A briga pelo Pontal do Estaleiro

Votação sobre projeto em área na Zona Sul deve ocorrer em 12 de novembro

Manifestantes contrários ao Projeto Pontal do Estaleiro, que pretende remodelar a área do antigo Estaleiro Só, no bairro Cristal, em Porto Alegre, entraram em confronto com seguranças da Câmara de Vereadores na tarde de ontem.

Com faixas e cartazes, o grupo de dezenas de pessoas – entre estudantes universitários, militantes do PSOL e ambientalistas – pretendia entrar no plenário para acompanhar a sessão. Eles esperavam que os parlamentares votassem ontem a proposta, o que não ocorreu.

A confusão teve início, segundo presidente da Câmara, Sebastião Melo (PMDB), quando os manifestantes, que estavam no plenário, deixaram o local e decidiram retornar. No início, o vereador disse que eles haviam deixado pandeiros, tampas de panelas e megafones na portaria. Quando tentaram voltar, teriam recuperado os objetos e iniciaram uma confusão.

– Os seguranças relataram que o grupo voltou com a clara intenção de invadir e fazer barulho – disse Melo.

Na versão dos manifestantes, o grupo não buscava conflito. Queria apenas protestar contra o impacto que a obra, na opinião deles, terá. Segundo o militante do PSOL Bernardo Corrêa, os seguranças interromperam a passagem dos participantes – em sua maioria estudantes de Arquitetura, Geologia, Comunicação e Biologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e membros de ONGs. Mesmo assim, eles conseguiram furar o bloqueio. Houve empurra-empurra.

– O plenário é um local público e não havia motivo para repressão – disse Corrêa.

Ao saber do conflito, a vereadora eleita Fernanda Melchionna (PSOL) contou ter decidido intervir para aplacar os ânimos. Em conversa com o presidente da Câmara, ela disse ter solicitado uma audiência, na qual os manifestantes possam ser informados sobre o projeto.

– Como futura vereadora, me senti na obrigação de interferir, porque a Câmara é a casa do povo e há muitas dúvidas em relação ao projeto – afirmou Fernanda.

Presidente da Câmara mandou registrar caso na Polícia Civil

Sebastião Melo agendou o encontro proposto para segunda-feira, às 13h30min. Resolvido o incidente, ele determinou o registro de uma ocorrência na Polícia Civil para que os responsáveis sejam identificados e punidos.

– Todos têm direito de se manifestar, mas com respeito – ressaltou Melo.

Conforme o presidente da Câmara, os líderes partidários decidiram ontem que a votação do projeto deverá ocorrer no próximo dia 12.

A assessoria de imprensa da BM Par Empreendimentos, proprietária da área, informa que esse é um assunto que compete à Câmara de Vereadores e que a empresa segue aguardando a decisão da Casa.

O motivo da discórdia

O investimento total seria de até R$ 150 milhões

O empreendimento prevê a construção de seis prédios, que teriam a altura máxima permitida para a região, de 43 metros, o equivalente a 12 andares cada um

Pontal do Estaleiro

Pontal do Estaleiro

Seriam 216 apartamentos residenciais em quatro prédios. Um edifício seria comercial, com 195 salas. O outro empreendimento previsto é um flat, com 90 unidades.
Os prédios seriam construídos a uma distância mínima de 60 metros do Guaíba
Está previsto também área para lojas, bares, restaurantes, além da construção de uma marina
Na área pública, o projeto prevê ciclovia, a abertura de rua e calçadão
Zero Hora, 30/10/2008



Categorias:ORLA, Pontal do Estaleiro

Tags:, , , , , , , , , , ,

4 respostas

  1. Não é com violência que se chegará a alguma solução para qualquer coisa. Esses caras que invadiram a Câmara merecem punição, e foi muito bom mesmo o Preseidente da Câmara registrar ocorrência !
    Não à violência e a ignorância !
    Não ao radicalismo !

    Curtir

  2. Escrevi o seguinte texto aqui: http://caouivador.wordpress.com/2008/10/28/parque-sim-espigao-nao/#comment-1624 Sobre o Estaleiro..

    Amigos da Gonçalo de Carvalho:

    Caro ecoxiita: Porto Alegre é uma metrópole com 4 milhões de habitantes na sua região metropolitana. Uma cidade dinâmica e em pleno desenvolvimento. Empreendimentos visam um lucro para todos. Geram empregos,renda,turismo,enfim, divisas para a cidade. Não sei se a tua cabeça fraca consegue entender o que eu estou dizendo, mas empresários não são vilões destruidores da natureza. Eles geram empregos,que geram ganhos…principalmente para os menos favorecidos. A Orla de Porto Alegre possui um enorme potencial completamente jogado as traças. Abandonado por todos.Porto Alegre não é atrativa graças a mentalidade provinciana e pequena de uma parte da cidade. A mesma parcela que destruiu Poa ao longo de 16 anos. Hoje as coisas estão mudando. Empresas não estão mais sendo expulsas da cidade. As parcerias público-privadas estão ae..gerando benefícios para todos. A cidade quer crescer, se desenvolver. Tem uma nova geração de pessoas que tem uma visão cosmopolita para Porto Alegre. Queremos um lugar de destaque. Uma cidade que tenha boa qualidade de vida para o povo, aliada ao potencial turístico e empreendedor. Queremos uma cidade bonita, arrojada, moderna. Não mais uma Nova Havana..não queremos mais descaso com os potenciais dessa metrópole. Não existe mais lugar para burocraria, burrice e atraso em Porto Alegre. As coisas vão acontecer querendo vocês ou não querendo. Uma minoria pensa assim. Um parque no local onde fica o estaleiro seria mais uma bobagem. Um local ermo, perigoso, a exemplo do desastroso Parque Marinha do Brasil. Vá a noite lá, amigo ecoxiita. Lanço um desafio: Vá apreciar a orla de Porto Alegre as 9 da noite..vá. Não entendo porque certas pessoas não querem olhar pra frente. Quando tu, amigo ecoxiita, for ao exterior e vêr ambientes imponentes e for tiras as suas fotos, pense o seguinte: Esses mesmos ambientes nós poderiamos ter na nossa Porto Alegre…e o melhor, com todo conforto e segurança. Então, amigo ecoxiita, não venha tentar argumentar sobre isso comigo, pois não existe justificativa plausível e inteligente para proibir um empreendimento que seria um cartão postal dessa cidade. Brincadeira é o cara olhar os postais de Poa e ver fotos da rodoviária..do Gasômetro..pô…aquilo é de doer. Moramos numa metrópole..e não no meio do mato.

    Curtir

  3. Também acho que a imprensa mostra demais os contra, ela ADORA mostrar só eles. Quando é pra mostrar algum movimento de quem é a favor, divide a reportagem com os contra também. A imprensa há muitos anos tem sido TENDENCIOSA. De certo já entrou no clima, na cultura da cidade, que é ser contra tudo tudo, e ainda se orgulhar da cidade, num onanismo e orgulhosismo sem ambasamento nenhum.

    Curtir

  4. Além dos ecoxiitas, dos vereadores anti-desenvolvimento, dos partidos tipo Psol… agora tem uns estudantes desocupados, que ao invés de estudar ficam fazendo manifestações. O legal é ver aquela guriazinha que foi eleita vereadora do psol (fernanda ?) só por causa do pedro ruas… já tá querendo aparecer… imagina na câmara! vai ser um horror, votando contra todos os projetos da “elite”!!! Já to até vendo esses mesmos grupos reclamando do projeto do inter e do cais do porto. Ah!!! E o pior: ganham destaque na imprensa, com essas idéias retrógradas. A mídia podia incentivar os bons projetos ao invés de mostrar esses “contra-tudo”.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: