Porto Alegre recebe, a partir de sábado, dia 7, uma das mais fascinantes e polêmicas exposições do mundo

Porto Alegre será a 35ª cidade do mundo a receber a exposição já vista em Nova York, Londres, Paris, Berlin, Las Vegas, Amsterdam, Washington, Sydney, Varsóvia,  México, Lisboa, Viena, entre outras. Será também uma das 3 únicas cidades brasileiras, além de Rio e São Paulo, a receber a exposição.

Depois de ser vista por mais de 450 mil pessoas em São Paulo, em 2007 e outras 220 mil  no Rio de  Janeiro,  entre  setembro  e  janeiro  passados,  chega  a  Porto Alegre  a exposição  “Corpo  Humano:  Real  e  Fascinante”.  Com  patrocínio  do BarraShoppingSul  e  realização  no  Brasil  da  Egg  Produções,  de  Stephanie Mayorkis, em parceria com a Premier Exhibitions e JAM Exhibitions, a mostra será aberta  ao público no dia  07 de março  (sábado)  e vai ocupar  cerca de  1.500 metros quadrados do Centro de Eventos do BarraShoppingSul.
 
A  exposição,  que  já percorreu  34  cidades  em  todo  o mundo,  tem uma  concepção diferenciada  e  inédita,  desenvolvida  em  caráter  prioritariamente  educativo,  sob direção  médica  do  norte-americano  Dr.  Roy  Glover“Corpo  Humano:  Real  e Fascinante” recorre a 16 corpos e 225 órgãos verdadeiros para revelar – em todos os seus aspectos  – o  funcionamento do corpo humano e seus sistemas. Para  tanto,  faz uso  de  uma  técnica  chamada  polimerização,  em  corpos  adultos  de  homens  e mulheres, para obter resultados que evidenciam com absoluta precisão as variações e diferenças apresentadas por nossa espécie.

Todos os corpos e órgãos exibidos são de  indivíduos acometidos de morte natural, que optaram por participar de um programa de doação de seus próprios corpos em benefício da  ciência  e da  educação,  realizado pela República Popular da China. A iniciativa fornece material anatômico para comunidades médicas e científicas, para fins  educacionais  e  de  pesquisa,  não  só  em  solo  chinês  –  onde  estão  os maiores especialistas na dissecação de corpos – como também no exterior.

O Porto Imagem foi lá conferir hoje na apresentação especial para imprensa e trás aqui 6 fotos inéditas. Confiram abaixo:

corpo5b2

corpo6b1

corpo2b1

corpo4b1

corpo7b1

corpo1b1
Todas as fotos por Gilberto Simon, Porto Imagem

O QUÊ:

CORPO HUMANO – REAL E FASCINANTE

Período: de 07 de março a 10 de maio de 2009
Horários: de segunda a sábado das 11h às 23h
(acesso à exposição até as 22h).
Domingos e feriados das 10h às 21h
(acesso à exposição até as 20h)
Local: Centro de Convenções do BarraShoppingSul
Endereço: Av. Diário de Notícias, 300 – Cristal – Porto Alegre – RS
Fone: 51 3257-9630
Recomendação etária: Livre
(menores de 12 anos deverão estar acompanhados pelos
pais ou responsáveis)
 
Preço: R$ 40,00 (inteira), R$ 20,00 (meia-entrada). 
De 0 a 2 anos grátis

 

Curiosidade: o que é Polimerização

A técnica de conservação foi originalmente desenvolvida pelo anatomista alemão Gunther von Hagens, tido como inventor do método de plastinação de corpos, que o tornou mundialmente conhecido.

O processo consiste em retirar toda a água e gordura do corpo ou órgãos e músculos, injetar uma resina sintética que, com a propriedade de conservar preparados biológicos, permite plasticidade por um bom tempo antes de enrijecer.

A técnica facilita o manuseio, o corte, transporte e exposição dos corpos, sem deixar nenhum tipo de aroma. A evolução da mumificação! Era utilizada originalmente em aulas práticas para estudantes de medicina, mas, por causa da durabilidade e flexibilidade alcançada, que possibilitam dar formas e poses aos corpos, von Hagens acabou criando o que batizou de “arte anatômica”.

A partir disso e de outros estudos surgiram procedimentos semelhantes, como a polimerização.

Num primeiro momento, os corpos são embalsamados e recebem um agente de preservação que evita a decomposição normal dos tecidos. Depois, um dissecador treinado passa a prepará-lo, de acordo com orientações prévias para sua exibição a um determinado público. No caso de corpos inteiros, esta etapa do processo pode levar meses, ao contrário de órgãos em separado, cuja preparação se dá mais rapidamente.

A seqüência do processo prevê a desidratação, realizada com imersão em acetona, que substitui os líquidos corporais e é facilmente eliminada em forma de vapor na etapa seguinte – a câmara de vácuo. Submetido a um gradual aumento de pressão, o corpo libera a acetona em forma de gás e a substitui por uma solução aplicada de polímeros em silicone líquido – inclusive em nível celular.

Para complementar a transformação do corpo, um agente catalisador é aplicado em sua superfície e reage com um composto chamado crosslinker, que enrijece a consistência do silicone, permitindo inclusive uma colorização seletiva para torná-lo mais adequado à exibição pública. O resultado é uma espécie absolutamente seca, inodora e resistente à decomposição, além de um conjunto de corpos humanos permanentemente preservados para exposição. Para se ter uma idéia da longevidade do processo, os corpos mais antigos foram preparados no fim da década de 70 e ainda continuam sendo usados em universidades de medicina pelo mundo.

.



Categorias:Outros assuntos

Tags:, , , , , , , , , ,

2 respostas

  1. Muito interessante…Sem comentários.

    Curtir

  2. Essa exposição, é muito legal, poderia vir tambem para a região de Santa Rosa, ou Santo Angelo…… é muito legal mesmo…..OBG

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: