RS: Dilma confirma escritório político em POA e BH

RS: Dilma confirma escritório político em POA e BH 28 de janeiro de 2011

A presidente Dilma Rousseff (PT) confirmou, nesta sexta-feira, em Porto Alegre, que terá escritórios políticos nas capitais do Rio Grande do Sul e de Minas Gerais. Na cidade gaúcha, onde Dilma tem uma casa para onde tem viajado com frequência para descansar, o escritório deverá ser sediado na região central.

Sobre a relação do governo federal com os governadores de oposição, Dilma disse que a administração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva introduziu uma mudança no sentido de manter uma “relação republicana”, à qual ela dará continuidade. “Acredito que o que distingue (a postura do governo Lula e a do atual governo) é que essa parceria é levada a um trabalho muito mais efetivo. Vou me esforçar para introduzir um esforço muito grande em todos os sentidos”.

A presidente afirmou que o governo federal possui uma “parceria excepcional” com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), e citou ainda os governadores reeleitos do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), e de Alagoas, Teotônio Vilela Filho (PSDB), o ex-governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), e o atual, Antonio Anastasia (PSDB).

As declarações foram feitas logo após Dilma participar de uma reunião com o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT) e o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, no Palácio Piratini, sede do governo gaúcho. Foi o primeiro encontro oficial da presidente com o governador gaúcho no Estado para tratar de questões de relação entre as duas esferas de governo.

Depois da reunião, Dilma afirmou que tinha início uma parceria entre o governo federal e o gaúcho que vai contribuir para “resgatar as condições de desenvolvimento compatíveis com o potencial do Estado”. Segundo ela, com a parceria pode ser dada maior eficiência às obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) no Rio Grande do Sul. “O fato de o Estado sinalizar quais são suas prioridades para nós é muito importante”.

O governo gaúcho entregou à presidente um documento técnico no qual elenca três linhas de prioridades: informa quais as obras do PAC no Estado considera prioritárias; solicita apoio para suas articulações com investimentos já feitos no Estado e colaboração para impulsionar as indústrias em direção ao polo naval da cidade de Rio Grande e, ainda, apoio para as duas cartas consultas que encaminhou, respectivamente, ao Banco Mundial e ao BNDES pleiteando financiamentos.

Terra



Categorias:Outros assuntos

7 respostas

  1. Uma ótima notícia. Isso vai por o RS no mapa do “Brasil” de novo.

    Curtir

  2. Estou curioso para saber quais são as três prioridades e qual a finalidade destes financiamentos.

    Curtir

  3. Espero que isso ajude a dar um up em Porto Alegre e no RS.

    Curtir

  4. Tomara que ela libera o dinheiro pro metrô 🙂 hehe

    Curtir

  5. O melhor de ter a Dilma na presidencia e’ a proximidade dela com Porto Alegre. Espero que o lobbying seja facilitado e a cidade e o estado ganhem com isso.

    Curtir

  6. Desse jeito vou pensar que o Rio Grande faz parte do Brasil. Limosines no Centro já!!

    Curtir

  7. O que vai dar de político querendo puxar o saco da nossa presidente aqui em Porto não tá no Gibi. Se isso significar melhorias no centro e outros pontos da cidade, é uma ótima notícia!

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: