ponteiros”, afirmou Melo. A execução do projeto, originalmente prevista para o final de 2013, sofreu atrasos decorrentes da tramitação de processos de desapropriação de imóveis. O encontro ocorreu no Paço Municipal na tarde desta quarta-feira, 11.

O secretário municipal de Obras e Viação (Smov), Mauro Zacher, e a procuradora-geral adjunta de Domínio Público, Urbanismo e Meio-Ambiente, Andrea Vizzotto, ficaram encarregados de verificar questões jurídicas. Os representantes dos demais órgãos vão notificar empresas de telefonia e de gás para possíveis ajustes nas redes que administram. O secretário municipal de Mobilidade Urbana e diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, planejará alterações no trânsito para atenuar o impacto causado pela obra.

O projeto de ampliação da avenida Wenceslau Escobar prevê duplicação de 350 metros no trecho entre a avenida Diário de Notícias e a rua Castro de Menezes, além de construção de ciclovia e de uma adutora do Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae). A via terá duas pistas com 9,5 metros para cada sentido, divididas por um canteiro central. O investimento total contará com contrapartida de R$ 2 milhões da construtora Goldsztein, representada na reunião pelo engenheiro Marco Rodrigues.

Prefeitura de Porto Alegre

Protesto de taxistas bloqueia ruas e avenidas centrais de Porto Alegre

Grupo denuncia o que classifica “abuso da EPTC” na fiscalização

Protesto de taxistas bloqueia ruas e avenidas centrais de Porto Alegre | Foto: Fabiano do Amaral

Protesto de taxistas bloqueia ruas e avenidas centrais de Porto Alegre | Foto: Fabiano do Amaral

Protesto de taxistas causa bloqueio, na noite desta segunda-feira, nas ruas centrais da Capital. O grupo denuncia o que classifica como “abuso da EPTC” na fiscalização do serviço e das normas de trânsito contra os veículos da categoria. Faixas apresentam frases como “mais apoio, menos multas”. Eles prometem repetir o movimento nesta terça-feira.

A carreata segue pelas ruas centrais e já causou congestionamento em diversos pontos da Capital. Por volta das 20h30min, encontrava-se na altura do Viaduto da Conceição. Posteriormente, se deslocaram para a João Pessoa onde trancaram o fluxo de veículos na esquina com a Venâncio Aires. Por volta das 22h20min, eles estavam em frente à sede da EPTC na Érico Veríssimo. O grupo encerrou o protesto em frente à residência do prefeito, José Fortunati, na Gerônimo Coelho.

O grupo, que reclama de excesso de multas aplicadas pela EPTC e da apreensão de carros durante o serviço por motivos, na opinião das lideranças, discutíveis, promete continuar nas ruas até ter uma resposta da autarquia. Cerca de 50 motoristas fazem parte da manifestação.

Correio do Povo

Porto Alegre conta com 50 novos ônibus em circulação

São 35 veículos convencionais e 15 articulados que atenderão, prioritariamente, as linhas T4, T9 e T11

Porto Alegre conta com 50 novos ônibus em circulação | Foto: Ricardo Giusti/ PMPA/ CP

Porto Alegre conta com 50 novos ônibus em circulação | Foto: Ricardo Giusti/ PMPA/ CP

Cinquenta novos ônibus entraram em circulação nesta segunda-feira na Capital. A cerimônia de entrega dos novos veículos adquiridos pela Carris ocorreu no início da manhã, e a frota nova entrou em operação logo após breve cerimônia na garagem da empresa. São 35 veículos convencionais e 15 articulados que atenderão, prioritariamente, as linhas T4, T9 e T11. O investimento total da empresa pública foi de R$ 26 milhões. Com a aquisição, a Carris aumenta em 12 ônibus sua frota, passando de 371 para 383 — outros 38 veículos antigos serão desativados. Com o incremento, a média de idade da frota caiu de 6 anos e 8 meses para 5 anos e 3 meses.

Os coletivos possuem ar-condicionado, câmbio automático, computador de bordo, emitem menos poluentes e são acessíveis a pessoas com mobilidade reduzida. Outros 13 haviam iniciado a operar em fevereiro. “O objetivo da nova licitação é qualificar mais o transporte público”, destacou o prefeito José Fortunati, referindo-se ao início do processo licitatório do transporte coletivo da Capital, dado como deserto duas vezes, e remarcado para o dia 6 de maio.

De acordo com o presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, um cronograma para a renovação da frota dos veículos das doze permissionárias que operam na Capital será montado até abril junto à Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP). “No ano passado, apenas a Carris cumpriu com a determinação de renovação de 10% da frota”, afirma. A atual frota da Capital é de 1.697 veículos. Desses, 996 (58,69%) são adaptados para cadeirantes e 399 (23,51%) possuem ar-condicionado. Do total, 499 ônibus têm entre oito e dez anos — idade limite.

O diretor-presidente da Carris, Sérgio Zimmermann, disse que R$ 1 milhão foram investidos em sistema de monitoramento para aumentar a segurança dentro dos coletivos. Hoje, todos os veículos da empresa contam com quatro câmeras, e a sala de monitoramento deve começar a operar até o final de março.

O formato da licitação de compra desses novos coletivos foi alterado. Antes, o chassi e a carroceria eram negociados juntos. Dessa vez, foram adquiridos em processos diferentes. Com a mudança, a companhia estima uma economia de 11,96% na compra dos veículos convencionais e 10,86% nos articulados, o que soma R$ 3.381.500,00.

Jéssica Mello / Correio do Povo

__________________

Veja o vídeo/reportagem site da Prefeitura:

EPTC confirma nova licitação dos ônibus para dia 6 de maio

Projeto para qualificar o transporte terá de oito a dez editais, com todas as bacias  Foto: Marcela Barbosa/Divulgação PMPA

Projeto para qualificar o transporte terá de oito a dez editais, com todas as bacias  Foto: Marcela Barbosa/Divulgação PMPA

Em reunião com o prefeito José Fortunati, na manhã desta terça-feira, 3, o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Capellari, confirmou a data de 6 de maio para a publicação dos editais da nova licitação do transporte coletivo de Porto Alegre. Os técnicos da empresa já trabalham na reelaboração do projeto básico, contemplando todos os avanços já incorporados ao edital anterior, como o ar-condicionado na frota e o conselho de usuários. A ideia é que esta tarefa seja concluída até o final deste mês.

Nas duas primeiras semanas de abril, serão realizadas as discussões com a comunidade, via Orçamento Participativo. Na terceira semana, entre os dias 13 e 15, a prefeitura promoverá uma audiência pública em local ainda a ser definido. As contribuições aceitas serão incorporadas ao edital pelos técnicos na última semana de abril. Conforme Capellari, a previsão é de que sejam de oito a dez editais, abrangendo todas as bacias.

“A intenção é estabelecer uma compatibilidade operacional que permita a participação de empresas menores e a democratização do pleito, através da ampliação da concorrência. Com isso, se garantiria, também, uma pressão menor sobre a tarifa”, salienta Fortunati.

Histórico

O edital de licitação é resultado de mais de dois anos de trabalho das equipes da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) e demais órgãos técnicos da prefeitura. O conteúdo que prevê ampliação e qualificação do serviço prestado ao cidadão foi enriquecido com contribuições efetivas dos usuários, em encontros realizados no âmbito do Orçamento Participativo (OP), com a presença de cerca de 1.700 pessoas, em 24 reuniões nas 17 regiões da cidade.

A prefeitura promoveu também duas audiências públicas: na Câmara de Vereadores, em 27 de fevereiro de 2014, e no Ginásio Tesourinha, em 10 de março. Em março, o prefeito José Fortunati recebeu contribuições do Legislativo municipal para a composição. Foi criado, ainda, um canal de participação da população via internet (licitacaodeonibus@portoalegre.rs.gov.br). Houve o registro de 241 e-mails recebidos, com sugestões individuais ou representativas de entidades, mais sugestões recebidas diretamente de entidades, todas analisadas pelos técnicos do município. Entre as sugestões destacaram-se: a redução da taxa de ocupação dos ônibus, ar condicionado, a redução dos tempos de espera nas paradas, entre outros relacionados à operação e ao conforto.

Elaborado por uma comissão especial de licitação, o primeiro edital foi publicado em 31 de março de 2014 no Diário Oficial de Porto Alegre e em veículos da mídia impressa, de circulação regional e nacional, e igualmente disponibilizado, na íntegra, no site da prefeitura. O recebimento das propostas dos interessados foi definido para 3 de junho, mas não houve interessados, e a licitação, considerada deserta.

Após o resultado, sem apresentação de propostas, o prefeito José Fortunati estabeleceu o prazo máximo de seis meses para o lançamento de um novo edital, com possibilidade de inclusão de empresas internacionais, além de ajustes técnicos no documento original. O esforço concentrado das equipes permitiu que o edital, agora também com abrangência internacional, fosse publicado pouco mais de três meses depois da primeira tentativa, em 19 de setembro de 2014. Novamente não houve propostas de interessados.

Prefeitura de Porto Alegre

ATP promete renovar a frota até o final deste ano

Cronograma será apresentado à prefeitura e à EPTC no final deste mês

Passagem custa R$ 3,25 desde 22 de fevereiro deste ano | Foto: Vinicius Roratto / CP Memória

Passagem custa R$ 3,25 desde 22 de fevereiro deste ano | Foto: Vinicius Roratto / CP Memória

Em reunião com a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), a Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP) prometeu que fará a renovação da frota dos ônibus neste ano. Até o final de março, a ATP vai elaborar cronograma e apresentar à prefeitura e à EPTC, que auxiliarão na busca por financiamento. A frota local é de 1,6 mil veículos; 499 deles têm entre oito e dez anos.

No entanto, a ATP afirmou no início de fevereiro que, com base na planilha de cálculo da EPTC usada para embasar o valor do reajuste da passagem em Porto Alegre, o envelhecimento da frota dos coletivos que rodam na cidade seria um dos prejuízos que a população teria com o valor ficando em R$ 3,25 e não em R$ 3, 49 como era o pretendido pelos empresários.

Na oportunidade, o gerente-executivo da ATP, Luis Mário Magalhães de Sá, afirmou que a frota atual não é renovada desde 2013, e que a tendência era a situação se manter assim. “Nós vamos operar com os custos mínimos necessários para que o serviço se mantenha”, ponderou.

Reajuste

O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, sancionou o aumento da passagemde ônibus de Porto Alegre no dia 19 de fevereiro. O valor passou de R$ 2,95 para R$ 3,25. Para os estudantes, a tarifa passou a custar R$ 1,62 apenas para a primeira viagem. As lotações cobram desde então R$ 4,85. Os novos valores entraram em vigor a partir do dia 22 de fevereiro.

Correio do Povo

Obras do BRT Protásio estão 93% concluídas

Trabalho está em fase de conclusão, com 93% da obra executada   Foto: Joel Vargas/PMPA

Trabalho está em fase de conclusão, com 93% da obra executada   Foto: Joel Vargas/PMPA

Estão em andamento na Capital as obras de qualificação do pavimento em seis cruzamentos ao longo das avenidas Osvaldo Aranha e Protásio Alves. O serviço consiste na substituição do asfalto por placas de concreto, uma adaptação para o sistema BRT. Em todo o projeto estão previstos a implantação de aproximadamente sete quilômetros de corredor de ônibus ao longo da via.

Os cruzamentos da Osvaldo Aranha com as ruas Garibaldi e Santo Antônio já foram concretados e devem ser liberados nas próximas semanas. Já o trecho da Sarmento Leite, em frente ao túnel da Conceição, está em fase de concretagem.

Nas próximas semanas, outros cinco cruzamentos serão bloqueados   Foto: Joel Vargas/PMPA

Nas próximas semanas, outros cinco cruzamentos serão bloqueados   Foto: Joel Vargas/PMPA

Na extensão da Protásio Alves, os cruzamentos com as ruas Palmeira, Montenegro e Professor Cristiano Fischer estão em obras. Os trechos devem ser liberados até o final de abril.

O BRT Protásio se encontra em fase de conclusão. Já foram executados 93% dos trabalhos. Nas próximas semanas, outros cinco cruzamentos serão bloqueados para a qualificação do pavimento: nas ruas João Guimarães, Prof. Duplan, Domingos José de Almeida, Vicente da Fontoura e Coronel Lucas de Oliveira.

Prefeitura de Porto Alegre

Smov avança com obra de duplicação na Voluntários da Pátria

Equipes irão executar escavações próximo à Estação Rodoviária    Divulgação/PMPA

Equipes irão executar escavações próximo à Estação Rodoviária    Divulgação/PMPA

A partir da próxima quarta-feira, 4, equipes da Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov) irão executar escavações para posterior implantação de rede pluvial na rua Álvaro Guaspari, imediações da Estação Rodoviária. O serviço integra a obra de duplicação da avenida Voluntários da Pátria, com o objetivo de melhorar o acesso ao centro de Porto Alegre. A pavimentação da via está prevista para ocorrer após o assentamento de redes, com prazo de término previsto para até 60 dias úteis.

EPTC fará desvios no trânsito em função das obras no entorno   Divulgação/PMPA

EPTC fará desvios no trânsito em função das obras no entorno   Divulgação/PMPA

Como fica o trânsito?

Em razão do andamento do conjunto das obras, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) informa que a rua Álvaro Guaspari, imediações da Estação Rodoviária, ficará bloqueada para o trânsito de veículos por 60 dias, trecho entre o Largo Vespasiano Veppo e a avenida Voluntários da Pátria, a partir das 9h de quarta-feira, 4.

Devido ao bloqueio, os veículos procedentes da Elevada da Conceição e que desejam utilizar a rua Álvaro Guaspari para acessar a avenida Voluntários da Pátria e a avenida Farrapos poderão seguir pela seguinte rota alternativa:

…Elevada da Conceição B/C, av. Mauá, rua Cel. Vicente, av. Júlio de Castilhos, rua da Conceição, av. Voluntários da Pátria ou av. Farrapos…

O acesso às áreas de embarque e desembarque e de carga e descarga da Rodoviária (Largo Vespasiano Veppo) será alterado. Os táxis e veículos em geral deverão utilizar agora a faixa da esquerda do Largo Vespasiano Veppo para o embarque e desembarque, de acordo com sinalização no local. O acesso à av. da Legalidade permanecerá liberado pelo Largo Vespasiano Veppo. Os bloqueios e desvios serão acompanhados pelos agentes de trânsito, com orientações aos condutores.

Prefeitura de Porto Alegre

Kassab evita dar prazo para licitação do metrô de Porto Alegre

Ministro das Cidades esteve reunido com prefeitos e representantes do governo gaúcho nesta quinta

Ministro das Cidades estee reunido com prefeitos e representantes do governo gaúcho nesta quinta | Foto: André Ávila

Ministro das Cidades estee reunido com prefeitos e representantes do governo gaúcho nesta quinta | Foto: André Ávila

Prevista inicialmente para ocorrer no primeiro semestre deste ano, a licitação do metrô de Porto Alegre não tem prazo garantido pelo Ministério das Cidades. Após reunião com a Famurs nesta quinta-feira, o ministro Gilberto Kassab concedeu entrevista no Palácio Piratini, onde ao menos garantiu que a obra é uma meta do governo federal.

“Aprendi que na vida pública não se trabalha com prazos e sim com metas. No momento em que se dá prazo, você cria certezas de que será cumprido. Vamos trabalhar com metas porque é mais adequado e não cria nenhum embaraço no caso de surgir algum obstáculo. Obstáculos surgem e são normais na vida pública. A meta é de que em poucos meses a gente possa dar um pontapé inicial junto com a presidente Dilma, o governador e o vice-governador”, disse Kassab.

Gilberto Kassab ressaltou ainda que uma equipe do Ministério das Cidades trabalha em conjunto com o Ministério do Planejamento para construir um modelo para obras como a do metrô da capital gaúcha. “Nós temos no ministério uma equipe que está integrada trabalhando como Ministério do Planejamento construindo esse modelo. Em breve, com a definição desse modelo, essa equipe se reunirá aqui no RS com o presidente da empresa metropolitana e o Secretário da Fazenda para que possamos dar os últimos passos para caminhar nessa definição”, continuou.

Representante do Governo do Estado na reunião, o vice-governador José Paulo Cairoli afirmou que, apesar da crise financeira do Rio Grande do Sul, o Piratini poderá cumprir sua parte no acordo pelo Metrô por meio de um fundo garantidor. “O ministro Kassab mencionou que foi vinculada a possibilidade de criar o fundo garantidor, que foi a forma encontrada de viabilizar não só o metrô do Rio Grande do Sul como obras em outros estados. Quando se fala em fundo garantidor, se fala de aporte do Governo do Estado”, sintetizou.

Em dezembro do ano passado, uma portaria publicada no Diário Oficial da União liberou R$ 1,77 bilhão a fundo perdido para o metrô de Porto Alegre e garantiu o financiamento de R$ 3,54 bilhões com contrapartida do governo do Estado (R$ 1,08 bilhão) e da prefeitura da Capital (R$ 690 milhões).

Correio do Povo e Rádio Guaíba

Protesto contra aumento da passagem termina na frente do Palácio da Polícia

Manifestantes querem a libertação de dois presos do protesto na Vila São Pedro

Protesto começou no centro de Porto Alegre | Foto: Carmelito Bifano / Especial CP

Protesto começou no centro de Porto Alegre | Foto: Carmelito Bifano / Especial CP

O aumento das passagens de ônibus em Porto Alegre, que ocorreu no último domingo, voltou a ser motivo de uma manifestação pelas ruas da Capital. O protesto organizado pelo Bloco de Luta pelo Transporte Público reuniu cerca de 600 pessoas desde as 17h no Paço Municipal. Duas horas depois, os manifestantes saíram em uma caminhada que teve fim no Palácio da Polícia, onde protestaram contra ação da Brigada Militar em uma manifestação que ocorreu na Vila São Pedro, na zona Leste, onde pelo menos três pessoas foram detidas.

Munidos com faixas e cartazes exigindo passe livre e a revogação do aumento que elevou a passagem do ônibus para R$ 3,25, o grupo iniciou deslocamento pela avenida Borges de Medeiros sob o grito: “Se a passagem aumentar, Porto Alegre vai parar”. Após passar pela avenida Júlio de Castilhos, os manifestantes subiram a rua Doutor Flores. Lojas foram pichadas, mesmo com a presença do Batalhão de Operações Especiais (BOE) da Brigada Militar.

