Um mês depois de restaurado, já está pichado

O Monumento ao Expedicionário, algumas semanas apenas depois de ser restaurado, foi alvo de vândalos. Já é a terceira depredação no conjunto de obras restauradas pelo Sinduscon no Farroupilha. Pichações são normais em quase todas as cidades do mundo, mas a relação da população de Porto Alegre com o seu patrimônio público já passou dos limites. É uma cultura grosseira de vagabundagem, chinelagem e bagacerice que tem que ser severamente punida. Mas como?

Mais detalhes na ZH



Categorias:Outros assuntos

Tags:,

42 respostas

  1. eu sou totalmente contra esse tipo de vandalismo, mas se tiver que escolher eu prefiro ataques com algum significado do que essas pichações de bondes pra marcar território.

    Curtir

  2. mesmo que a prefeitura criasse painéis em branco pela cidade para as pessoas poderem protestar livremente, ainda assim haveria gente disposta a destruir, a estragar, a riscar do mapa tudo aquilo que representa o que nunca tiveram. é como se fosse um ranço, uma espécie de raiva, vontade de se vingar do mundo e da sociedade, acabando com seus símbolos, criando teorias mirabolantes sobre o que é uma cidade melhor contestando todos os padrões vigentes. quer quebrar padrões? comece pela sua casa… não recolha mais o lixo, risque as paredes da sua sala de estar, jogue um balde de tinta azul no seu teto para que parte dela pingue no seu sofá. quebre aquele porta retrato ridículo com fotos da sua família, derrube as paredes do seu quarto e tome cuidado para a casa não cair sobre a sua cabeça, derrube aquela porção monstruosa de tijolos e cimento, afinal para que ter um quarto? abra a sua casa para os mendigos da cidade e deixe-os defecar dentro dela, rasgue suas roupas! ande pelado! depois mude-se e vá morar numa palafita na beira do guaíba ou até mesmo do dilúvio, afinal para que morar em construções de alvenaria, cimento, revestidas de granito ou qualquer outro material ? troque seu carro por uma carroça afinal ela não polui e nem atende interesses escusos desse ou daquele grupo
    essas pessoas não querem nada de bom para a cidade e muito menos protestar, não querem uma cidade melhor, não estão preocupadas com isso. esse não é o seu objetivo. estão interessadas em anarquizar, subverter os pensamentos e encontrar mentes abertas a isso e depois destruir pelo puro e simples prazer da destruição.

    Curtir

  3. como eu queria que a galera do pixo do triangulo cav do terror encontrasse a galera dos abacates verdes com o cassetete na mão e fossem obrigados a limpar essa pichação com a língua e depois engolir o restante da tinta que sobrou.
    bando de bagaceiros, delinquentes, frustrados e sem referencia. ainda vou festejar a ordem nesse pais tomado pela desordem quando souber que todo marginal está atrás das grades.

    Curtir

  4. Bem, parece que um certo grupo assumiu a depredação. Leiam os argumentos deles aqui:
    http://prod.midiaindependente.org/pt/blue/2015/01/538988.shtml

    Um trecho:
    “Nós, da galera do Pixo do Triangulo CAV do Terror (Canoas, Alvorada e Viamão) reconhecemos que fomos nós que pixamos aquele monumento ridículo no Parque da Redenção. Assumimos isso com orgulho e pouco nos importa se um bando de idiotas idolatra um monte cimento e pedra pra cartão postal. Mandamos nossa cor e nossa arte bem debaixo do nariz dos abacates verdes do estado, e partimos que nem ninja pra festejar. ”

    Que venha a polêmica.

    Curtir

  5. Isso é apenas uma das facetas da cultura da impunidade total que reina aqui em Banânia, seja para crimes “menores” (???) como a depredação de monumentos ou assassinatos e corrupção generalizada. E o que é pior, não vai melhorar nunca, porque é um populacho desgraçado que se acustomou com isso. Imagina tentar implantar uma política de Tolerância Zero em Porto Alegre como se fez em New York, multando e prendendo por todas as infrações à lei. Ia começar com a bancada do PSOL, mais a Mocréia do Bostário fazendo um griteiro pelos Dereito Umano da marginália!

    Curtir

    • José, não te enruga couro velho. Aqui em Apeland todos sabemos (incluindo os políticos) como fazer. Mas NINGUÉM (dentre os polícitos) quer. Aqui é tudo amigo. É uma terra de alianças. Não é uma terra de gente séria que é punida quando faz algo errado. É amizade, familiaridade. Abraços.

      Curtir

  6. Bom fim-de-semana, CLARICE. Com todo o respeito que você me merece, eu gostaria de ver se suas coxinhas são grossas ou finas.

    Curtir

  7. Acho que vou mandar a Clarice pra Arabia Saudita tb……vai perder as maos pra nao escrever tanta m*.

    Curtir

  8. No Uruguai, Argentina, eu sempre vejo esses monumentos sendo guardados por soldados justamente para evitar depredação. O monumento do Artigas, da guerra das Malvinas, são todos assim.

    Aqui no Rio Grande do Sul só vejo isso naquela “Chama Crioula”, que por sinal acho uma bobagem

    Desses ataques eu só gostei do monumento pelas “Vitimas do Comunismo”. Provocação se responde com provocação. Cade o monumentos pelas “Vitimas do Capitalismo”, de todas as guerras que foram feitas pelo dinheiro??

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: