Uma imagem: Porto Alegre sem o Túnel da Conceição, década de 60

poa-sem-tunel-anos-60

Rua Sarmento Leite esquina com Av. Independência, em 1960.
Ainda não existia o túnel da Conceição. Incrível a diferença em relação a hoje.

É possível visualizar-se o Colégio Rosário, à direita, o casario onde hoje ficam os
Hospitais Dom Vicente Scherer e Santo Antonio (da Santa Casa) à esquerda,  a Praça Dom Sebastião, no centro da foto, o Edifício Ely, bem ao fundo. Também ao fundo, a Rodoviária ainda em construção. Todo este casario do canto inferior esquerdo foi demolido pra construção do túnel.

Uma outra imagem, vista do outro lado da acima:

Crédito: José Abraham Data: 1961

Crédito: José Abraham
Data: 1961



Categorias:Arquitetura | Urbanismo, Centro Histórico, Fotografia, Fotos antigas

Tags:, , , , ,

12 respostas

  1. Sinto saudade de algo que morreu décadas antes de eu nascer: Os trilhos de Porto Alegre. De uma hora para a outra, decretaram que a Porto Alegre do futuro deveria abdicar dos bondes e extinguir os trens do centro da cidade, destruindo qualquer sinal de que um dia tenham existido, construindo viadutos e colocando os ônibus no lugar.

    Já imaginaram como poderia ter sido, se ao invés de um túnel seguido de viaduto, essa passagem fosse toda subterrânea? Se ao invés de extinguir os serviços sobre trilhos, hoje tivéssemos mais linhas (mesmo que partindo da estação Augusto Pestana) em direção à todo o RS, quiçá até o Uruguai ou Argentina, com os trens naturalmente evoluindo ao longo do tempo e indo de Porto Alegre ao litoral sem necessariamente pegar a Freeway, embarcando num trem de 160 ou 200 km/h, chegando em Tramandaí em uma hora? Ou mesmo os bondes, hoje poderiam ser modernos VLT’s levando-nos com muito mais conforto (e menos poluição)? Até o “moderno” aeromovel, se tivesse podido expandir a sua linha e evoluir ao longo das décadas?

    Mas conhecendo o histórico da nossa cidade, é provável que mesmo que todos esses serviços tivessem sido mantidos, hoje provavelmente estariam sucateados, trilhos e alimentação elétrica sem manutenção, veículos em péssimas condições, vandalizados…

    Curtir

  2. Onde ficava a final da Osvaldo?

    Curtir

  3. Notem as árvores da Sarmento Leite todas podadas. Naquela época as árvores de Porto Alegre eram todas podadas no outono.(haviam árvores) Passei muito por esta rua para pegar o bonde para ir ao Colégio Bom Conselho. Ha! os bondes….

    Curtir

    • Recordação e saudade daquele tempo são muitas. Muitas amizades fiz dentro dos bondes, até mesmo algumas namoradas arrumei. Algumas mesmo do Bom Conselho e outras do Sevigné. Também participei de quermesses em ambos os colégios. Eu utilizava muito os bondes da linha Independência, pois morava na 24 de Outubro. Depois que mudei de endereço, passei a utilizar as linhas Floresta e Dom Pedro II. Mesmo assim usava bondes em todas as linhas da cidade, até mesmo o bonde Cemitério que tinha seu fim de linha ao lado do Cemitério da Santa Casa. Na maior parte das grandes cidades do mundo os bondes continuam circulando.Tem gente que dá um deixa pra lá no passado, mas, se não fosse o passado não existiria o presente.

      Curtir

  4. Além de todas as inconveniências com as destruíções feitas em nossa Porto Alegre, que hoje não tem porto e muito menos alegre, as coisas características de séculos passados se perderam para sempre. Mentalidade bem diferente dos europeus que conservam suas raízes, até na antiga arquitetura urbanística. Por lá sempre foi Primeiro Mundo desde séculos passados.

    Curtir

  5. Cara! Na foto do outro lado dá para ver os trens! Fantástico! Imagine se hoje tivéssemos essa estação com trens novos e a malha ferroviária funcionando!

    Curtir

  6. Linda imagem!

    Eu sinto que o maior problema desse lado é para com o pedestre…Quando você caminha pela Osvaldo, ela termina do nada, e você tem que caminhar pelo meio de uns estacionamentos, e entrar na Praça Dom Sebastião pelo escanteio…por umas trilhas…

    É realmente muito dificil se deslocar a pé ali.
    Depois quando você atinge a igreja da Conceição existe aquela escadaria insalubre, cheia de pontos cegos, deve ser o ponto com maior indice de assaltos da cidade.

    E bem, quando você atinge a parte baixa, proximo ao Edificio Ely, é aquele nojo…ele ta sempre pingando, já repararam??Sem sempre umas águas imundas escorrendo nele…

    Enfim…

    Pra época que foi feito está ok na real, naquela época as pessoas imaginavam que um dia todos teriam carros e tal.

    Esse caminho que eu comentei, feito a pé, seria feito seila, só por um carteiro ou um cachorro,,,

    Curtir

    • Essa situação que vc descreveu vale um post, Leonardo. Vou bater umas fotos lá e propor a melhoria do trajeto para pedestres.

      Curtir

    • Eu fazia esse caminho seguidamente, realmente aquele caminho é bizarro! Naquela escadaria um drogado me pregou um susto, mas não deu em nada. Depois dessa, quando escurecia eu dava a volta pela Coronel Vicente e também parei de passar pelo estacionamento, seguia sempre pela Sarmento Leite.

      O aspecto geral desse lugar é péssimo… Qualquer um se sente inseguro ali a qualquer hora do dia.

      Curtir

  7. Não mudou muito, alias, acho que hoje ta melhor do que na foto.
    Não sei, não da pra ter muita noção pela foto, sei la.

    Concordo mais com o VOP, deveriam ter feito a continuação do tunem… bom, continuando sendo túnel.
    haha

    Curtir

  8. Nesse lado o estrago não foi tão grande, o problema foi no lado da Rodoviária, com viadutos monstruosos que degradaram a região, a demolição da estação de trem e da esplanada em frente ao Ely. Se ainda existisse seria um dos locais mais próximos das praças secas do norte da Europa no Brasil.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: