AGAPAN critica plano diretor

Será este o futuro de Porto Alegre?…

200 km de congestionamento em São Paulo, quarta-feira, 18 de novembro/2009
É esse o modelo de cidade que queremos para Porto Alegre?

Na semana passada, muitos congestionamentos acirraram-se na cidade de São Paulo, atingindo o recorde de 200 kms, dificultando ainda mais a circulação das pessoas.

Será que isso tudo é por falta de projeto urbanístico, alto adensamento demográfico ou ainda erros no planejamento dos transportes públicos?

Aqui no Sul, a cidade de Porto Alegre não fica atrás. Ultimamente estamos nos sentindo cada vez mais moderninhos, todos parados em longos congestionamentos.

Como num desenho animado do Pateta, de Walt Disney: uma pessoa em cada carro e, quando abre a sinaleira, os motoristas nem respeitam faixa e arrancam afoitos para reduzir o atraso de seus compromissos.

Ainda falando de Porto Alegre, o novo-“moderninho” sinal com a mão, insistência marqueteira e mal-informativa da Prefeitura, aumenta o tempo das sinaleiras e diminui o tempo dos pedestres, colocando em risco seus braços.

Nossa vida na cidade grande de Porto Alegre já está ficando infernal, assim como a vida em São Paulo. Quem celebra com isso?

Estamos nos encaminhando para o mesmo modelo de planejamento urbanístico de São Paulo, talvez pelo patrocínio de ideias das mesmas construtoras, que agora implacam negócios em nossa cidade, interferindo com seus “pedidos”, e fazem do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano e Ambiental de Porto Alegre/2009 um verdadeiro implante de medidas preparatórias para criarmos uma nova São Paulo em plena Portinho.

Na contramão das tendências mundiais de preservação de ambientes de convivência social com seu meio ambiente, o Plano Diretor é atacado por leis como:

– aumento da altura dos prédios em bairros já saturados;

– altera a aplicação da Área Livre Vegetada e Permeável, que passaria a valer apenas para lotes acima de mil m2 – a prefeitura quer a partir de 150 m2. Se aprovado, menos de 5% das novas obras terão de se adaptar. Será um grande retrocesso;

– autoriza transferência de potencial construtivo (solo criado) para Áreas de Interesse Cultural e amplia em dois metros uma das escalas utilizadas no cálculo – a prefeitura já havia proposto escalas que ultrapassam a altura máxima estabelecida. Exemplo: se a volumetria for 33 metros, e o empreendedor adquirir 300 m2 de índice adensável, pode construir 42 metros;

– reduz o território de 36 das 134 Áreas de Interesse Cultural propostas pela prefeitura. Também faz mudanças no regime urbanístico.

Os ambientalistas não estão na contra-mão do desenvolvimento da cidade!

Técnicos em engenharia e arquitetura têm questionado projetos, como os polêmicos Pontal do Estaleiro e do Cais da Mauá.

O presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB/RS), Carlos Alberto Sant’Ana, diz estranhar a proposta de aumento da altura de prédios em bairros saturados, como o Menino Deus. “A própria Secretaria de Planejamento Municipal atesta que é preciso diminuir as alturas. Tem algum responsável técnico, alguém que tenha feito estudo similar ao da prefeitura, com a mesma profundidade, fundamentando essas emendas”.

Imprensa e Comunicação Agapan

__________________________

Este comentário do Georgeano merece estar aqui na parte principal do post:

A  Agapan critica até mesmo uma unanimidade que é a campanha para os motoristas respeitarem a faixa de segurança, algo elementar, humanista e civilizatório.  E, sem perder tempo, faz política com a crítica, chamando de “insistência marqueteira e mal-informativa da Prefeitura”.  Ou seja, mesmo se a iniciativa é reconhecidamente boa, como o governo não é do partido deles, eles querem acabar, nem ligando se a cidade pode melhorar com a iniciativa.
Tirem suas própias conclusões sobre a ideologia e as práticas da Agapan.

Claro, objetivo e corajoso comentário. Parabéns Georgeano!

Gilberto Simon



Categorias:Plano Diretor

Tags:,

9 respostas

  1. Aumento da altura dos prédios? O que eu vi na RBS foi bem ao contrário, que de 52 metros caiu pra 42 metros a altura dos prédios aqui em Porto Alegre.

    Olha, o trânsito de Porto Alegre não é tão ruim? Só se não for no horário do pique né…
    Porque em horário normal eu levo 30 minutos pra chegar em casa, e no horário do pique levo DUAS HORAS pra chegar em casa.
    Tem dias que o trânsito na Protásio não anda lá por volta das 18:00 às 19:20

    Curtir

  2. Saúdo a AGAPAN por retomar um protagonismo que foi pioneiro no Brasil em defesa do nosso meio ambiente.Sua defesa de uma cidade com qualidade de vida para toda a sua população é louvável. Pois os nossos poderes públicos são coniventes, no mínimo condescendentes, com os que vivem da “exploração econômica”, que debilita nosso meio ambiente e a nossa qualidade de vida.Na cidade os seres humanos devem ter a possibilidade de conviverem em um espaço que se armonize com o seu meio ambiente. O “concreto” não é a solução. É o nosso futuro que esta em jogo. Saudações.

    Curtir

  3. A AGAPAN deve fazer parte da mesma MÁFIA de “movimentos sociais”, assim como a CUT, o MST e outros menos cotados (inclusive o PSOL), que só existem para provocar o CAOS, quando partido-chefe, o PT, não estiver no poder.

    Curtir

  4. Sensacional comentário Georgeano !
    ESTE TIPO DE COMENTÁRIO AO MESMO TEMPO QUE É CORAJOSO, AJUDA A ALERTAR AS PESSOAS DAS POLITICAGENS DA AGAPAN E CIA …

    Curtir

  5. A Agapan critica até mesmo uma unanimidade que é a campnha para os motoristas respeitarem a faixa de segurança, algo elementar, humanista e civilizatório. E, sem perder tempo, faz política com a crítica, chamando de “insistência marqueteira e mal-informativa da Prefeitura”. Ou seja, mesmo se a iniciativa é reconhecidamente boa, como o governo não é do partido deles, eles querem acabar, nem ligando se a cidade pode melhorar com a uniciativa.
    Tirem suas própias conclusões sobre a ideologia e as práticas da Agapan.

    Curtir

  6. Só um sistema de transporte coletivos eficientes retira carros das ruas, o resto é conversa de doido. Então porque não houve nenhuma manifestação da FEPAN a respeito da perda do METRÔ?

    Curtir

  7. Como podem ser contra o projeto do Cais?
    Se não gostam de congestionamentos, deveriam apoiar a construção do metrô, e fazer campanha para ele, mas onde estava a AGAPAN durante a polêmica?

    Curtir

  8. Porto Alegre não está as mil maravilhas, mas também não é o APOCALIPSE!
    Não vejo o trânsito de POA tão mal assim.
    Ando tanto de carro (para ir para a faculdade) como de ônibus (para ir ao trabalho) e espero que os Portais da Cidade possam melhorar o sistema de ônibos da capital. Mas ainda assim não consigo comparar Porto Alegre com São Paulo.

    Curtir

  9. O pessoal da AGAPAN deveria saber que o transito em Porto Alegre é PIOR que o de São Paulo. O problema em São Paulo é quando chove. Como a cidade é muito suja, os bueiros entopem e alaga tudo, então dá nisso.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: