A opinião do Jornalista e Advogado Políbio Braga sobre o Pontal do Estaleiro

Conheça a verdade sobre o Pontal do Estaleiro

Área do Estaleiro Só atualmente

Área do Estaleiro Só atualmente

Existem algumas discussões no RS que não obedecem qualquer padrão de racionalidade, enveredando pelo caminho puro e simples da histeria e dos insultos.

. Aí vão três exemplos: 1) pedágios (leia material de abertura desta página). 2) ocupação imobiliária da orla do Guaíba. 3) florestamento.

. O caso da ocupação imobiliária da orla do Guaíba produziu três enfrentamentos bem histéricos nos últimos 20 anos: 1) a rede de Postos da Petrobrás e demais equipamentos de mobiliário urbano para a avenida Beira Rio, no governo Collares. 2) o projeto Cais do Porto, nos governos Britto, Olívio (Olívio só sentou em cima), Rigotto e Yeda. 3) o Pontal do Estaleiro, cujo projeto acaba de ser aprovado pela Câmara de Porto Alegre.

. Este projeto aprovado agora pela Câmara, o Pontal do Estaleiro, demonstra bem o caráter histérico que os opositores concederam ao debate, porque os vereadores limitaram-se a estabelecer uma condição de multiuso para uma definição urbanística já definida para a área pela Lei 470, promulgada em 2002 pelo então prefeito Tarso Genro. A lei permite edificações comerciais no pontal do estaleiro, mas com a decisão de agora, as edificações também poderão ser residenciais (flat e apartamentos).

. As objeções ao projeto não foram feitas em 2002, mas apenas neste momento, e não tem nada a ver com o multiuso, porque os opositores levantam restrições que não foram esgrimidas por ocasião da discussão e promulgação da Lei 470.

. Quem perde com tudo isto é a população de Porto Alegre, que não tem acesso direto, seguro e civilizado ao seu belo rio, já que a orla está toda entregue aos monturos de construções desativadas, aos ratos, baratas, miçangas, maconheiros, vagabundos e lumpens de todo gênero.

CLIQUE AQUI para examinar o projeto, que pode e deve ser modificado, mas jamais impugnado.



Categorias:Pontal do Estaleiro

Tags:, , , , , ,

1 resposta

  1. Por isso que eu acho bem duvidoso o título que Porto Alegre se deu, a de “capital mais politizada”. Uma capital e um estado que há algum tempo vêm sendo pautados pelo radicalismo, pela resistência a tudo (um vereador falou lá na Camara que devemos ser a “capital da resistência”) , que por causa disso até perderam investimentos decisivos, e viram outras capitais a suplantarem em “n” quesitos, um lugar que esses atos irracionais contra-tudo são muitas apoiados pela população que bate palmas por essa “resistência”… uma população assim até pode se aachar politizada. Mas quem age assim irracionalmente pelo atraso não pode ser considerado politizado.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: