TRENSURB dá ordem de início de serviço para modelagem de demanda do aeromóvel zona sul

Foto: Kauê P. Menezes, Trensurb

Foto: Kauê P. Menezes, Trensurb

Trabalho será feito pela Matricial Engenharia Consultiva, com suporte de técnicos da empresa metroviária e da EPTC, dando subsídios ao futuro estudo de viabilidade do empreendimento.

A Trensurb assinou na tarde desta quinta-feira, 6, a ordem de início dos serviços de prestação de consultoria para elaboração de estudo de modelagem de demanda de uma linha da tecnologia Aeromovel na Zona Sul de Porto Alegre. Segundo o chefe do Setor de Planejamento e Projetos de Mobilidade Urbana (Semob) da Trensurb e gestor do contrato do serviço, o engenheiro Euclides Reis, esse trabalho leva em consideração a matriz de viagens do sistema e as alternativas de transporte disponíveis para os usuários, subsidiando o estudo de viabilidade econômica e indicando se o itinerário inicialmente proposto apresenta demanda potencial suficiente para execução do projeto.

O trajeto previsto tem 9,3 quilômetros de extensão e 10 estações, conectando a Estação Rodoviária de Porto Alegre às imediações do Hipódromo do Cristal, indo ao longo da Primeira Perimetral e da Av. Edvaldo Pereira Paiva, passando por locais como Mercado Público, Usina do Gasômetro, Parque Marinha do Brasil, estádio Beira-Rio e Fundação Iberê Camargo.

Perspectiva

Os estudos devem ser concluídos em um prazo de aproximadamente 30 dias, com a colaboração de técnicos da Trensurb, Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) e da empresa contratada, a Matricial Engenharia Consultiva. O valor do contrato de prestação de consultoria é de R$ 22 mil.

Estiveram presentes no ato de assinatura da ordem de início de serviços: Humberto Kasper, diretor-presidente da Trensurb; Euclides Reis, chefe do Semob da Trensurb; José Augusto Amatneeks e Rubens Pazin, assessores executivos da Presidência da empresa metroviária; Vanderlei Cappellari, secretário de Mobilidade Urbana de Porto Alegre e diretor-presidente da EPTC; Luís Cláudio Ribeiro, coordenador dos projetos MetrôPoa e Sistema BRT, do órgão municipal; Giovana Hess, gerente da assessoria jurídica da EPTC; Eduardo Mallmann e Ana Bonilha, arquitetos do órgão municipal; André Pinto, engenheiro da Matricial Engenharia Consultiva.

Itinerario-aeromovel-zona-sul-poa

Jânio Ayres – Jornalista
Gerente de Comunicação Integrada, Trensurb
Kauê P. Menezes – Jornalista
Assessoria de Imprensa, Trensurb



Categorias:Aeromóvel, Meios de Transporte / Trânsito, Trensurb

Tags:, ,

36 respostas

  1. Acho que esse render está muito irreal… O asfalto é amarelo, calçada super larga (em PoA? uma espécie de escultura com toldos.

    Curtir

    • talvez seja pra evidenciar que essa obra só acontecerá daqui a 200 anos, quando as coisas serão assim hahah

      Curtir

  2. Poderiam fazer o aeromovel pelo parque, mas beirando a borges, ja poderia ter uma estação pro Praia de Belas, e assim segue em frente.

    Me preocupa o Ibere, ainda mais que nossa cidade não se preocupa com essas questões de urbanismo.

    Quantos veículos podem circular nesses trilhos?

    Por que precisaria de um trêm a cada 10 ou 15 minutos, não?

    E dependendo da quantidade de pessoas, mais de um, se bem que acho que ele aguenta bem a capacidade.

    Curtir

  3. Bom, como muito já disse por aqui, não concordo com este traçado por uma questão funcional, simplesmente porque a demanda na Av. Beira-Rio é zero. Eu já morei no Menino Deus e digo com absoluta certeza: ninguém em sã consciência atravessaria o parque pra pegar um transporte, por melhor que ele fosse; primeiro porque é longe, segundo porque é perigoso.

    Curtir

  4. O estudo é justamente para indicar a demanda no eixo, não se pode construir um sistema de transporte irresponsavelmente. Se for insuficiente, estudam-se rotas alternativas. Quanto ao impacto visual eu discordo, a distância que se passaria do Museu seria bem pronunciada (não iria ficar na frente fachada em uma foto, por exemplo) e, além do que, as estruturas são esbeltas.

    Gosto da frase de J. Jacobs:

    “Encarar uma cidade como se fosse um gigante problema arquitetônico capaz de ser objeto de uma ordem determinada é cometer o erro de tentar substituir a vida pela arte”

    Curtir

    • Diego,

      Tu que tem mais visão do bastidores: se fala alguma coisa de aeromóvel na Ipiranga ainda? Algo como [1]? Eu francamente penso que aeromóvel na Ipiranga, se conjugado com um bonde moderno na Bento Gonçalves seria uma solução alternativa ao metrô, tendo praticamente a mesma capacidade total, mas podendo ser construído com menor custo e menor tempo, e ainda teria uma zona de abrangência maior.

      [1] http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/projetos/11.123/3803?page=4

      Curtir

      • Sonho de consumo um aeromóvel ou trem leve na Ipiranga, ligando o centro ao Campus da UFRGS Agronomia…. Assim aproveitaria melhor o nosso “esgoto a céu aberto”!

        Curtir

  5. No começo, quando surgiram os primeiros boatos de colocar um Aeromóvel entre a estação Aeroporto e o Aeroporto muita gente disse que era um projeto inútil, mas foi esse projeto, agora tomando forma, que está proporcionando sua melhor aceitação, e até pressão sobre as empresas de ônibus.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: