Sartori pede agilidade em estudo sobre expansão do Catamarã

Transporte fluvial chegou a 3 milhões de usuários

Sartori pede agilidade em estudo sobre expansão do Catamarã | Foto: Luiz Chaves / Palácio Piratini / CP

Sartori pede agilidade em estudo sobre expansão do Catamarã | Foto: Luiz Chaves / Palácio Piratini / CP

O governador do Estado José Ivo Sartori pediu nesta quinta-feira agilidade na análise da Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan) de expansão do serviço do Catamarã. O estudo, que avalia interesse de passageiros e trajetos possíveis, visa atender Charqueadas, São Jerônimo e Triunfo na região do Delta do Jacuí.

No entanto, uma pesquisa que começou em abril do ano passado, ainda depende do modelo de concessão do governo do Estado e da abertura de licitação para ver interessados. As declarações foram feitas durante a celebração dos três milhões de passageiros que utilizam o transporte fluvial, em Guaíba.

Às 18h, na viagem sentido Porto Alegre-Guaíba, a CatSul fará o sorteio de uma passe livre de um mês a um dos passageiros. O Catamarã dispõe de três embarcações, sendo duas com 122 passageiros e um com 140, que já fizeram 45 mil viagens. São uma média de 3,3 mil passageiros ao dia.

Correio do Povo – Mauren Xavier

Infraero não tem mais dinheiro para obras de ampliação do Salgado Filho

Foto: José Arthur Eidt

Foto: José Arthur Eidt

O ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Eliseu Padilha, admitiu nesta quarta-feira, 6, que o Fundo Nacional de Aviação Civil (Fnac), criado para financiar, entre outros projetos, a expansão da aviação regional no País, poderá ser usado pelo governo para atingir as metas do ajuste fiscal.

Isto significa que a Infraero não terá dinheiro para nada.

O que inclui as obras de expansão do Aeroporto Salgado Filho, Porto Alegre.

A verdade é que o fundo não poderá ser contigenciado, porque já sumiu no caixa único da União.

É por isto que a Infraero e o ministro empurram tudo com a barriga e criam dificuldades onde elas não existem, como a participação da prefeitura e do governo estadual no negócio, no qual são coadjuvantes voluntários.

Padilha comentou que o fundo, de acordo com as regras, não pode ser usado para bancar outros empreendimentos que não sejam aqueles vinculados à aviação. Por outro lado, seus recursos são integralmente depositados no caixa único da União. Uma vez que esteja no Tesouro, portanto, basta ao governo reter a sua liberação.

“Compreendo a dura missão dos ministros Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento). Penso que ambos têm uma missão dificílima, mas a minha também é difícil”, declarou Padilha, durante audiência pública no Senado.

Padilha foi questionado se poderia garantir que o Fnac não sofrerá retenções de valores pelo governo. Previsto para arrecadar R$ 4,2 bilhões só neste ano, a partir de cobranças de taxas aeroportuárias e das concessões de aeroportos, o Fnac é o meio de o governo viabilizar o prometido programa de aviação regional, que prevê a construção ou reforma de 270 aeroportos no Brasil.

“Tenho tido compreensão do governo, da área fazendária e do planejamento”, comentou Padilha. “A Fazenda não vai mexer no Fnac, porém a arrecadação toda vai para o caixa único da União. Não pode mandar para lugar nenhum, mas é base para o resultado primário. Portanto, será sempre uma disputa legítima da Fazenda, querendo manter seus números, e da SAC, querendo manter seus projetos”, disse.

Eliseu Padilha disse que a presidente Dilma Rousseff tem dado apoio ao plano, prometido desde 2012, e que deseja ver os 270 projetos com obras concluídas e em andamento até 2018. “Não pode ter incompatibilidade entre o que quer a presidenta e o que queremos. Não vamos começar com a velocidade que queríamos, mas vamos iniciá-lo.”

Políbio Braga

_______________________________

2 comentários que vale a pena reproduzir, do site do Políbio:

_______________________________

O mínimo que se espera é que a contrapartida exigida pelo concessionário que ganhar a licitação do Salgado Filho seja a ampliação da pista dele!

E para que isso ocorra não pode ser exigida como contrapartida também a construção do novo aeroporto de Portão. Sabem porquê? Porque senão ninguém vai querer tantas contrapartidas bilionárias para um aeroporto que nem é tão movimentado lucrativamente como Guarulhos.

O esgotamento do Salgado Filho é uma falácia e o consórcio asministrador de Guarulhos já disse que há muita coisa possível de se fazer no Salgado Filho.

A ampliação da pista é algo obrigatório ma licitação do Salgado Filho! Exigimos isso! Não aceitaremos o contrário! Lutaremos até o fim para tanto!

_______________________________

Padilha precisa entender algo, talvez alguém precise “desenhar” pra ele e Dilma entenderem logo “dilmavez”:

A gigantesca imensa maioria dos gaúchos quer e exige a ampliação do Salgado Filho e rejeita a ideia de um novo aeroporto em Portão em detrimento dele. Remar contra isso só os queimará cada vez mais e causará o aumento da rejeição deles pelos gaúchos.

A ampliação da pista é algo fora de negociação, pois exigimos ela! E lutaremos nas redes sociais e fora dela junto com o movimento em defesa do Salgado Filho para tanto.

Se não há dinheiro, que se exija na licitação do aeroporto que a iniciativa privada o faça por conta dela, como contrapartida da concessão.

Prepare-se, pois se necessário certamente virá panelaços e outdoors pela cidade.

EPTC manifesta otimismo com o novo edital do transporte coletivo

Proposta de qualificação do serviço é aberta a empresas estrangeira   Foto: Joel Vargas/PMPAs

Proposta de qualificação do serviço é aberta a empresas estrangeira   Foto: Joel Vargas/PMPAs

Após a publicação, nesta quarta-feira, 6, do terceiro edital de licitação para o transporte coletivo de Porto Alegre, a direção da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) está otimista sobre a entrega de propostas no dia 6 de julho. Com a oficialização do interesse na exploração do serviço, aberto também às empresas de fora do país, e seguidos todos os trâmites legais, o início das operações está previsto para o primeiro semestre do próximo ano. O objetivo é qualificar o atendimento oferecido na frota de ônibus da cidade, utilizada diariamente por cerca de 1 milhão de cidadãos.

 Para o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, o novo edital é um dos mais transparentes do país, consolidado após um exaustivo trabalho da equipe técnica da EPTC e de outros órgãos da prefeitura, com ajustes realizados após as experiências anteriores, que resultaram desertas. “Nossa equipe técnica é muito competente. Além dos avanços tecnológicos, o novo edital detalha o que é custo de serviço e o que representa o lucro dos empresários, entre outras questões”, afirma Cappellari.

O aviso da concorrência pública está publicado no Diário Oficial de Porto Alegre (Dopa). Para consultar, clique aqui. A abertura da licitação, com a entrega dos envelopes, está marcada para 6 de julho, às 14h30, no auditório da EPTC (rua João Neves da Fontoura, nº7, bairro Azenha). A íntegra do edital está disponível no site da Secretaria Municipal da Fazenda.

Participação dos usuários – O edital é resultado de mais de dois anos de trabalho das equipes da EPTC e de demais órgãos da prefeitura. O conteúdo, que prevê ampliação e qualificação do serviço prestado ao cidadão, foi enriquecido com contribuições efetivas dos usuários. Uma série de encontros com a comunidade foi realizada para abrir espaço a sugestões: três audiências públicas, uma na Câmara Municipal e duas no Ginásio Tesourinha, a última em 15 de abril; e 24 reuniões nas 17 regiões da cidade no âmbito do Orçamento Participativo (OP), com a presença de cerca de 1.700 pessoas. Foi criado, ainda, um canal de participação da população via internet (licitacaodeonibus@portoalegre.rs.gov.br), com o registro de 241 e-mails com sugestões individuais e representativas de entidades, todas analisadas por técnicos do município.

O novo edital, dividido agora em seis lotes, prevê, para um maior conforto da população, a ampliação gradual de ar-condicionado na frota, para não pesar no preço da tarifa. A exigência do recurso passará do percentual atual de 23% para 100% no prazo máximo de 10 anos, sendo 25% já no primeiro ano, em  todos os lotes das bacias.

A licitação define ainda como itens de qualificação do serviço a previsão de acessibilidade em toda a frota; a ocupação de, no máximo, quatro pessoas por m², diferente dos seis usuários atuais por m², um aumento projetado de 72 veículos na frota atual de 1.709 ônibus; a criação do Sistema de Qualidade de Serviço, para analisar, através de indicadores de desempenho, o grau de qualidade do atendimento prestado à população, em razão de cumprimento de horários, a partir das reclamações dos usuários, dos índices de avaliação nas vistorias, dos relacionamentos com os passageiros, que podem resultar em penalizações para as empresas exploradoras do serviço, com multas revertidas para a qualificação do sistema; e instalação de GPS em toda a frota, entre outros avanços em relação ao atendimento prestado atualmente na cidade. Será criado, também, um Conselho de Usuários, para acompanhar todo o processo de concessão do sistema.

Novo edital do transporte coletivo será publicado nesta quarta

A abertura das propostas está marcada para 6 de julho   Foto: Marcela Barbosa/Divulgação PMPA

A abertura das propostas está marcada para 6 de julho   Foto: Marcela Barbosa/Divulgação PMPA

A  Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) publica nesta quarta-feira, 6, no site da Secretaria da Fazenda (www.portoalegre.rs.gov.br/smf), na seção Licitações, a íntegra do novo edital do transporte coletivo por ônibus da Capital. O extrato do edital será divulgado no Diário Oficial de Porto Alegre (Dopa) e em jornal de grande circulação. A abertura das propostas, com possibilidade de participação de empresas internacionais, está marcada para 6 de julho.

Esta é a terceira tentativa da prefeitura de realizar a primeira licitação da história do transporte coletivo de Porto Alegre, desde 1920, quando foi autorizada oficialmente a operação de ônibus da Capital. Desde então, o serviço tem funcionado sustentado em permissões. Atualmente, o sistema conta com 1.709 ônibus, 400 linhas, operadas em três consórcios (STS, Unibus e Conorte), além da empresa pública Carris.

Participação dos usuários – O edital é resultado de mais de dois anos de trabalho das equipes da EPTC e de demais órgãos da prefeitura. O conteúdo, que prevê ampliação e qualificação do serviço prestado ao cidadão, foi enriquecido com contribuições efetivas dos usuários. Uma série de encontros com a comunidade foi realizada para abrir espaço a sugestões: três audiências públicas, uma na Câmara Municipal e duas no Ginásio Tesourinha, a última em 15 de abril; e 24 reuniões nas 17 regiões da cidade no âmbito do Orçamento Participativo (OP), com a presença de cerca de 1.700 pessoas. Foi criado, ainda, um canal de participação da população via internet (licitacaodeonibus@portoalegre.rs.gov.br), com o registro de 241 e-mails com sugestões individuais e representativas de entidades, todas analisadas por técnicos do município.

O novo edital, dividido agora em seis lotes, prevê, para um maior conforto da população, a ampliação gradual de ar-condicionado na frota, para não pesar no preço da tarifa. A exigência do recurso passará do percentual atual de 23% para 100% no prazo máximo de 10 anos, sendo 25% já no primeiro ano, em  todos os lotes das bacias.

A licitação define ainda como itens de qualificação do serviço a previsão de acessibilidade em toda a frota; a ocupação de, no máximo, quatro pessoas por m², diferente dos seis usuários atuais por m²; um aumento projetado de 72 veículos na frota atual de 1.709 ônibus; a criação do Sistema de Qualidade de Serviço, para analisar, através de indicadores de desempenho, o grau de qualidade do atendimento prestado à população, em razão de cumprimento de horários, a partir das reclamações dos usuários, dos índices de avaliação nas vistorias, dos relacionamentos com os passageiros, que podem resultar em penalizações para as empresas exploradoras do serviço, com multas revertidas para a qualificação do sistema; e instalação de GPS em toda a frota, entre outros avanços em relação ao atendimento prestado atualmente na cidade. Será criado, também, um Conselho de Usuários, para acompanhar todo o processo de concessão do sistema.

#PapoComOPrefeito – Na tarde desta terça-feira, 5, o prefeito José Fortunati respondeu as dúvidas dos internautas sobre o novo edital de licitação do transporte coletivo por ônibus em Porto Alegre. As principais dúvidas esclarecidas foram sobre como vai funcionar o novo sistema, o que muda e quais as melhorias para os usuários. A terceira edição do #PapoComOPrefeito teve 50 minutos de duração. Leia mais aqui.

Prefeitura de Porto Alegre

Metroplan entrega anteprojetos do PAC Mobilidade

Anteprojetos do PAC 2 entregues na superintendência da plataforma de governo da CEF Comunicação Metroplan

Anteprojetos do PAC 2 entregues na superintendência da plataforma de governo da CEF
Comunicação Metroplan

A Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional entregou  nesta quinta-feira (30/04) na Caixa Econômica Federal, os anteprojetos do PAC 2 Mobilidade Grandes Cidades dos municípios de Porto Alegre e São Leopoldo.

A licitação será feita por meio do Regime Diferenciado de Contratação (RDC). O investimento será de R$ 314 milhões de reais.

Os anteprojetos dos municípios de Esteio, Sapucaia do Sul, Novo Hamburgo, Cachoeirinha, Gravataí, Alvorada e Viamão, foram entregues em 11 de março.

Os projetos entregues à Caixa, não propõe, apenas, uma mudança na infraestrutura do transporte público coletivo das cidades da Região Metropolitana de Porto Alegre, mas um conjunto de medidas que formam um novo conceito de mobilidade urbana. Os congestionamentos deverão ser reduzidos, através das faixas exclusivas de ônibus nas principais avenidas que fazem a ligação entre os municípios, além da construção de corredores transversais dentro das próprias cidades. Integram-se aos corredores a implantação de ciclovias, qualificação dos passeios públicos com soluções de acessibilidade universal e de mobiliário urbano padronizado.

 

A racionalização da rede metropolitana de transporte deverão diminuir o tempo das viagens. Os corredores serão monitorados eletronicamente por sistemas inteligentes de transporte – ITS, permitindo a gestão moderna em tempo real do serviço. A implementação do sistema consta mundialmente na agenda política de planejadores urbanos e ambientais.

Os projetos foram entregues na superintendência da plataforma de governo da Caixa Econômica Federal ao coordenador da área de Engenharia, Marcos Alexandre Almeida e ao gerente de negócios, Lúcio Loguercio, pelo diretor de Gestão Territorial da Metroplan, Márcio Souza de Barcellos e arquitetos João Edmundo Thoms Salvi e Regina Krumholz.

METROPLAN

Fonte: Mauro Saraiva Junior/ Comunicação Metroplan

Consórcio que administra Guarulhos está de olho no Salgado Filho

Edital de concessão do aeroporto de Porto Alegre à iniciativa privada deve sair em breve

Aeroporto de Guarulhos. Foto: Ricardo Giusti

Aeroporto de Guarulhos. Foto: Ricardo Giusti

De olho no lançamento do edital de concessão da administração do Aeroporto Internacional Salgado Filho, a direção do GRU Aiport – Aeroporto Internacional de São Paulo apresenta um salto de qualidade dos serviços após a chegada do consórcio privado, há quase três anos. O aeroporto de Guarulhos, como é conhecido, esteve no primeiro lote concedido à iniciativa privada.

Com os bons resultados obtidos em São Paulo, a direção do consórcio formado pelas empresas Invepar e Airports Company South Africa (ACSA) aguarda com atenção e expectativa o próximo edital, que, segundo a Secretaria de Avião Civil da Presidência da República, será lançado a qualquer momento e incluirá o Salgado Filho. “Estamos atentos e temos interesse em participar, caso o edital permita, uma vez que já temos uma concessão. Temos certeza de que é possível fazer muito no Salgado Filho”, afirma o presidente interino do GRU Airport, Marcus Santarém, durante apresentação das melhorias, em Guarulhos.

O edital de concessão do Salgado Filho, que deverá conter ainda os de Florianópolis (Hercílio Luz) e Salvador (Luiz Eduardo Magalhães), é aguardado pelo segmento ligado à aviação, especialmente, diante do impasse envolvendo importantes obras que são necessárias. No caso da Capital, o ministro da Secretaria de Aviação Civil, Eliseu Padilha, adiantou que a empresa responsável deverá ter o compromisso de construir o novo terminal. Nesse mesmo acordo deverá ser incluída a ampliação da pista, que está com a licitação travada diante de discussões entre prefeitura e Infraero.

De acordo com Santarém, um dos benefícios decorrentes da concessão é a agilidade para a realização de melhorias. Ao assumir o aeroporto, o consórcio tinha como compromisso de investir R$ 4,5 bilhões em 20 anos. Desse valor, R$ 3,5 bilhões já foram aplicados.

A maior parte está no moderno Terminal de Passageiros 3 (TPS3), que entrou em operação há quase um ano e é considerado a “menina dos olhos” da direção do GRU. Ele foi erguido em prazo recorde, de um ano e nove meses.

O novo terminal é voltado exclusivamente para os voos internacionais e tem a capacidade inicial de receber 12 milhões de pessoas por ano. O empreendimento permitiu impulsionar as operações no aeroporto de Guarulhos. Igualmente garantiu a reorganização dos outros terminais já existentes e em operação e maior segurança aos passageiros.

Tempo real

A maioria das melhorias realizadas após a concessão, além da construção do Terminal 3, envolveu tecnologia. Uma das novidades foi o Centro de Controle Operacional (CCO), que coordena todas as operações de chegada e partida de aeronaves no aeroporto. São 18 monitores que mostram em tempo real informações dos terminais e da pista, assim como as posições de pouso e decolagem. “Temos condições de fazer planejamentos e, assim como em situações de urgência, adotar medidas para amenizar problemas e garantir a resolução de possíveis transtornos”, explica Wilson Souza, responsável pelo CCO.

Outro espaço diferenciado é a Sala de Crise. Apesar do nome, o espaço foi projetado para solucionar eventuais problemas que possam prejudicar a operação. Durante o período da Copa do Mundo, a sala esteve ativada por mais de 30 dias ininterruptos, em função da chegada e partidas de grupos de passageiros estrangeiros. Mas também funciona na chegada de personalidades, greves e passeatas, que poderiam prejudicar a chegada de funcionários. Também foi instalado o sistema de docagem visual, que presta as orientações para o piloto “estacionar” a aeronave. Os sinalizadores saíram de cena. É tudo informatizado.

Autoatendimento

Numa área de 192 mil metros quadrados, o Terminal 3 conta com modernos e pioneiros sistemas de tecnologia. Interligados, eles permitem, por exemplo, que o passageiro faça todos os procedimentos de embarque sozinho. Pode despachar a bagagem e fazer o check in e, em seguida, ingressar na área de embarque passando pelos portões eletrônicos de controle automatizado do passaporte brasileiro. Nele, um sensor autoriza a passagem pela análise do chip do passaporte e reconhecimento biométrico-facial.

A medida é válida apenas para adultos. Na prática, o conjunto de melhorias faz com que o tempo gasto pelo passageiro caia de 20 minutos para 13 minutos entre a chegada ao aeroporto e o ingresso na área de embarque. “Conseguimos reduzir consideravelmente o tempo. Dessa forma, o passageiro tem mais conforto e agilidade, podendo direcionar o tempo dentro do aeroporto para outras coisas”, explica a responsável pelas operações aeroportuárias, Vilma Varga. “Ele não precisará mais ficar numa fila esperando, como ocorre hoje, para despachar a bagagem ou na fila da Polícia Federal”, exemplifica. No momento, o maior desafio é mudar o conceito de atendimento entre as empresas e passageiros.

Menor extravio

Um sistema pioneiro nos aeroportos brasileiros tem garantido a redução de uma das principais reclamações dos passageiros: as bagagens. Com um volume de 130 mil malas por dia despachadas no Terminal 3 do GRU, o sistema BHS reduz o contato de funcionários e amplia a fiscalização. Com a identificação digital é possível controlar praticamente passo a passo a mala desde o momento do despacho até ser colocada na aeronave. “A possibilidade de extravio foi praticamente eliminada”, explica o responsável pelo processo de bagagem, Diego Moretti. O número de reclamações de extravios, danos ou violações reduziu 25% na comparação com os demais terminais. Após o despacho, a bagagem passa por até cinco níveis de segurança — padrão internacional. Caso seja verificada alguma irregularidade, há quatro possibilidades de apuração, todas feitas sem contato direto de uma pessoa, mas por meio de scanner, raio-x e tomógrafo. Apenas no quinto nível o passageiro e representantes da companhia e de órgãos competentes são acionados. “O conceito é reduzir o manuseio e a interferência humana dentro do terminal”, ressalta Moretti. O complexo de esteiras totaliza 5 quilômetros de extensão.

Correio do Povo – Mauren Xavier

Construção da nova ponte do Guaíba toma forma

Estrutura ainda depende de licença da Fepam para reassentamento de famílias

Estão sendo colocadas estacas de 30 metros de comprimento que pesam em torno de 30 toneladas | Foto: Tarsila Pereira

Estão sendo colocadas estacas de 30 metros de comprimento que pesam em torno de 30 toneladas | Foto: Tarsila Pereira

A construção da nova ponte do Guaíba começa a tomar forma em Porto Alegre. Quem passa pela BR 290, no sentido Interior-Porto Alegre, consegue observar a estrutura avançar. Os trabalhadores da construtora contratada atuam em duas frentes: em escavações no terreno localizado na rua João Moreira Maciel, no bairro Humaitá, e dentro do Guaíba, com a colocação de estacas de 30 metros de comprimento e que pesam aproximadamente 30 toneladas.

Dentro das águas, existem marcações com boias para delimitar a área de trabalho da empresa. No terreno da rua João Moreira Maciel, estão depositadas peças pré-moldadas da nova ponte, como por exemplo vigas e estacas. Quem passa pela BR 290 visualiza também um guindaste para fixação da estrutura. O bate-estaca tem capacidade para 120 toneladas e funciona como um martelo gigante para cravar as estacas.

A Fundação de Proteção Ambiental (Fepam) ainda não concedeu licença para que se inicie o processo de reassentamento das famílias que terão de deixar a área em razão das obras. Sem o documento, não é possível aprovar o Estudo de Viabilidade Urbana e erguer a infraestrutura das novas casas. A Fepam promete realizar, em breve, a vistoria nos locais. Quando o processo de desapropriação das áreas privadas estiver concluído, a Justiça Federal dará início a audiências de conciliação.

A nova ponte terá uma extensão de 7,3 quilômetros 2,9 quilômetros, além de 4,4 quilômetros em acessos e obras de artes especiais alargamento da ponte do Saco da Alemoa, elevadas e viadutos. Com 28 metros de largura nos vãos principais, a pista terá duas faixas de rolamento, acostamento e refúgio central. O valor é de R$ 649,6 milhões em recursos do governo federal. A conclusão da ponte está prevista para outubro de 2017.

Correio do Povo

Linha S1 Aeroporto/Hotéis vai parar de circular em Porto Alegre

Baixo número de passageiros inviabilizou a operação  Foto: Lucas Barroso/Divulgação PMPA

Baixo número de passageiros inviabilizou a operação  Foto: Lucas Barroso/Divulgação PMPA

A linha seletiva S1 – Aeroporto/Hotéis, que começou a funcionar para a Copa do Mundo e foi mantida em caráter experimental a partir de julho de 2014, vai parar de circular no próximo dia 30 de abril. Durante o período de avaliação, foi registrada uma média de 1,37 passageiro por viagem, o que inviabiliza a operação. O prejuízo com a linha, em 2014, passou de R$ 884 mil.

No estudo realizado pela Carris e a EPTC, durante o período experimental, foram detectados três fatores principais para a baixa procura pela linha:

1) A proximidade do Aeroporto Salgado Filho do Centro da cidade e de grande parte dos hotéis de Porto Alegre, o que favorece a utilização de táxis (são 210 veículos disponíveis no ponto fixo do aeroporto);

2) A grande oferta de ônibus do transporte urbano de passageiros no local. Seis linhas e suas variantes circulam pelo aeroporto, transportando em média 50 mil passageiros por dia (T5, T11, B02 – Leopoldina/Aeroporto, B09 – Aeroporto/Iguatemi, B56 – Passo das Pedras/Aeroporto, 705 – Indústrias);

3) A operação do aeromóvel da Trensurb, que transporta, em média, 3,2 mil passageiros por dia útil do Salgado Filho até a Estação Aeroporto do metrô. Com partidas a cada 10 ou 15 minutos, dependendo do horário, oferece uma alternativa mais rápida e barata a quem se desloca para o centro da cidade.

A decisão de tirar a S1 de circulação foi tomada pelo prefeito José Fortunati nesta segunda-feira, 20, em reunião com o diretor-presidente da Carris, Sérgio Zimmermann, do diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, o secretário municipal de Gestão, Urbano Schmitt, além de gestores e técnicos das duas empresas municipais. No encontro, foram apresentados a Fortunati o desempenho e taxa de utilização da linha em cada um dos dias de operação.

Sobre a linha – A linha S1 – Aeroporto/Hotéis é a linha da Carris que integra o  Aeroporto Internacional Salgado Filho aos principais hotéis da cidade. Começou a operar em 11 de junho de 2014 e foi criada em função da Copa do Mundo.

Com tarifa, em 2015, de R$ 7,00, registrou uma média de 1.070 passageiros ao mês após o Mundial.

A frota é composta por seis ônibus, cinco ativos e um reserva. Todos foram adaptados com espaço para bagagens e capacidade reduzida para 25 passageiros sentados. Agora, a Carris fará uma reavaliação desses veículos para que sejam redirecionados às linhas C.

As partidas ocorrem diariamente do Aeroporto Internacional Salgado Filho, a cada 30 minutos, a partir das 6h da manhã até a meia-noite. Elaborado de acordo com pesquisa prévia realizada com turistas no próprio terminal do aeroporto, o itinerário cobre a região central e bairros Moinhos de Vento e Rio Branco, percorrendo um trajeto de cerca de 30 quilômetros.

Prefeitura de Porto Alegre

Mobicidade lança aplicativo “Dá pra atravessar?”

Recurso visa a colher dados dos pedestres sobre dificuldades na travessia de vias de Porto Alegre

O imbróglio envolvendo o Executivo Municipal e a Câmara de Vereadores, em relação ao projeto de lei que determinava o tempo de 30 segundos na travessia de ruas e avenidas em Porto Alegre, e que acabou por não ser regulamentado, motivou a criação de um aplicativo que analisa se é real ou não a demanda por mais tempo de sinal verde para quem caminha na cidade. A Mobicidade, associação que luta pelos direitos de ciclistas, pedestres e usuários do transporte público, lança hoje o aplicativo web “Dá pra atravessar?”, que analisa a segurança e facilidade para percorrer a pé dezenas de cruzamentos da cidade.

Captura-de-tela-de-2015-04-21-164036-1024x576

Utilizando como base a plataforma OpenStreetMap, o aplicativo permite que o usuário possa escolher um ponto de travessia e avaliar a segurança existente (…)

Clique aqui para ler a matéria integral, no site da Mobicidade.

Aplicativo guia usuários ‘perdidos’ no transporte público em Porto Alegre

App Wigo guia usuários e mostra opções de rota em Porto Alegre (Foto: Reprodução)

App Wigo guia usuários e mostra opções de rota em Porto Alegre (Foto: Reprodução)

Baseado no conceito de crowdsourcing, ou seja, abastecido pelos próprios usuários, uma startup recém-criada em Porto Alegre lançou um aplicativo para celular ou tablet capaz de guiar os “perdidos” na cidade. O app reúne informações sobre todas as opções de transporte público da capital: ônibus, lotação, trem, catamarã e até aeromóvel. É possível ainda compartilhar e aproveitar dados fornecidos pelos passageiros em tempo real, como atrasos, condições de trânsito, superlotação dos veículos e até mesmo se o motorista dirige mal ou agressivamente.

A ideia é da 8Lab, startup formada por quatro sócios há cerca de um ano e incubada na Raiar da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). A intenção é facilitar a vida de quem se desloca pela cidade e depende do transporte coletivo. “Quando eu estava no colégio, não tinha quase nada de informação desse tipo. Não se sabia que ônibus pegar para chegar a determinado lugar. Era preciso pedir ajuda. Meu sócio comentava que antes a avó era o GPS dele”, brinca Flávio Palma Pereira, 22 anos, um dos sócios da 8Lab.

A exemplo dos populares Moovit e Waze, o app intitulado Wigo é destinado somente para quem usa transporte público e (…)

Clique aqui e leia toda a matéria no G1 RS.

_____________________

Obs: a foto do app foi fornecida pelo Porto Imagem.

Edital do transporte coletivo é um “mistério”, diz ATP

Empresas ainda não sabem se irão participar do processo licitatório

Prefeitura disse que edital será lançado no dia 6 de maio | Foto: Mauro Schaefer / CP Memória

Prefeitura disse que edital será lançado no dia 6 de maio | Foto: Mauro Schaefer / CP Memória

O edital de licitação do transporte coletivo de Porto Alegre é um “mistério” para as 12 empresas integrantes do três consórcios (STS, Unibus e Conorte) que operam na Capital. A avaliação é do gerente executivo da Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP), Luiz Mario Magalhães Sá. Segundo ele, a entidade não pode realizar uma avaliação porque não conhece as regras do edital de licitação. “Temos que esperar a divulgação. O que sabemos apenas é que o edital será lançado no dia 6 de maio”, explicou.

Conforme Sá, as empresas que são responsáveis por aproximadamente 1.350 ônibus que circulam na Capital, ainda não sabem se vão participar do processo licitatório. “Vamos primeiro estudar o edital e fazer as contas. Depois tomaremos uma posição conjunta como qualquer concorrente”, ressaltou. O gerente executivo da ATP disse ainda que as empresas não participaram dos dois editais anteriores porque as exigências da prefeitura eram, segundo ele, “absurdas e não tinham sustentação econômica.

O edital de licitação do transporte coletivo de Porto Alegre será o terceiro elaborado pela prefeitura. As duas licitações anteriores não tiveram interessados. O diferencial da nova licitação, segundo a Prefeitura de Porto Alegre, é que as linhas de ônibus estão divididas em seis lotes, e não mais em três bacias, como anteriormente. A expectativa da prefeitura é lançar o edital no dia 6 de maio. Após essa etapa, as empresas de ônibus interessadas, nacionais e estrangeiras, terão de 45 a 60 dias para a apresentação de propostas.

Cláudio Isaías – Correio do Povo

Prefeitura de Curitiba instala 120 semáforos “inteligentes” para pessoas com mobilidade reduzida

Semáforo-tem-sensor-para-cartão-de-idosos-e-portadores-de-deficiência

A Prefeitura de Curitiba está implantando na cidade uma nova tecnologia que permite aidosos e pessoas com dificuldade de mobilidade uma passagem mais segura de ruas. Serão instalados 120 semáforos inteligentes em 31 pontos da cidade, acionados por pessoas portadoras do cartão de passagens de idoso e de pessoa com deficiência da Urbs(Urbanização de Curitiba S/A).

O primeiro equipamento foi instalado na Praça Ouvidor Pardinho, no Centro, e começa a funcionar nesta terça-feira (14). No ano passado, uma tecnologia similar foi testada no bairro Alto da Glória e, com a aprovação do sistema, a Prefeitura iniciou processo de concorrência pública para contratar o serviço.

O sistema funciona através de uma botoeira especial acoplada ao semáforo, que é acionada pelos cartões da Urbs. Ao identificar o cartão, o semáforo abrirá por mais alguns segundos além do programado – de 20% a 30% a mais do que o tempo de semáforo normal.

A Prefeitura de Curitiba realizou, em 2013, uma pesquisa inédita com 400 pedestres idosos em vários cruzamentos do centro da cidade, determinando velocidade e tempos médios de travessia. Os dados levantados serviram de base para o aumento de tempo em muitos semáforos de pedestres de Curitiba e também para o cálculo do tempo de abertura dos semáforos especiais para pessoas com mobilidade reduzida.

A intenção é reduzir as fatalidades no trânsito da capital paranaense, principalmente com idosos, as maiores vítimas de acidentes fatais com pedestres na cidade segundo levantamento do projeto Vida no Trânsito, que analisa os acidentes de trânsito com mortes em Curitiba.

Jornal O Regional / Paraná

Aeroporto: governo do Estado confirma apoio à ampliação da pista

Fortunati participou de audiência com secretário estadual de Transportes  Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

Fortunati participou de audiência com secretário estadual de Transportes  Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

 

O prefeito José Fortunati participou nesta terça-feira, 14, de audiência com o secretário estadual de Transportes e Mobilidade, Pedro Westphalen, e com o Comitê em Defesa do Aeroporto Salgado Filho. Fortunati comunicou a Westphalen e aos integrantes do Comitê sobre o resultado da reunião com a presidente Dilma Rousseff, no último dia 8 de abril, quando ela garantiu que o governo federal irá bancar a ampliação da pista de pousos e decolagens, e também do encontro com o presidente da Infraero, Antônio Gustavo Matos do Vale. O prefeito obteve de Westphalen a confirmação de que o governo do Estado apoia a obra.

Fortunati expôs ao secretário como está a negociação com o governo federal e mostrou o ofício e os documentos entregues à União como comprovação de que as garantias necessárias foram dadas pela Prefeitura de Porto Alegre. “Tive duas reuniões muito produtivas em Brasília. Primeiro, com o presidente da Infraero, que deixou claro não existirem impedimentos técnicos para o início das obras. Depois, com a presidente Dilma, que nos confirmou que o governo federal vai ampliar a pista do Salgado Filho e designou o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, como responsável por liderar o trabalho”, explicou o prefeito.

O secretário de Transportes destacou a importância de ampliar e qualificar o Aeroporto Internacional de Porto Alegre para a economia e o desenvolvimento do Estado. “Algumas obras são estratégicas e essa é uma delas. O governo estadual dá pleno apoio à ampliação da pista do Salgado Filho. Estamos alinhados com a prefeitura para que o projeto saia do papel o mais breve possível”, afirmou Westphalen.

Na reunião, os representantes do Comitê em Defesa do Aeroporto Salgado Filho, Alcebíades Santini, Cláudio Candiota Filho e Teresa Cristina Fernandes Moesch, informaram ao prefeito e ao secretário que o Ministério Público Federal está acompanhando o caso. Também participaram do encontro os secretários municipais de Gestão, Urbano Schmitt, e de Acessibilidade e Inclusão Social, Raul Cohen, a diretora do Departamento Aeroportuário da Secretaria de Estado dos Transportes, Lígia Barreto, o vice-presidente da OAB-RS, Luiz Eduardo Amaro Pellizzer, o deputado estadual Tiago Simon e o vereador João Carlos Nedel.

Prefeitura de Porto Alegre

Comitê em Defesa do Salgado Filho contesta Padilha, envia pedido de informações à Infraero e recorre ao Ministério Público

Foto: José Arthur Eidt

Foto: José Arthur Eidt

O Comitê em Defesa do Aeroporto Salgado Filho, movimento que reúne mais de 70 entidades, enviou oficio com pedido de informações à presidência da INFRAERO. O Comitê discorda das decisões tomadas pelo Ministro Padilha que retardam, mais uma vez, as obras de extensão da pista em 920 metros. “Não há fundamentação técnica nem coerência nas imposições do Ministro”, diz Claudio Candiota, advogado e presidente da ANDEP (Associação Nacional em Defesa dos Direitos dos Passageiros do Transporte Aéreo), entidade que coordena o Comitê, juntamente com OAB/RS e Fórum Latino Americano de Defesa do Consumidor.

O Conselho de Administração aprovou a obra de extensão da pista, mas condicionou o início da obra à retirada das famílias no entorno. Os técnicos do Comitê discordam da exigência que contraria acordos assinados com o Município. A área está cercada e à disposição da INFRAERO, desde 2011.

No ofício, ainda sem resposta, o Comitê destaca que “retirar obstáculos que se encontram em área externa àquela onde será realizada a obra é óbice tecnicamente injustificável”. Alega, ainda, que “não há fundamentação jurídica a amparar tal exigência. Não há lógica em retirar, antes, obstáculos que só podem ser considerados “obstáculos às operações aéreas que só ocorrerão depois de concluída a obra”. O prefeito José Fortunati considera a manobra procrastinatória. É “enrolation”, disse.

Veja a matéria integral na Revista Aviação Notícias, clicando aqui.

(publicado mediante autorização da revista)

Justiça gaúcha veta ar em todos os ônibus

Foto: Gilberto Simon

Foto: Gilberto Simon

A justiça adora legislar. Só não legisla contra ela mesma. Quando se trata de auxílio-moradia, o mais escandaloso e imoral privilégio de uma corporação brasileira, a justiça sempre se dá ganho de causa. É um conforto que ela não se nega.

A Câmara de Vereadores de Porto Alegre decidiu que todos os ônibus da capital deveriam ter ar condicionado.

A Prefeitura Municipal, para encanto dos donos de ônibus, recorreu à justiça para invalidar a decisão dos vereadores.

A justiça fechou com a Prefeitura.

No conforto do seu ar geladinho, o juiz decidiu que a plebe pode esperar mais alguns anos. Afinal, está acostumada a sentir frio, calor, pressão e tudo mais. No Rio de Janeiro, o rei do ônibus, Jacob Barata, vive reclamando das imposições do legislativo. Por coincidência, ele é também um dos reis do dinheiro nas contas do HSBC da Suíça. Pobrezinho desse empresário abnegado.

Já podemos fechar a Câmara de Vereadores de Porto Alegre.

O TJ pode tomar o lugar dela. A alegação do juiz é que não seria atribuição de vereador propor tal medida, exclusiva do executivo. Por quê? Não convence. Não cria despesa direta para a prefeitura, salvo como dona de empresa de ônibus, o que já é uma situação indireta. Além disso, a Carris está muito bem no quesito ar. O juiz considerou também que haveria impacto no preço das tarifas e prejuízo às empresas, que teriam de comprar ônibus novos. Não é atribuição do juiz decidir sobre impacto nas tarifas nem sobre investimentos das empresas. O cidadão togado abusou das suas funções e usurpou poderes dos vereadores.

A explicação é uma só: juiz não anda de ônibus.

Os empresários de ônibus agradecem de olhos molhados.

A plebe usuária de ônibus pensa na sua insignificância: eles podem tudo, não são eleitos.

Podem até ter mais de uma residência e ainda receber auxílio-moradia.

A Índia é aqui. Vivemos num sistema de castas.

Juremir Machado da Silva

Prefeitura protocola ação contra lei que obriga ar-condicionado nos ônibus

EPTC entende que é impossível para as prestadoras trocarem a frota até o prazo de lançamento da licitação

De acordo com a EPTC, a lei deixa em situação de desigualdade as atuais prestadoras do serviço e as que disputarão o novo edital | Foto: Tarsila Pereira / CP Memória

De acordo com a EPTC, a lei deixa em situação de desigualdade as atuais prestadoras do serviço e as que disputarão o novo edital | Foto: Tarsila Pereira / CP Memória

A Procuradoria Geral do Município (PGM) protocolou, nesta quarta, em caráter de urgência a ação de inconstitucionalidade em relação à lei aprovada pela Câmara,em 1º de março, que obriga ar-condicionado em 100% dos ônibus trocados ou comprados pelas empresas de Porto Alegre.

De acordo com a procuradora-geral do município, Cristiane da Costa Nery, a nova lei promoverá alterações no edital de licitação para a concessão do serviço de transporte coletivo por ônibus, o que retardará a sua publicação, prevista para 6 de maio deste ano, onde consta a exigência de condicionadores de ar nos coletivos de forma escalonada. Além disso, essas alterações restringem o caráter competitivo do processo licitatório. “A promulgação da Lei Municipal 11.806 cria diversos empecilhos à licitação do transporte coletivo por ônibus, que há muito é aguardada pela população porto-alegrense”, reforça Cristiane.

De acordo com a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), a lei deixa em situação de desigualdade as atuais prestadoras do serviço e as que disputarão o novo certame, previsto para ser lançado em 6 de maio. O diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, disse que, caso o texto não seja derrubado, a permanência da data do edital está ameaçada.

O Tribunal de Justiça explica que, em casos usuais, o prazo para julgamento é maior, exceto nos processos em regime de urgência. É possível, com isso, que a ação seja julgada até o início de maio.

A EPTC entende que é impossível para as prestadoras concorrentes realizarem a troca de 100% da frota até o prazo de lançamento da licitação, a não ser que a tarifa, hoje de R$ 3,25, suba mais R$ 0,13. A imposição da existência de ar-condicionado em toda a frota adicionada ao sistema acarreta aumento do consumo de combustível e aumento do valor do chassi, parcelas essas que interferem no custo do cálculo tarifário.

Correio do Povo e Rádio Guaíba

* Com informações da repórter Ananda Müller

Presidente Dilma garante ao prefeito ampliação do aeroporto

Fortunati também tratou de questões de interesse dos municípios brasileiros   Foto: Paulo Negreiros/Divulgação PMPA

Fortunati também tratou de questões de interesse dos municípios brasileiros   Foto: Paulo Negreiros/Divulgação PMPA

Em reunião na manhã desta quarta-feira, 8, no Palácio do Planalto, o prefeito José Fortunati recebeu da presidente Dilma Rousseff a garantia de que o governo federal irá bancar a ampliação da pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho. “Saio desta reunião extremamente otimista em relação ao futuro do nosso aeroporto. Este gesto da presidente Dilma nos tranquiliza e nos dá esperança de que os porto-alegrenses e a economia da cidade e do estado não serão prejudicados”, afirmou o prefeito, após encontro reservado.

A presidente adiantou que a ampliação deverá sair, independentemente da construção ou não de outro terminal no município de Portão e também da alternativa de concessão em Porto Alegre. Dilma também determinou que o ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, fique com a responsabilidade da negociação direta com o executivo municipal.

Presidente da Frente Nacional de Prefeitos, Fortunati também tratou, em uma longa reunião de cerca de 2 horas e 40 minutos, de questões de interesse dos municípios brasileiros. O encontro foi acompanhado pelo vice-presidente Michel Temer e pelos ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e da Casa Civil, Aloísio Mercadante, além de Nelson Barbosa.

No encontro, foram discutidos o estabelecimento do Regime Especial de Incentivos para o Transporte Coletivo Urbano e Metropolitano de Passageiros (Reitup), a repactuação da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), com parte dos recursos destinados a investimentos em transporte coletivo, e a normalização no repasse dos recursos constitucionais, como para a saúde, que estão sendo contingenciados pela crise financeira do governo federal.

Acompanhado do prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, além de outros executivos da FNP, Fortunati debateu a questão das dívidas dos municípios e recebeu do ministro Levy a indicação de que, em 15 dias, o Senado vote o prazo de vigência do novo indexador. “Foi uma reunião histórica. Tivemos também a garantia da retomada do Comitê de Articulação Federativa, instância criada no governo Lula, onde se reúnem os chefes das três instâncias de governo: federal, estaduais e municipais”, festejou o presidente da FNP. O comitê será coordenado pelo vice-presidente Michel Temer para abrir as negociações com os municípios.

Prefeitura de Porto Alegre

Aeroporto: prefeito pedirá apoio a Dilma para ampliação da pista

Fortunati participou de audiência com o presidente da Infraero, Antônio do Vale   Foto: Paulo Negreiros/Divulgação PMPA

Fortunati participou de audiência com o presidente da Infraero, Antônio do Vale   Foto: Paulo Negreiros/Divulgação PMPA

O prefeito José Fortunati participou, na tarde desta terça-feira, 7, de audiência com o presidente da Infraero, Antônio Gustavo Matos do Vale, para tratar da ampliação da pista de pousos e decolagens do Aeroporto Internacional Salgado Filho. Na reunião, na sede da Infraero, em Brasília, Fortunati entregou ofício e mais de 20 documentos que comprovam que todas as condições exigidas pela empresa e pelo governo federal para o início das obras foram atendidas pela Prefeitura e Porto Alegre.

Depois de mais de uma hora de audiência, o prefeito saiu otimista do encontro, porque Matos do Vale se mostrou sensível aos argumentos e reconheceu que não existem impedimentos técnicos para que as obras sejam executadas e que a prefeitura atendeu todas as demandas da Infraero. “Estou cada vez mais convencido de que a ampliação da pista do Aeroporto Salgado Filho só não saiu do papel ainda por questões orçamentárias e não devido a divergências administrativas. Vou aproveitar meu encontro com a presidente Dilma Rousseff e fazer um apelo pessoal para que ela olhe com carinho e priorize essa obra tão importante para Porto Alegre e para o estado”, afirmou Fortunati.

A ampliação da pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho, esperada há mais de 30 anos pela comunidade gaúcha, foi aprovada em reunião do Conselho de Administração da Infraero no dia 24 de fevereiro deste ano. Com a confirmação, a pista deverá ser ampliada em 920 metros, passando dos 2.280 metros atuais para 3.200 metros. A assinatura do contrato foi condicionada à liberação de recursos orçamentários.

A empresa também chegou a exigir, para assinar o contrato, a remoção de todas as famílias que habitam de forma irregular as áreas do entorno, que compreendem as vilas Nazaré, Dique e Floresta. Com base em documentos assinados pela direção da Infraero, a retirada das famílias é necessária à plena operação da pista e pode ser executada até a conclusão da ampliação. De acordo com o cronograma da prefeitura, até o final de 2016 todas as famílias e obstáculos serão removidos. A expectativa do governo federal é, a partir do momento em que for licitada, que a obra seja concluída em quatro anos.

Prefeitura de Porto Alegre

Prefeitura contra o ar-condicionado

Foto: Gilberto Simon

Foto: Gilberto Simon

A Prefeitura de Porto Alegre entra, nesta segunda-feira (06), com uma ação de inconstitucionalidade contra a a lei promulgada na última quarta-feira (01), pela Câmara de Vereadores, que obriga a instalação imediata de ar-condicionado em toda a frota de ônibus.

De acordo com a EPTC, caso a proposta não seja derrubada, não está descartado o adiamento da publicação do edital para o transporte coletivo da Capital, prevista para ocorrer em 6 de maio.

De acordo com o presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, o maior entrave provocado pelo texto aprovado pelos vereadores é o de que ele põe em pé de desigualdade as empresas que hoje assumem o serviço de transporte coletivo e as que dispuserem a disputar a licitação.

Segundo ele, os atuais operadores vêm cumprido a determinação legal de colocar ônibus com ar condicionado quando ocorre a troca, de um antigo por um novo, mas não há possibilidade de equipar 100% da frota até o prazo de lançamento da licitação.

Affonso Ritter

Ministro Padilha anuncia construção de aeroporto em Portão

Obra do terminal “20 de Setembro” era cobiçada por seis cidades gaúchas

Padilha confirma construção de aeroporto em Portão | Foto: Facebook / Divulgação / CP

Padilha confirma construção de aeroporto em Portão | Foto: Facebook / Divulgação / CP

O Rio Grande do Sul ganhará um novo aeroporto. Em entrevista à Rádio ABC 900 de Novo Hamburgo, o ministro da Secretaria de Aviação Civil, Eliseu Padilha, confirmou que o terminal “20 de Setembro” será construído em Portão, no Vale do Caí. “É lá. Não temos outro local. Conversei com a prefeita de Portão e vamos declarar a área como de utilidade pública”, anunciou. “Está liquidado! É lá”, acrescentou Padilha.

Segundo Padilha, Portão é o sítio aeroportuário escolhido após uma avaliação feita pela Aeronáutica. “A Aeronáutica definiu que o local ideal é lá. Eu agora preciso apenas da descrição geodésia da área para proceder com o decreto correto com fins de desapropriação”, explicou.

Em fevereiro, Padilha afirmou que seis municípios estavam postulando a construção do aeroporto 20 de Setembro: Caxias do Sul, Eldorado do Sul, Gravataí, Nova Santa Rita, Portão e Vacaria. Padilha disse que o local deve ficar pronto até 2029. Isso porque, segundo ele, o aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, estará obsoleto até lá.

Ampliação do Salgado Filho garantida

Anteriormente, Padilha afirmou que a ampliação do Salgado Filho, em Porto Alegre,está garantida apesar da impossibilidade da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) em homologar a obra que precisa da remoção total de todas as famílias que vivem nas vilas Dique e Nazaré.

O ministro comentou que “todos os entes públicos envolvidos no processo de ampliação da pista têm responsabilidades e atribuições”, e que “o projeto terá êxito caso cada um cumpra com a sua parte”. Com a ampliação, a pista do Salgado Filho deve ganhar 920 metros, passando a 3,2 mil metros de extensão, e tornando-se apta a receber voos de cargas e passageiros de maior porte, mantendo a capacidade do aeroporto pelo menos até o ano de 2029.

Correio do Povo

Novo edital de licitação para ônibus será apresentado em 15 de abril

Principais tópicos do texto serão expostos em audiência pública no Ginásio Tesourinha

Prefeitura vai fazer terceira tentativa de licitação | Foto: André Avila / CP Memória

Prefeitura vai fazer terceira tentativa de licitação | Foto: André Avila / CP Memória

Uma audiência pública para apresentação do terceiro edital de licitação do transporte coletivo de Porto Alegre será realizada no dia 15 de abril. Esse é o primeiro passo de mais uma tentativa de licitar o serviço. O encontro para expor os principais tópicos do texto à população ocorre às 19h no Ginásio Tesourinha. Segundo o diretor presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, a terceira tentativa de seleção terá mudanças, basicamente, na quantidade das bacias de operação.

“Até o final desta semana devemos concluir os estudos sobre as bacias. Serão de 6 a 10, o que permite que médias empresas participem da concorrência”, informou. Atualmente, três bacias são exploradas pelos consórcios privados: Norte (Conorte), Leste (Unibus) e Sul (STS). A Carris, empresa pública, opera as linhas transversais.

A EPTC manterá os 23 itens propostos pelo Orçamento Participativo desde a primeira concorrência. Entre as demandas da população estavam a instalação de ar-condicionado em toda a frota, monitoramento da rota das linhas e redução da lotação nas viagens. A princípio, o edital deve ser publicado no dia 6 de maio. No entanto, pode ser postergado a partir da definição sobre o projeto de lei que obriga a instalação de ar-condicionado em novos veículos do transporte coletivo da Capital.

Proposto e aprovado pela Câmara, o projeto foi vetado pela prefeitura. No dia 16 de março, no entanto, o veto do prefeito José Fortunati foi derrubado pelos vereadores. Cappellari afirma que, se a lei for publicada será possível ingressar com uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin). “A lei inviabiliza o edital, pois nele já existe uma regra para esse item, com um cronograma”.

No edital, a instalação do equipamento seria gradual. De imediato, apenas 25% da frota teria ar. Em cinco anos, o percentual subiria para 50% até chegar a 100% em 10 anos. Para a EPTC, a lei prejudica tanto os atuais permissionários quanto novos interessados, pois o investimento é muito elevado para o valor da tarifa atual. A prefeitura estima que o impacto da medida signifique alta de R$ 0,13 sobre o valor da tarifa, que poderá ser reajustada somente em fevereiro de 2016.

O Tribunal de Contas do Estado afirmou que está acompanhando todo o novo processo licitatório para ter garantir que os itens propostos pelos técnicos serão atendidos na nova licitação. Os dois editais anteriores, ambos com licitação deserta, foram questionados e supervisionados pelo TCE.

Correio do Povo / Jéssica Mello

Nova ponte do Guaíba: Um grande circo armado, por Luiz Domingues

Foto: Divulgação / DNIT

Foto: Divulgação / DNIT

Um Grande Circo foi armado no dia 14 de outubro de 2014, na rua João Moreira Maciel nº 8880 próximo à ponte móvel do Guaíba, a estréia foi às às 14h.

Os donos do Circo são os Diretores da Queiroz Galvão Othon Zanoide de Morais Filho e Erton Medeiros e que, me desculpem os outros donos, porque não tive o prazer ou desprazer de conhecê-los o que não vem a caso, o meu objetivo e elogiar, até porque o espetáculo foi bonito, bem produzido.

Para a estréia foram expedidos convites para pessoas importantes como Ministros, Deputados Federais, deputados Estaduais, Prefeitos, Vereadores e até eu fui convidado e compareci, só que não fui o único palhaço presentes, haviam outros palhaços mais importantes, até posamos para fotos juntos. Nela está o ilusionista, o Excelentíssimo Senhor Ministro dos Transportes Paulo Sergio Passos acompanhado de sua assistente, a Excelentíssima Senhora Ministra Miriam Belchior.

Pela minha pose na foto o amigo leitor pode constatar de que eu estava lá presente, mais não estava contente com o circo armado, afinal tudo era um mero espetáculo direcionado para a imprensa. Imprensa essa que não acredita mais nas promessas evasivas de que as obras da ponte vão iniciar.

Acredito que deverão estar se perguntando por que a minha revolta, não estou revoltado porque sou um pacifista, mas muitas pessoas no meu lugar com já teriam tomado outro tipo de atitudes.

Vou fazer um breve relato e julguem vocês mesmos:

Passamos atuar em busca de uma ponte alternativa desde o dia 11 de Março de 2006, de lá para cá foram feitos todos os tipos de relatos às autoridades competentes e até fomos ouvidos, porem os que nos ouviram usaram nossa necessidade como instrumentos políticos para angariar votos e serem reeleitos.

Qual necessidade? Explico:

Em 2006 quando iniciamos a busca de uma segunda ponte no Guaíba, o fluxo de veículos no vão móvel da ponte era de 37 mil veículos/dia, hoje o fluxo dobrou, atualmente é de 63 mil veículos por dia nos dois sentidos podendo chegar até 70 mil. E o Prejuízo econômico aos empresários e cidadãos da metade Sul? Em 2006, era de 120 milhões ao ano, hoje chega a R$ 1.250.000.000,00 ao ano.

Além dos fatos relatados ainda tem o prejuízo direto a população como nos casos em que se busca recursos médicos na capital, é notório que o sistema de saúde esta uma “maravilha”, mas ainda há os casos em por milagre uma pessoa consegue agendar uma consulta médica em Porto Alegre, mais quando estão se deslocando para o atendimento a ponte é içada e lá se vai a consulta marcada e o próximo agendamento somente quando a ponte estiver pronta, e claro o paciente será atendido se ainda estiver vivo.

Há os defensores do Governo Federal, que argumentam que pelo menos se esta fazendo. Só me resta bater Palmas para esses idiotas que são os parasitas de uma administração e que usam e abusam de seu poder e usa as dificuldades e necessidades de um povo, sendo que ainda passa por cima de um desenvolvimento promissor de um estado inteiro para se manter em seu posto político.

O que me credencia a usar esses adjetivos é a longa espera que os políticos nos impuseram… Quais são?

Eu Luiz Domingues, Fui o fundador do Movimento Ponte do Guaíba e na oportunidade a então hoje presidente era chefe da Casa Civil e na oportunidade até mandou que a CONCEPA, fizesse estudos e que ela imediatamente o fez, porem a presidente sentiu que podia angariar muitos votos do povo gaúcho, com promessas evasivas a essa necessidade, descartou a qualquer possibilidade de licitação e entregou aos donos do Circo acima citados.

A necessidade da metade Sul, até rendeu uns trocadinhos a empresas. Por exemplo, a Engevix Engenharia, foi à vencedora da licitação para fazer o EVETEA (estudo de viabilidade técnica econômica e ambiental) e traçado, como a presidente tinha que apadrinhar a Queiroz Galvão, usou o argumento de que a ponte tinha que ser de imediata construída e rescindiu o contrato com a Engevix que teve o custo de 7.500.000,00 reais.

Na oportunidade até fizeram um grande espetáculo no DNIT/RS, reuniram a imprensa para mostrar um pré projeto, e foi em cima deste pré projeto que anunciaram o inicio das obras da ponte.

Agora sou eu que pergunto cadê as obras da ponte?

Como alegam que a FEPAM ainda não deu licença se tem noticias de que estava tudo liberado, tenham dó!!!

Para terminar permitam-me a expor o meu ponto de vista:

1º – Essa ponte não vai ser construída em três anos, Mal começou e o ritmo das obras da nova ponte já está lento. Pelo cronograma original, o atraso já chega há três meses.
2º – Essa obra será o trampolim político para próxima eleição presidencial (aqui no Sul).
3º – O custo da obra não vai ser só de: 649 milhões ( conforme a licitação)
4º – A Presidente virá entregar Retroescavadeiras e fará grande discurso sobre a ponte, lá estarão um monte de babacas e eu junto para aplaudi-la. Porque eu vou estar lá? Há… Sei lá mais vou estar, talvez seja como o ditado que quando não se pode com o inimigo alie-se a ele. É o que vou fazer.

Sobre o reassentamento das famílias

As famílias precisam ser transferidas até dezembro de 2015 sem que haja prejuízo ao ritmo dos trabalhos, isso é o que eles dizem. Nesse período, o Governo Federal precisa contratar as empresas que irão realizar a construção das mil novas moradias. Como???

O ano tem 365 dias, para entregar as mil moradias, 2,7 casas terão que ser construídas por dia estão brincando ou estão tirando nos gaúchos pra burros, talvez imaginem que não sabemos fazer contas???

Artigo publicado no Blog do Movimento Ponte do Guaíba, com o título “Olha Nós Aqui Outra Vez”, no dia 04/01/2015

* Luiz Domingues é presidente do Movimento Ponte do Guaíba

Liberado hoje o trânsito de automóveis pelo viaduto São Jorge

Com seis faixas, estrutura dará maior fluidez entre as zonas Norte e Sul  Foto: Ricardo Giusti/PMPA

Com seis faixas, estrutura dará maior fluidez entre as zonas Norte e Sul  Foto: Ricardo Giusti/PMPA

O viaduto São Jorge, no cruzamento da Terceira Perimetral com a avenida Bento Gonçalves, teve o trânsito liberado para automóveis às 7h desta quinta-feira, 26, dia em que Porto Alegre comemora 243 anos. Com 540 metros e seis faixas de tráfego, o viaduto dará maior fluidez aos cerca de 90 mil veículos que fazem o trajeto entre as zonas Norte e Sul, além das cinco linhas de transporte coletivo. Esta foi a primeira etapa da obra. Dentro de cerca de um mês, a prefeitura deve liberar a passagem das linhas de ônibus no local.

 “É um belo presente para Porto Alegre, uma vez que este é o principal gargalo do trânsito da cidade depois do X da rodoviária. A mobilidade urbana, sem dúvida, é um importante diferencial na qualidade de vida das pessoas”, disse o prefeito José Fortunati, referindo-se à diminuição de tempo de deslocamento. De acordo com cálculos da EPTC, quem se desloca da zona Sul para a zona Norte e vice-versa terá um ganho de 15 minutos com a liberação a partir de hoje. Além disso, destacou o prefeito, aumentou de forma significativa a segurança dos usuários do transporte coletivo. “Aqui era uma região com muitos atropelamentos, principalmente do passageiro que necessita fazer a integração de linhas para o Centro. Esta é uma demonstração de que estamos trabalhando pela qualidade de vida do condutor e do passageiro de transporte coletivo ao mesmo tempo”, acrescentou.

A obra interliga as avenidas Salvador França e Aparício Borges sobre a avenida Bento Gonçalves sem interrupções. Possui três níveis: o do asfalto, o superior para veículos e o intermediário na parte central para as cinco linhas de Transversais que cruzam a Bento. De acordo com o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, a obra é inédita na América Latina e tem despertado o interesse de arquitetos de outros estados. “Acredito que, de todas as obras da Copa, esta seja a mais importante, tanto pela segurança do passageiro quanto pela fluidez do trânsito”, disse, ressaltando que a tendência é de aumento no número de usuários do transporte coletivo, em função da tranquilidade na troca do coletivo. “Na Terceira Perimetral, atualmente circulam 100 mil passageiros ao dia”, concluiu.

A liberação do trânsito também foi acompanhada pelos secretários de Gestão, Urbano Schimitt, e de Obras, Mauro Zacher.

imagem137894

imagem137856

imagem137854 Fotos: Ricardo Giusti/PMPA

Obra – O viaduto São Jorge é uma das cinco obras da Terceira Perimetral (além das passagens de nível das avenidas Ceará, Anita, Plínio Brasil Milano e Cristóvão Colombo). A obra teve um investimento de R$ 79,4 milhões. Para facilitar a orientação aos condutores e pedestres, foram instaladas 25 novas placas indicativas de trânsito no local.

Estrutura – O viaduto tem extensão total de 540 metros, com seis faixas de tráfego, rampa com declividade de 8% para veículos e de 6% para corredor de ônibus. O viaduto incorpora estação de ônibus do corredor da Terceira Perimetral e alças laterais para acesso à avenida Bento Gonçalves.

Próximas etapas – Nas etapas seguintes, que têm previsão de conclusão no primeiro semestre, serão liberadas as alças laterais e a estação de ônibus. A partir disso, o transporte público também vai utilizar o viaduto.

Desvios – Nas próximas etapas, as alças laterais serão liberadas ao tráfego e os trabalhos para a estação de ônibus São Jorge, concluídos. Com isso, os usuários de transporte coletivo poderão realizar a integração entre as linhas que circulam na avenida Bento Gonçalves e Terceira Perimetral (Aparício Borges). Até a conclusão da segunda fase das obras do viaduto, o desvio implantado pela EPTC segue valendo para as linhas ônibus. Os condutores que pretendem acessar a Bento Gonçalves, nos dois sentidos, vindos das avenidas Aparício Borges ou Salvador França, também deverão utilizar o desvio.

Veja o vídeo:

Prefeitura de Porto Alegre

Primeira etapa do viaduto da Bento será liberada para o trânsito

Viaduto terá extensão total de 540 metros, com seis faixas de tráfego  Foto: Divulgação/PMPA

Viaduto terá extensão total de 540 metros, com seis faixas de tráfego  Foto: Divulgação/PMPA

A partir das 7h desta quinta-feira, 26, data do aniversário de 243 anos de Porto Alegre, será entregue oficialmente à cidade a primeira etapa do viaduto da Bento Gonçalves, com a liberação do trânsito de veículos. Os condutores que circulam nos dois sentidos da Terceira Perimetral, avenida Aparício Borges, poderão transpor o cruzamento com a avenida Bento Gonçalves sem interrupções, ganhando tempo significativo nos deslocamentos.

A liberação de uma das mais importantes obras de mobilidade da Capital terá a presença do prefeito José Fortunati e dos secretários dos órgãos envolvidos. O objetivo do viaduto é qualificar o fluxo de mais 80 mil veículos que circulam por dia na região, conforme dados da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). Para facilitar a orientação aos condutores e pedestres, foram instaladas 25 novas placas indicativas de trânsito no local.

A obra de mobilidade, que interliga as avenidas Salvador França e Aparício Borges, sobre a avenida Bento Gonçalves, faz parte das cinco obras da Terceira Perimetral (além das passagens de nível das avenidas Ceará, Anita, Plínio Brasil Milano e Cristóvão Colombo) e é uma intervenção urbanística já prevista no projeto original. A obra é executada pelo Consórcio Nova Bento (Construtora Cidade Ltda e Sultepa Comércio e Construções Ltda), vencedor da licitação, com custo de R$ 79,4 milhões.

“A primeira etapa da liberação será somente para veículos. Nas próximas etapas, que têm previsão de conclusão no primeiro semestre, serão liberadas as alças laterais e a estação de ônibus. A partir disso, o transporte público também vai utilizar o viaduto. Acreditamos que a obra vai facilitar muito a vida das pessoas, sendo a principal alternativa, mais ágil e segura, para interligar as zonas Norte e Sul”, afirmou Vanderlei Cappellari, diretor-presidente da EPTC.

O viaduto terá extensão total de 540 metros, com seis faixas de tráfego, rampa com declividade de 8% para veículos e de 6% para corredor de ônibus. O viaduto vai incorporar estação de ônibus do corredor da Terceira Perimetral e alças laterais para acesso a Bento Gonçalves. A altura mínima entre a superestrutura do vão do Viaduto e a Bento Gonçalves é de 5,5 metros. Nos retornos sob os acessos ao vão central, a altura livre é de 3,8 metros.

Desvios – Nas próximas etapas, as alças laterais serão liberadas ao tráfego e os trabalhos para a estação de ônibus São Jorge, concluídos. Com isso, os usuários de transporte coletivo poderão realizar a integração entre as linhas que circulam na avenida Bento Gonçalves e Terceira Perimetral (Aparício Borges). Até a conclusão da segunda fase das obras do viaduto, o desvio implantado pela EPTC segue valendo para as linhas ônibus, em razão da continuidade das obras na estação São Jorge, que segue bloqueada para embarque ou desembarque.

Os condutores que pretendem acessar a Bento Gonçalves, nos dois sentidos, vindos das avenidas Aparício Borges ou Salvador França, também deverão utilizar o desvio, pois as alças laterais ainda não estão concluídas.

Prefeitura de Porto Alegre

Iniciativa privada assumirá aeroportos do sul

Concessões do Salgado Filho, em Porto Alegre, e Hercílio Luz, em Florianópolis, serão realizadas no primeiro semestre de 2016

Obra do Aeroporto Internacional Salgado Filho - Terminal 1. Foto: Infraero

Obra do Aeroporto Internacional Salgado Filho – Terminal 1. Foto: Infraero

O ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, confirmou nesta terça-feira (24) que os aeroportos de Porto Alegre, Salvador e Florianópolis serão concedidos à iniciativa privada no primeiro semestre do ano que vem como o portal AMANHÃ adiantou no dia 12 março (leia aqui).

A intenção do governo é licitar os três aeroportos juntos, mesmo considerando que a elaboração do edital referente ao Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, seja mais complexa do que a dos demais. “A ideia é licitar todos juntos, no primeiro semestre do ano que vem, porque lá [em Porto Alegre] teremos a construção de um novo aeroporto. Faremos a concessão do já existente [Salgado Filho] com a obrigação do concessionário [de] construir um novo. Já fizemos sondagens no mercado com possíveis operadores”, ressaltou Padilha.

O novo terminal, que será construído a cerca de 20 quilômetros do Salgado Filho, deve ficar pronto em 2029. “O novo terminal será construído na cidade de Portão, região metropolitana de Porto Alegre. Atualmente, o Salgado Filho está em obras. E vai começar [a ser construído] um hotel, vai haver uma extensão de pista. Ele [aeroporto] está sendo adequado para atender ao Rio Grande do Sul até 2029. Até lá, o outro vai estar pronto”, informou o ministro.

Revista Amanhã