Prefeitura divulga vencedores dos bares 2 e 3 da Orla do Guaíba

20180721_112735

Foto: Gilberto Simon

A prefeitura divulgou nesta quinta-feira, 2, os vencedores da licitação dos bares 2 e 3, localizados próximos à Usina do Gasômetro, no trecho 1 do Parque Urbano da Orla. O nome das empresas foi publicado no Diário Oficial de Porto Alegre. A permissão de uso do Bar 2 ficará sob a responsabilidade de Bonan Picon Pizzeria Ltda., que apresentou melhor oferta no processo licitatório, no valor de R$ 16.750, acima do preço mínimo de R$ 15.700 (ágio de 6,5%). O permissionário vencedor do Bar 3 é a empresa Bar do Espartano, que ofertou valor de R$ 18.650, superior ao preço mínimo de R$ 15.700 (ágio de 18.8%). Os valores são referentes à outorga mínima inicial (dois meses de permissão de uso). O contrato deverá ser assinado entre a prefeitura e os permissionários em cerca de 15 dias. As empresas terão o prazo de 60 dias para início da operação.

O secretário-adjunto de Parcerias Estratégicas, Fernando Dutra, disse que “estas iniciativas empreendedoras nas relações entre o poder público e o setor privado são uma forma da cidade maximizar os seus principais atrativos, criando um círculo virtuoso para a economia local”. Nesse caso, complementa ele, a devolução da orla do Guaíba à população representa um ganho não somente para aquela região mas para todos que estão no entorno da área revitalizada, seja nos segmentos comercial, hoteleiro, gastronômico, entre outros.

Pregão eletrônico  – Em junho, foi assinado o termo de permissão do bar 1 e do restaurante panorâmico, cujos permissionários vencedores foram, respectivamente, SMRS Alimentação e Eventos Eireli e Boteco do Sol Eireli.

A licitação para os bares e o restaurante da Orla Moacyr Scliar foi na modalidade pregão eletrônico, com prazo contratual de 36 meses prorrogáveis por igual período. No total, são quatro bares e um restaurante que compõem as atividades comerciais do local e contam com espaço gastronômico, balcão de atendimento, salão para o público, sanitários, vestiários, depósitos, e áreas externas, voltadas para o Guaíba.

O lançamento do último edital de licitação para os equipamentos comerciais da orla será o do Bar 4, nas próximas semanas, nos mesmos moldes de pregão eletrônico. Localizado no meio do caminho entre a rótula das cuias e o Gasômetro, o bar 4 conta com as mesmas instalações e facilidade que os demais. “É uma vista privilegiada, de onde vai ser possível avistar no espelho das águas do lago Guaíba, o sul da cidade e também a área central”, ressalta o secretário Fernando Dutra. Ali, os frequentadores terão acesso a um dos mais magníficos visuais de Porto Alegre.

Para poder participar do pregão do bar 4 da Orla, em data ainda ser divulgada, as empresas interessadas deverão realizar o seu cadastramento no website www.portaldecompraspublicas.com.br.

Parque Urbano – O Parque Urbano da Orla do Lago Guaíba totaliza 56.700 metros quadrados. O segundo trecho planejado está entre a chamada Rótula das Cuias e o Anfiteatro Por do Sol e deverá contar com espaços de lazer. O terceiro compreende o trecho entre o Anfiteatro Por do Sol e o Parque Gigante do Sport Club Internacional e deverá dispor de áreas de lazer e espaços para a prática de esportes. Está previsto, ainda, um quarto trecho, até o Arroio Cavalhada.

Prefeitura de Porto alegre



Categorias:Orla Moacyr Scliar, Outros assuntos, Projeto de Revitalização da Orla

Tags:,

2 respostas

  1. Pelo que percebo, apenas foram homologados os vencedores do pregão eletrônico feitos a um bom tempo atrás. Que bom que tudo deu certo e desejo sucesso aos empreendedores que passarão a contribuir com a área – sempre lembrando que, embora vencedores de um pregão e responsáveis pela área, trata-se de um parque público e cuidados e atitudes especiais são necessários (inclusive instrução aos funcionários).
    Digo isso pois existe muita diferença entre abrir a porta do estabelecimento para uma calçada e ser uma “ilha particular” num parque público, onde o limite público-privado é bastante mais permeável e sensível. Por favor, cuidado com a poluição visual e a obstaculização do entorno.
    Este é um dos famosos casos do “menos é mais”, parafraseando nosso amigo Mies.

    Outra questão que me parece que deve ser destacada, não como uma crítica, mas sim como uma observação. Numa próxima situação similar creio eu que a abertura dos estabelecimentos deve coincidir com a abertura do parque para aproveitar aquele “boom” de movimento pós-inaugural – pessoal de shopping center sabe bem disso.
    Este movimento de curiosidade pública sobre o novo espaço, além de já marcar as primeiras impressões dos usuários, também oferece mais oportunidades dos locatários organizarem-se e prepararem-se para minimizar problemas futuros. Seria uma espécie de teste de funcionamento e que ofereceria a chance de aproveitar a exposição a um maior número de clientes (imaginem quanto poderia ter sido faturado pelos locatários nestes finais de semana de orla lotada!).
    Para tanto é importante que o Poder Público organize o processo de seleção e homologue os vencedores com maior antecedência, e que estes possam executar as obras necessárias para seu estabelecimento concomitantemente com as obras do entorno. Não é fácil, mas também não é tão difícil.

    Curtir

    • tudo que voce disse é verdade.
      Vale ressaltar que a licitaçao demorou mesmo e que a orla foi aberta “logo” bem antes dos bares abrirem por que a propria ja estava pronta a meses e simplismente fechada a populaçao.
      Ja estava ficando feio pra prefeitura

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: