Banho de luz no concreto

Foto: ZH

Intervenção na Fundação Iberê Camargo antecipa mostra de Regina Silveira, artista gaúcha de renome internacionalA mostra será inaugurada apenas no dia 16, mas já chama a atenção de quem observa a fachada da Fundação Iberê Camargo, na zona sul da Capital. Uma das artistas brasileiras mais prestigiadas internacionalmente, a gaúcha Regina Silveira criou uma intervenção para a parte externa do museu, onde se lê a palavra “LUZ”.

Intitulado Atractor, o trabalho foi concebido especialmente para o espaço. As letras que formam a palavra são feitas em vinil aplicado na fachada de uma maneira que simula o efeito de uma projeção. O material espelhado atrai a luz e reflete a paisagem, que não é qualquer paisagem: do museu se tem uma vista privilegiada do Guaíba.

Nascida em Porto Alegre, Regina Silveira, 71 anos, se radicou em São Paulo na década de 1970, tendo exposto fora do país desde o início da carreira. Tornou-se uma das mais representativas artistas latino-americanas. A exposição Mil e um Dias e Outros Enigmas faz um apanhado abrangente, com cerca de 25 trabalhos que trazem motivos e técnicas que têm caracterizado a produção da artista, como a fauna de insetos das instalações Mundus Admirabilis (2007) e Rerum Naturae (2007-2008). Outra marca da poética de Regina, o uso da sombra também aparece em trabalhos que estarão na mostra, alterando a percepção do público sobre os objetos. A exposição tem curadoria do colombiano José Roca, que também responde pela curadoria-geral da Bienal do Mercosul 2011, que ocorrerá no segundo semestre.

Depois de expor na Bolsa de Arte, no ano passado, Regina volta a Porto Alegre para ocupar um espaço que tem uma posição especial em sua trajetória: durante sua formação, travou contato com Iberê Camargo. Além do artista que dá nome à Fundação, Regina aprendeu com mestres como Ado Malagoli e Aldo Locatelli.

A exposição que o público vai conferir de 16 de março a 29 de maio é de uma artista que atrai as luzes ao redor, assim como a instalação da fachada do prédio, e as projeta sempre para o futuro.

Zero Hora



Categorias:Arquitetura | Urbanismo

Tags:

6 respostas

  1. Vocês são o tipo de turista que vêm aqui para Curitiba e acham a ópera de arame um excelente ponto turístico, um dos “tantos” que há na cidade.

    Curtir

  2. Mas to falando da atualidade, se for pegar algumas tambem poucas obras do passado, ai da pra por uns 4 ou 5, colocaria o viaduto da Borges, Fiergs, Margs.. e um outro…

    Curtir

  3. abominável isso ter de ser classificado como caso raríssimo.. era pra ter mais uns 4 ou 5 na cidade.

    Curtir

  4. O Iberê é um caso raríssimo de construção com algum impacto arquitetônico na cidade.

    Curtir

  5. Tomara que a prefeitura saiba divulgar esse mudeu na copa.
    Ele é lindo, é uma boa (e acho que unica) atração turistica de Poa.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: