Oito de onze cidades brasileiras despencam em ranking global

Salvador foi a cidade brasileira que mais perdeu posições no ranking

Oito de 11 metrópoles brasileiras despencaram no ranking de crescimento econômico elaborado pelo centro de estudos Brookings Institution, dos Estados Unidos.

Este centro analisa anualmente o desempenho das 300 maiores economias metropolitanas do mundo com base na evolução do seu Produto Interno Bruto (PIB) per capita e da criação de empregos.

Salvador foi a cidade que mais perdeu posições, passando do 64º lugar em 2013 do estudo para 266º neste ano, com uma queda de 0,9% do PIB per capita e um aumento de 0,5% na taxa de emprego.

Porto Alegre foi a segunda cidade do país com a maior piora, ao passar do 158º para o 290º lugar. A capital gaúcha teve uma redução de 1,7% no PIB per capita e de 0,2% na taxa de emprego.

Além destas, São Paulo, Campinas, Brasília, Curitiba, Vitória e Fortaleza caíram no ranking. Já Rio de Janeiro, Recife, Belo Horizonte melhoraram de posição.

Mas, de forma geral, o desempenho das cidades do país presentes no estudo decepcionou no ano passado, mesmo os das três que galgaram posições.

A queda no PIB per capita foi quase uma constante entre as metrópoles brasileiras. Somente Recife, em 200º lugar, teve um ligeiro aumento, de 0,2%.

Reflexo

Segundo Jesus Trujillo, coautor do estudo, assim como as economias de maior crescimento obtiveram um bom resultado embaladas pelo bom desempenho da economia nacional, o resultado ruim das cidades do Brasil é um reflexo do mau momento pelo qual passa a economia do país.

“O ano de 2014 foi ruim para a economia brasileira. O menor crescimento chinês afetou o crescimento da América do Sul, especialmente o do Brasil. Além disso, a economia global vem numa trajetória de recuperação lenta desde a crise de 2008. Por fim, a população cresceu mais do que o PIB, gerando um impacto negativo no PIB per capita”, afirma o pesquisador.

“Ainda assim, sete das 11 cidades tiveram um crescimento maior do que o da economia nacional e continuarão a ter um papel importante para a performance da economia brasileira no futuro.”

Para Antonio Carlos Porto Gonçalves, professor da Escola Brasileira de Economia e Finanças da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o ano passado foi especialmente ruim para as economias metropolitanas por causa de sua dependência da produção industrial.

“No interior, o desempenho econômico foi melhor, porque as commodities estavam com um bom preço, mas vimos uma recessão de 4% na indústria brasileira, e também foi um ano ruim para exportação”, afirma o economista.

“É um indicador de que a economia do Brasil não está bem.”

Fonte: Brookings Institution - Global Metro Map 2013-2014

Fonte: Brookings Institution – Global Metro Map 2013-2014

O Rio de Janeiro obteve na melhor posição na lista entre as cidades do país, mas ainda assim ficou em apenas 162º lugar – 32 posições a mais do que no ano passado, quando estava em 194º. A cidade teve um aumento de 1,8% no emprego, mas sofreu uma redução de 0,2% no PIB per capita no último ano.

“O aumento da taxa de emprego foi a principal razão da melhora de posição do Rio no ranking, e isso ocorreu por causa dos setores de construção, serviço e turismo, com a Copa e as Olimpíadas, aumentando também o consumo”, afirma Trujillo.

Copa e Olimpíadas tiveram um impacto positivo na criação de emprego no Rio

Mas Gonçalves, da FGV, acredita que a tendência é de piora na posição da capital fluminense no ranking.

“Houve muitas obras na cidade e isso emprega muita gente, mas é passageiro. Por isso, vai piorar no próximo ano, ainda mais com a crise em torno da Petrobras, que emprega muitas pessoas na cidade, e a suspensão de investimentos e a maior dificuldade da empresa em conseguir recursos”, diz o economista.

Histórico

São Paulo e Campinas, dois dos mais importantes centros econômicos do país, ficaram nas últimas posições da lista.

Em 284º lugar, São Paulo não teve aumento nem redução do emprego entre 2013 e 2014. Entretanto, seu PIB per capita caiu 1,1%.

Campinas ficou em 291º lugar, a pior posição entre todas as metrópoles do Brasil. A cidade não teve variação na taxa de emprego, mas seu PIB per capita caiu 2,2% entre 2013 e 2014.

Trujillo, do Brookings Institution, acredita ser necessário analisar o histórico das cidades brasileiras no ranking para ter uma visão mais ampla de sua performance econômica.

No caso de São Paulo, por exemplo, a cidade teve o 95º melhor desempenho entre 2000 e 2014, com um aumento de 2,2% do emprego e de 1,9% no PIB per capita. Já entre 2009 e 2014, a capital paulista fica na 136ª posição.

“As cidades brasileiras passaram de forma geral por um crescimento impressionante desde o ano 2000, mas agora estão em um grupo de ritmo mais moderado, o que indica uma necessidade de buscar novas fontes de crescimento para a economia nacional, especialmente melhorando a produtividade”, afirma Trujillo.

“Todos os indicadores indicam que a performance das cidades brasileiras em 2015 será bem similar ao deste ano, se não for pior.”

BBC Brasil

Carris assumirá transporte público caso não haja empresas interessadas em nova licitação

Débora Fogliatto*

A Carris ficará responsável pelo transporte caso não haja empresas privadas interessadas | Foto: Alina Souza/Sul21

A Carris ficará responsável pelo transporte caso não haja empresas privadas interessadas | Foto: Alina Souza/Sul21

O terceiro edital de licitação para o transporte público de Porto Alegre será lançado no dia 6 de maio, de acordo com a Prefeitura. Após duas publicações em que não houveram empresas interessadas, o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, afirma que essa é a “última tentativa”. Caso a licitação seja novamente deserta, a Carris, empresa pública, deverá assumir o transporte na cidade.

O tamanho das bacias foi diminuído para a realização do novo edital para que pequenas e médias empresas também possam concorrer. Os técnicos da EPTC trabalham na reelaboração do projeto básico, contemplando os itens já incorporados ao edital anterior, como o ar-condicionado na frota. Esta tarefa deve ser concluída até o final deste mês.

A partir de abril, serão realizadas reuniões do Orçamento Participativo para consulta sobre o edital. “O OP foi nosso principal parceiro de debate na elaboração do primeiro edital”, afirmou Cappellari. E no dia 15 de abril está marcada uma audiência pública para finalizar os editais para publicação.

A ideia é que as bacias sejam divididas em grupos de linhas com “afinidades”, que a Prefeitura acredita que serão de sete a dez. “Por exemplo, na região leste, temos corredor da Bento Gonçalves e da Protásio Alves, são características que são propícias para agrupar um grupo de linhas e fazer um edital desses eixos, para poder manter um custo reduzido do sistema”, explicou Cappellari.

Caso não haja empresas interessadas em todas as bacias, as que ficarem vagas serão assumidas pela Carris. “Se não conseguirmos que as atuais ou novas (empresas) venham a participar, quer dizer que os empresários não têm interesse, e o governo vai ter que colocar a companhia Carris a operar em toda a frota”, admitiu, dizendo que serão necessárias adaptações no orçamento do município.

Histórico

O edital de licitação foi elaborado durante dois anos pela EPTC e demais órgãos técnicos da prefeitura. O conteúdo foi definido com a participação de cerca de 1.700 usuários em encontros realizados no âmbito do Orçamento Participativo (OP), em 24 reuniões nas 17 regiões da cidade.

A Prefeitura promoveu também duas audiências públicas: na Câmara de Vereadores, em 27 de fevereiro de 2014, e no Ginásio Tesourinha, em 10 de março. Na última delas, o prefeito José Fortunati recebeu contribuições do Legislativo municipal para a composição. Foi criado também um canal de participação da população via internet (licitacaodeonibus@portoalegre.rs.gov.br), no qual houve o registro de 241 e-mails recebidos.

O primeiro edital foi publicado em 31 de março de 2014 e o recebimento das propostas foi marcado para 3 de junho, mas a licitação foi considerada deserta. Um novo edital foi lançado em setembro de 2014, com a possibilidade de inclusão de empresas internacionais, além de ajustes técnicos no documento original. No entanto, mais uma vez não houve propostas de interessados.

*Com informações da Prefeitura de Porto Alegre

SUL 21

EPTC confirma nova licitação dos ônibus para dia 6 de maio

Projeto para qualificar o transporte terá de oito a dez editais, com todas as bacias  Foto: Marcela Barbosa/Divulgação PMPA

Projeto para qualificar o transporte terá de oito a dez editais, com todas as bacias  Foto: Marcela Barbosa/Divulgação PMPA

Em reunião com o prefeito José Fortunati, na manhã desta terça-feira, 3, o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Capellari, confirmou a data de 6 de maio para a publicação dos editais da nova licitação do transporte coletivo de Porto Alegre. Os técnicos da empresa já trabalham na reelaboração do projeto básico, contemplando todos os avanços já incorporados ao edital anterior, como o ar-condicionado na frota e o conselho de usuários. A ideia é que esta tarefa seja concluída até o final deste mês.

Nas duas primeiras semanas de abril, serão realizadas as discussões com a comunidade, via Orçamento Participativo. Na terceira semana, entre os dias 13 e 15, a prefeitura promoverá uma audiência pública em local ainda a ser definido. As contribuições aceitas serão incorporadas ao edital pelos técnicos na última semana de abril. Conforme Capellari, a previsão é de que sejam de oito a dez editais, abrangendo todas as bacias.

“A intenção é estabelecer uma compatibilidade operacional que permita a participação de empresas menores e a democratização do pleito, através da ampliação da concorrência. Com isso, se garantiria, também, uma pressão menor sobre a tarifa”, salienta Fortunati.

Histórico

O edital de licitação é resultado de mais de dois anos de trabalho das equipes da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) e demais órgãos técnicos da prefeitura. O conteúdo que prevê ampliação e qualificação do serviço prestado ao cidadão foi enriquecido com contribuições efetivas dos usuários, em encontros realizados no âmbito do Orçamento Participativo (OP), com a presença de cerca de 1.700 pessoas, em 24 reuniões nas 17 regiões da cidade.

A prefeitura promoveu também duas audiências públicas: na Câmara de Vereadores, em 27 de fevereiro de 2014, e no Ginásio Tesourinha, em 10 de março. Em março, o prefeito José Fortunati recebeu contribuições do Legislativo municipal para a composição. Foi criado, ainda, um canal de participação da população via internet (licitacaodeonibus@portoalegre.rs.gov.br). Houve o registro de 241 e-mails recebidos, com sugestões individuais ou representativas de entidades, mais sugestões recebidas diretamente de entidades, todas analisadas pelos técnicos do município. Entre as sugestões destacaram-se: a redução da taxa de ocupação dos ônibus, ar condicionado, a redução dos tempos de espera nas paradas, entre outros relacionados à operação e ao conforto.

Elaborado por uma comissão especial de licitação, o primeiro edital foi publicado em 31 de março de 2014 no Diário Oficial de Porto Alegre e em veículos da mídia impressa, de circulação regional e nacional, e igualmente disponibilizado, na íntegra, no site da prefeitura. O recebimento das propostas dos interessados foi definido para 3 de junho, mas não houve interessados, e a licitação, considerada deserta.

Após o resultado, sem apresentação de propostas, o prefeito José Fortunati estabeleceu o prazo máximo de seis meses para o lançamento de um novo edital, com possibilidade de inclusão de empresas internacionais, além de ajustes técnicos no documento original. O esforço concentrado das equipes permitiu que o edital, agora também com abrangência internacional, fosse publicado pouco mais de três meses depois da primeira tentativa, em 19 de setembro de 2014. Novamente não houve propostas de interessados.

Prefeitura de Porto Alegre

Terceira licitação para orla do Guaíba termina sem interessados

Meta da prefeitura é lançar novo edital até o início de abril

Nenhuma empresa apresentou proposta em terceira tentativa de licitação |Divulgação / PMPA / CP

Nenhuma empresa apresentou proposta em terceira tentativa de licitação |Divulgação / PMPA / CP

Nenhuma empresa compareceu para na terceira tentativa da prefeitura de Porto Alegre de licitar as obras da primeira fase do Projeto de Revitalização da Orla do Guaíba. A abertura para novas propostas ocorreu no início da tarde desta terça-feira.

A licitação contempla os primeiros 1.320 metros de revitalização da orla, entre a Usina do Gasômetro e a Rótula das Cuias, na avenida Edvaldo Pereira Paiva. O projeto possui 630 pranchas detalhadas das obras e mais de cinco mil itens no orçamento com custo estimado de R$ 57,4 milhões.

Na última licitação, realizada no final de 2014, apontou duas empresas interessadas. No entanto, o vencedor chegou ao valor de R$ 70 milhões, que foi contestado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). A prefeitura vai agora tentar convencer o TCE a liberar a revisão do orçamento. A meta do Gabinete de Desenvolvimento e Assuntos Especiais é lançar novo edital até o início de abril.

Correio do Povo e Rádio Guaíba

Com informações de Samantha Klein

_________________

Veja a matéria em vídeo do site da Prefeitura:

 

 

.

Parque da Redenção perde o encanto quando o sol se põe

Ao cair da noite, diminui o movimento de pessoas caminhando ou correndo pelo Parque da Redenção devido à escuridão |Foto: Filipe Castilhos/Sul21

Ao cair da noite, diminui o movimento de pessoas caminhando ou correndo pelo Parque da Redenção devido à escuridão |Foto: Filipe Castilhos/Sul21

Jaqueline Silveira

Um dos parques mais tradicionais e visitados da Capital perde um pouco de seu encanto quando o sol se põe, dando lugar à insegurança. Com 37,5 hectares (ou 375 mil m²) de área, o Parque Farroupilha – ou da Redenção, como é mais conhecido – oferece inúmeras atrações e atrai milhares de visitantes, porém, à noite diminui o movimento devido à escuridão. No entardecer, dezenas de pessoas passam pela vegetação mais fechada caminhando ou correndo. Também famílias passeiam com os filhos de bicicleta ou com os animais de estimação. À medida que o breu toma conta, os frequentadores começam rapidamente a desaparecer do parque. As poucas pessoas que circulam pelo lugar, muitas atravessando a Redenção na volta do trabalho, caminham apressadas.

Os frequentadores reclamam da falta de iluminação e da insegurança. No mês passado, em menos de 10 dias ocorreram dois assassinatos dentro do parque – em 5 e 13 de fevereiro -, assustando quem circula pelo local. Moradora do Bairro Santana, a corretora de imóveis Joseli Oliveira costuma passear com seu cachorro pela Redenção, mas, ao escurecer, se apressa para ir embora. “À noite é bem escuro isso aqui”, diz ela, apontando o motivo de não circular no parque depois de cair a noite. Ela lembra que um grupo do bairro Cidade Baixa chegou a organizar um luau na Redenção, mas acabou desistindo devido à falta de iluminação.

Há lugares que há postes, mas as lâmpadas estão apagadas, provocando muita escuridão|Foto: Filipe Castilhos/Sul21

Há lugares que há postes, mas as lâmpadas estão apagadas, provocando muita escuridão|Foto: Filipe Castilhos/Sul21

Os amigos Moisés Almeida e Rafael Bosch tomam chimarrão todos os finais de tarde da Redenção e, devido à frequência com que vão ao local, conhecem boa parte dos frequentadores diários do parque, mesmo assim não costumam permanecer no lugar depois do entardecer, por conta dos assaltos. Depois dos homicídios recentes, então, os dois estão ainda mais receosos.  “É surreal essa escuridão”, afirma Rafael. “Moro há 14 anos e é sempre a mesma coisa”, emenda Moisés, sobre a escuridão. Ele diz que, como em um dos lados do tapume que cerca o Espelho d’ Água em obras não há iluminação, aumenta a sensação de perigo. Enquanto conversavam com a reportagem do Sul21, a escuridão chegou e os jovens logo se despediram. “Tá na hora de ir”.

Há dois meses em Porto Alegre para um intercâmbio, as estudantes chilenas Maria Fernandes e Eliza Barrio já foram alertadas sobre a insegurança no Parque à noite. Com pouca visibilidade no local, elas caminham a passos rápidos e um pouco desconfiadas em direção a uma das saídas da Redenção. “Sabemos que é perigoso”, explica Maria, sobre o caminhar apressado. Por volta das 19h30, está totalmente escuro e não é possível visualizar as poucas pessoas sentadas debaixo de algumas árvores onde há postes, mas as lâmpadas estão apagadas. Especialmente no lado da Avenida Osvaldo Aranha, quase não há iluminação. As poucas pessoas que permanecem à noite no parque procuraram sentar em lugares sob lâmpadas acesas, evitando estar em meio às árvores.

São poucas as áreas que estão com boa iluminação e que todas as lâmpadas estão funcionando. As pessoas priorizam os locais iluminados para caminhar|Foto: Filipe Castilhos/Sul21

São poucas as áreas que estão com boa iluminação e que todas as lâmpadas estão funcionando. As pessoas priorizam os locais iluminados para caminhar|Foto: Filipe Castilhos/Sul21

Prefeitura atribui escuridão à reforma

Diferentemente dos depoimentos dos frequentadores do Parque da Redenção, a prefeitura alega que a escuridão é momentânea devido às obras que estão ocorrendo para resolver, justamente, o problema da falta de iluminação. Segundo a Secretaria de Obras e Viação, “há pontos de iluminação que estão apagados em decorrência da instalação de novos equipamentos.”

A obra, de R$ 1,5 milhão, prevê a instalação de 459 pontos de iluminação, distribuídos entre as potências de 150 (245 pontos), 250 (190 pontos) e 400 watts (24 pontos). Também, conforme a Secretaria de Obras, será instalada a nova rede de iluminação pública, com adequação dos pontos existentes e implementação de novos, priorizando o entorno e os principais caminhos do interior do parque.

Supervisor de Praças, Parques e Jardins da prefeitura, Mauro Gomes de Moura diz que, por enquanto, já foi recuperada 40% da iluminação do local e que assim que a obra for concluída, a situação estará melhor. Quanto à insegurança, Moura avalia que hoje “em todo o lugar está perigoso” e que os guardas-parque fazem a segurança da Redenção, porém, pela extensão do parque, não é possível monitorar toda a área. Ele acrescenta que tem enfrentado muitos problemas, principalmente com os furtos. Recentemente, conforme afirmou, foram levadas três placas de bronze. “A gente não consegue estar em todo o lugar e há muita vegetação”, argumenta o supervisor, sobre a insegurança no local. Além disso, o supervisor diz que o número de câmeras instaladas não é suficiente para a cobertura da segurança do parque, sendo priorizados os monumentos.

Espelho d’ Água

Desde o mês de janeiro, há uma reforma em andamento na área ao redor do Espelho d’ Água e do chafariz, que está cercada por tapumes, restringindo o espaço do parque. A obra está sendo custeada por uma rede de supermercados, obrigada a fazer a compensação ambiental pela construção de novo empreendimento.  No local, conforme Moura, está sendo feita a recuperação de 76 bancos, da rede de esgoto pluvial, do piso e do ladrilho hidráulico e de parte da grama. A reforma deverá ser concluída em seis meses.

SUL 21 – para ver muitas outras fotos da Redenção a noite, clique aqui (Sul21)

ATP promete renovar a frota até o final deste ano

Cronograma será apresentado à prefeitura e à EPTC no final deste mês

Passagem custa R$ 3,25 desde 22 de fevereiro deste ano | Foto: Vinicius Roratto / CP Memória

Passagem custa R$ 3,25 desde 22 de fevereiro deste ano | Foto: Vinicius Roratto / CP Memória

Em reunião com a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), a Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP) prometeu que fará a renovação da frota dos ônibus neste ano. Até o final de março, a ATP vai elaborar cronograma e apresentar à prefeitura e à EPTC, que auxiliarão na busca por financiamento. A frota local é de 1,6 mil veículos; 499 deles têm entre oito e dez anos.

No entanto, a ATP afirmou no início de fevereiro que, com base na planilha de cálculo da EPTC usada para embasar o valor do reajuste da passagem em Porto Alegre, o envelhecimento da frota dos coletivos que rodam na cidade seria um dos prejuízos que a população teria com o valor ficando em R$ 3,25 e não em R$ 3, 49 como era o pretendido pelos empresários.

Na oportunidade, o gerente-executivo da ATP, Luis Mário Magalhães de Sá, afirmou que a frota atual não é renovada desde 2013, e que a tendência era a situação se manter assim. “Nós vamos operar com os custos mínimos necessários para que o serviço se mantenha”, ponderou.

Reajuste

O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, sancionou o aumento da passagemde ônibus de Porto Alegre no dia 19 de fevereiro. O valor passou de R$ 2,95 para R$ 3,25. Para os estudantes, a tarifa passou a custar R$ 1,62 apenas para a primeira viagem. As lotações cobram desde então R$ 4,85. Os novos valores entraram em vigor a partir do dia 22 de fevereiro.

Correio do Povo

Obras do BRT Protásio estão 93% concluídas

Trabalho está em fase de conclusão, com 93% da obra executada   Foto: Joel Vargas/PMPA

Trabalho está em fase de conclusão, com 93% da obra executada   Foto: Joel Vargas/PMPA

Estão em andamento na Capital as obras de qualificação do pavimento em seis cruzamentos ao longo das avenidas Osvaldo Aranha e Protásio Alves. O serviço consiste na substituição do asfalto por placas de concreto, uma adaptação para o sistema BRT. Em todo o projeto estão previstos a implantação de aproximadamente sete quilômetros de corredor de ônibus ao longo da via.

Os cruzamentos da Osvaldo Aranha com as ruas Garibaldi e Santo Antônio já foram concretados e devem ser liberados nas próximas semanas. Já o trecho da Sarmento Leite, em frente ao túnel da Conceição, está em fase de concretagem.

Nas próximas semanas, outros cinco cruzamentos serão bloqueados   Foto: Joel Vargas/PMPA

Nas próximas semanas, outros cinco cruzamentos serão bloqueados   Foto: Joel Vargas/PMPA

Na extensão da Protásio Alves, os cruzamentos com as ruas Palmeira, Montenegro e Professor Cristiano Fischer estão em obras. Os trechos devem ser liberados até o final de abril.

O BRT Protásio se encontra em fase de conclusão. Já foram executados 93% dos trabalhos. Nas próximas semanas, outros cinco cruzamentos serão bloqueados para a qualificação do pavimento: nas ruas João Guimarães, Prof. Duplan, Domingos José de Almeida, Vicente da Fontoura e Coronel Lucas de Oliveira.

Prefeitura de Porto Alegre

Aquário em Fortaleza será o terceiro maior do mundo! Enquanto isso, o nosso fica só no papel….

As obras começaram em 2012. O nosso, que seria em Esteio, mofa num papel qualquer. Com novo projeto, sem torre, sem hotel e outras atrações anunciadas no projeto original, não se tem mais notícia e não se houve mais falar. Seria um dos maiores e mais completos. Mas ficou mais pra lenda urbana do que outra coisa.

Enquanto isso, outros estados como Paraná e Ceará desenvolvem e tiram do papel seus projetos. Sim, por que nos outros estados da federação o turismo tem importância. Aqui no Rio Grande do Sul não se investe nisso, e quem tenta investir desiste, pois não há qualquer incentivo. Os investidores se assustam com os nossos governos. Nada sai num estado quebrado. 

Um dos maiores exemplos de estados que investem em turismo, detentor de um dos litorais mais frequentados do país, com praias magníficas, o Ceará vai entregar até o final do ano, na orla de Fortaleza, o terceiro maior aquário do mundo. 

Parabéns aos cearenses e a todos os turistas que vão lotar mais esta atração de primeiro mundo do estado nordestino. 

Apesar de a obra ter uma série de problemas, por ser do estado do Ceará, me parece que está indo adiante. Sou contra o estado bancar uma obra destas, mas não há dúvida que haverá retorno. 

Vejam a matéria da Arcoweb abaixo. E babem !

(Clique aqui para ver as imagens do projeto que havia para Esteio, RS)

____________

Com conceito inovador, a Imagic! promete criar uma das maiores atrações do Nordeste, apostando na arquitetura de entretenimento que oferece novas experiências

aquario-de-fortaleza-ceara

Ter em um único lugar uma experiência de exploração do fundo do mar com direito a túneis submersos, tanques oceânicos, domo do mar, estação submarina, cinema interativo, auditório e outras atrações é a proposta do projeto Acquário Ceará, em Fortaleza. Desenvolvido pelo escritório Imagic!, o mega-aquário terá 15 milhões de litros de água distribuídos em 38 tanques-recintos de exibição, com uma população de 35 mil espécimes, o que lhe garante a posição de o maior do hemisfério sul e da América Latina, e o terceiro do mundo.

Contratado pelo governo do Ceará, o escritório brasileiro Imagic! já atua no mercado há 27 anos e busca empregar o conceito de arquitetura do conteúdo, que a associa ao entretenimento e ao marketing, como ferramentas de criação, design e planejamento de negócios. “O nosso diferencial está explícito no nome, é a magia somada à arquitetura convencional”, brinca o arquiteto Leonardo Fontenele, fundador e presidente da empresa, que de São Paulo comanda outras cinco unidades, em Brasília, Fortaleza, Miami, Lisboa e Porto, em Portugal.

Fontenele trabalhou na Walt Disney Imagineering, núcleo de design de entretenimento e tematização dos hotéis e parques da Walt Disney Company, onde pôde ampliar sua visão sobre o universo arquitetônico. “Compreendi que a arquitetura deve ir além de erguer paredes. O arquiteto pode também oferecer experiências, divertir, emocionar, tirar-nos da realidade”, explica. Com esse objetivo, a Imagic! pretende criar uma das principais atrações turísticas do Nordeste brasileiro, mesclando atrações interativas educacionais à própria mostra biomarinha do aquário.

Para dar conta de tantas atividades simultâneas, o projeto conta com cinco pavimentos. No térreo, com frente voltada para a interativa praça das águas, encontram-se um amplo hall com pé-direito triplo, por onde será feito o acesso do público, e a bilheteria. No primeiro andar, os visitantes passarão pela catraca e poderão iniciar o circuito de visitação, que termina no segundo andar do edifício, garantindo fluxos de entrada e saída independentes. O subsolo e a cobertura serão restritos a técnicos.

O revestimento externo será um elemento de destaque: uma estrutura envoltória de alumínio com painéis confeccionados em polímero metálico em base alumínica, fornecidos pela empresa norte-americana Zahner. A linha utilizada foi a Zepps, composta por uma série de sistemas metálicos desenvolvidos especialmente para a construção de formas curvilíneas, projetadas e calculadas digitalmente, resultando em uma superfície lisa, com todos os painéis alinhados no mesmo plano.

“A cobertura temática do Acquário Ceará remete a formas marinhas, mas sem ser literal, dando liberdade para o público fazer sua própria interpretação a partir da linguagem orgânica exposta na fachada, levando-o a imaginar uma infinidade de animais marinhos de acordo com suas próprias referências”, revela Fontenele. Contando com a cobertura, em forma irregular e orgânica, a altura do empreendimento irá variar entre 18 e 25 metros. Já o comprimento será de 204 metros, além dos 47 metros de largura (incluindo a lateral envoltória temática).

O vidro será usado nas fachadas de duas maneiras. No hall de entrada, área de cerca de 710 metros quadrados voltada para a recepção do público, buscará alcançar visibilidade em todas as direções, conectando o edifício à praça das águas. Para essa fachada de aproximadamente 1,1 mil metros quadrados, a empresa optou por laminados de dez milímetros com controle solar low-e azuis combinados com PVB e vidros incolores, otimizando o sistema de climatização. Já nas faces laterais serão instalados vidros especiais (mais opacos para preservar as áreas de atrações internas e de serviço), que atuarão na vedação, juntamente com paredes de alvenaria. Ali se utilizarão laminados de dez milímetros, compostos por um vidro de proteção solar seletivo azul com PVB standard e vidro incolor.

A transparência nas fachadas vai auxiliar também no controle da luminosidade do interior do edifício. “Com exceção do hall de entrada, um amplo espaço de exposição no térreo e a iluminada área dos tanques de toque – com vista externa para a praia -, o restante do prédio é selado com iluminação artificial interna, criando ambientes aconchegantes e ideais para as atrações interativas e museológicas”, conta Fontenele.

Para os fechamentos de vidro, o Imagic! contou com a consultoria da Cebrace e da Glassec, que auxiliaram na definição dos tipos de vidros escolhidos e das eficiências necessárias para o projeto. O cálculo estrutural foi feito pelos escritórios JR Medeiros Engenheiros (concreto) e RCM Estruturas Metálicas (metálica). A obra teve início no começo de 2012 e 30% dela está concluída. A previsão é que em dezembro deste ano os 21,5 mil metros quadrados de área construída do aquário sejam inaugurados.

arq_60890

arq_60891

arq_60892

arq_60893

Fonte: ARCOWEB

Propostas para orla do Guaíba serão recebidas nesta terça-feira

Licitação contempla os primeiros 1.320m, entre o Gasômetro e a Rótula das Cuias  Divulgação/PMPA

Licitação contempla os primeiros 1.320m, entre o Gasômetro e a Rótula das Cuias  Divulgação/PMPA

 A Comissão Especial de Licitação para Projetos Estruturantes da prefeitura recebe nesta terça-feira, 3, as propostas de empresas ou consórcios – nacionais ou internacionais – que desejam participar da concorrência pública para executar as obras da primeira fase do Projeto de Revitalização da Orla do Guaíba. A sessão de abertura dos envelopes com os documentos de habilitação e recebimento das propostas está marcada para as 14h30, na rua Siqueira Campos, 1.163, 8º andar.

A licitação contempla os primeiros 1.320 metros de revitalização da orla, entre a Usina do Gasômetro e a Rótula das Cuias, na avenida Edvaldo Pereira Paiva. Depois de conhecida a empresa vencedora, a previsão é de que a obra esteja concluída no período entre 12 a 18 meses. O projeto possui 630 pranchas detalhadas das obras e mais de cinco mil itens no orçamento, que terá um custo estimado de R$ 57,4 milhões.

A primeira licitação, realizada no final de 2014, apontou duas empresas interessadas. No entanto, ambas foram desclassificadas.

Parque Urbano da Orla do Guaíba 

O projeto vai recuperar a relação da cidade com o Guaíba por meio de projeto paisagístico que prevê ciclovias e caminhos iluminados com fibra ótica. Trecho da orla será iluminado com lâmpadas led. Serão instalados quatro bares com belvederes, que no verão tomam o aspecto de quiosques e, no inverno, podem ser fechados com vidros. Junto à Usina do Gasômetro, um novo terminal turístico permitirá o atraque de embarcações, com sala de embarque climatizada e deque de dois mil metros quadrados, com bancos voltados para o lago. No trecho após a Usina, serão construídas quadras poliesportivas e, no talude, arquibancadas também ficarão voltadas para o Guaíba. 

Prefeitura de Porto Alegre

Smov avança com obra de duplicação na Voluntários da Pátria

Equipes irão executar escavações próximo à Estação Rodoviária    Divulgação/PMPA

Equipes irão executar escavações próximo à Estação Rodoviária    Divulgação/PMPA

A partir da próxima quarta-feira, 4, equipes da Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov) irão executar escavações para posterior implantação de rede pluvial na rua Álvaro Guaspari, imediações da Estação Rodoviária. O serviço integra a obra de duplicação da avenida Voluntários da Pátria, com o objetivo de melhorar o acesso ao centro de Porto Alegre. A pavimentação da via está prevista para ocorrer após o assentamento de redes, com prazo de término previsto para até 60 dias úteis.

EPTC fará desvios no trânsito em função das obras no entorno   Divulgação/PMPA

EPTC fará desvios no trânsito em função das obras no entorno   Divulgação/PMPA

Como fica o trânsito?

Em razão do andamento do conjunto das obras, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) informa que a rua Álvaro Guaspari, imediações da Estação Rodoviária, ficará bloqueada para o trânsito de veículos por 60 dias, trecho entre o Largo Vespasiano Veppo e a avenida Voluntários da Pátria, a partir das 9h de quarta-feira, 4.

Devido ao bloqueio, os veículos procedentes da Elevada da Conceição e que desejam utilizar a rua Álvaro Guaspari para acessar a avenida Voluntários da Pátria e a avenida Farrapos poderão seguir pela seguinte rota alternativa:

…Elevada da Conceição B/C, av. Mauá, rua Cel. Vicente, av. Júlio de Castilhos, rua da Conceição, av. Voluntários da Pátria ou av. Farrapos…

O acesso às áreas de embarque e desembarque e de carga e descarga da Rodoviária (Largo Vespasiano Veppo) será alterado. Os táxis e veículos em geral deverão utilizar agora a faixa da esquerda do Largo Vespasiano Veppo para o embarque e desembarque, de acordo com sinalização no local. O acesso à av. da Legalidade permanecerá liberado pelo Largo Vespasiano Veppo. Os bloqueios e desvios serão acompanhados pelos agentes de trânsito, com orientações aos condutores.

Prefeitura de Porto Alegre

Alô, EPTC, tem gato no TRI?

Boa tarde Juremir,

Juremir Machado da Silva

Juremir Machado da Silva

O que vou te relatar pode implicar numa investigação da EPTC ou no mínimo do sistema informatizado implantado por eles e a Prefeitura de Porto Alegre.

Você provavelmente tem os dados corretos sobre a data em que foi implantado o sistema de débito nos cartões TRI da EPTC, por isso não vou me ater a estas informações que certamente são essenciais.

Comecei a usar o cartão TRI apenas em fevereiro de 2013 por ocasião de um novo trabalho. Até então usava o cartão estudantil em função da licenciatura e cursos de extensão.

Com uma renda apertada costumo calcular o número de passagens que gasto por dia e o custo mensal em deslocamentos. Observava que em menos de 1 hora (às vezes em 15min) a roleta do 2° ônibus debitava o meu crédito como se fosse uma nova passagem. Passei a notar que isso ocorria no outro cartão também.

Quando reclamava para os cobradores eles “davam de ombros” ou me faziam crer que eu estava enganada. Um dia me enchi de coragem e fui à EPTC depois de anotar o horário dos meus deslocamentos, e soube que havia um setor para requerer este demonstrativo.

Na 1ª verificação apareceram os tais “enganos” e fui ressarcida após assinar um recibo. Caso eu quisesse uma cópia (do recibo) teria que pagar R$ 1,00. Deixei pra lá.

Passei a repetir a pesquisa todo o mês quando ia por créditos, requerendo a observação dos extratos de meses anteriores até chegar ao ano de 2012 (do meu cartão estudantil). Houve meses em que fui ressarcida em R$ 5,90 a 23,60 reais, o que implica na seguinte questão: o acúmulo desses débitos no crédito de milhões de passageiros.

Chego a supor que o “dia do passe livre” já pode está coberto financeiramente pelo montante de dinheiro que retorna à EPTC desse modo sorrateiro. Dá pra imaginar que milhares de pessoas esgotadas num fim de tarde, num desses ônibus abarrotados do município, não se detém a observar o valor que aparece no visor da roleta, no entanto, o débito ocorreu.

Neste panorama não cogito retomar o debate sobre o que foi estabelecido no município para tentar amenizar o choque da inflação no transporte público dos usuários que utilizam vários coletivos por dia, como é o meu caso.

Tenho a impressão que há uma manobra por trás disso, pois, pouca gente sabe que tem o direito de averiguar erros no seu crédito lá na EPTC  (R.Uruguai); Tampouco os usuários sabem que podem ser ressarcidos quando isso ocorre, e por último, por que estes erros são tão frequentes se é um Programa de computador que gerencia o sistema geral de débitos?

Então o “erro” pode estar projetado para ocorrer esporadicamente?

É evidente que este esses débitos favorecem a EPTC, e se, pelos dois anos eu recebi mais de R$ 80,00 (oitenta reais), numa contabilidade básica qual seria o valor mensal desse “erro” debitado no crédito da EPTC de milhões de passageiros?

Outra dúvida, esse valor é repassado às empresas?

Penso que pelo último e abusivo valor das passagens um escândalo que envolva este órgão público e as empresas de transporte repercutiria na população como mais um jogo no qual somos lesados. É importante dizer que 75% dos meus deslocamentos são pela Carris.

Caro Juremir, acompanho tuas observações pelo rádio e algumas vezes pelo Correio do Povo. Por volta de dezembro entrei num ônibus no centro e para minha surpresa me sentei no banco a tua frente. Achei e acho que teria sido inoportuna a ocasião para rasgar algum comentário ou elogio por te diferenciar dos jornalistas que, cada vez mais, aderem ao apelo exibicionista.

Caso venhas a desdobrar esta questão, peço que meu nome não apareça porque não sou política e tenho somente a minha consciência para me amparar.

Reprodução integral da coluna do Juremir Machado da Silva, do Correio do Povo, no dia 1º/03/2015

Clima fraterno marca Caminho do Gol antes do Gre-Nal

“É um alívio estar aqui sem precisar de disfarce”, conta colorado que levou namorada gremista

Clima fraterno marca caminho do gol antes do Gre-Nal | Foto: Gilberto Simon

Clima fraterno marca caminho do gol antes do Gre-Nal | Foto: Gilberto Simon

Amauri Knevitz Jr.

(…) Ao longo da tarde, milhares de torcedores colorados e gremistas compraram a ideia do caminho do gol e fizeram do Gre-Nal uma lembrança da Copa do Mundo.

Muitos casais com camisetas diferentes, famílias inteiras, grupos de amigos foram vistos andando lado a lado e vestindo camisetas azuis e vermelhas, em cenas inimagináveis até há pouco tempo.

Um exemplo foi o casal Pedro Paiva e Tatiana Coelho, ele, colorado fanático, ela, gremista. Namorados há três anos, eles já foram em outros clássicos no campo do rival, mas sempre disfarçados quando estavam acompanhando. “É um alívio estar aqui sem precisar de disfarce”, comentou Pedro. “Aprendemos isso na Copa, esse sentimento que podemos torcer juntos”, concluiu.

Como vieram da zona Sul, ele pediu a ela que fosse ao estádio com uma camiseta branca e só vestisse a tricolor na hora de entrar. “Mas nem foi preciso”, contou, surpreso, devido ao clima amistoso nos arredores do Beira-Rio. Ao fim, ficou tudo bem, e Pedro afirmou só ouviu “cornetas em alto nível”.

Ônibus do Inter passa ao lado dos torcedores

No viaduto Dom Pedro I foi montada uma espécie de “concentração”. E por lá passou o ônibus da delegação do Inter às 16h40min. O veículo, claro, foi saudado pela torcida colorada, em ligeira maioria no local, e vaiado pelos gremistas. Mas tudo na boa, tudo pacífico. Às 17h30min, a banda que toca no local irá se deslocar ao Beira-Rio acompanhado da banda da Brigada Militar, em ação semelhante a que ocorreu na Copa.

Correio do Povo

Veja mais dezenas de fotos do Caminho do Gol no Porto Imagem Fotografia clicando aqui.

Caminho do Gol reunirá torcedores para Gre-Nal deste domingo

 José Fortunati destacou que a cidade viverá um momento ímpar.  Foto: Ricardo Giust/PMPA

José Fortunati destacou que a cidade viverá um momento ímpar. Foto: Ricardo Giust/PMPA

A programação que envolverá o percurso do Caminho do Gol, neste domingo, 1º de março, promete entreter milhares de gremistas e colorados antes do primeiro enfrentamento do ano, batizado de Gre-Nal de todos – Onde a convivência sempre vence. O prefeito José Fortunati, gestores de órgãos municipais, além da Brigada Militar e representantes do Internacional e do Grêmio, trataram dos ajustes finais para o evento que foi sucesso na Copa do Mundo de 2014. A reunião de trabalho ocorreu sexta-feira, 27, no Centro Integrado de Comando da Cidade (Ceic).

Na reunião, o prefeito destacou que, graças a uma ação integrada, com a colaboração voluntária de parceiros, a cidade viverá um momento ímpar. “O Gre-Nal de domingo vai entrar para a história, porque além da torcida mista teremos o retorno do Caminho do Gol, onde as torcidas rivais e o povo em geral poderão conviver pacificamente. É um momento onde a cidade está mostrando que não se dobra à violência de uma minoria, e que a convivência é necessária, importante e saudável”, afirmou Fortunati.

Órgãos municipais mobilizados – Mais de 30 mil torcedores são esperados para o Caminho do Gol. Para que a iniciativa tenha êxito, mais de 15 órgãos municipais estarão envolvidos no evento: as secretarias de Saúde, Acessibilidade, Indústria e Comércio, Segurança, Meio Ambiente, Juventude, Obras e Viação, Esporte, Cultura, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), o Departamento Municipal de Limpza Urbana (DMLU), a Carris, O Gabinete de Comunicação Social, o #POAdigital e a Procempa. Além disso, a Brigada Militar garantirá a segurança do estádio e para os participantes ao longo do percurso. Conforme o comandante do Policiamento da Capital, Mário Ikeda, a instituição compreendeu desde o início a importância do evento. Na área da saúde, a Unimed, com ambulâncias e equipes médicas, dará cobertura ao local.

O presidente do Internacional, Vitório Píffero, elogiou a organização do evento e a importância que ele terá mundialmente. “Estou honrado e satisfeito de fazer parte deste momento”, enfatizou. O chefe de gabinete do Grêmio, Marco Bobsin, destacou que a iniciativa da prefeitura será um marco para a transformação do clássico gaúcho. “Que seja transformador, com mais segurança, alegria e, consequentemente, mais gente nos nossos estádios.”

Confira os mapas com as alterações de trânsito.

Programação – Com tamanho adaptado, o percurso de 1,8 mil metros pela avenida Borges de Medeiros, entre a avenida Ipiranga e o estádio Beira-Rio, terá serviços da prefeitura e atrações artísticas e culturais, que iniciam-se às 15h. No viaduto Dom Pedro I, será isolada uma área para concentração da torcida mista, a partir das 16h. Às 17h30, o grupo fará o deslocamento até o estádio acompanhado pela Banda da Brigada Militar.

Haverá atrações progressivas ao longo do trajeto preferencial, a partir de duas estações: Marinha e Dom Pedro I. Música, teatro e apresentações circenses prometem animar os participantes. Cada estação contará, ainda, com serviços de infraestrutura básica como tendas, com mesas e cadeiras, banheiros químicos, carrinhos de acessibilidade, serviços de alimentação e postos de segurança e saúde.

O Caminho do Gol na Copa 2014. Foto: Gilberto Simon - Porto Imagem

O Caminho do Gol na Copa 2014. Foto: Gilberto Simon – Porto Imagem

Serviços envolvidos:

EPTC | Em parceria com a Brigada Militar, a EPTC preparou um esquema especial de trânsito. Serão 90 agentes e funcionários mobilizados. A operação para realizar o Caminho do Gol começará às 12h e encerrará às 21h30, com o bloqueio do tráfego de veículos das avenidas Borges de Medeiros e Padre Cacique (esta no sentido Centro-bairro), da Ipiranga até a rua B, via próxima ao Beira-Rio. O trecho será utilizado somente pelos torcedores a pé.

Os condutores que pretendem ir ao estádio de carro poderão utilizar a Edvaldo Pereira Paiva. Ao final da partida, a avenida ficará em sentido único em direção ao Centro, para escoar melhor o tráfego. Quem vai à zona Sul e quer evitar a região, as alternativas são as avenidas Ipiranga, Azenha, Carlos Barbosa e Moab Caldas ou a Terceira Perimetral. Uma faixa de emergência, para serviço de ambulância e de segurança, será implantada na Edvaldo Pereira Paiva, na pista sentido bairro-Centro. No viaduto Dom Pedro I (no cruzamento da José de Alencar com Praia de Belas), ficará o Posto de Controle, onde estará disposta a banda da Brigada Militar e os serviços da prefeitura.

Transporte público | Serão disponibilizados dez ônibus Futebol, saindo do Largo Glênio Peres (ao lado do Mercado Público) em direção ao Beira-Rio. Em razão do Caminho do Gol, todas as linhas que utilizavam do sentido Centro-bairro do eixo Borges de Medeiros e Padre Cacique serão desviadas para a Edvaldo Pereira Paiva.

Desvio após o Jogo | Como a Edvaldo Pereira Paiva terá sentido único em direção ao Centro, e a Padre Cacique e Borges de Medeiros estarão bloqueadas para o Caminho do Gol, as linhas de ônibus da zona Sul que utilizam essas vias terão seus itinerários alterados. A expectativa da EPTC é de que esse desvio tenha duração de uma hora, do fim do jogo (20h30) até o encerramento do Caminho do Gol (21h30).

Saúde | Serão duas estações de serviços da Secretaria Municipal de Saúde, uma no estacionamento do Parque Marinha, em frente ao Shopping Praia de Belas, e outra embaixo do viaduto Dom Pedro I. Funcionarão das 15h até as 18h30.

Uma equipe do projeto Coração no Ritmo Certo atuará no local. Também serão colocados dois dispensers de camisinhas, um em cada estação, onde seis promotores de saúde farão a orientação e distribuição dos preservativos e gel lubrificante. Serão distribuídos 57 mil preservativos masculinos e 20 mil embalagens de gel lubrificante. O atendimento médico será feito pela Unimed, que está apoiando o evento.

Smic | Os ambulantes poderão se instalar no Caminho do Gol, no trajeto entre o Shopping Praia de Belas e a rua A, próximo ao Estádio Beira-Rio. A Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio (Smic) está convidando os mesmos comerciantes que participaram do Caminho do Gol durante a Copa do Mundo para fazer parte do evento do próximo domingo. Só esses ambulantes serão autorizados a trabalhar no domingo e está sendo feito um cadastro dos que aceitarem participar.

DMLU | Uma equipe extra de garis irá trabalhar no Caminho do Gol e entorno do estádio no domingo. Serão disponibilizadas 40 bombonas coletoras de lixo, que serão espalhadas pela avenida Borges de Medeiros. Também será efetuada a limpeza antes e depois do jogo na área do Anfiteatro Pôr do Sol.

Estação da Acessibilidade | Irá funcionar domingo, no estacionamento do Parque Marinha do Brasil, em frente ao Shopping Praia de Belas. Do local, partirão os carros elétricos, com capacidade para seis a oito pessoas, que percorrerão o Caminho do Gol transportando pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, como idosos, gestantes e obesos, até o Beira-Rio. Três carros elétricos irão operar a partir das 15h, no dia do Gre-Nal. O serviço também será oferecido na saída do estádio, no fim da partida. Além do deslocamento facilitado, o espaço vai disponibilizar intérprete de Libras, piso tátil e rampa.

Cultura | O Caminho do Gol terá um total de 15 atrações, seis de música mais a Banda da Brigada Militar, cinco atrações circense, três atrações com bonecos gigantes, o dragão chinês e um arrastão de palhaços ao fim. As atrações começam às 15h, no pórtico de entrada do Caminho do Gol, avenida Ipiranga esquina Borges de Medeiros. As atividades acontecem em três estações artísticas, uma no Parque Marinha do Brasil, em frente ao Shopping Praia de Belas, uma ao lado do viaduto Dom Pedro e uma em frente ao Canhão da Marinha.

Segurança | Para garantir a segurança dos torcedores e moradores e também manter a ordem, guardas municipais e 450 policiais militares atuarão no Caminho do Gol. Além disso, o local será monitorado por câmeras do Centro Integrado de Comando de Porto Alegre. Para a operação, serão utilizadas câmeras de videomonitoramento instaladas nas avenidas Borges de Medeiros, Ipiranga, Padre Cacique, José de Alencar, Edvaldo Pereira Paiva, Rua Otávio Dutra e Parque Marinha do Brasil.

Prefeitura de Porto Alegre

Nova confusão entre ciclista e motorista marca massa crítica em Porto Alegre

Pedalada mensal lembrava aniversário de quatro anos do atropelamento coletivo na Cidade Baixa

Cíntia Marchi

Após confusão, taxista e ciclista prestaram depoimentos | Foto: Fabiano do Amaral

Após confusão, taxista e ciclista prestaram depoimentos | Foto: Fabiano do Amaral

Reunida para pedalar e lembrar os quatro anos do atropelamento de ciclistas na Cidade Baixa, uma manifestação registrou na noite desta sexta-feira mais um conflito entre ciclistas e condutores de carros – neste caso um motorista de táxi. O fato ocorreu na esquina entre as ruas Lima e Silva e Fernando Machado, no Centro de Porto Alegre. O ciclista, que preferiu não se identificar, disse que era responsável por parar o trânsito para a passagem das bicicletas. Segundo ele, o taxista não respeitou a barreira e tentou avançar. Neste momento, teria lhe derrubado. “Aí, eu pulei no capô do carro e o pessoal cercou ele”, contou.

Já o taxista, que também não quis se identificar, afirmou que foi o ciclista quem se jogou sobre o veículo para não deixá-lo passar. “Vieram para cima de mim. Quebraram o meu retrovisor e o parabrisa, furaram um pneu com faca. Tive que sair correndo”, relatou. A ocorrência foi atendida pelo 9º Batalhão de Polícia Militar, que tomou o depoimento dos envolvidos.

Cerca de 500 ciclistas participaram do evento pelas ruas cidade, pedindo o julgamento de Ricardo Neis que responde por 11 tentativas de homicídio simples e cinco lesões corporais. O grupo se concentrou no Largo Zumbi dos Palmares e, em frente à Prefeitura, fez um ato para pedir o cumprimento do Plano Cicloviário. “A cidade hoje é moldada para o individualismo. Quem tem carro é que tem poder. E o Estado olha para os carros de forma prioritária e faz a gente não se sentir seguro”, avaliou Daniel Silva, que pedala há mais de 15 anos.

O ciclista Renato Soprana Pecoits, que usa bicicleta há quase 50 anos e testemunhou o atropelamento em massa em 2011, criticou a ausência da população nos protestos: “A sociedade está muito apagada e ausente das manifestações decentes que pedem melhorias para o Brasil”.

Correio do Povo

Dilma inaugura parque eólico em Santa Vitória do Palmar

Sistema, no Sul do Estado, irá gerar energia para 1,5 milhão de habitantes

Parque Eólico de Osório, RS. Foto: Gilberto Simon

Parque Eólico de Osório, RS. Foto: Gilberto Simon

A presidente Dilma Rousseff veio ao RS nesta sexta-feira para inaugurar o parque eólico Geribatu, em Santa Vitória do Palmar, às 15h.

O início da operação de Geribatu representará um acréscimo de mais de 30% na capacidade de geração eólica do RS. O parque eólico possui 258 megawatts (MW) de capacidade instalada e produzirá energia suficiente para abastecer 1,5 milhão de habitantes. O sistema de transmissão que escoará a energia do parque eólico e integrará a Zona Sul do Estado ao sistema interligado nacional também será oficialmente entregue.

São aproximadamente 470 quilômetros de linhas de extra-alta tensão (525 kV), três novas subestações (Santa Vitória do Palmar, Marmeleiro e Povo Novo) e a ampliação da subestação Nova Santa Rita, obras realizadas em parceria entre a Eletrobras Eletrosul (51%) e a Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica (CEEE-GT).

Foram entregues, ainda, outros 290 quilômetros de linhas de alta tensão (230 kV) e a subestação Camaquã 3, que reforçam o sistema elétrico gaúcho. Os investimentos no parque eólico e sistemas de transmissão associados – previstos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) – somam R$ 2,1 bilhões.

Juntamente aos outros dois parques em implantação no extremo Sul, Chuí e Hermenegildo, o parque eólico de Geribatu forma o Complexo Eólico Campos Neutrais, o maior da América Latina. Em conjunto, o trio soma 583 megawatts (MW) de capacidade instalada, o suficiente para abastecer uma cidade com 3,4 milhões habitantes.

Toda a energia produzida pelas eólicas do Rio Grande do Sul será conectada ao sistema interligado nacional por uma linha de transmissão de 500 quilômetros de extensão. A linha está sendo construída entre Santa Vitória do Palmar e Nova Santa Rita, e precisou de solução inovadora para não prejudicar o meio ambiente.

(…)

Correio do Povo

Kassab evita dar prazo para licitação do metrô de Porto Alegre

Ministro das Cidades esteve reunido com prefeitos e representantes do governo gaúcho nesta quinta

Ministro das Cidades estee reunido com prefeitos e representantes do governo gaúcho nesta quinta | Foto: André Ávila

Ministro das Cidades estee reunido com prefeitos e representantes do governo gaúcho nesta quinta | Foto: André Ávila

Prevista inicialmente para ocorrer no primeiro semestre deste ano, a licitação do metrô de Porto Alegre não tem prazo garantido pelo Ministério das Cidades. Após reunião com a Famurs nesta quinta-feira, o ministro Gilberto Kassab concedeu entrevista no Palácio Piratini, onde ao menos garantiu que a obra é uma meta do governo federal.

“Aprendi que na vida pública não se trabalha com prazos e sim com metas. No momento em que se dá prazo, você cria certezas de que será cumprido. Vamos trabalhar com metas porque é mais adequado e não cria nenhum embaraço no caso de surgir algum obstáculo. Obstáculos surgem e são normais na vida pública. A meta é de que em poucos meses a gente possa dar um pontapé inicial junto com a presidente Dilma, o governador e o vice-governador”, disse Kassab.

Gilberto Kassab ressaltou ainda que uma equipe do Ministério das Cidades trabalha em conjunto com o Ministério do Planejamento para construir um modelo para obras como a do metrô da capital gaúcha. “Nós temos no ministério uma equipe que está integrada trabalhando como Ministério do Planejamento construindo esse modelo. Em breve, com a definição desse modelo, essa equipe se reunirá aqui no RS com o presidente da empresa metropolitana e o Secretário da Fazenda para que possamos dar os últimos passos para caminhar nessa definição”, continuou.

Representante do Governo do Estado na reunião, o vice-governador José Paulo Cairoli afirmou que, apesar da crise financeira do Rio Grande do Sul, o Piratini poderá cumprir sua parte no acordo pelo Metrô por meio de um fundo garantidor. “O ministro Kassab mencionou que foi vinculada a possibilidade de criar o fundo garantidor, que foi a forma encontrada de viabilizar não só o metrô do Rio Grande do Sul como obras em outros estados. Quando se fala em fundo garantidor, se fala de aporte do Governo do Estado”, sintetizou.

Em dezembro do ano passado, uma portaria publicada no Diário Oficial da União liberou R$ 1,77 bilhão a fundo perdido para o metrô de Porto Alegre e garantiu o financiamento de R$ 3,54 bilhões com contrapartida do governo do Estado (R$ 1,08 bilhão) e da prefeitura da Capital (R$ 690 milhões).

Correio do Povo e Rádio Guaíba

Sem roupas, ciclistas fazem protesto pelas ruas da Cidade Baixa

Massa Crítica protesta contra demora no julgamento do Ricardo Neis, suspeito de atropelar 11 pessoas

Jezica Bruno

Massa Crítica protesta contra demora no julgamento do Ricardo Neis, suspeito de atropelar 11 pessoas | Foto: Ricardo Giusti

Massa Crítica protesta contra demora no julgamento do Ricardo Neis, suspeito de atropelar 11 pessoas | Foto: Ricardo Giusti

Com chuva e sem roupas cerca de 30 ciclistas circularam pelas ruas do bairro Cidade Baixa nesra quinta, em Porto Alegre, para protestar contra a lentidão no processo que julga Ricardo Neis, acusado de atropelar 11 pessoas há quatro anos. A concentração do Massa Crítica para a chamada Pedalada Pelada reuniu os integrantes no Largo Zumbi dos Palmares a partir das 19h. Na partida, quase uma hora depois, os ciclistas trocaram as roupas por máscaras e seguiram sem destino pelas vias da Capital. “Queremos mostrar que o corpo não é obsceno. Obscena é a demora da justiça”, explicou um dos membros da Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta (Mobicidade) Marcelo Kalil.

Para a ciclista Gabriele Carapeto, a pedalada também é uma forma de comemorar a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que negou, na quarta-feira, um recurso do réu Ricardo Neis. O acusado procurava desqualificar o atropelamento dos ciclistas como tentativa de homicídio. “Com certeza a decisão é para ser comemorada, mas isso mostra que a justiça só funciona sob pressão”, observou.

Uma outra mobilização está prevista para acontecer nesta sexta, às 19h, em Porto Alegre. No ano passado, a pedalada com ciclistas nus reuniu 200 pessoas.

Correio do Povo

Inaugura na quinta-feira, 26, o Viva Open Mall

Imagem: Takeda Paisagismno

Imagem: Takeda Paisagismno

Com um conceito novo, focado na facilidade e na convivência, está nascendo, na próxima quinta-feira, 26 de fevereiro, em Porto Alegre o Viva Open Mall, o maior open mall de serviços e conveniência do Sul do país.

O empreendimento, concebido pelos grupos Phorbis e Tornak, está localizado na avenida Nilo Peçanha, número 3228, área nobre de Porto Alegre, tendo como vizinhança os bairros Jardim Europa, Chácara das Pedras, Bela Vista, Boa Vista, Três Figueiras e Petrópolis.

O empreendimento terá quatro fases: na inicial serão 55 lojas e 500 vagas de estacionamento; ao término, com mais três fases, serão 110 lojas, duas torres comerciais e mil vagas de estacionamento.

Cafés, restaurantes, lojas e farmácias também estarão no empreendimento – afora a parceria com a Vonpar, a NET e a Claro, que estão se apropriando de parte do imóvel ao entrar com uma série de atividades e serviços. Exemplo: a rua de passeio do espaço se chamará Coca-Cola, com o objetivo de ser a mais “charmosa” da região, e a Neugebauer abrirá a sua primeira loja conceito no Viva. Já a Claro e a NET devem entrar com uma loja conjunta, wi-fi liberado, chimarródromo e espaço pet friendly.

Para a condução do trabalho, os empreendedores se cercaram de parceiros de peso: o projeto arquietônico fica a cargo da Ronaldo Rezende Arquitetura; o paisagístico com a Takeda Arquitetos Paisagistas; e a obra será gerenciada pela Fernando Miranda Gerenciamento de Projetos. O projeto foi inspirado no conceito de Open Mall com áreas cobertas, garantindo o melhor uso do shopping em todas as estações do ano.

viva-open-mall-03

viva-open-mall-02

Fonte: Diversas

Protesto contra aumento da passagem termina na frente do Palácio da Polícia

Manifestantes querem a libertação de dois presos do protesto na Vila São Pedro

Protesto começou no centro de Porto Alegre | Foto: Carmelito Bifano / Especial CP

Protesto começou no centro de Porto Alegre | Foto: Carmelito Bifano / Especial CP

O aumento das passagens de ônibus em Porto Alegre, que ocorreu no último domingo, voltou a ser motivo de uma manifestação pelas ruas da Capital. O protesto organizado pelo Bloco de Luta pelo Transporte Público reuniu cerca de 600 pessoas desde as 17h no Paço Municipal. Duas horas depois, os manifestantes saíram em uma caminhada que teve fim no Palácio da Polícia, onde protestaram contra ação da Brigada Militar em uma manifestação que ocorreu na Vila São Pedro, na zona Leste, onde pelo menos três pessoas foram detidas.

Munidos com faixas e cartazes exigindo passe livre e a revogação do aumento que elevou a passagem do ônibus para R$ 3,25, o grupo iniciou deslocamento pela avenida Borges de Medeiros sob o grito: “Se a passagem aumentar, Porto Alegre vai parar”. Após passar pela avenida Júlio de Castilhos, os manifestantes subiram a rua Doutor Flores. Lojas foram pichadas, mesmo com a presença do Batalhão de Operações Especiais (BOE) da Brigada Militar.

Gritando bordões como “Mãos ao alto. Esse aumento é um assalto”, eles entraram na Salgado Filho na direção da João Pessoa. Em todo o trajeto, soldados do BOE se posicionavam diante das agências bancárias e lojas que tinham a fachada com vidros. Ao todo, 150 policiais acompanharam o protesto.

No viaduto da João Pessoa, os manifestantes entraram na rua Engenheiro Luiz Englert, passando ao lado da UFRGS, e na sequência na Osvaldo Aranha. Enquanto caminhavam, os protestantes saltavam e gritavam: “Quem não pula, quer aumento”. Porém, na frente do Hospital de Pronto Socorro o grupo fez silêncio durante a sua passagem.

À esta altura já corria a informação sobre a prisão de pelo menos três pessoas em um protesto na avenida Ipiranga, na zona Leste. Reclamando da ação da Brigada – que teria cometido excessos no local – os manifestantes seguiram até o Palácio da Polícia, com objetivo de exigir a liberação dos deditos. Chegaram até a sede da Polícia Civil após passarem pela Venâncio Aires e João Pessoa. Novamente lojas no caminho foram pichadas e vidros de um centro comercial foram atingidos por pedras. Em uma concessionária de veículos, a polícia ficou postada na entrada e evitou qualquer tipo de depredação.

Na sequência, o grupo entrou na avenida Ipiranga e voltou a fazer silêncio na frente do hospital Ernesto Dornelles. A caminhada foi encerrada na frente do Palácio da Polícia. Eles garantiram que ficariam no local até que os três que estão na 3ª delegacia de polícia fossem liberados. No entanto, informação de que um dos presos teria sido levado ao HPS motivou os manifestantes a deixar o Palácio e retornaram à frente do hospital. No meio do caminho, porém, uma nova informação, de que a pessoa já teria tido alta, fez com que boa parte do grupo desistisse da empreitada, dispersando o movimento pouco antes das 22h.

Correio do Povo

Infraero aprova ampliação da pista do Salgado Filho

Prefeitura transferiu a área necessária ao início da obra em janeiro de 2011   Foto: Joel Vargas/PMPA

Prefeitura transferiu a área necessária ao início da obra em janeiro de 2011   Foto: Joel Vargas/PMPA

O prefeito José Fortunati comemorou a aprovação da ampliação da pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho na reunião do Conselho de Administração da Infraero, realizada nesta terça-feira, 24, em Brasília. Agora a empresa pública inicia o processo de licitação, que será pelo Regime Diferenciado de Contratações (RDC), e inclui o planejamento, projetos, gerenciamento e execução integral de todas as fases do empreendimento. Nos últimos meses, Fortunati reforçou o debate com o governo federal sobre a necessidade e urgência da obra.

“Eu não tinha dúvidas de que o Conselho de Administração da Infraero compreenderia a importância dessa obra para Porto Alegre e para o Rio Grande do Sul. Estávamos otimistas. Esperamos que os trabalhos iniciem o mais rápido possível para que, em breve, tenhamos mais segurança, novos voos operando na nossa cidade e mais desenvolvimento para o estado”, disse Fortunati. Ele reforçou que todas as condições necessárias à execução das obras já foram garantidas pela prefeitura, que transferiu a área ao governo federal em janeiro de 2011.

A reunião na sede da Infraero, na capital federal, iniciou às 14h. O conselho, que delibera ações estratégicas, acatou a proposta da Diretoria Executiva da empresa, apresentada por voto do presidente da Infraero, Antônio Gustavo Matos do Vale. Com a confirmação, a pista será ampliada em 920 metros, passando dos 2.280 metros atuais para 3.200 metros. A assinatura do contrato foi condicionada à liberação de recursos orçamentários. O dinheiro já foi garantido pelo ministro da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha, que informou em visita a Porto Alegre, no dia 6 de fevereiro, que a sua secretaria tem verba para a obra do Fundo Nacional de Aviação Civil.

Uma nova condição para que o contrato seja assinado, estabelecida na reunião do conselho, é a emissão de ordem de serviço relativa ao encaminhamento da remoção total das famílias das vilas Nazaré, Dique e Floresta, além dos obstáculos à plena operação da pista. “A prefeitura tem convicção, com base em documentos assinados pela direção da Infraero, que todas as medidas necessárias ao início da obra foram adotadas. Em momento algum a empresa exigiu a retirada de todas as famílias da região e dos obstáculos antes do término das obras. Essas exigências impactam tão somente no início das operações, previsto pela própria empresa para no mínimo daqui a quatro anos”, afirmou Fortunati. De acordo com o cronograma da prefeitura, até o final de 2016 todas as famílias e obstáculos serão removidos. As documentações solicitadas relativas a este cronograma serão enviadas à Infraero.

O presidente da empresa colocou a análise do projeto na pauta da reunião depois de uma audiência com o prefeito, no último dia 3, na qual Fortunati apresentou aos diretores da Infraero a mobilização da sociedade gaúcha pela obra e demonstrou que as condições necessárias para o seu início já foram dadas pela prefeitura. Naquela semana, Matos do Vale chegou a abrir o voto a favor da ampliação da pista do Salgado Filho em visita a Porto Alegre.

Prefeitura de Porto Alegre

(grifos do blog)

_______________________

A matéria do Jornal Zero Hora:

Conselho de Administração da Infraero aprova ampliação da pista do Salgado Filho

Conforme comentário do leitor Felipe Oliveira, abaixo, a ZH cita que a obra seria custeada pelo PAC 3, ao contrário do que o Ministro Eliseu Padilha garantiu. A verba estaria garantida pelos mais de 4 bilhões de reais do Fundo da Aviação Civil.

O comentário integral do leitor Felipe Oliveira:

“Padilha já disse que Secretaria da Aviação Civil possui recursos próprios na casa de mais de quatro BILHÕES de reais, oriundos do Fundo específico que o órgão dispõe, decorrentes das cobranças das taxas da aviação civil, e que por isso não é preciso contar com a ajuda do cofre geral do Governo Federal e etc. Ele deixou isso bem claro aos jornalistas na segunda reunião do movimento pró-salgado filho (aquela onde apresentou os slides). Disse que por isso mesmo, passando no conselho, que seria uma mera formalidade, a obra pode sair “imediatamente” (leia-se, iniciar os trâmites licitatórios), pois dinheiro tem.

Que papo é esse agora de que vai depender de PAC-3? Os jornalistas não questionarão isso? É um equívoco essa informação ou muita sacanagem essa mudança agora de discurso, pois Padilha já havia dito que há recurso assegurado diretamente do Fundo da Aviação para tanto. Parece forçassão de barra pra iniciar a discussão desde o princípio novamente, qd já ficou acertado que o conselho aprova e depois logo em seguida já se iniciam os passos concretos seguintes.

Em ZH:

“— Não se preocupem com restrição fiscal. Nossa secretaria (de Aviação Civil) tem recursos próprios. O dinheiro é nosso, do Fundo Nacional de Aviação Civil — afirmou Padilha.”

“[…] o recurso necessário para expandir o Aeroporto Internacional Salgado Filho está garantido. A afirmação foi feita na tarde desta sexta-feira, em Porto Alegre, pelo ministro da Aviação, Eliseu Padilha, durante reunião sobre o Plano Diretor do aeroporto, no Palácio do Ministério Público.”

Fonte:

http://zh.clicrbs.com.br/rs/porto-alegre/noticia/2015/02/eliseu-padilha-garante-que-havera-dinheiro-necessario-para-ampliacao-do-salgado-filho-4695500.html

Ou seja, que não venham agora falar em dependência do PAC-3. Incertezas de recursos e blá, blá, blá. O Ministro assegurou a verba, oriunda de recursos de fundo próprio, terá que cumprir. Ou será duramente cobrado para que assim o faça.

Ass.: Felipe Oliveira da Silva

 

 

Universidade de Porto Alegre terá serviço de aluguel de carros elétricos

Universidade Federal do Rio Grande do Sul vai iniciar teste de carro elétrico compartilhado. Serviço funcionará ainda em 2015 e atenderá a comunidade acadêmica

Modelos são dobráveis, o que reduz o espaço créditos: Divulgação

Modelos são dobráveis, o que reduz o espaço
créditos: Divulgação

A partir deste ano, começa a funcionar em Porto Alegre, ainda em fase de testes, o compartilhamento de carros elétricos na UFRGS, similar ao que já acontece com o Bike Poa. O projeto Sivi (Sistema Veicular Inteligente) vai beneficiar primeiro a comunidade universitária, já que as duas primeiras estações, cada uma com um carro, ficarão nos campi Centro e do Vale.

A tarifa ficará em R$ 24. O carro elétrico chega à 70 km/h. O veículo não é poluente, é isento de IPVA e roda a cerca de R$ 0,10 por quilômetro.

 

Criado por estudantes da pós-graduação, que montaram a startup MVM Technologies, o sistema poderá chegar em toda a capital. “Temos um planejamento para segunda etapa, tornando possível um serviço de escala, em Porto Alegre. Fora disso, a expansão para região metropolitana, o que é possível , temos que ver um prazo mais longo”, explicou o diretor executivo da empresa, Lucas de Paris.

O modelo, implantado nos Estados Unidos e na Europa, permite ao usuário pegar o carro em vagas ou garagens espalhadas pela cidade e devolvê-lo, depois, em um período determinado. Em dezembro passado, o sistema começou a funcionar no Recife, e em 2015 deve estar em funcionamento também no Rio de Janeiro.

PORTAL MOBILIZE BRASIL

Fonte: RBS 

Prefeito vai a Brasília pedir apoio para projeto que reduz tarifas

Foto: Gilberto Simon

Foto: Gilberto Simon

O prefeito José Fortunati estará em Brasília nesta terça-feira, 24, para tratar do Regime Especial de Incentivo ao Transporte Coletivo Urbano e Metropolitano de Passageiros (Reitup) com a bancada gaúcha. Fortunati vai dialogar com os parlamentares e pedir apoio na aprovação da matéria, que está em tramitação no Congresso Nacional. A reunião ocorrerá às 17h, no Plenário 13 da Câmara dos Deputados.

Fortunati, que também é presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), defende a aprovação do Reitup, que visa a estabelecer uma série de ações para organizar o sistema de transporte coletivo urbano e reduzir as tarifas, entre elas a concessão de benefícios fiscais para empresas do setor, como a isenção do PIS e Cofins para a compra de combustíveis e equipamentos, além de um modelo de planilha de custos único para todo o país e medidas de transparência.

Conforme o prefeito, a redução nas tarifas do transporte público tem sido uma luta de todas as capitais. Em Porto Alegre, desde 2013, Fortunati garantiu por decreto a isenção do Imposto sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISQN) sobre o transporte coletivo, medida que possibilitou a redução de 2,5% do valor da tarifa.

“Acredito que, se houver boa vontade política das demais instâncias federativas, temos condições de reduzir as tarifas por meio da aprovação do Reitup, que prevê isenções fiscais também em nível estadual e federal. Estudos da FNP apontam que a redução do valor final da tarifa poderia ser superior a 20%”, afirmou o prefeito.

Além da batalha pela aprovação do Reitup, Fortunati defende que uma parte da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre a gasolina e o diesel poderia ser repassada. “Agora que o governo federal está retomando a Cide, seria o momento para direcioná-la. É nas cidades que as pessoas abastecem. Parte desse valor poderia ser direcionada ao transporte público”, destacou.

Pista do Salgado Filho – Também nesta terça-feira, em Brasília, o Conselho de Administração da Infraero deve analisar e definir o encaminhamento da ampliação da pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho. O presidente da Infraero e membro do conselho, Antônio Gustavo Matos do Vale, confirmou no dia 3 de fevereiro, durante audiência com Fortunati, na sede da empresa, que o tema vai entrar na pauta da reunião.

Segundo o prefeito, a expectativa é positiva, pois o próprio presidente abriu publicamente o seu voto a favor do empreendimento. “A Infraero nos garantiu que a obra nunca foi descartada pelo governo federal. Além disso, o próprio ministro da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha, se mostrou otimista sobre a ampliação da pista e disse que recursos financeiros não serão um problema, uma vez que a secretaria possui o Fundo Nacional de Aviação Civil. Estamos esperando essa confirmação tão importante para Porto Alegre”, afirmou Fortunati.

Prefeitura de Porto Alegre

Porto Alegre é capital menos violenta no trânsito brasileiro

Índice de 11,7 mortes por 100 mil habitantes é um terço do registrado por líder, Recife

Jéssica Mello

Índice de 11,7 mortes por 100 mil habitantes é um terço menor que líder, Recife | Foto: Ricardo Giusti / CP Memória

Índice de 11,7 mortes por 100 mil habitantes é um terço menor que líder, Recife | Foto: Ricardo Giusti / CP Memória

Entre as dez capitais mais populosas do Brasil, Porto Alegre foi considerada a cidade menos violenta no trânsito. A Capital tem uma média de 11,7 mortes para cada grupo de 100 mil habitantes. Os dados constam do estudo Retrato da Segurança Viária, elaborado pelo Observatório Nacional de Segurança e Falconi Consultores de Resultado, divulgado nesta segunda-feira. A Capital tem menos da metade dos óbitos das líderes em violência:  Recife (34,7), Fortaleza (27,1) e Belo Horizonte (22,5). Famosa pelo trânsito complicado, São Paulo ficou logo atrás de Porto Alegre, com média de 11,8 mortes por 100 mil habitantes. O relatório leva em conta as mortes ocorridas de 2001 a 2012.

Se a Capital gaúcha tem um tráfego razoavelmente calmo, a região Sul do país não acompanha a tendência. Segundo o estudo, ela é a segunda com maior número de óbitos em acidentes de trânsito, com 27,6 mortes por 100 mil habitantes. Os três estados do Sul ficam abaixo apenas da região Centro-Oeste, que soma 31,8 óbitos.

Um dado preocupante no estudo é o crescimento de mortes com motocicletas. Foi feito um levantamento dos dados de 2012, que indicaram um aumento de 140% nas mortes de motociclistas. A tendência começou em 2010. Para o professor de transportes da Faculdade de Engenharia da UFRGS, João Fortini Albano, os condutores desse tipo de veículo são muito vulneráveis. Geralmente, são motoboys que trabalham com prazos e tendem a acelerar mais e andar no meio dos carros. “O perfil é de direção perigosa, sempre no limite”, analisa Albano. “Este comportamento exige maior fiscalização e uma formação melhor, com exames e aulas em cenário real”, comenta.

Segundo o diretor-presidente do Detran-RS, Ildo Mario Szinvelski, a autarquia gaúcha enviou sugestões ao Denatran e à Associação Nacional dos Detrans para a qualificação de motociclistas. “Acreditamos que a formação deveria ocorrer em duas etapas”, afirma. “Uma em espaço fechado, como é atualmente, e outra no espaço real, além do uso de simuladores”. No entanto, Szinvelski acredita que o principal meio para uma mudança é a conscientização da população. “Todo acidente é precedido por uma infração”.

A análise apontou que o trânsito é a 8ª causa de morte no mundo. Os números aumentam a cada ano. No Brasil, 45,7 mil pessoas morreram nas estradas e ruas em 2012 e 177,4 mil ficaram feridas. O gasto do país em decorrência dos acidentes foi de R$ 16 bilhões. No RS, o custo atingiu a cifra de R$ 653 milhões. A cidade gaúcha com a maior taxa de mortes por 100 mil habitantes é Soledades, com índice de 79,8. Alvorada tem o número mais baixo, com 3,5.

Dados do Detran gaúcho,  de 2014, revelam que o número de mortes teve uma elevação de 1,9% em relação a 2013. Elas passaram de 1.985 para 2.023. Neste período, a variação não acompanhou o crescimento da frota (6,6%) e do cadastro de condutores, que apresentou um crescimento de 3,7%. Os jovens continuam sendo as vítimas mais vulneráveis. Enquanto a faixa etária dos 18 a 39 anos representa 34% da população, ela é responsável por 43% das vítimas de trânsito. Pelo menos um terço dos acidentes, em 2014, ocorreu entre 18h e meia-noite. Quase 40% dos óbitos aconteceram nos finais de semana.

Correio do Povo

Praça Dom Sebastião: painéis de Xico Stockinger são recuperados

A Secretaria Municipal de Cultura procedeu a limpeza completa dos painéis do Xico Stockinger, que ficam no respiradouro do Túnel da Conceição, na Praça Dom Sebastião.

Conforme explicou o Luiz Antonio Custódio, Diretor da Memória Cultural da SMC, os painéis jamais deveriam ter sido pintados, como foram há cerca de 10 anos. Eles são feitos de aço corten, que enferrujam e dessa forma, protegem os painéis.

Nesta semana passada, até sábado, foi feita um jateamento com esferas de vidro e água, que deu novamente o aspecto avermelhado da ferrugem com o qual devem permanecer os painéis.

Vejam as fotos:

Painéis de Xico Stockinger. Foto: Gilberto Simon - Porto Imagem. 23/02/2015

Painéis de Xico Stockinger. Foto: Gilberto Simon – Porto Imagem. 23/02/2015

Painéis de Xico Stockinger. Foto: Gilberto Simon - Porto Imagem. 23/02/2015

Painéis de Xico Stockinger. Foto: Gilberto Simon – Porto Imagem. 23/02/2015

Detalhe de painel de Xico Stockinger. Foto: Gilberto Simon - Porto Imagem. 23/02/2015

Detalhe de painel de Xico Stockinger, mostrando a ferrugem. Foto: Gilberto Simon – Porto Imagem. 23/02/2015

Informações: ZH e SMC

Trens acoplados da Trensurb iniciam operação

Veículos vão funcionar nos horários de pico entre as estações Mercado e Sapucaia do Sul

Cláudio Isaias

Trens acoplados da Trensurb iniciam operação | Foto: Tarsila Pereira

Trens acoplados da Trensurb iniciam operação | Foto: Tarsila Pereira

Duas composições de oito carros da Trensurb começaram a circular nesta segunda-feira nos horários de pico entre as estações Mercado e Sapucaia do Sul. Os veículos funcionam das 6h30min às 8h30min e das 17h30min às 19h30min. O diretor de Operações da Trensurb, Carlos Augusto Belolli, explicou que os trens nos horários de pico terão capacidade para transportar 2.160 passageiros por composição.

A meta da empresa é que, até julho deste ano, oito trens acoplados entrem em operação entre as estações Mercado e Sapucaia do Sul, em razão de demanda de passageiros. Hoje, operam 24 trens com quatro composições que transportam, em cada composição, 1.080 passageiros. No final do ano passado, a Trensurb adquiriu 15 novos trens que estão em fase de ajustes e que, segundo Belolli, em breve estarão em operação na linha da empresa. O investimento na aquisição dos trens foi de R$ 243 milhões. As duas composições de oito carros cada uma delas formada por dois trens da série 100 acoplados circulam em dias úteis.

Conforme Belolli, a medida é uma alternativa para ampliar a oferta de lugares no trem em um mesmo espaço de tempo, uma vez que o intervalo mínimo entre viagens já foi atingido. “A confirmação da possibilidade de duas composições de oito carros circularem simultaneamente sem que haja problemas de fornecimento de energia de tração foi obtida após avaliações realizadas pela equipe técnica da Trensurb”, acrescentou. O acoplamento dos trens ocorre com a união de dois trens série 100, formando uma única composição de dois veículos.

A Trensurb transporta cerca de 190 mil passageiros por dia entre as 22 estações do Mercado até Novo Hamburgo.

Correio do Povo

Ato Contra a Impunidade no Trânsito

Dia 25 de fevereiro completam-se quatro anos do atropelamento coletivo da Massa Crítica de Porto Alegre. Ricardo Neis ainda nem foi a julgamento e isso é culpa do sistema judiciário que é eficiente para a população marginalizada, mas lento e conivente com os crimes praticados por pessoas brancas, com dinheiro para pagar por bons advogados, principalmente quando a arma utilizada é um carro.

Dia 25 de fevereiro vamos a partir das 17h para a frente do Tribunal de Justiça, na esquina das avenidas Borges de Medeiros e Aureliano de Figueiredo Pinto, exigir que a justiça seja tão eficiente com motoristas criminosos quanto é com os criminosos pobres.

Leve percussão, panelas, apitos, materiais para fazer faixas e cartazes.

O ato faz parte de uma série de ações marcadas para a semana de aniversário do atropelamento.

Confira evento no Facebook.

ato4anos-pc3a1gina0011

Vá de Bici

Cidade inovadora, por Adeli Sell

Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec S/A), em Porto Alegre

Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec S/A), em Porto Alegre

Uma cidade sem identidade é uma cidade fantasma. Para seus moradores ou frequentadores fica tudo meio nebuloso. Não se distingue de fato o que ela é, nem o que ela tem a oferecer de especial. Falo da nossa Porto Alegre, capital gaúcha que hoje vive sob esta neblina. E assim não decolará.

Urge que seus gestores, sociedade civil, empreendedores, pensadores do urbanismo e da economia busquem juntos uma nova identidade. E isto é possível, pois Porto Alegre tem seus encantos mil quando olhada de perto – porque as coisas boas andam escondidas, sem nexo uma com a outra.

Muitos elos, laços, redes foram rompidos. Chegou a hora de juntar, amarrar, soldar para criar uma capilaridade entre o que existe de positivo, corrigir os equívocos, começar a plantar o novo.

Porto Alegre tem um bom caminho na área de ciência e tecnologia. A começar pela Lomba do Pinheiro, onde se encontra o Ceitec, um centro de prototipagem de chips que poucos conhecem. Abrigamos, também, o centro tecnológico da UFRGS e o Tecnopuc, junto com um conjunto de empreendimentos hospitalares e clínicas de alta resolutividade em Saúde, mas que vivem sem muita conexão.

Este caminho precisa que ser ampliado e cimentado com o que há de mais avançado em inovação. Apesar de terem acabado com a Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia, resta-nos a Secretaria de Porto Alegre, a INOVAPOA.

Já caminhamos para a segunda década do grande evento mundial que é o FISL – Fórum Internacional do Software Livre. Temos novidades no IV Distrito, zona Norte da cidade, que deve ser repaginado para atividades de inovação na área da comunicação, design, moda, Telecom, etc. A identidade da Porto Alegre do futuro tem que ser clara: uma cidade inovadora.

Mãos à obra!

Adeli Sell

Vereador de Porto Alegre por 16 anos

UFC estreia em Porto Alegre esta noite

Não curto lutas de nenhuma espécie, mas é impossível negar a importância para a cidade da realização de um evento do UFC.

Acontece nesta noite a estreia em Porto Alegre no circuito do UFC, no Gigantinho, a partir das 19h. 

Gigantinho ontem a tarde. Foto: Thiago Simon Pes

Gigantinho ontem a tarde. Foto: Thiago Simon Pes, de veículo em movimento

Sem ter passado por reforma alguma, mas com um PPCI feito totalmente pela ZUFFA Eventos Esportivos Brasil Ltda., braço brasileiro da ZUFFA LLC, dos Estados Unidos, especializada em artes marciais mistas, e organizadora do UFC, maior evento de MMA do mundo, o Gigantinho vai sediar hoje pela primeira vez um evento do UFC. 

Veja parte da matéria do UOL Esportes aqui:

UFC estreia em Porto Alegre com pesados em risco e brasileiro em ótima fase

Do UOL, em São Paulo, 22/02/2015, 06h00

Antonio Silva, o Pezão, posa com o rival Frank Mir, a quem enfrenta em Porto Alegre.  Jefferson Bernardes/inovafoto

Antonio Silva, o Pezão, posa com o rival Frank Mir, a quem enfrenta em Porto Alegre.  Jefferson Bernardes/inovafoto

Casa de um dos campeões do UFC, Fabrício Werdum que tem o cinturão interino dos pesados, Porto Alegre recebe neste domingo sua primeira noitada da principal organização de MMA da atualidade. O duelo principal será na categoria de Werdum, com dois lutadores em risco dentro do evento: Antonio Pezão encara o veterano Frank Mir, em sua segunda oportunidade de ser o protagonista de uma edição brasileira do Ultimate. Edson Barboza é o outro destaque do card, que começa às 19h, e, vencendo, estará pronto para o cinturão dos leves.

Leia mais no UOL, clicando aqui.

Leia também, no Correio do Povo:

Chegada do público é tranquila no Gigantinho

ufc-poa

Lucro por passageiro de ônibus é de R$ 0,20

Despesas com pessoal são o que mais pesa na tarifa de R$3,25 que entra em vigor no domingo

Cíntia Marchi e Fernanda Pugliero

Nova tarifa entra em vigor neste domingo | Foto: Tarsila Pereira

Nova tarifa entra em vigor neste domingo | Foto: Tarsila Pereira

A cada R$ 3,25, desembolsados pelos passageiros de ônibus de Porto Alegre a partir deste domingo, R$ 0,20 correspondem ao lucro bruto das 13 empresas operadoras do sistema, incluindo a Carris, única pública. Por mês, são transportados 17 milhões de usuários pagantes, de onde provêm os ganhos de R$ 3,4 milhões. O coordenador de Regulação de Transportes da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Márcio Saueressig, diz que o lucro é variável e depende dos custos de cada empresa. “Do valor bruto arrecadado nas roletas descontam-se o Imposto de Renda e as contribuições sociais”, explica.

Além da garantia de lucro aos empresários no final do mês, que sai do bolso do passageiro, o que mais pesa na composição da tarifa são as despesas com pessoal. O item representa 47% do custo tarifário. Em 2015, os rodoviários tiveram reajuste salarial de 8%, além de 10,53% no vale-refeição e 11,67% no plano de saúde. Os novos valores vigoram desde o dia 1º de fevereiro — data-base da categoria. O acordo também concedeu vale-refeição para o período de férias (um a cada dois dias, uma novidade no contra-cheque dos trabalhadores).

Com o aumento dos salários, os rodoviários de Porto Alegre têm a mais alta remuneração entre as capitais do país. Desde a criação do Plano Real, em 1994, a categoria obteve um aumento real médio anual de 1,33% no piso salarial. Outro item que impacta o crescimento da tarifa em 23% são as despesas variáveis (combustíveis, óleos lubrificantes, pneus e recapagens). Para fazer esse levantamento, a equipe técnica da EPTC usou as notas fiscais das compras feitas pelas empresas operadoras. No preço do litro do óleo diesel, houve uma variação de 12,07% em relação ao valor utilizado no último cálculo tarifário. O custo dos pneus apresentou queda de 7% e as recapagens sofreram incremento médio de 8%. Um decreto de 2015 reduziu a vida útil de pneus e recapagens de 228 mil quilômetros para 168 mil quilômetros.

As despesas com a frota pesam 20%. É nesse item que está o lucro dos empresários, que recebem remuneração pela frota, máquinas, equipamentos e instalações. Manutenção e depreciação figuram nos gastos. Como em 2014 não houve renovação da frota, o item não influenciou o cálculo tarifário. As despesas administrativas representam 5% e a carga tributária pesa outros 5%.

O reajuste acumulado pela tarifa nos últimos 20 anos foi 95,89% superior à inflação. Enquanto o Índice Nacional de Preços ao Consumidor cresceu 348,40% de agosto de 1994 a fevereiro de 2015, a tarifa do transporte público subiu 778,38%. Em 1994, o valor pago por 26 milhões de usuários era de R$ 0,37. Já o salário dos motoristas foi reajustado em 395,15%, segundo dados do Dieese.

Quantidade de usuários despenca

Se a quantidade de usuários do transporte público de Porto Alegre não tivesse despencado drasticamente nos últimos 20 anos e o número de isentos tivesse se mantido estável, o preço da passagem não precisaria subir mais do que a inflação. Desde 1994, o número de usuários pagantes está em declínio. De 26,4 milhões de passageiros por mês, os ônibus passaram a transportar pouco mais de 17 milhões de pessoas em 2014 — queda de 35%.

A quantidade de quilômetros rodados pelos coletivos também aumentou: de 8,5 milhões para 9,5 milhões km/mês. Se o número de usuários pagantes tivesse se mantido estável desde 1994, o Índice de Passageiros Transportados por Quilômetro (IPK) resultaria em 2,77. Com a perda de usuários, a divisão totaliza 1,80. Há 20 anos, o IPK era 3,10, e a passagem custava R$ 0,37.

Apenas no último ano, os ônibus da Capital perderam 30 mil passageiros/dia. Estima-se que, hoje, cerca 1 milhão de pessoas ainda utiliza o transporte coletivo, mas um terço é isento. A frota de carros cresceu 85% em 20 anos e a de motos, 441%.

Índice de isentos passará para 35%

Dos passageiros transportados por mês pelos ônibus de Porto Alegre, apenas 17 milhões pagam as passagens. Em 2015, o número de isentos pode ser ainda maior, segundo o gerente executivo da ATP, Luiz Mário Magalhães de Sá. Ele lembra que está sendo regulamentada a lei que garante isenção aos policiais militares do pagamento, mesmo sem o uso da farda. Em vez dos 32% de isentos apontados pelo relatório da EPTC, o índice saltará para 35%.

“Não temos nenhuma restrição ou crítica à concessão de isenções. Mas, na estrutura atual, é o passageiro que paga esta conta. Entendemos que as gratuidades deveriam ser custeadas pelo governo, pelos impostos pagos pela sociedade, como acontece com o Bolsa Família, por exemplo”, sugere. A prefeitura de Porto Alegre não subsidia as gratuidades, diferentemente do que fazem outras capitais como Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro.

Entre os isentos, 36,73% são usuários da segunda viagem do TRI (isenta em 30 minutos), 36,29% são idosos acima dos 60 anos e 13%, estudantes. Ainda sobre a planilha da EPTC, o gerente da ATP discorda de indicadores de despesa com pessoal. Segundo ele, desprezaram o pagamento de quinquênio.

Correio do Povo