Gritando bordões como “Mãos ao alto. Esse aumento é um assalto”, eles entraram na Salgado Filho na direção da João Pessoa. Em todo o trajeto, soldados do BOE se posicionavam diante das agências bancárias e lojas que tinham a fachada com vidros. Ao todo, 150 policiais acompanharam o protesto.

No viaduto da João Pessoa, os manifestantes entraram na rua Engenheiro Luiz Englert, passando ao lado da UFRGS, e na sequência na Osvaldo Aranha. Enquanto caminhavam, os protestantes saltavam e gritavam: “Quem não pula, quer aumento”. Porém, na frente do Hospital de Pronto Socorro o grupo fez silêncio durante a sua passagem.

À esta altura já corria a informação sobre a prisão de pelo menos três pessoas em um protesto na avenida Ipiranga, na zona Leste. Reclamando da ação da Brigada – que teria cometido excessos no local – os manifestantes seguiram até o Palácio da Polícia, com objetivo de exigir a liberação dos deditos. Chegaram até a sede da Polícia Civil após passarem pela Venâncio Aires e João Pessoa. Novamente lojas no caminho foram pichadas e vidros de um centro comercial foram atingidos por pedras. Em uma concessionária de veículos, a polícia ficou postada na entrada e evitou qualquer tipo de depredação.

Na sequência, o grupo entrou na avenida Ipiranga e voltou a fazer silêncio na frente do hospital Ernesto Dornelles. A caminhada foi encerrada na frente do Palácio da Polícia. Eles garantiram que ficariam no local até que os três que estão na 3ª delegacia de polícia fossem liberados. No entanto, informação de que um dos presos teria sido levado ao HPS motivou os manifestantes a deixar o Palácio e retornaram à frente do hospital. No meio do caminho, porém, uma nova informação, de que a pessoa já teria tido alta, fez com que boa parte do grupo desistisse da empreitada, dispersando o movimento pouco antes das 22h.

Correio do Povo

Infraero aprova ampliação da pista do Salgado Filho

Prefeitura transferiu a área necessária ao início da obra em janeiro de 2011   Foto: Joel Vargas/PMPA

Prefeitura transferiu a área necessária ao início da obra em janeiro de 2011   Foto: Joel Vargas/PMPA

O prefeito José Fortunati comemorou a aprovação da ampliação da pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho na reunião do Conselho de Administração da Infraero, realizada nesta terça-feira, 24, em Brasília. Agora a empresa pública inicia o processo de licitação, que será pelo Regime Diferenciado de Contratações (RDC), e inclui o planejamento, projetos, gerenciamento e execução integral de todas as fases do empreendimento. Nos últimos meses, Fortunati reforçou o debate com o governo federal sobre a necessidade e urgência da obra.

“Eu não tinha dúvidas de que o Conselho de Administração da Infraero compreenderia a importância dessa obra para Porto Alegre e para o Rio Grande do Sul. Estávamos otimistas. Esperamos que os trabalhos iniciem o mais rápido possível para que, em breve, tenhamos mais segurança, novos voos operando na nossa cidade e mais desenvolvimento para o estado”, disse Fortunati. Ele reforçou que todas as condições necessárias à execução das obras já foram garantidas pela prefeitura, que transferiu a área ao governo federal em janeiro de 2011.

A reunião na sede da Infraero, na capital federal, iniciou às 14h. O conselho, que delibera ações estratégicas, acatou a proposta da Diretoria Executiva da empresa, apresentada por voto do presidente da Infraero, Antônio Gustavo Matos do Vale. Com a confirmação, a pista será ampliada em 920 metros, passando dos 2.280 metros atuais para 3.200 metros. A assinatura do contrato foi condicionada à liberação de recursos orçamentários. O dinheiro já foi garantido pelo ministro da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha, que informou em visita a Porto Alegre, no dia 6 de fevereiro, que a sua secretaria tem verba para a obra do Fundo Nacional de Aviação Civil.

Uma nova condição para que o contrato seja assinado, estabelecida na reunião do conselho, é a emissão de ordem de serviço relativa ao encaminhamento da remoção total das famílias das vilas Nazaré, Dique e Floresta, além dos obstáculos à plena operação da pista. “A prefeitura tem convicção, com base em documentos assinados pela direção da Infraero, que todas as medidas necessárias ao início da obra foram adotadas. Em momento algum a empresa exigiu a retirada de todas as famílias da região e dos obstáculos antes do término das obras. Essas exigências impactam tão somente no início das operações, previsto pela própria empresa para no mínimo daqui a quatro anos”, afirmou Fortunati. De acordo com o cronograma da prefeitura, até o final de 2016 todas as famílias e obstáculos serão removidos. As documentações solicitadas relativas a este cronograma serão enviadas à Infraero.

O presidente da empresa colocou a análise do projeto na pauta da reunião depois de uma audiência com o prefeito, no último dia 3, na qual Fortunati apresentou aos diretores da Infraero a mobilização da sociedade gaúcha pela obra e demonstrou que as condições necessárias para o seu início já foram dadas pela prefeitura. Naquela semana, Matos do Vale chegou a abrir o voto a favor da ampliação da pista do Salgado Filho em visita a Porto Alegre.

Prefeitura de Porto Alegre

(grifos do blog)

_______________________

A matéria do Jornal Zero Hora:

Conselho de Administração da Infraero aprova ampliação da pista do Salgado Filho

Conforme comentário do leitor Felipe Oliveira, abaixo, a ZH cita que a obra seria custeada pelo PAC 3, ao contrário do que o Ministro Eliseu Padilha garantiu. A verba estaria garantida pelos mais de 4 bilhões de reais do Fundo da Aviação Civil.

O comentário integral do leitor Felipe Oliveira:

“Padilha já disse que Secretaria da Aviação Civil possui recursos próprios na casa de mais de quatro BILHÕES de reais, oriundos do Fundo específico que o órgão dispõe, decorrentes das cobranças das taxas da aviação civil, e que por isso não é preciso contar com a ajuda do cofre geral do Governo Federal e etc. Ele deixou isso bem claro aos jornalistas na segunda reunião do movimento pró-salgado filho (aquela onde apresentou os slides). Disse que por isso mesmo, passando no conselho, que seria uma mera formalidade, a obra pode sair “imediatamente” (leia-se, iniciar os trâmites licitatórios), pois dinheiro tem.

Que papo é esse agora de que vai depender de PAC-3? Os jornalistas não questionarão isso? É um equívoco essa informação ou muita sacanagem essa mudança agora de discurso, pois Padilha já havia dito que há recurso assegurado diretamente do Fundo da Aviação para tanto. Parece forçassão de barra pra iniciar a discussão desde o princípio novamente, qd já ficou acertado que o conselho aprova e depois logo em seguida já se iniciam os passos concretos seguintes.

Em ZH:

“— Não se preocupem com restrição fiscal. Nossa secretaria (de Aviação Civil) tem recursos próprios. O dinheiro é nosso, do Fundo Nacional de Aviação Civil — afirmou Padilha.”

“[…] o recurso necessário para expandir o Aeroporto Internacional Salgado Filho está garantido. A afirmação foi feita na tarde desta sexta-feira, em Porto Alegre, pelo ministro da Aviação, Eliseu Padilha, durante reunião sobre o Plano Diretor do aeroporto, no Palácio do Ministério Público.”

Fonte:

http://zh.clicrbs.com.br/rs/porto-alegre/noticia/2015/02/eliseu-padilha-garante-que-havera-dinheiro-necessario-para-ampliacao-do-salgado-filho-4695500.html

Ou seja, que não venham agora falar em dependência do PAC-3. Incertezas de recursos e blá, blá, blá. O Ministro assegurou a verba, oriunda de recursos de fundo próprio, terá que cumprir. Ou será duramente cobrado para que assim o faça.

Ass.: Felipe Oliveira da Silva

 

 

Universidade de Porto Alegre terá serviço de aluguel de carros elétricos

Universidade Federal do Rio Grande do Sul vai iniciar teste de carro elétrico compartilhado. Serviço funcionará ainda em 2015 e atenderá a comunidade acadêmica

Modelos são dobráveis, o que reduz o espaço créditos: Divulgação

Modelos são dobráveis, o que reduz o espaço
créditos: Divulgação

A partir deste ano, começa a funcionar em Porto Alegre, ainda em fase de testes, o compartilhamento de carros elétricos na UFRGS, similar ao que já acontece com o Bike Poa. O projeto Sivi (Sistema Veicular Inteligente) vai beneficiar primeiro a comunidade universitária, já que as duas primeiras estações, cada uma com um carro, ficarão nos campi Centro e do Vale.

A tarifa ficará em R$ 24. O carro elétrico chega à 70 km/h. O veículo não é poluente, é isento de IPVA e roda a cerca de R$ 0,10 por quilômetro.

 

Criado por estudantes da pós-graduação, que montaram a startup MVM Technologies, o sistema poderá chegar em toda a capital. “Temos um planejamento para segunda etapa, tornando possível um serviço de escala, em Porto Alegre. Fora disso, a expansão para região metropolitana, o que é possível , temos que ver um prazo mais longo”, explicou o diretor executivo da empresa, Lucas de Paris.

O modelo, implantado nos Estados Unidos e na Europa, permite ao usuário pegar o carro em vagas ou garagens espalhadas pela cidade e devolvê-lo, depois, em um período determinado. Em dezembro passado, o sistema começou a funcionar no Recife, e em 2015 deve estar em funcionamento também no Rio de Janeiro.

PORTAL MOBILIZE BRASIL

Fonte: RBS 

Prefeito vai a Brasília pedir apoio para projeto que reduz tarifas

Foto: Gilberto Simon

Foto: Gilberto Simon

O prefeito José Fortunati estará em Brasília nesta terça-feira, 24, para tratar do Regime Especial de Incentivo ao Transporte Coletivo Urbano e Metropolitano de Passageiros (Reitup) com a bancada gaúcha. Fortunati vai dialogar com os parlamentares e pedir apoio na aprovação da matéria, que está em tramitação no Congresso Nacional. A reunião ocorrerá às 17h, no Plenário 13 da Câmara dos Deputados.

Fortunati, que também é presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), defende a aprovação do Reitup, que visa a estabelecer uma série de ações para organizar o sistema de transporte coletivo urbano e reduzir as tarifas, entre elas a concessão de benefícios fiscais para empresas do setor, como a isenção do PIS e Cofins para a compra de combustíveis e equipamentos, além de um modelo de planilha de custos único para todo o país e medidas de transparência.

Conforme o prefeito, a redução nas tarifas do transporte público tem sido uma luta de todas as capitais. Em Porto Alegre, desde 2013, Fortunati garantiu por decreto a isenção do Imposto sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISQN) sobre o transporte coletivo, medida que possibilitou a redução de 2,5% do valor da tarifa.

“Acredito que, se houver boa vontade política das demais instâncias federativas, temos condições de reduzir as tarifas por meio da aprovação do Reitup, que prevê isenções fiscais também em nível estadual e federal. Estudos da FNP apontam que a redução do valor final da tarifa poderia ser superior a 20%”, afirmou o prefeito.

Além da batalha pela aprovação do Reitup, Fortunati defende que uma parte da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre a gasolina e o diesel poderia ser repassada. “Agora que o governo federal está retomando a Cide, seria o momento para direcioná-la. É nas cidades que as pessoas abastecem. Parte desse valor poderia ser direcionada ao transporte público”, destacou.

Pista do Salgado Filho – Também nesta terça-feira, em Brasília, o Conselho de Administração da Infraero deve analisar e definir o encaminhamento da ampliação da pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho. O presidente da Infraero e membro do conselho, Antônio Gustavo Matos do Vale, confirmou no dia 3 de fevereiro, durante audiência com Fortunati, na sede da empresa, que o tema vai entrar na pauta da reunião.

Segundo o prefeito, a expectativa é positiva, pois o próprio presidente abriu publicamente o seu voto a favor do empreendimento. “A Infraero nos garantiu que a obra nunca foi descartada pelo governo federal. Além disso, o próprio ministro da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha, se mostrou otimista sobre a ampliação da pista e disse que recursos financeiros não serão um problema, uma vez que a secretaria possui o Fundo Nacional de Aviação Civil. Estamos esperando essa confirmação tão importante para Porto Alegre”, afirmou Fortunati.

Prefeitura de Porto Alegre

Porto Alegre é capital menos violenta no trânsito brasileiro

Índice de 11,7 mortes por 100 mil habitantes é um terço do registrado por líder, Recife

Jéssica Mello

Índice de 11,7 mortes por 100 mil habitantes é um terço menor que líder, Recife | Foto: Ricardo Giusti / CP Memória

Índice de 11,7 mortes por 100 mil habitantes é um terço menor que líder, Recife | Foto: Ricardo Giusti / CP Memória

Entre as dez capitais mais populosas do Brasil, Porto Alegre foi considerada a cidade menos violenta no trânsito. A Capital tem uma média de 11,7 mortes para cada grupo de 100 mil habitantes. Os dados constam do estudo Retrato da Segurança Viária, elaborado pelo Observatório Nacional de Segurança e Falconi Consultores de Resultado, divulgado nesta segunda-feira. A Capital tem menos da metade dos óbitos das líderes em violência:  Recife (34,7), Fortaleza (27,1) e Belo Horizonte (22,5). Famosa pelo trânsito complicado, São Paulo ficou logo atrás de Porto Alegre, com média de 11,8 mortes por 100 mil habitantes. O relatório leva em conta as mortes ocorridas de 2001 a 2012.

