Falta higiene no Centro

Calçadas servem como sanitários para moradores de rua e transeuntes, reclamam moradores

Viaduto da Borges, no Centro, é um dos locais mais sujos da Capital Crédito: CP MEMÓRIA

O comportamento inadequado de algumas pessoas e a falta de sanitários públicos em Porto Alegre são ingredientes principais de uma receita para lá de indigesta: urina e fezes pelas calçadas, praças, viadutos e ruas da Capital. O problema ocorre em diversos pontos da cidade, mas se apresenta com mais notabilidade no Centro, onde há grande circulação e concentração de gente.

Embora vivencie quase diariamente o desconforto de encontrar sinais de dejetos humanos por onde caminha, o vice-presidente da Associação de Moradores do Centro Histórico, Carlos Borges, reconhece: “Não tem como evitar que a pessoa urine no chão. Só se a gente tivesse um guarda em cada esquina de Porto Alegre, mas isso é impossível. Falta boa educação”, lamenta.

Para Borges, uma saída seria a lavagem regular das calçadas, serviço que, segundo ele, a prefeitura realizou durante os anos 60, 70 e 80. Borges mora na rua Riachuelo. Mas a lista dos logradouros imundos é bem mais extensa: “Jerônimo Coelho, Salgado Filho, Andradas, Uruguai, Sete de Setembro, sem falar na Voluntários da Pátria, Júlio de Castilhos e Mauá, que são um terror à noite”, descreve.

O Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) admite o problema e informa que a limpeza de calçadas é responsabilidade dos proprietários dos imóveis. Nos passeios públicos em praças, parques e viadutos, a limpeza é feita regularmente pelo DMLU. Já a carência de sanitários públicos é uma realidade no Centro, acentuada pela reforma que desativou o banheiro na Praça da Alfândega. O da Praça XV foi fechado há meses. Restou o do terminal Parobé, sobre a plataforma dos ônibus. Para usar os sanitários do Mercado Público, será preciso contribuir com R$ 0,30, com direito a sabão e papel.

Nozari mostra ‘papagaio viajante’ Crédito: PAULO NUNES

Mas não é a simples presença de banheiro por perto o que garante a civilidade das pessoas. Apesar de haver sanitários públicos nos dois extremos do viaduto Otávio Rocha, na avenida Borges de Medeiros, moradores de rua e alguns transeuntes preferem fazer das colunas do monumento o esgoto de suas necessidades.

Outro grupo que sofre com a falta de sanitários é o dos taxistas. Segundo o presidente do Sindicato dos Taxistas, Luiz Nozari, a carência gerou uma curiosa alternativa: o Papagaio Viajante. Trata-se de um recipiente plástico maleável, com uma ponta tubular rígida onde o motorista urina. O apetrecho é fechado e guardado no porta-malas.

Correio do Povo



Categorias:Revitalização do centro

Tags:, , ,

21 respostas

  1. Bem quanto a higene e mijoes de rua ou das ruas do centro de poa ,todos estao condenando os mendigos,mas nao so eles mas o pior se esqueceram que tuda essa sujerada vem ocorrendo em volta dos inferninhos que ha na marechal floriano em uma quardra so tem 3 uma do lado da outra que e um verdadeiro inferno para os moradores que pagam seus impostos;enao tem paz pra dormir sendo que cedinho levantam e saem para o trabalho saindo de seus predios e casas pisando na merda no mijo das pessoas que usam portas dos predio prara urinar e fazer suas necessidades assisti a novela do lixao no rio aqui nos temos o lixao ao ceu aberto em pleno centro da capital gente agora vem a copa sera que as autoridades vao reverer ou vai ficar por isso mesmo deve ter gente grande ganhando grana pra manter esses infernos abertos porque nao e possivel nnguem faz nada alias autoridade nenhuma le esse blog ,e se passar pelo centrao do lixo situado na salgado flho esquina com marechal floriano,vao ver que nao estou inventando nadinha e a realidade pagmos caro pra morar no lixao eu apelidei centro historico do lixo poa rs.quem quer conhecer le min ha mensagem ,tem mais situado na marechal floriano salgado filho e borges de medeiros .ate guando vamos ter que pagar pra aguenbtas esses margnais da madrugada…me desculpem mas fo a maneira que encontrei para desabafar ja que autoridades estao dormindo em suas casa de luxo em bairros que nao permitem bares a noite ou ha regras .e le rigida agora os bares da cidade baixa terao que fechar as 2 da manha e os infernos do centro fecham 5 hs estamos na cidade sem lei .

    Curtir

  2. Uma coisa é limpar o Centro, a outra é limpar Porto Alegre. Infelizmente, o Centro reúne o melhor e pior de Porto Alegre. As pessoas precisam se conscientizar. Já achei que fosse impossível, não acho mais. Campanhas funcionam. Vejam o cinto de segurança e as faixas de pedestre…

    Curtir

  3. Falar em falta de higiene no centro, vocês viram isso aqui?

    “Entidades questionam cercamento eletrônico do parque da Redenção”

    http://sul21.com.br/jornal/2012/07/entidades-questionam-cercamento-eletronico-do-parque-da-redencao/

    Me rachou a cara quando eu li isso aqui: “Todos os frequentadores dos locais públicos na madrugada buscam o anonimato para namorar, fazer sexo ou outras intimidades.”

    Curtir

  4. Que m…. é essa de papagaio ? Quer dizer q o cara mija e depois me dá o troco sem lavar as mãos ?

    Curtir

    • Ta de frescurinha né? Taxista aqui em poa é na maior parte indivíduo sem instrução, sem boas maneiras, etc…. Digo isso pela quantidade de taxis que peguei onde dava pra perceber que a roupa estava suja, ou que o cara não tinha tomado banho, etc…

      Curtir

  5. Faz algum tempo, que há lei municipal que exige nas instalações comercias para efeito de alvará, banheiros nos estabelecimentos. Em alguns até dois! E como o alvará é para funcionamento público as instalações dos sanitários e sua disponibilização também. Houve tempo, que bastava a denúncia da indisponibilidade que havia fiscalização e multa. Com a falta de fiscalização os sanitários existentes ficam indisponíveis e a discriminação do povo acontece sem punição. Também há no código de posturas art. 18 inciso IV – despejar águas servidas, lixo, resíduos domésticos, comerciais ou industriais nos logradouros públicos ou terrenos baldios, Pena: multa de 3,50 a 10,50 URMs.

    Curtir

    • Quer dizer que se eu peço pra usar um banheiro a um lojista e ele diz que é só para clientes isso é contra a lei? Sério? Eu adoraria ouvir isso! 😀

      Curtir

  6. A coisa está braba mesmo! Minha esperança era o projeto do Cais da Mauá, para revitalizar todo o centro de Poa e forçar a sua qualificação, mas esse empreendimento está demorado pra caramba.

    Curtir

  7. Eu acho que deveria ser obrigação da empresa que administra um ponto de táxi prover banheiros para os taxistas. O viaduto da conceição parece uma latrina de tanto que fede por causa dos pontos em volta.

    Curtir

  8. Eu moro no centro e me deparo sempre com um ou outro mijando nos cantos e nas frentes de pilares tanto na Salgado, como Borges, e adjacentes. O centro virou um lugar em que as pessoas (muitas delas sem educação) jogam seus lixos (papeis e plasticos, folhetos e afins) na rua como se não existissem lixeiras. Os garis varrem, mas a demanda de pessoas que jogam lixo fora é maior. Já vi de madrugada e a noite a maloquerada dando chute nas lixeira só pra ver derrubar o que tem dentro. No centro passa muita gente de todas as classes, mas eu duvido que quem tem um pouco de grana e educação vai nos inferninhos da Marechal e da Dr. Flores? porque sempre ao sairem na madrugada, fazem suas necessidades na rua, brigam, pixam, e fumam droga descaradamente. Eduçao é problema, mas policiamente é ainda maior. E não falo só dos trauseuntes, os taxistas da dadrugada (alguns) tbm não estão nem ai mijam a céu aberto.
    O centro é sujo, fedido e mal cuidado. calçadas mal cuidadas, marquises que quando chove ficam pigando agua por dias e no meio delas… ai vc vai pra São leopoldo o centro é limpinho, com floreras, sem papel no chão, vc vai Novo Hamburgo a mesma coisa e aqui na capital e que querem turistas é sujo. Que adianta ter um chalé reformulado, bonito e caro, se ao lado tem aquelas espeluncas de lancheria que qualquer fiscal sanitário ja teria fechado. Minha filha compra as vezes lá e fui com ela buscar um xis. MEU DEUS. o cara pegou com a mão o pão, depois a carne… fez uma batida pra um casal e o recipiente todo sujo.. compra quem quer, mas qualidade tem que ser pra todos… e viva o Brazil com z , pra gringo ver.

    Curtir

  9. Esse problema com os taxistas é grave… já passei caminhando por alguns pontos de taxi e dá para sentir o cheiro de urina.

    Curtir

    • Isso é verdade….

      Os piores lugares são em fachadas de prédios, e em alguns pontos de taxis mesmo… por sorte eu trabalho numa parte do centro que é mais limpa…

      Tem alguns pontos que tem muitas fezes de gente tambem…

      Curtir

  10. Podem me chamar de elitista e higienista, mas a solução desse problema (sem cair pro óbvio “falta educação”) é a qualificação do centro no sentido de tirar as lojas bagaceiras e torná-lo um lugar para classe A, com lojas, restaurantes de luxo etc. Enquanto esse pessoal continuar frequentando o centro, ele não irá melhorar nunca.

    Curtir

    • Pois é tchê, o negócio é bucha, mas não deixa de ser uma higienização para tentar elitizar o centro, no entanto, e é esse o ponto central, são pessoas DE TODAS AS CLASSES SOCIAIS QUE MIJAM PELOS CANTOS e sinceramente não sei como se poderia resolver isso. Mas creio q começando com a instalação de banheiros públicos e de graça né, seria bom, pq quantas vezes eu ou tu não ficamos “apertados” e sem ninguém a recorrer. Como que faríamos se não tivéssemos uns trocos pra comprar umas balas nos butecos pra usar o banheiro, entonces é isso que acontece, não têm onde “evacuarmos” e aí só colaboramos pra podridão da cidade.
      Outro ponto que merece ser tocado é o do lixo: pq penso eu, se tu carrega uma garrafa d’água enquanto está bebendo, pq não pode continuar a carregá-la até uma lixeira, e olha que lixeiras foram instaladas na cidade nos últimos anos.
      Mas, sinceramente, ñ é culpa somente dos pobres e moradores de rua a situação pela qual o centro, e outras regiões de Porto Alegre padece, é sim pq a grande maioria é porca e pq acaba “não tendo opção” de banheiros ou locais públicos para a higiene.

      Curtir

    • A classe A não quer saber do centro, não tem onde estacionar. deixem eles nos shoppings. Que aliás só são limpos por causa das faxineiras em tempo integral. Tirem elas e verás a higiene da classe A.

      Curtir

    • É o que eu penso, mas se comento vão falar que eu quero matar os pobres, ou empurrar eles para um canto pra enganar o mundo sobre a nossa dura realidade bla bla bla bla bla…

      Mas no geral, acho que a maior parte da sujeira do centro vem dos mendigos mesmo, paredes queimadas, restos de papelão (eles montam casas com papelão), restos de comida na rua, etc….

      O que o resto da população mais faz, é jogar toco de cigarro e chiclete, por que de resto, eu até vejo o povo usanbo as lixeiras…

      Aqui na 7 de setembro só vejo restos de comida, toco de cigarro e as vezes fezes de cachorro nas calçadas… mas o resto de comida é de gente que coloca na rua pra dar pros animais, não sei se é morador de rua ou o que, só sei que fica podre…

      Curtir

      • Concordo, metade da podreira do centro é resultado de mendigos e catadores. E a maior parte do resto é dos donos de imóveis que nada fazem para mantê-los.

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: