EPTC confirma nova licitação dos ônibus para dia 6 de maio

Projeto para qualificar o transporte terá de oito a dez editais, com todas as bacias  Foto: Marcela Barbosa/Divulgação PMPA

Projeto para qualificar o transporte terá de oito a dez editais, com todas as bacias  Foto: Marcela Barbosa/Divulgação PMPA

Em reunião com o prefeito José Fortunati, na manhã desta terça-feira, 3, o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Capellari, confirmou a data de 6 de maio para a publicação dos editais da nova licitação do transporte coletivo de Porto Alegre. Os técnicos da empresa já trabalham na reelaboração do projeto básico, contemplando todos os avanços já incorporados ao edital anterior, como o ar-condicionado na frota e o conselho de usuários. A ideia é que esta tarefa seja concluída até o final deste mês.

Nas duas primeiras semanas de abril, serão realizadas as discussões com a comunidade, via Orçamento Participativo. Na terceira semana, entre os dias 13 e 15, a prefeitura promoverá uma audiência pública em local ainda a ser definido. As contribuições aceitas serão incorporadas ao edital pelos técnicos na última semana de abril. Conforme Capellari, a previsão é de que sejam de oito a dez editais, abrangendo todas as bacias.

“A intenção é estabelecer uma compatibilidade operacional que permita a participação de empresas menores e a democratização do pleito, através da ampliação da concorrência. Com isso, se garantiria, também, uma pressão menor sobre a tarifa”, salienta Fortunati.

Histórico

O edital de licitação é resultado de mais de dois anos de trabalho das equipes da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) e demais órgãos técnicos da prefeitura. O conteúdo que prevê ampliação e qualificação do serviço prestado ao cidadão foi enriquecido com contribuições efetivas dos usuários, em encontros realizados no âmbito do Orçamento Participativo (OP), com a presença de cerca de 1.700 pessoas, em 24 reuniões nas 17 regiões da cidade.

A prefeitura promoveu também duas audiências públicas: na Câmara de Vereadores, em 27 de fevereiro de 2014, e no Ginásio Tesourinha, em 10 de março. Em março, o prefeito José Fortunati recebeu contribuições do Legislativo municipal para a composição. Foi criado, ainda, um canal de participação da população via internet (licitacaodeonibus@portoalegre.rs.gov.br). Houve o registro de 241 e-mails recebidos, com sugestões individuais ou representativas de entidades, mais sugestões recebidas diretamente de entidades, todas analisadas pelos técnicos do município. Entre as sugestões destacaram-se: a redução da taxa de ocupação dos ônibus, ar condicionado, a redução dos tempos de espera nas paradas, entre outros relacionados à operação e ao conforto.

Elaborado por uma comissão especial de licitação, o primeiro edital foi publicado em 31 de março de 2014 no Diário Oficial de Porto Alegre e em veículos da mídia impressa, de circulação regional e nacional, e igualmente disponibilizado, na íntegra, no site da prefeitura. O recebimento das propostas dos interessados foi definido para 3 de junho, mas não houve interessados, e a licitação, considerada deserta.

Após o resultado, sem apresentação de propostas, o prefeito José Fortunati estabeleceu o prazo máximo de seis meses para o lançamento de um novo edital, com possibilidade de inclusão de empresas internacionais, além de ajustes técnicos no documento original. O esforço concentrado das equipes permitiu que o edital, agora também com abrangência internacional, fosse publicado pouco mais de três meses depois da primeira tentativa, em 19 de setembro de 2014. Novamente não houve propostas de interessados.

Prefeitura de Porto Alegre

ATP promete renovar a frota até o final deste ano

Cronograma será apresentado à prefeitura e à EPTC no final deste mês

Passagem custa R$ 3,25 desde 22 de fevereiro deste ano | Foto: Vinicius Roratto / CP Memória

Passagem custa R$ 3,25 desde 22 de fevereiro deste ano | Foto: Vinicius Roratto / CP Memória

Em reunião com a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), a Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP) prometeu que fará a renovação da frota dos ônibus neste ano. Até o final de março, a ATP vai elaborar cronograma e apresentar à prefeitura e à EPTC, que auxiliarão na busca por financiamento. A frota local é de 1,6 mil veículos; 499 deles têm entre oito e dez anos.

No entanto, a ATP afirmou no início de fevereiro que, com base na planilha de cálculo da EPTC usada para embasar o valor do reajuste da passagem em Porto Alegre, o envelhecimento da frota dos coletivos que rodam na cidade seria um dos prejuízos que a população teria com o valor ficando em R$ 3,25 e não em R$ 3, 49 como era o pretendido pelos empresários.

Na oportunidade, o gerente-executivo da ATP, Luis Mário Magalhães de Sá, afirmou que a frota atual não é renovada desde 2013, e que a tendência era a situação se manter assim. “Nós vamos operar com os custos mínimos necessários para que o serviço se mantenha”, ponderou.

Reajuste

O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, sancionou o aumento da passagemde ônibus de Porto Alegre no dia 19 de fevereiro. O valor passou de R$ 2,95 para R$ 3,25. Para os estudantes, a tarifa passou a custar R$ 1,62 apenas para a primeira viagem. As lotações cobram desde então R$ 4,85. Os novos valores entraram em vigor a partir do dia 22 de fevereiro.

Correio do Povo

Obras do BRT Protásio estão 93% concluídas

Trabalho está em fase de conclusão, com 93% da obra executada   Foto: Joel Vargas/PMPA

Trabalho está em fase de conclusão, com 93% da obra executada   Foto: Joel Vargas/PMPA

Estão em andamento na Capital as obras de qualificação do pavimento em seis cruzamentos ao longo das avenidas Osvaldo Aranha e Protásio Alves. O serviço consiste na substituição do asfalto por placas de concreto, uma adaptação para o sistema BRT. Em todo o projeto estão previstos a implantação de aproximadamente sete quilômetros de corredor de ônibus ao longo da via.

Os cruzamentos da Osvaldo Aranha com as ruas Garibaldi e Santo Antônio já foram concretados e devem ser liberados nas próximas semanas. Já o trecho da Sarmento Leite, em frente ao túnel da Conceição, está em fase de concretagem.

Nas próximas semanas, outros cinco cruzamentos serão bloqueados   Foto: Joel Vargas/PMPA

Nas próximas semanas, outros cinco cruzamentos serão bloqueados   Foto: Joel Vargas/PMPA

Na extensão da Protásio Alves, os cruzamentos com as ruas Palmeira, Montenegro e Professor Cristiano Fischer estão em obras. Os trechos devem ser liberados até o final de abril.

O BRT Protásio se encontra em fase de conclusão. Já foram executados 93% dos trabalhos. Nas próximas semanas, outros cinco cruzamentos serão bloqueados para a qualificação do pavimento: nas ruas João Guimarães, Prof. Duplan, Domingos José de Almeida, Vicente da Fontoura e Coronel Lucas de Oliveira.

Prefeitura de Porto Alegre

Smov avança com obra de duplicação na Voluntários da Pátria

Equipes irão executar escavações próximo à Estação Rodoviária    Divulgação/PMPA

Equipes irão executar escavações próximo à Estação Rodoviária    Divulgação/PMPA

A partir da próxima quarta-feira, 4, equipes da Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov) irão executar escavações para posterior implantação de rede pluvial na rua Álvaro Guaspari, imediações da Estação Rodoviária. O serviço integra a obra de duplicação da avenida Voluntários da Pátria, com o objetivo de melhorar o acesso ao centro de Porto Alegre. A pavimentação da via está prevista para ocorrer após o assentamento de redes, com prazo de término previsto para até 60 dias úteis.

EPTC fará desvios no trânsito em função das obras no entorno   Divulgação/PMPA

EPTC fará desvios no trânsito em função das obras no entorno   Divulgação/PMPA

Como fica o trânsito?

Em razão do andamento do conjunto das obras, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) informa que a rua Álvaro Guaspari, imediações da Estação Rodoviária, ficará bloqueada para o trânsito de veículos por 60 dias, trecho entre o Largo Vespasiano Veppo e a avenida Voluntários da Pátria, a partir das 9h de quarta-feira, 4.

Devido ao bloqueio, os veículos procedentes da Elevada da Conceição e que desejam utilizar a rua Álvaro Guaspari para acessar a avenida Voluntários da Pátria e a avenida Farrapos poderão seguir pela seguinte rota alternativa:

…Elevada da Conceição B/C, av. Mauá, rua Cel. Vicente, av. Júlio de Castilhos, rua da Conceição, av. Voluntários da Pátria ou av. Farrapos…

O acesso às áreas de embarque e desembarque e de carga e descarga da Rodoviária (Largo Vespasiano Veppo) será alterado. Os táxis e veículos em geral deverão utilizar agora a faixa da esquerda do Largo Vespasiano Veppo para o embarque e desembarque, de acordo com sinalização no local. O acesso à av. da Legalidade permanecerá liberado pelo Largo Vespasiano Veppo. Os bloqueios e desvios serão acompanhados pelos agentes de trânsito, com orientações aos condutores.

Prefeitura de Porto Alegre

Kassab evita dar prazo para licitação do metrô de Porto Alegre

Ministro das Cidades esteve reunido com prefeitos e representantes do governo gaúcho nesta quinta

Ministro das Cidades estee reunido com prefeitos e representantes do governo gaúcho nesta quinta | Foto: André Ávila

Ministro das Cidades estee reunido com prefeitos e representantes do governo gaúcho nesta quinta | Foto: André Ávila

Prevista inicialmente para ocorrer no primeiro semestre deste ano, a licitação do metrô de Porto Alegre não tem prazo garantido pelo Ministério das Cidades. Após reunião com a Famurs nesta quinta-feira, o ministro Gilberto Kassab concedeu entrevista no Palácio Piratini, onde ao menos garantiu que a obra é uma meta do governo federal.

“Aprendi que na vida pública não se trabalha com prazos e sim com metas. No momento em que se dá prazo, você cria certezas de que será cumprido. Vamos trabalhar com metas porque é mais adequado e não cria nenhum embaraço no caso de surgir algum obstáculo. Obstáculos surgem e são normais na vida pública. A meta é de que em poucos meses a gente possa dar um pontapé inicial junto com a presidente Dilma, o governador e o vice-governador”, disse Kassab.

Gilberto Kassab ressaltou ainda que uma equipe do Ministério das Cidades trabalha em conjunto com o Ministério do Planejamento para construir um modelo para obras como a do metrô da capital gaúcha. “Nós temos no ministério uma equipe que está integrada trabalhando como Ministério do Planejamento construindo esse modelo. Em breve, com a definição desse modelo, essa equipe se reunirá aqui no RS com o presidente da empresa metropolitana e o Secretário da Fazenda para que possamos dar os últimos passos para caminhar nessa definição”, continuou.

Representante do Governo do Estado na reunião, o vice-governador José Paulo Cairoli afirmou que, apesar da crise financeira do Rio Grande do Sul, o Piratini poderá cumprir sua parte no acordo pelo Metrô por meio de um fundo garantidor. “O ministro Kassab mencionou que foi vinculada a possibilidade de criar o fundo garantidor, que foi a forma encontrada de viabilizar não só o metrô do Rio Grande do Sul como obras em outros estados. Quando se fala em fundo garantidor, se fala de aporte do Governo do Estado”, sintetizou.

Em dezembro do ano passado, uma portaria publicada no Diário Oficial da União liberou R$ 1,77 bilhão a fundo perdido para o metrô de Porto Alegre e garantiu o financiamento de R$ 3,54 bilhões com contrapartida do governo do Estado (R$ 1,08 bilhão) e da prefeitura da Capital (R$ 690 milhões).

Correio do Povo e Rádio Guaíba

Protesto contra aumento da passagem termina na frente do Palácio da Polícia

Manifestantes querem a libertação de dois presos do protesto na Vila São Pedro

Protesto começou no centro de Porto Alegre | Foto: Carmelito Bifano / Especial CP

Protesto começou no centro de Porto Alegre | Foto: Carmelito Bifano / Especial CP

O aumento das passagens de ônibus em Porto Alegre, que ocorreu no último domingo, voltou a ser motivo de uma manifestação pelas ruas da Capital. O protesto organizado pelo Bloco de Luta pelo Transporte Público reuniu cerca de 600 pessoas desde as 17h no Paço Municipal. Duas horas depois, os manifestantes saíram em uma caminhada que teve fim no Palácio da Polícia, onde protestaram contra ação da Brigada Militar em uma manifestação que ocorreu na Vila São Pedro, na zona Leste, onde pelo menos três pessoas foram detidas.

Munidos com faixas e cartazes exigindo passe livre e a revogação do aumento que elevou a passagem do ônibus para R$ 3,25, o grupo iniciou deslocamento pela avenida Borges de Medeiros sob o grito: “Se a passagem aumentar, Porto Alegre vai parar”. Após passar pela avenida Júlio de Castilhos, os manifestantes subiram a rua Doutor Flores. Lojas foram pichadas, mesmo com a presença do Batalhão de Operações Especiais (BOE) da Brigada Militar.

Gritando bordões como “Mãos ao alto. Esse aumento é um assalto”, eles entraram na Salgado Filho na direção da João Pessoa. Em todo o trajeto, soldados do BOE se posicionavam diante das agências bancárias e lojas que tinham a fachada com vidros. Ao todo, 150 policiais acompanharam o protesto.

No viaduto da João Pessoa, os manifestantes entraram na rua Engenheiro Luiz Englert, passando ao lado da UFRGS, e na sequência na Osvaldo Aranha. Enquanto caminhavam, os protestantes saltavam e gritavam: “Quem não pula, quer aumento”. Porém, na frente do Hospital de Pronto Socorro o grupo fez silêncio durante a sua passagem.

À esta altura já corria a informação sobre a prisão de pelo menos três pessoas em um protesto na avenida Ipiranga, na zona Leste. Reclamando da ação da Brigada – que teria cometido excessos no local – os manifestantes seguiram até o Palácio da Polícia, com objetivo de exigir a liberação dos deditos. Chegaram até a sede da Polícia Civil após passarem pela Venâncio Aires e João Pessoa. Novamente lojas no caminho foram pichadas e vidros de um centro comercial foram atingidos por pedras. Em uma concessionária de veículos, a polícia ficou postada na entrada e evitou qualquer tipo de depredação.

Na sequência, o grupo entrou na avenida Ipiranga e voltou a fazer silêncio na frente do hospital Ernesto Dornelles. A caminhada foi encerrada na frente do Palácio da Polícia. Eles garantiram que ficariam no local até que os três que estão na 3ª delegacia de polícia fossem liberados. No entanto, informação de que um dos presos teria sido levado ao HPS motivou os manifestantes a deixar o Palácio e retornaram à frente do hospital. No meio do caminho, porém, uma nova informação, de que a pessoa já teria tido alta, fez com que boa parte do grupo desistisse da empreitada, dispersando o movimento pouco antes das 22h.

Correio do Povo

Infraero aprova ampliação da pista do Salgado Filho

Prefeitura transferiu a área necessária ao início da obra em janeiro de 2011   Foto: Joel Vargas/PMPA

Prefeitura transferiu a área necessária ao início da obra em janeiro de 2011   Foto: Joel Vargas/PMPA

O prefeito José Fortunati comemorou a aprovação da ampliação da pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho na reunião do Conselho de Administração da Infraero, realizada nesta terça-feira, 24, em Brasília. Agora a empresa pública inicia o processo de licitação, que será pelo Regime Diferenciado de Contratações (RDC), e inclui o planejamento, projetos, gerenciamento e execução integral de todas as fases do empreendimento. Nos últimos meses, Fortunati reforçou o debate com o governo federal sobre a necessidade e urgência da obra.

“Eu não tinha dúvidas de que o Conselho de Administração da Infraero compreenderia a importância dessa obra para Porto Alegre e para o Rio Grande do Sul. Estávamos otimistas. Esperamos que os trabalhos iniciem o mais rápido possível para que, em breve, tenhamos mais segurança, novos voos operando na nossa cidade e mais desenvolvimento para o estado”, disse Fortunati. Ele reforçou que todas as condições necessárias à execução das obras já foram garantidas pela prefeitura, que transferiu a área ao governo federal em janeiro de 2011.

A reunião na sede da Infraero, na capital federal, iniciou às 14h. O conselho, que delibera ações estratégicas, acatou a proposta da Diretoria Executiva da empresa, apresentada por voto do presidente da Infraero, Antônio Gustavo Matos do Vale. Com a confirmação, a pista será ampliada em 920 metros, passando dos 2.280 metros atuais para 3.200 metros. A assinatura do contrato foi condicionada à liberação de recursos orçamentários. O dinheiro já foi garantido pelo ministro da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha, que informou em visita a Porto Alegre, no dia 6 de fevereiro, que a sua secretaria tem verba para a obra do Fundo Nacional de Aviação Civil.

Uma nova condição para que o contrato seja assinado, estabelecida na reunião do conselho, é a emissão de ordem de serviço relativa ao encaminhamento da remoção total das famílias das vilas Nazaré, Dique e Floresta, além dos obstáculos à plena operação da pista. “A prefeitura tem convicção, com base em documentos assinados pela direção da Infraero, que todas as medidas necessárias ao início da obra foram adotadas. Em momento algum a empresa exigiu a retirada de todas as famílias da região e dos obstáculos antes do término das obras. Essas exigências impactam tão somente no início das operações, previsto pela própria empresa para no mínimo daqui a quatro anos”, afirmou Fortunati. De acordo com o cronograma da prefeitura, até o final de 2016 todas as famílias e obstáculos serão removidos. As documentações solicitadas relativas a este cronograma serão enviadas à Infraero.

O presidente da empresa colocou a análise do projeto na pauta da reunião depois de uma audiência com o prefeito, no último dia 3, na qual Fortunati apresentou aos diretores da Infraero a mobilização da sociedade gaúcha pela obra e demonstrou que as condições necessárias para o seu início já foram dadas pela prefeitura. Naquela semana, Matos do Vale chegou a abrir o voto a favor da ampliação da pista do Salgado Filho em visita a Porto Alegre.

Prefeitura de Porto Alegre

(grifos do blog)

_______________________

A matéria do Jornal Zero Hora:

Conselho de Administração da Infraero aprova ampliação da pista do Salgado Filho

Conforme comentário do leitor Felipe Oliveira, abaixo, a ZH cita que a obra seria custeada pelo PAC 3, ao contrário do que o Ministro Eliseu Padilha garantiu. A verba estaria garantida pelos mais de 4 bilhões de reais do Fundo da Aviação Civil.

O comentário integral do leitor Felipe Oliveira:

“Padilha já disse que Secretaria da Aviação Civil possui recursos próprios na casa de mais de quatro BILHÕES de reais, oriundos do Fundo específico que o órgão dispõe, decorrentes das cobranças das taxas da aviação civil, e que por isso não é preciso contar com a ajuda do cofre geral do Governo Federal e etc. Ele deixou isso bem claro aos jornalistas na segunda reunião do movimento pró-salgado filho (aquela onde apresentou os slides). Disse que por isso mesmo, passando no conselho, que seria uma mera formalidade, a obra pode sair “imediatamente” (leia-se, iniciar os trâmites licitatórios), pois dinheiro tem.

Que papo é esse agora de que vai depender de PAC-3? Os jornalistas não questionarão isso? É um equívoco essa informação ou muita sacanagem essa mudança agora de discurso, pois Padilha já havia dito que há recurso assegurado diretamente do Fundo da Aviação para tanto. Parece forçassão de barra pra iniciar a discussão desde o princípio novamente, qd já ficou acertado que o conselho aprova e depois logo em seguida já se iniciam os passos concretos seguintes.

Em ZH:

“— Não se preocupem com restrição fiscal. Nossa secretaria (de Aviação Civil) tem recursos próprios. O dinheiro é nosso, do Fundo Nacional de Aviação Civil — afirmou Padilha.”

“[…] o recurso necessário para expandir o Aeroporto Internacional Salgado Filho está garantido. A afirmação foi feita na tarde desta sexta-feira, em Porto Alegre, pelo ministro da Aviação, Eliseu Padilha, durante reunião sobre o Plano Diretor do aeroporto, no Palácio do Ministério Público.”

Fonte:

http://zh.clicrbs.com.br/rs/porto-alegre/noticia/2015/02/eliseu-padilha-garante-que-havera-dinheiro-necessario-para-ampliacao-do-salgado-filho-4695500.html

Ou seja, que não venham agora falar em dependência do PAC-3. Incertezas de recursos e blá, blá, blá. O Ministro assegurou a verba, oriunda de recursos de fundo próprio, terá que cumprir. Ou será duramente cobrado para que assim o faça.

Ass.: Felipe Oliveira da Silva

 

 

Universidade de Porto Alegre terá serviço de aluguel de carros elétricos

Universidade Federal do Rio Grande do Sul vai iniciar teste de carro elétrico compartilhado. Serviço funcionará ainda em 2015 e atenderá a comunidade acadêmica

Modelos são dobráveis, o que reduz o espaço créditos: Divulgação

Modelos são dobráveis, o que reduz o espaço
créditos: Divulgação

A partir deste ano, começa a funcionar em Porto Alegre, ainda em fase de testes, o compartilhamento de carros elétricos na UFRGS, similar ao que já acontece com o Bike Poa. O projeto Sivi (Sistema Veicular Inteligente) vai beneficiar primeiro a comunidade universitária, já que as duas primeiras estações, cada uma com um carro, ficarão nos campi Centro e do Vale.

A tarifa ficará em R$ 24. O carro elétrico chega à 70 km/h. O veículo não é poluente, é isento de IPVA e roda a cerca de R$ 0,10 por quilômetro.

 

Criado por estudantes da pós-graduação, que montaram a startup MVM Technologies, o sistema poderá chegar em toda a capital. “Temos um planejamento para segunda etapa, tornando possível um serviço de escala, em Porto Alegre. Fora disso, a expansão para região metropolitana, o que é possível , temos que ver um prazo mais longo”, explicou o diretor executivo da empresa, Lucas de Paris.

O modelo, implantado nos Estados Unidos e na Europa, permite ao usuário pegar o carro em vagas ou garagens espalhadas pela cidade e devolvê-lo, depois, em um período determinado. Em dezembro passado, o sistema começou a funcionar no Recife, e em 2015 deve estar em funcionamento também no Rio de Janeiro.

PORTAL MOBILIZE BRASIL

Fonte: RBS 

Prefeito vai a Brasília pedir apoio para projeto que reduz tarifas

Foto: Gilberto Simon

Foto: Gilberto Simon

O prefeito José Fortunati estará em Brasília nesta terça-feira, 24, para tratar do Regime Especial de Incentivo ao Transporte Coletivo Urbano e Metropolitano de Passageiros (Reitup) com a bancada gaúcha. Fortunati vai dialogar com os parlamentares e pedir apoio na aprovação da matéria, que está em tramitação no Congresso Nacional. A reunião ocorrerá às 17h, no Plenário 13 da Câmara dos Deputados.

Fortunati, que também é presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), defende a aprovação do Reitup, que visa a estabelecer uma série de ações para organizar o sistema de transporte coletivo urbano e reduzir as tarifas, entre elas a concessão de benefícios fiscais para empresas do setor, como a isenção do PIS e Cofins para a compra de combustíveis e equipamentos, além de um modelo de planilha de custos único para todo o país e medidas de transparência.

Conforme o prefeito, a redução nas tarifas do transporte público tem sido uma luta de todas as capitais. Em Porto Alegre, desde 2013, Fortunati garantiu por decreto a isenção do Imposto sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISQN) sobre o transporte coletivo, medida que possibilitou a redução de 2,5% do valor da tarifa.

“Acredito que, se houver boa vontade política das demais instâncias federativas, temos condições de reduzir as tarifas por meio da aprovação do Reitup, que prevê isenções fiscais também em nível estadual e federal. Estudos da FNP apontam que a redução do valor final da tarifa poderia ser superior a 20%”, afirmou o prefeito.

Além da batalha pela aprovação do Reitup, Fortunati defende que uma parte da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre a gasolina e o diesel poderia ser repassada. “Agora que o governo federal está retomando a Cide, seria o momento para direcioná-la. É nas cidades que as pessoas abastecem. Parte desse valor poderia ser direcionada ao transporte público”, destacou.

Pista do Salgado Filho – Também nesta terça-feira, em Brasília, o Conselho de Administração da Infraero deve analisar e definir o encaminhamento da ampliação da pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho. O presidente da Infraero e membro do conselho, Antônio Gustavo Matos do Vale, confirmou no dia 3 de fevereiro, durante audiência com Fortunati, na sede da empresa, que o tema vai entrar na pauta da reunião.

Segundo o prefeito, a expectativa é positiva, pois o próprio presidente abriu publicamente o seu voto a favor do empreendimento. “A Infraero nos garantiu que a obra nunca foi descartada pelo governo federal. Além disso, o próprio ministro da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha, se mostrou otimista sobre a ampliação da pista e disse que recursos financeiros não serão um problema, uma vez que a secretaria possui o Fundo Nacional de Aviação Civil. Estamos esperando essa confirmação tão importante para Porto Alegre”, afirmou Fortunati.

Prefeitura de Porto Alegre

Porto Alegre é capital menos violenta no trânsito brasileiro

Índice de 11,7 mortes por 100 mil habitantes é um terço do registrado por líder, Recife

Jéssica Mello

Índice de 11,7 mortes por 100 mil habitantes é um terço menor que líder, Recife | Foto: Ricardo Giusti / CP Memória

Índice de 11,7 mortes por 100 mil habitantes é um terço menor que líder, Recife | Foto: Ricardo Giusti / CP Memória

Entre as dez capitais mais populosas do Brasil, Porto Alegre foi considerada a cidade menos violenta no trânsito. A Capital tem uma média de 11,7 mortes para cada grupo de 100 mil habitantes. Os dados constam do estudo Retrato da Segurança Viária, elaborado pelo Observatório Nacional de Segurança e Falconi Consultores de Resultado, divulgado nesta segunda-feira. A Capital tem menos da metade dos óbitos das líderes em violência:  Recife (34,7), Fortaleza (27,1) e Belo Horizonte (22,5). Famosa pelo trânsito complicado, São Paulo ficou logo atrás de Porto Alegre, com média de 11,8 mortes por 100 mil habitantes. O relatório leva em conta as mortes ocorridas de 2001 a 2012.

Se a Capital gaúcha tem um tráfego razoavelmente calmo, a região Sul do país não acompanha a tendência. Segundo o estudo, ela é a segunda com maior número de óbitos em acidentes de trânsito, com 27,6 mortes por 100 mil habitantes. Os três estados do Sul ficam abaixo apenas da região Centro-Oeste, que soma 31,8 óbitos.

Um dado preocupante no estudo é o crescimento de mortes com motocicletas. Foi feito um levantamento dos dados de 2012, que indicaram um aumento de 140% nas mortes de motociclistas. A tendência começou em 2010. Para o professor de transportes da Faculdade de Engenharia da UFRGS, João Fortini Albano, os condutores desse tipo de veículo são muito vulneráveis. Geralmente, são motoboys que trabalham com prazos e tendem a acelerar mais e andar no meio dos carros. “O perfil é de direção perigosa, sempre no limite”, analisa Albano. “Este comportamento exige maior fiscalização e uma formação melhor, com exames e aulas em cenário real”, comenta.

Segundo o diretor-presidente do Detran-RS, Ildo Mario Szinvelski, a autarquia gaúcha enviou sugestões ao Denatran e à Associação Nacional dos Detrans para a qualificação de motociclistas. “Acreditamos que a formação deveria ocorrer em duas etapas”, afirma. “Uma em espaço fechado, como é atualmente, e outra no espaço real, além do uso de simuladores”. No entanto, Szinvelski acredita que o principal meio para uma mudança é a conscientização da população. “Todo acidente é precedido por uma infração”.

A análise apontou que o trânsito é a 8ª causa de morte no mundo. Os números aumentam a cada ano. No Brasil, 45,7 mil pessoas morreram nas estradas e ruas em 2012 e 177,4 mil ficaram feridas. O gasto do país em decorrência dos acidentes foi de R$ 16 bilhões. No RS, o custo atingiu a cifra de R$ 653 milhões. A cidade gaúcha com a maior taxa de mortes por 100 mil habitantes é Soledades, com índice de 79,8. Alvorada tem o número mais baixo, com 3,5.

Dados do Detran gaúcho,  de 2014, revelam que o número de mortes teve uma elevação de 1,9% em relação a 2013. Elas passaram de 1.985 para 2.023. Neste período, a variação não acompanhou o crescimento da frota (6,6%) e do cadastro de condutores, que apresentou um crescimento de 3,7%. Os jovens continuam sendo as vítimas mais vulneráveis. Enquanto a faixa etária dos 18 a 39 anos representa 34% da população, ela é responsável por 43% das vítimas de trânsito. Pelo menos um terço dos acidentes, em 2014, ocorreu entre 18h e meia-noite. Quase 40% dos óbitos aconteceram nos finais de semana.

Correio do Povo

Trens acoplados da Trensurb iniciam operação

Veículos vão funcionar nos horários de pico entre as estações Mercado e Sapucaia do Sul

Cláudio Isaias

Trens acoplados da Trensurb iniciam operação | Foto: Tarsila Pereira

Trens acoplados da Trensurb iniciam operação | Foto: Tarsila Pereira

Duas composições de oito carros da Trensurb começaram a circular nesta segunda-feira nos horários de pico entre as estações Mercado e Sapucaia do Sul. Os veículos funcionam das 6h30min às 8h30min e das 17h30min às 19h30min. O diretor de Operações da Trensurb, Carlos Augusto Belolli, explicou que os trens nos horários de pico terão capacidade para transportar 2.160 passageiros por composição.

A meta da empresa é que, até julho deste ano, oito trens acoplados entrem em operação entre as estações Mercado e Sapucaia do Sul, em razão de demanda de passageiros. Hoje, operam 24 trens com quatro composições que transportam, em cada composição, 1.080 passageiros. No final do ano passado, a Trensurb adquiriu 15 novos trens que estão em fase de ajustes e que, segundo Belolli, em breve estarão em operação na linha da empresa. O investimento na aquisição dos trens foi de R$ 243 milhões. As duas composições de oito carros cada uma delas formada por dois trens da série 100 acoplados circulam em dias úteis.

Conforme Belolli, a medida é uma alternativa para ampliar a oferta de lugares no trem em um mesmo espaço de tempo, uma vez que o intervalo mínimo entre viagens já foi atingido. “A confirmação da possibilidade de duas composições de oito carros circularem simultaneamente sem que haja problemas de fornecimento de energia de tração foi obtida após avaliações realizadas pela equipe técnica da Trensurb”, acrescentou. O acoplamento dos trens ocorre com a união de dois trens série 100, formando uma única composição de dois veículos.

A Trensurb transporta cerca de 190 mil passageiros por dia entre as 22 estações do Mercado até Novo Hamburgo.

Correio do Povo

Lucro por passageiro de ônibus é de R$ 0,20

Despesas com pessoal são o que mais pesa na tarifa de R$3,25 que entra em vigor no domingo

Cíntia Marchi e Fernanda Pugliero

Nova tarifa entra em vigor neste domingo | Foto: Tarsila Pereira

Nova tarifa entra em vigor neste domingo | Foto: Tarsila Pereira

A cada R$ 3,25, desembolsados pelos passageiros de ônibus de Porto Alegre a partir deste domingo, R$ 0,20 correspondem ao lucro bruto das 13 empresas operadoras do sistema, incluindo a Carris, única pública. Por mês, são transportados 17 milhões de usuários pagantes, de onde provêm os ganhos de R$ 3,4 milhões. O coordenador de Regulação de Transportes da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Márcio Saueressig, diz que o lucro é variável e depende dos custos de cada empresa. “Do valor bruto arrecadado nas roletas descontam-se o Imposto de Renda e as contribuições sociais”, explica.

Além da garantia de lucro aos empresários no final do mês, que sai do bolso do passageiro, o que mais pesa na composição da tarifa são as despesas com pessoal. O item representa 47% do custo tarifário. Em 2015, os rodoviários tiveram reajuste salarial de 8%, além de 10,53% no vale-refeição e 11,67% no plano de saúde. Os novos valores vigoram desde o dia 1º de fevereiro — data-base da categoria. O acordo também concedeu vale-refeição para o período de férias (um a cada dois dias, uma novidade no contra-cheque dos trabalhadores).

Com o aumento dos salários, os rodoviários de Porto Alegre têm a mais alta remuneração entre as capitais do país. Desde a criação do Plano Real, em 1994, a categoria obteve um aumento real médio anual de 1,33% no piso salarial. Outro item que impacta o crescimento da tarifa em 23% são as despesas variáveis (combustíveis, óleos lubrificantes, pneus e recapagens). Para fazer esse levantamento, a equipe técnica da EPTC usou as notas fiscais das compras feitas pelas empresas operadoras. No preço do litro do óleo diesel, houve uma variação de 12,07% em relação ao valor utilizado no último cálculo tarifário. O custo dos pneus apresentou queda de 7% e as recapagens sofreram incremento médio de 8%. Um decreto de 2015 reduziu a vida útil de pneus e recapagens de 228 mil quilômetros para 168 mil quilômetros.

As despesas com a frota pesam 20%. É nesse item que está o lucro dos empresários, que recebem remuneração pela frota, máquinas, equipamentos e instalações. Manutenção e depreciação figuram nos gastos. Como em 2014 não houve renovação da frota, o item não influenciou o cálculo tarifário. As despesas administrativas representam 5% e a carga tributária pesa outros 5%.

O reajuste acumulado pela tarifa nos últimos 20 anos foi 95,89% superior à inflação. Enquanto o Índice Nacional de Preços ao Consumidor cresceu 348,40% de agosto de 1994 a fevereiro de 2015, a tarifa do transporte público subiu 778,38%. Em 1994, o valor pago por 26 milhões de usuários era de R$ 0,37. Já o salário dos motoristas foi reajustado em 395,15%, segundo dados do Dieese.

Quantidade de usuários despenca

Se a quantidade de usuários do transporte público de Porto Alegre não tivesse despencado drasticamente nos últimos 20 anos e o número de isentos tivesse se mantido estável, o preço da passagem não precisaria subir mais do que a inflação. Desde 1994, o número de usuários pagantes está em declínio. De 26,4 milhões de passageiros por mês, os ônibus passaram a transportar pouco mais de 17 milhões de pessoas em 2014 — queda de 35%.

A quantidade de quilômetros rodados pelos coletivos também aumentou: de 8,5 milhões para 9,5 milhões km/mês. Se o número de usuários pagantes tivesse se mantido estável desde 1994, o Índice de Passageiros Transportados por Quilômetro (IPK) resultaria em 2,77. Com a perda de usuários, a divisão totaliza 1,80. Há 20 anos, o IPK era 3,10, e a passagem custava R$ 0,37.

Apenas no último ano, os ônibus da Capital perderam 30 mil passageiros/dia. Estima-se que, hoje, cerca 1 milhão de pessoas ainda utiliza o transporte coletivo, mas um terço é isento. A frota de carros cresceu 85% em 20 anos e a de motos, 441%.

Índice de isentos passará para 35%

Dos passageiros transportados por mês pelos ônibus de Porto Alegre, apenas 17 milhões pagam as passagens. Em 2015, o número de isentos pode ser ainda maior, segundo o gerente executivo da ATP, Luiz Mário Magalhães de Sá. Ele lembra que está sendo regulamentada a lei que garante isenção aos policiais militares do pagamento, mesmo sem o uso da farda. Em vez dos 32% de isentos apontados pelo relatório da EPTC, o índice saltará para 35%.

“Não temos nenhuma restrição ou crítica à concessão de isenções. Mas, na estrutura atual, é o passageiro que paga esta conta. Entendemos que as gratuidades deveriam ser custeadas pelo governo, pelos impostos pagos pela sociedade, como acontece com o Bolsa Família, por exemplo”, sugere. A prefeitura de Porto Alegre não subsidia as gratuidades, diferentemente do que fazem outras capitais como Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro.

Entre os isentos, 36,73% são usuários da segunda viagem do TRI (isenta em 30 minutos), 36,29% são idosos acima dos 60 anos e 13%, estudantes. Ainda sobre a planilha da EPTC, o gerente da ATP discorda de indicadores de despesa com pessoal. Segundo ele, desprezaram o pagamento de quinquênio.

Correio do Povo

Obras no aeroporto dependem do aval do conselho da Infraero e de recursos

Foto: Gabriel Heusi - Infraero

Foto: Gabriel Heusi – Infraero

Jaqueline Silveira*

As obras de ampliação do Aeroporto Internacional Salgado Filho podem receber um empurrão importante no dia 24 de fevereiro, data em que o Conselho de Administração da Infraero analisará a viabilidade do empreendimento. O órgão é responsável por deliberar as ações estratégicas e orientar a diretoria executiva da empresa. Caso o conselho aprove o projeto de ampliação da pista de pouso e decolagem do aeroporto, a obtenção dos recursos poderá ser garantida. A decisão final sobre a obra é da direção da Infraero, no entanto, a posição favorável do conselho tem peso para viabilizar a ampliação.

Além da aprovação do projeto, conforme a Infraero, para iniciar o processo de licitação da obra será necessário assegurar recursos no Orçamento da União, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC3). Entretanto, não há uma garantia do governo federal até o momento. A ampliação da pista de pousos e decolagens em 920 metros está estimada em cerca de R$ 500 milhões. Atualmente, a extensão da pista é de 2.280 metros.

Desde o começo do ano, a obra do aeroporto da Capital está no centro do debate. Em janeiro, o ministro da Secretaria de Viação Civil, o gaúcho Eliseu Padilha, reuniu-se com o governador José Ivo Sartori (PMDB), oportunidade em que anunciou que seria construído um novo aeroporto na cidade de Portão, Região Metropolitana. O anúncio do ministro rapidamente teve eco na prefeitura. Chefe do Executivo, o prefeito José Fortunati (PDT) se posicionou a favor da obra no Salgado Filho. Ele pediu uma audiência com o presidente da Infraero, Antonio Augusto Matos do Vale.

No dia 3 de fevereiro, o prefeito foi recebido pelo dirigente da empresa, que garantiu que a ampliação é uma prioridade para o governo federal. “A ampliação da pista não é só viável, mas é necessária”, teria afirmado o presidente da Infraero, segundo a prefeitura.

Remoção dos moradores

No encontro, Fortunati garantiu aos dirigentes da Infraero que as condições necessárias para o começo da obra foram viabilizadas pela prefeitura. “Transferimos 922 famílias para moradias dignas, liberando a área necessária para a expansão, e continuaremos realocando as demais famílias das vilas Dique e Nazaré”, afirmou ele.

Depois das manifestações do prefeito e de entidades em defesa da obra, Padilha voltou atrás e agora defende a ampliação do Salgado Filho. O ministro negou que a mudança de posição estivesse relacionada à polêmica levantada. Ele argumentou que o recuo ocorreu em virtude do incidente envolvendo um avião da companhia aérea Azul. Com problemas técnicos, a aeronave fez um pouso de emergência, no dia 19 de janeiro, na Base Aérea de Canoas, Região Metropolitana, porque a pista é 500 metros maior comparada à do Salgado Filho.

No dia 6 de fevereiro, ocorreu no Ministério Público (MP) estadual a segunda reunião técnica do Comitê em Defesa do Aeroporto Internacional Salgado Filho, oportunidade em que Padilha confirmou que a posição do governo federal é pela ampliação da pista, desde que possa continuar a atender a Capital e região com segurança e padrão internacional.

Se for confirmada a ampliação da pista, segundo a Infraero, a obra será licitada pelo Regime Diferenciado de Contratações (RDC), que permite mais agilidade nos trâmites do processo. Nessa modalidade, o preço é oculto (exceto aos órgãos de controle, como Tribunal de Contas da União) até o final do processo licitatório.

Terminal de passageiros

Já a reforma e ampliação do terminal de passageiros do Salgado Filho estão em andamento e devem estar concluídas em janeiro de 2017. A obra, que iniciou em setembro de 2013, prevê ampliação da área do terminal de 37,6 mil m² para 60,3 mil m², aumentando a capacidade de passageiros de 15,3 milhões para 18, 9 milhões ao ano.

A ampliação do terminal está contemplada no PAC 2, a um custo de R$ 181 milhões.

Antes da Copa do Mundo de 2014, foram realizadas algumas melhorias no aeroporto. Foi feita a reforma e a ampliação do piso térreo de desembarque, com duas novas esteiras de restituição de bagagens.

Obras no Aeroporto Salgado Filho

Ampliação da pista de pousos e decolagens

-Prevê a ampliação em 920 metros. Hoje, a extensão é de 2.280 metros

– Obra está estimada em R$ 500 milhões

– Para ser viabilizada, a ampliação precisa ser aprovada no Conselho de Administração da Infraero, responsável pela administração da maioria dos aeroportos do país, e ter recursos garantidos no Orçamento da União

– A obra deve ser incluída no Programa de Aceleração do Crescimento, PAC2, mas ainda não há garantia do governo federal

– Não há previsão para o início das obras

 Ampliação do terminal de passageiros

– Obra iniciou em setembro de 2013. Prevê a ampliação da área de 37,6 mil m² para 60,3 mil m²

– A capacidade de passageiros por ano passará de 15,3 milhões para 18,9 milhões

– A reforma e ampliação estão incluídas no PAC2 e estão estimadas em R$ 181 milhões

– A obra deve estar concluída em janeiro de 2017

 

SUL21

*Com informações da assessoria de imprensa da prefeitura

Binário das avenidas Borges e Praia de Belas está em operação

Mobilidade entre Centro e zona Sul é qualificada com sentido único nas vias   Foto: Ricardo Giusti/PMPA

Mobilidade entre Centro e zona Sul é qualificada com sentido único nas vias   Foto: Ricardo Giusti/PMPA

Agilizar o deslocamento entre a zona Sul e o Centro de Porto Alegre e ampliar a estrutura de segurança aos pedestres é o objetivo da implantação do binário entre as avenidas Borges de Medeiros e Praia de Belas, que começou a operar às 9h desta sexta-feira, 20. A nova configuração dá sentido único às vias no trecho entre os viadutos da Dom Pedro I e dos Açorianos: a Borges segue do Centro ao bairro e a Praia de Belas, do bairro ao Centro. A obra tem como benefício ainda a ampliação da área verde na praça Rotary, que ganhou mais 2,1 mil m². Clique aqui para acessar os mapas.

Ao todo, serão seis faixas de circulação de veículos em cada sentido que irão beneficiar mais de 15 mil veículos que passam pelos cruzamentos e nos horários de pico. Também foram ampliadas de 7 para 17 as travessias seguras para os pedestres. As obras são executadas com base no planejamento da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), a partir de contrapartida do empreendedor a investimento no Praia de Belas Shopping.

De acordo com o prefeito José Fortunati, que acompanhou o trabalho dos agentes da EPTC na liberação do trânsito, a obra é fundamental para a região e para a cidade. “São vias muito importantes porque fazem a ligação entre dois grandes bairros, Menino Deus e Cidade Baixa e, também, porque impactam positivamente a região que vai da zona Sul até o Centro da Cidade”, disse. Fortunati lembrou que a implantação do sentido único, ao mesmo tempo em que melhora o fluxo de veículos, dá maior segurança ao pedestre. “Quem transitava por aqui ficava vulnerável. As travessias estão mais seguras e, também, com total acessibilidade”, acrescentou.

Sustentabilidade e segurança – Em função da nova configuração, foram retirados mil m² da praça Rotary, junto ao viaduto Dom Pedro I, que foram compensados com novos 3,1 mil m² do outro lado da área, junto à Praia de Belas. De acordo com o presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, a região também recebeu novas estações de ônibus ao longo da av. Padre Cacique e a conclusão do viaduto Abdias do Nascimento. “Era um projeto que vinha sendo estudado há 10 anos pela equipe técnica da EPTC. O binário organiza melhor o trânsito e amplia a segurança do pedestre. Esta região é muito atrativa ao cidadão que circula à pé, principalmente nos finais de semana. Pensamos no fluxo de veículo, mas, como prioridade, o cidadão”, disse Cappellari, ao lembrar que na obra prevê a BRT Zona Sul.

A região ganhou nova sinalização para orientar sobre as mudanças, inclusive nos acessos na região dos bairros Menino Deus e Praial de Belas. No período de consolidação do binário, a equipe da EPTC realizará o monitorando da ciruclação de veículos para realizar eventuais ajustes necessários, como alteração nos tempos dos semáforos. Agentes de trânsito seguirão atuando na região para orientar pedestres e motoristas.

Alterações no transporte públicoCerca de 30 linhas de ônibus que circulavam na av. Borges de Medeiros, em direção ao Centro, são deslocadas para a Praia de Belas. Já 12 linhas que acessam o corredor de ônibus da Cascatinha pela av. Praia de Belas, no sentido Centro-bairro, passam a utilizar a Borges de Medeiros para acessar a faixa exclusiva. 

As linhas 176 – Serraria/rodoviária, 176.1 – Serraria/Ouriques e 178 – Praia de Belas têm mudanças mais significativas em seus itinerários. A partir da av. Loureiro da Silva, elas acessam diretamente a Borges de Medeiros, não circulando mais pelas ruas José do Patrocínio e República. 

A linha T7, sentido Norte-Sul, após o Viaduto dos Açorianos, seguirá pela av. Borges de Medeiros, e não mais pela av. Praia de Belas, até o terminal Sul. No sentido Sul-Norte, passará a utilizar a av. Praia de Belas, ao invés da av. Borges de Medeiros. 

Os ônibus T2, T2A e T5 acessarão a Praia de Belas, não mais a Borges de Medeiros, e seguirão no mesmo terminal, na rua Peri Machado. As linhas de lotação, sete ao todo, apenas acompanharão as mudanças de sentido das vias, passando a atender a avenida Borges de Medeiros, no sentido Centro/bairro, e Praia de Belas, no sentido bairro/Centro.

Prefeitura de Porto Alegre

Binário Praia de Belas e Borges começa a funcionar na sexta-feira (atualizado)

Avenidas de Porto Alegre terão sentidos únicos e opostos para ampliar a segurança e fluidez do tráfego

imagem136128

imagem136127

A partir das 9h desta sexta-feira, 20, começa a operação do binário das avenidas Praia de Belas e Borges de Medeiros. O prefeito José Fortunati e o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, irão liberar o trânsito na região (retirando cavaletes nas imediações do viaduto Dom Pedro I, próximo ao Praia de Belas).

O objetivo do binário (duas vias paralelas com sentidos únicos opostos) é ampliar a segurança da circulação e melhorar a fluidez do tráfego, entre os viadutos dos Açorianos e Dom Pedro I. A partir de agora, a av. Borges de Medeiros terá sentido único a partir do Viaduto dos Açorianos em direção à Padre Cacique (Centro-bairro). Na av. Praia de Belas, o fluxo será no sentido oposto, no mesmo trecho. Ao todo, serão seis faixas de circulação de veículos por sentido.

A expectativa é de que mais de 15 mil veículos, que circulam somente nos cruzamentos e durante os horários de pico, sejam beneficiados com a qualificação. Além de ampliar a capacidade das vias e dos entroncamentos, a nova configuração do trânsito pretende aumentar a segurança das travessias de pedestres, reduzindo os conflitos.

A região recebeu recentemente ações de engenharia viária por parte da prefeitura, como a implantação de novas estações de ônibus ao longo da av. Padre Cacique e conclusão do viaduto Abdias do Nascimento. “As avenidas Praia de Belas e Borges de Medeiros são vias de intenso fluxo, utilizadas como caminho para a área central ou zona Sul, e com essas medidas esperamos qualificar a circulação para pedestres, transporte público e veículos particulares”, afirma Vanderlei Cappellari, diretor-presidente da EPTC.

Novas faixas de segurança – O projeto viário do binário foi elaborado pela EPTC e totaliza 17 novas faixas de segurança com semáforos, ao longo das avenidas. Anteriormente, eram sete pontos de travessias seguras.

Mudanças no Transporte Público – Cerca de 30 linhas de ônibus que circulavam na av. Borges de Medeiros, em direção ao Centro, serão deslocadas para a Praia de Belas. Já 12 linhas que acessam o corredor de ônibus da Cascatinha pela av. Praia de Belas, no sentido Centro-bairro, passarão a utilizar a Borges de Medeiros para acessar a faixa exclusiva.

As linhas 176 – Serraria/rodoviária, 176.1 – Serraria/Ouriques e 178 – Praia de Belas terão mudanças mais significativas em seus itinerários. A partir da av. Loureiro da Silva, elas vão acessar diretamente a Borges de Medeiros, não circulando mais pelas ruas José do Patrocínio e República.

A linha T7, sentido Norte-Sul, após o Viaduto dos Açorianos, seguirá pela av. Borges de Medeiros, e não mais pela av. Praia de Belas, até o terminal Sul. No sentido Sul-Norte, passará a utilizar a av. Praia de Belas, ao invés da av. Borges de Medeiros.

Os ônibus T2, T2A e T5 acessarão a Praia de Belas, não mais a Borges de Medeiros, e seguirão no mesmo terminal, na rua Peri Machado. As linhas de lotação, sete ao todo, apenas acompanharão as mudanças de sentido das vias, passando a atender a avenida Borges de Medeiros, no sentido Centro/bairro, e Praia de Belas, no sentido bairro/Centro.

Prefeitura de Porto Alegre

Confirmada tarifa de ônibus em R$ 3,25

Foto: Divulgação/PMPA Salário dos rodoviários é o item de maior peso (47%) na composição do valor

Divulgação/PMPA

O prefeito José Fortunati sancionou nesta quinta-feira, 19, o reajuste nos valores das passagens do transporte coletivo de Porto Alegre. A passagem de ônibus passa para R$ 3,25 e das lotações para R$ 4,85. Os novos valores valem a partir de domingo, 22, no primeiro horário operacional.

Nesta manhã, o Conselho Municipal de Transportes Urbanos (Comtu) aprovou o reajuste para R$ 3,27. No início da tarde, acompanhado do diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, o prefeito anunciou o valor de R$ 3,25, R$ 0,24 centavos a menos do que foi solicitado pelas empresas de transporte coletivo. Todos os créditos no Cartão TRI , carregados até sexta, dia 20, terão validade por 60 dias pelo valor não ajustado de RS 2,95.

Fortunati destacou que a planilha da tarifa foi amplamente discutida, durante um ano, pelo Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público, Ministério Público de Contas e Tribunal de Justiça. “Temos a planilha mais transparente do país”, afirmou.

Composição do valor – O prefeito apresentou os principais índices que impactaram no aumento das passagens. De acordo com ele, o aumento de 8% no salário dos rodoviários, por exemplo, corresponde a 47% no peso da tarifa. Hoje, Porto Alegre tem o maior salário do país. O salário do motorista de ônibus urbanos passou de R$ 2.007,82 para R$ 2.168,45; já os cobradores tiveram aumento de R$ 1.206,00 para R$ 1.302,76.

Outro índice importante apontado por Fortunati foi o aumento em 12% no óleo diesel, correspondendo a 23% no valor final da passagem, e a redução no Índice de Passageiros Equivalentes Transportados por Quilômetro (IPK), que diminuiu em 1,98%. Fortunati salientou que o incentivo ao uso do transporte individual provocou, em 2014, uma queda de 30 mil passageiros/dia no transporte coletivo.

O prefeito lembrou, ainda, o aumento do número de isentos transportados em Porto Alegre. Somente em 2014, as linhas de ônibus transportaram cerca de 1 milhão de passageiros por dia, em média, sendo que 32% não pagaram a passagem. Desses, 100 mil são relativos à segunda passagem gratuita, 75 mil idosos e os demais divididos em Escolar, no projeto “Vou à escola”, deficientes, acompanhantes, entre outros. Por fim, destacou o aumento da frota, que, desde o Plano Real, passou de 1.433 para 1.697 ônibus cadastrados, um incremento de 18%.

“Este não é um problema de Porto Alegre, atinge todas as prefeituras, mas o processo de reajuste das passagens em Porto Alegre tem se dado de forma totalmente transparente e com o acompanhamento dos órgãos fiscalizadores”, disse Fortunati, lembrando que todo o processo de discussão está à disposição no site da EPTC.

Estudantes – A passagem para estudante fica em R$ 1,62 apenas para a primeira viagem. O prefeito lembrou, ainda, que Porto Alegre possui o passe livre social. Segundo ele, cerca de 9 mil estudantes da rede pública estadual e municipal de ensino estão isentos da tarifa através do Programa Vou à Escola. A iniciativa destina-se a alunos carentes que não conseguirem vaga em escola próxima à sua residência e que não possam arcar com o custo da passagem escolar, bem como a alunos com necessidades especiais educacionais. O programa teve início em 2010, conforme Lei Municipal nº 10.996, de 7 de dezembro.

Luta nacional – “A diminuição nas tarifas do transporte público tem sido uma luta de todas as capitais”, afirmou o prefeito e presidente da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP). A entidade, destacou ele, vem lutando para a aprovação do Regime Especial de Incentivos para o Transporte Urbano de Passageiros (Reitup), que está em tramitação no Congresso Nacional. “Calculamos que, caso o projeto já tivesse sido aprovado, poderia ter havido uma diminuição de até 20% no preço das passagens”, disse Fortunati, que esteve reunido no Ministério da Fazenda, ainda em fevereiro, quando recebeu a negativa da pasta. O Reitup prevê incentivos fiscais através de isenção do PIS e Cofins para as empresas para a compra de combustíveis e equipamentos, entre outros.

A FNP, lembrou ele, também defende que uma parte da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre a gasolina e o diesel poderia ser repassada. “Agora que o governo federal está retomando a Cide, seria o momento para direcioná-la. É nas cidades que as pessoas abastecem. Parte desse valor poderia ser direcionado ao transporte público”, destacou.

Prefeitura de Porto Alegre

Vídeo: Duplicação da Tronco já beneficiou 915 famílias

 A avenida Tronco está sendo duplicada em uma extensão de 5,6 quilômetros, beneficiando sete comunidades da zona Sul. No total, 1.525 famílias serão atendidas pela prefeitura e alocadas em outras regiões.

 

Prefeitura

ATP não garante renovação de frota com tarifa a R$ 3,25

Renovação dos ônibus de Porto Alegre não ocorre desde 2013

Novo valor da tarifa de ônibus deve ser anunciado na próxima semana | Foto: André Ávila

Novo valor da tarifa de ônibus deve ser anunciado na próxima semana | Foto: André Á

A Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP) recebeu nesta quinta-feira a planilha de cálculo da EPTC usada para embasar o valor do reajuste na passagem em Porto Alegre. De acordo com a Empresa, o reajuste deve ser de R$ 0,30, o que eleva o custo de R$ 2,95 para R$ 3,25. A ATP, que havia sugerido o valor da passagem em R$ 3,49, afirmou que se esse for definitivamente o valor da tarifa, um dos principais prejuízos à população será o envelhecimento da frota dos coletivos que rodam na cidade.

De acordo com o gerente-executivo da ATP, Luis Mário Magalhães de Sá, a frota atual não é renovada desde 2013, e a tendência é de que essa situação se mantenha se o reajuste for o apresentado pela EPTC.  “Nós vamos operar com os custos mínimos necessários para que o serviço se mantenha”, ponderou.

A partir de agora, a associação fará a análise da planilha encaminhada pela EPTC e, caso haja contestações, vão ser apresentadas apenas após o carnaval. “Seja qual foi o reajuste, nós vamos ter que aceitar”, completou.

Ananda Müller / Rádio Guaíba

Correio do Povo

Porto Alegre tem nova manifestação contra aumento da tarifa de ônibus

Manifestantes percorreram ruas do Centro da Capital no começo da noite

Manifestantes percorreram ruas do Centro contra aumento no valor da tarifa do ônibus | Foto: Fabiano do Amaral

Manifestantes percorreram ruas do Centro contra aumento no valor da tarifa do ônibus | Foto: Fabiano do Amaral

O Centro de Porto Alegre voltou a ser ocupado por manifestação contra o aumento no valor das passagens de ônibus no começo da noite desta quinta-feira. De acordo com a Brigada Militar, cerca de 500 pessoas participaram da manifestação que foi pacífica, com poucos transtornos.

A concentração iniciou no fim da tarde em frente à prefeitura. Depois, os manifestantes partiram pela avenida Júlio de Castilhos, passaram pelo Terminal Parobé e foram até o Camelódromo. Em seguida foram em direção à Borges de Medeiros, onde caminharam até o Largo Zumbi dos Palmares.

O Batalhão de Operações Especiais (BOE) da Brigada Militar acompanhou de perto o protesto. Os policiais caminharam atrás da manifestação durante todo o trajeto, que não teve problemas de depredação. No Twitter, o prefeito José Fortunati publicou uma foto de uma parede da prefeitura com manchas de tinta e disse que imagens das câmeras de segurança com o autor do ato serão enviadas à polícia.

O novo valor da tarifa de ônibus deve ser anunciado na próxima semana. Na terça-feira, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) finalizou o estudo técnico sobre o reajuste indicando o valor de R$ 3,27. A Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP) deseja um aumento de 18%, que levaria a passagem dos atuais R$ 2,95 a aproximadamente R$ 3,49.

Assista a passagem do grupo pela avenida Borges de Medeiros:

Correio do Povo

EPTC anuncia tarifa técnica das passagens de ônibus de Porto Alegre em R$ 3,2691

Débora Fogliatto*

Atual passagem é de R$ 2,95 | Foto: Alina Souza/Sul21

Atual passagem é de R$ 2,95 | Foto: Alina Souza/Sul21

A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) concluiu os estudos técnicos para o reajuste tarifário dos ônibus de Porto Alegre nesta terça-feira (10). O estudo realizado, segundo a empresa, leva em conta as recomendações do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e componentes da planilha de cálculo tarifário, seguindo a legislação municipal. O índice alcançado reajusta em R$ 0,3199 o valor da passagem, chegando a uma tarifa técnica de R$ 3,2691.

O aumento representa 10,85% em relação à tarifa técnica anterior, que foi de R$ 2,9492. A passagem de ônibus atualmente é de R$ 2,95. O estudo agora será entregue ao Conselho Municipal de Transportes Urbanos (Comtu), que tem uma semana para analisá-lo e tomar alguma decisão em seu próximo encontro. O processo está à disposição para consulta no site da EPTC.

De acordo com o divulgado pela empresa, os índices que mais contribuíram para o reajuste foram: o aumento de 8% no salário dos rodoviários, correspondendo a 47% no peso da tarifa; 12% de aumento no óleo diesel, correspondendo a 23% no valor final da passagem; e redução no Índice de Passageiros Equivalentes Transportados por Quilômetro (IPK), que diminuiu em 1,98% (aumento equivalente ao percentual da redução).

O valor sugerido pelas empresas de ônibus havia sido R$ 3,49. Para Luiz Mário Magalhães Sá, gerente-executivo da Associação de Transportadoras de Pessoas (ATP), o valor está “muito aquém” das expectativas. “Certamente esse valor não repõe o contingenciamento sofrido nos dois últimos anos. Nós tivemos um aumento acumulado de somente 3,5%, então não há nenhuma condição, pelo que se viu aqui, de reposição dessa parte que foi contingenciada da tarifa”, afirmou, observando, porém, que o estudo só será disponibilizado para os conselheiros a partir desta quinta-feira (12).

Ato marcado para quinta-feira

O segundo protesto feito pelo Bloco de Luta pelo Transporte Público contra o reajuste das passagens já está marcado para esta quinta-feira (12), a partir das 18h, em frente à Prefeitura. Apesar de também desconhecer os detalhes técnicos, que ainda não estão disponíveis, o integrante do bloco Matheus Gomes aponta a necessidade de se manter a população nas ruas contra o aumento. “Este segue sendo um reajuste que me parece injustificável do ponto de vista do aumento geral do custo de vida que a população está vivendo hoje”, reflete.

*Com informações da assessoria de imprensa da EPTC

SUL 21

Ministro Eliseu Padilha apresenta o Aeroporto Internacional Salgado Filho em 32 slides

Veja aqui no Blog Porto Imagem os 32 slides da apresentação do Ministro Eliseu Padilha sobre o Aeroporto Internacional Salgado Filho realizada na reunião do Comitê do Aeroporto.

Clique na primeira imagem e siga com as setas.

Fonte: apresentação oficial do Aeroporto Salgado Filho publicado hoje, 09/02/2015, no Facebook do Ministro Eliseu Padilha

Padilha diz que ampliação do Salgado Filho começará “imediatamente” após aprovação da Infraero

Conselho de Administração do órgão se reúne no próximo dia 24 em Brasília

Cláudio Isaias

Aeroporto Internacional Salgado Filho em 2013. Foto: Gabriel Heusi - Infraero

Aeroporto Internacional Salgado Filho em 2013. Foto: Gabriel Heusi – Infraero

Ao apresentar o Plano Diretor do Aeroporto Internacional Salgado Filho, o ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, disse que, se depender da vontade dele, a ampliação da pista, de 2.280 metros para 3.200, começa ainda este ano. A obra terá de ser aprovada pelo Conselho de Administração da Infraero, que se reúne no dia 24, em Brasília. Com aprovação do conselho, a pista começará a ser ampliada imediatamente.

O ministro informou que a Secretaria de Aviação Civil tem receita própria de R$ 4,4 bilhões para todos os aeroportos brasileiros. “A presidente Dilma disse que o dinheiro deverá ser usado exclusivamente na aviação brasileira. Se for aprovado pelo Conselho da Infraero no dia 24, as obras no Salgado Filho começam imediatamente”, disse Padilha que participou na manhã desta sexta-feira da 2ª Reunião Técnica do Comitê em Defesa do Aeroporto Internacional Salgado Filho.

Padilha afirmou que pediu aos integrantes do Conselho que desconsiderassem quaisquer outras informações sobre o aeroporto, como as declarações feitas anteriormente por ele mesmo de que a extensão era desnecessária e submetessem o projeto a aprovação, tendo como pressuposto a necessidades econômicas do Estado e a segurança das pessoas que viajam de avião no Rio Grande do Sul. “Se corremos risco de segurança nós temos que imediatamente afastar este risco e ampliar a pista”, explicou.

Com relação a construção do aeroporto 20 de Setembro, Padilha disse que sete municípios estão postulando a construção: Gravataí, Portão, Nova Santa Rita, Eldorado do Sul, Caxias do Sul, Vacaria e Portão. Além da demanda pela construção de um aeroporto regional em Passo Fundo. “A nossa prioridade é o Salgado Filho. Vamos concluir as obras para que ele possa atender as necessidades do Estado até 2030”. Conforme Padilha, a União vai pensar em outras alternativas de aeroporto para o Estado somente após a conclusão das obras do Salgado.

O presidente da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Antônio Gustavo Matos do Vale, disse que a previsão é que as obras de ampliação do aeroporto Salgado Filho tenham duração de quatro anos. O investimento apenas para a ampliação da pista está estimado em R$ 500 milhões. No ano passado, o Salgado Filho transportou 8,4 milhões de passageiros.

Correio do Povo

_____________

LEIA MAIS:

Protesto contra aumento das tarifas ocupa as ruas centrais de Porto Alegre

Manifestação pacífica reuniu cerca de mil pessoas ao longo do trajeto até o Largo Zumbi dos Palmares

Manifestação pacífica reuniu cerca de mil pessoas ao longo do trajeto até o Largo Zumbi dos Palmares | Foto: Samuel Maciel

Manifestação pacífica reuniu cerca de mil pessoas ao longo do trajeto até o Largo Zumbi dos Palmares | Foto: Samuel Maciel

As ruas de Porto Alegre voltaram a ser ocupadas por manifestantes no começo da noite desta quinta-feira, num protesto de proporções que não eram vistas desde antes da Copa do Mundo. A caminhada, organizada pelo Bloco do Lutas pelo Transporte Público, é contrária ao pedido de aumento das passagens de ônibus na Capital. Muitos cartazes mostravam: “R$2,95 já é tri caro, R$3,49 é um assalto”. Nesta oportunidade, o grupo se manteve pacífico, sem incidentes de vandalismo ou enfrentamento com a Brigada Militar.

A concentração começou após as 17h e aos poucos a marcha foi aumentando. O movimento foi antecedido por uma panfletagem, o que fez com que moradores da Capital se unissem a marcha, além de integrantes de movimentos sociais. O tenente-coronel Lima, responsável pela operação da Brigada Militar que acompanhou a marcha, salientou a postura dos participantes. “Fica como exemplo para outros estados e outros eventos de que se pode organizar um protesto de forma democrática”, definiu.

A professora Eloa Gehlen, 54 anos, escutou a notícia na rádio e resolveu aderir ao movimento, mesmo carregando inúmeras sacolas. “É um movimento que o povo precisa fazer. Vai ficar muito caro (o preço da passagem) e espero que o prefeito não se renda aos interesses dos empresários e das empresas de ônibus.” Enquanto esperava a caminhada iniciar, moradora do bairro Menino Deus disse que estava achando divertido o som do movimento. “Essa sede por mudanças da juventude deveria levar mais pessoas para as ruas. É contagiante”, definiu.

Já o casal Alessandro Silva Santos, 25, e Leonice Amorim, 25, vieram de Novo Hamburgo. Apesar de não serem diretamente afetados com o aumento das passagens em Porto Alegre, eles reclamam da elevação dos preços, de forma geral. Em Novo Hamburgo, o custo do transporte passou de R$2,65 para R$2,85. “Ninguém pensa nas famílias que precisam se desdobrar para pagar as contas. Tudo aumentou”, protestaram. Ele e a esposa trouxeram os dois filhos: Vitor dos Santos, 5 anos, e Yasmim dos Santos, 1 ano, para ficar até o final da marcha.

Por volta das 18h45min, mais de 300 manifestantes deixaram a frente da prefeitura e começaram a caminhada. Ao longo do percurso, a adesão aumentou e chegou perto dos mil participantes. Após o bloqueio da avenida Borges de Meideiros, o grupo contornou o Mercado Público e acessou o terminal de ônibus Parobé. Em seguida, a marcha voltou para a avenida Júlio de Castilhos e seguiu até a Salgado Filho, descendo a Borges até chegar no Largo Zumbi dos Palmares.

Correio do Povo e Rádio Guaíba

Com informações de Hygino Vasconcellos e Lucas Rivas.

Novos ônibus da Carris entram em operação nesta sexta-feira

Inicialmente, serão 13 veículos convencionais com ar e acessibilidade   Foto: Hudson Nogueira/Divulgação PMPA

Inicialmente, serão 13 veículos convencionais com ar e acessibilidade   Foto: Hudson Nogueira/Divulgação PMPA

A primeira remessa de novos ônibus adquiridos pela Carris entra operação nesta sexta-feira, 6. Os 13 veículos convencionais possuem ar-condicionado, acessibilidade universal, câmbio automático, computador de bordo, motor traseiro e padrão Euro 5, que emite menos poluente. Ao todo, 50 ônibus (15 articulados e 35 convencionais) passarão a circular até 23 de fevereiro, data em que terminam os horários da Tabela de Verão. O investimento foi de R$ 26 milhões.

A aquisição possibilita o aumenta da frota da Carris em 12 veículos (de 371 para 383) e a desativação de 38 da antiga frota. Com a atualização dos veículos ao final deste mês, a média de idade de ônibus da Carris cairá de 6 anos e 8 meses para 5 anos e três meses.

Modelo de licitação permitiu economia – Se comparada à última compra, ocorrida em 2012, os ônibus adquiridos em 2014 representaram economia à Carris. A redução do custo dos veículos foi conquistada pela decisão em alterar o formato da licitação. Anteriormente, o chassi e a carroceria eram negociados juntos. Na nova modalidade, as partes do ônibus foram compradas em processos diferentes, o que permitiu maior concorrência e, consequentemente, um preço final mais competitivo.

Dessa forma, a compra de 35 veículos convencionais registrou economia de 11,96%, enquanto o valor dos 15 ônibus modelo articulado diminuiu 10,86%. A nova frota atende às regras da licitação do transporte público de Porto Alegre – apresenta piso baixo, ar-condicionado, acessibilidade e motor traseiro. A economia nesses dois casos chega a R$ 3.381.500,00 quando comparada à compra ocorrida em 2012.

Prefeitura de Porto Alegre

Porto Alegre tem menor tempo de viagem dos ônibus urbanos do país

 Capital gaúcha registrou tempo de viagem de 56 minutos em média por linha  Foto: Marcela Barbosa/Divulgação PMPA


Capital gaúcha registrou tempo de viagem de 56 minutos em média por linha
 Foto: Marcela Barbosa/Divulgação PMPA

Segundo pesquisa divulgada recentemente pela associação de defesa do consumidor Proteste, Porto Alegre é a primeira colocada em tempo de viagem entre as capitais brasileiras, com 56 minutos em média por linha. Isso significa que os passageiros das linhas urbanas ficam menos de uma hora, em média, no interior dos ônibus. A segunda colocada é Curitiba (61 min), seguida de Brasília (72 min), Belo Horizonte (74 min) e São Paulo (85 min). O último lugar ficou com Rio de Janeiro (93 min).

Porto Alegre também foi destaque como a segunda com o menor tempo de espera nos pontos de parada de ônibus, tendo uma média de intervalo entre as viagens de 19 minutos por linha de ônibus, à frente de cidades como São Paulo (25 min), Belo Horizonte (25min), Brasília e Rio de Janeiro (29 min). O primeiro lugar nesse quesito foi Curitiba (18 min), e o último com Recife (35 min).

Segundo o texto de divulgação da Proteste, “de acordo com os resultados obtidos em nossa pesquisa, a cidade que tem o melhor transporte suburbano é Porto Alegre. Ela foi a única razoavelmente avaliada pelos respondentes, enquanto as outras receberam notas muito baixas”.

O diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, vê o cenário como positivo, mas ressalta que a cidade pode melhorar ainda mais. “Acreditamos que, com o sucesso da licitação, poderemos qualificar o sistema de transporte coletivo atual, com uma nova legislação e ampliação do monitoramento por GPS nos veículos, além de meta de cumprimento de tabela horária, beneficiando os melhores operadores e, por consequência, os passageiros”.

Cappellari ressalta que, além de investir nos ônibus, é necessário que o poder público siga dando sequência nos investimentos em transporte alternativos. “Recentemente, inauguramos uma linha do catamarã e as novas lotações da Restinga e Belém Novo. Até a metade do ano, realizaremos uma nova licitação para o BikePoa (bicicletas compartilhadas), investiremos em mais ciclovias e seguiremos as negociações para o futuro metrô da Zona Norte, tudo isso também contribuirá para um melhor transporte público”, finalizou.

Atualmente, a frota de Porto Alegre conta com 1.703 ônibus e é dividida em 400 linhas, que atendem a todas as regiões da cidade.

O estudo da Proteste você encontra neste link:

http://www.proteste.org.br/familia/nc/noticia/transporte-publico-deixa-a-desejar 

Prefeitura de Porto Alegre

Prefeito diz que “forças da construção civil” são contrários à ampliação do aeroporto

Fortunati viajou a Brasília para defender extensão da pista do Salgado Filho até 2019

Prefeito comentou sobre ampliação da pista do Salgado Filho | Foto: Vinícius Roratto / CP Memória

Prefeito comentou sobre ampliação da pista do Salgado Filho | Foto: Vinícius Roratto / CP Memória

A Prefeitura de Porto Alegre projetou, nesta terça-feira, que, caso seja definido financiamento do PAC 3 para ampliar a pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho, a construção deve começar este ano e terminar em 2019. O Conselho de Administração da Infraero vai definir no dia 24 o encaminhamento dado à questão. O prefeito José Fortunati disse estar otimista. Ele comentou, entretanto, que há “forças estranhas” contrárias ao empreendimento. “Forças que já começaram a se manifestar dizendo que isso prejudica a construção civil de Porto Alegre”, afirmou.

Na semana passada, a direção do Conselho Regional de Engenharia se manifestou sobre o assunto, avaliando que só a ampliação da pista não basta. Para a representação, aviões de até 300 toneladas só poderão pousar se houver uma reforma na pista atual, de 2,28 mil metros.

Fortunati admitiu que durante os quatro anos de construção da nova pista, caso seja decidido pela ampliação, as “perdas ainda serão muito grandes”. Citou prejuízos para setores como turismo, negócios e arrecadação de impostos. “Essas perdas continuarão a acontecer, mas temos que de uma vez por todas, transformar a ampliação em uma nova realidade”, opinou. Para o prefeito, a decisão pela construção de mais 920 metros é técnica e não politica.

Correio do Povo

Samuel Vettori/Rádio Guaíba