Se a Capital gaúcha tem um tráfego razoavelmente calmo, a região Sul do país não acompanha a tendência. Segundo o estudo, ela é a segunda com maior número de óbitos em acidentes de trânsito, com 27,6 mortes por 100 mil habitantes. Os três estados do Sul ficam abaixo apenas da região Centro-Oeste, que soma 31,8 óbitos.

Um dado preocupante no estudo é o crescimento de mortes com motocicletas. Foi feito um levantamento dos dados de 2012, que indicaram um aumento de 140% nas mortes de motociclistas. A tendência começou em 2010. Para o professor de transportes da Faculdade de Engenharia da UFRGS, João Fortini Albano, os condutores desse tipo de veículo são muito vulneráveis. Geralmente, são motoboys que trabalham com prazos e tendem a acelerar mais e andar no meio dos carros. “O perfil é de direção perigosa, sempre no limite”, analisa Albano. “Este comportamento exige maior fiscalização e uma formação melhor, com exames e aulas em cenário real”, comenta.

Segundo o diretor-presidente do Detran-RS, Ildo Mario Szinvelski, a autarquia gaúcha enviou sugestões ao Denatran e à Associação Nacional dos Detrans para a qualificação de motociclistas. “Acreditamos que a formação deveria ocorrer em duas etapas”, afirma. “Uma em espaço fechado, como é atualmente, e outra no espaço real, além do uso de simuladores”. No entanto, Szinvelski acredita que o principal meio para uma mudança é a conscientização da população. “Todo acidente é precedido por uma infração”.

A análise apontou que o trânsito é a 8ª causa de morte no mundo. Os números aumentam a cada ano. No Brasil, 45,7 mil pessoas morreram nas estradas e ruas em 2012 e 177,4 mil ficaram feridas. O gasto do país em decorrência dos acidentes foi de R$ 16 bilhões. No RS, o custo atingiu a cifra de R$ 653 milhões. A cidade gaúcha com a maior taxa de mortes por 100 mil habitantes é Soledades, com índice de 79,8. Alvorada tem o número mais baixo, com 3,5.

Dados do Detran gaúcho,  de 2014, revelam que o número de mortes teve uma elevação de 1,9% em relação a 2013. Elas passaram de 1.985 para 2.023. Neste período, a variação não acompanhou o crescimento da frota (6,6%) e do cadastro de condutores, que apresentou um crescimento de 3,7%. Os jovens continuam sendo as vítimas mais vulneráveis. Enquanto a faixa etária dos 18 a 39 anos representa 34% da população, ela é responsável por 43% das vítimas de trânsito. Pelo menos um terço dos acidentes, em 2014, ocorreu entre 18h e meia-noite. Quase 40% dos óbitos aconteceram nos finais de semana.

Correio do Povo

Trens acoplados da Trensurb iniciam operação

Veículos vão funcionar nos horários de pico entre as estações Mercado e Sapucaia do Sul

Cláudio Isaias

Trens acoplados da Trensurb iniciam operação | Foto: Tarsila Pereira

Trens acoplados da Trensurb iniciam operação | Foto: Tarsila Pereira

Duas composições de oito carros da Trensurb começaram a circular nesta segunda-feira nos horários de pico entre as estações Mercado e Sapucaia do Sul. Os veículos funcionam das 6h30min às 8h30min e das 17h30min às 19h30min. O diretor de Operações da Trensurb, Carlos Augusto Belolli, explicou que os trens nos horários de pico terão capacidade para transportar 2.160 passageiros por composição.

A meta da empresa é que, até julho deste ano, oito trens acoplados entrem em operação entre as estações Mercado e Sapucaia do Sul, em razão de demanda de passageiros. Hoje, operam 24 trens com quatro composições que transportam, em cada composição, 1.080 passageiros. No final do ano passado, a Trensurb adquiriu 15 novos trens que estão em fase de ajustes e que, segundo Belolli, em breve estarão em operação na linha da empresa. O investimento na aquisição dos trens foi de R$ 243 milhões. As duas composições de oito carros cada uma delas formada por dois trens da série 100 acoplados circulam em dias úteis.

Conforme Belolli, a medida é uma alternativa para ampliar a oferta de lugares no trem em um mesmo espaço de tempo, uma vez que o intervalo mínimo entre viagens já foi atingido. “A confirmação da possibilidade de duas composições de oito carros circularem simultaneamente sem que haja problemas de fornecimento de energia de tração foi obtida após avaliações realizadas pela equipe técnica da Trensurb”, acrescentou. O acoplamento dos trens ocorre com a união de dois trens série 100, formando uma única composição de dois veículos.

A Trensurb transporta cerca de 190 mil passageiros por dia entre as 22 estações do Mercado até Novo Hamburgo.

Correio do Povo