Porto Alegre, uma cidade pouco estética

Porto Alegre não vem tendo maiores preocupações com a estética. Prova disso são alguns novos bairros, onde foram erguidos espigões residenciais, sem nenhuma criatividade, ou o camelódromo, uma enorme caixa também sem novas formas de design, avançando sobre a avenida Júlio de Castilhos. Parte deste relaxamento se deve ao enfraquecimento do poder dos arquitetos na cidade, admite o presidente do IAB, Tiago Tiago Holzmann da Silva, mas também à ausência de mediação do poder público, o que leva os incorporadores a usarem ao máximo as áreas disponíveis. O que a Capital tem de estética é ainda herança histórica, de casas e parques antigos.

Um projeto de cidade

Falta um projeto de cidade para Porto Alegre, que a pense para daqui a 20 ou 30 anos, segundo o presidente do IAB, Tiago Holzmann da Silva. Para que lado ela vai crescer, ou melhor, para que lado queremos que ela cresça, um tema que deveria estar nas próximas eleições municipais. A propósito, o Instituto está concluindo um documento, O Decálogo do IAB, a ser entregue aos candidatos.

Affonso Ritter



Categorias:Arquitetura | Urbanismo

Tags:, , ,

38 respostas

  1. Na minha opinião pesa também o nível de formação universitária. Penso que há um déficit considerável nas instituições gaúchas e isto deve ser levado em consideração, porque afinal estes horrores arquitetônicos são simples materialização dos projetos elaborados pelos profissionais locais. Poderiam importar professores chilenos e alguns dos bons para dar um up na formação dos profissionais da capital.

    Curtir

  2. Pablo, acho que os prédios do pós guerra nos paises tidos como comunistas, que fizeram em profusão, parecem ter maior durabilidade que esses q fazem com tijolos furados e paredes de milimetros. E pior, sem espaçamento adequado, empilhando-os nos terrenos, para dar bastante lucro.

    Quando li alguns comentários, lembrei dessa entrevista que li há pouco no Jornal Já sobre os “Dez anos sem Lutz” onde ele comentava:

    “As cidades mais feias do mundo

    As cidades brasileiras estão se tornando as mais feias do mundo. Nós não temos disciplina de ocupação do solo, e não temos preocupação com a fisionomia urbana. Se meu pai, que viu Munique pela última vez em 1920, se ele fosse hoje a Munique na Praça Central, ele iria reconhecer tudo. Se ele voltasse à Jacinto Gomes, onde morou até quando morreu em 1951, não ia reconhecer mais nada, só a nossa casa.

    Veja o que aconteceu nas nossas praias. Desde Quintão até Torres, não tem mais um quilômetro que não esteja especulado. Se eu sou dono de uma fazenda lá, eu faço um loteamento. Consigo vender 10% dos terrenos, vou fazer outro. Então, surgem aquelas praias onde não dá pra botar serviço público porque é só 10% de casas, tudo afastada uma da outra, então como vou fazer um troço decente lá? É difícil botar luz, água, esgoto.”

    Entrevista completa aqui: http://www.jornalja.com.br/pagina/detalhenoticia/id/138/url/detalhe.html

    É triste ver o rumo que essa cidade esta tomando!!

    Curtir

  3. porto alegre é uma cidade sem ESTÉTICA, sem molho e principalmente feia. isso é triste! por que será? alguém dá uma pista? nostalgia não vale.

    Curtir

  4. Nem se compara, Detróit mesmo falida é uma das cidades mais belas do mundo.
    E pasmem, é uma cidade de CARROS.
    haha

    Curtir

    • Detroit é bonita na periferia, pois o centro é um lixo.
      É uma cidade onde se instalaram muitas fabricas de automoveis, por isso, ate onde eu sei.

      Existe um trem que vai da periferia a essas fabricas passando por cima do centro sem parar, ja que este é muito perigoso.

      Fonte: morei ha 300 mi de la.


      Me lembra Canoas.

      Curtir

  5. Porto Alegre vai ser Detroit…

    Curtir

    • Menos… Menos.

      Curtir

    • Desculpa, vocês têm razão, Detroit é muito melhor que poa.

      Curtir

      • Ja foi pra la?

        Curtir

        • Sim, já fui. E eu só disse isso porque tem gente que se ilude que porto alegre é grande coisa. Tem muito o que melhorar, comparei uma boa cidade do brasil com uma ruinzinha do exterior pra verem que as coisas não andam bem por aqui.

          Curtir

        • Se foi pra la sabe que, tirando a area comercial de la, se trata te uma coisa muito pobre e pior que poa.

          Caso. Ao ache isso, é porque nao passou em detroit mesmo.

          Curtir

  6. E quando há a oportunidade de montar um bairro do zero, ainda fazem uma inhaca dessas: Rossi América e Jardim Europa. Um amontoado de prédios cheios de grades, guaritas… com um parquezinho ao lado para disfarçar, que qualquer um deve usar carro para se deslocar, para não estar exposto a pé ao longo de tais extensões. Aí vem a brilhante resposta para diversificar tais regiões, enfiem mais um shopping próximo. Esse é o “crescimento”.

    Curtir

    • Que tiro no pé é esse? Criticar shopping nesse blog é pedir pra ser crucificado! Corra enquanto há tempo!

      Curtir

    • Vendeu,nao vendeu? O povo quer, eles fazem.
      O povo paga caro.
      E qual o problema dos shoppings? E o que mais valoriza uma região.

      Curtir

      • O povo quer saber do seu rabo e compra qualquer coisa ofertada.. não quer saber da cidade. Só vai lembrar da cidade na hora que está preso no engarrafamento. Ou na hora que está sem carro, tendo que andar quilômetros passando por cercas contínuas, sem ter um buraco para entrar.. esperando minutos para a sinaleira do pedestre abrir e os carros lhe deem uma folga de rápidos segundos para atravessar.
        Não há problemas com shoppings, só que a idéia de concentrar demasiadamente áreas comerciais e áreas residenciais sempre foi equivocada.

        Curtir

      • Shopping valoriza sim, eles sa obrigados a levar ruas, praças e infra pra regiao. Qual o problema??

        Gosto é como c*, cada um tem o seu.

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: