Os contra Porto Alegre

Este artigo escrito por mim foi publicado no dia 28/08/2010 no Blog Porto Imagem e também no clipping do site do Jornalista Políbio Braga, ontem, domingo, 31/03/2013.

Aproveito e faço uma reprise hoje.

__________

Os contra Porto Alegre

Eu classifico todas as pessoas que falam (e agem) no sentido de irem contra os projetos que embelezam e modernizam a cidade, em especial a orla e o Cais Mauá, de PESSOAS CONTRA A CIDADE DE PORTO ALEGRE.

Independente de leis, e de regras diversas, a orla da cidade de Porto Alegre agoniza em termos urbanísticos.

E existe um grupo que se define como protetor das leis (a quem beneficiam estas leis?) e  que, de qualquer maneira, quer ver o fracasso destes projetos. Quem perde? Quem ganha ? Um partido ?

Com o projeto de revitalização do Cais Mauá, Porto Alegre vai entrar numa nova era em termos de turismo (finalmente!) que, consequentemente, trará mais divisas e mais empregos para a cidade.

Sydney – Australia – Cidades no mundo inteiro deixam suas orlas em condições de serem usufruídas pela população e pelo turismo

De que adianta termos leis se estas leis não beneficiam a cidade e sua população? Fazem ela permanecer estagnada, parada no tempo, em comparação com todas as outras cidades do mundo que querem ser conhecidas turisticamente, e querem ter desenvolvimento econômico através desta atividade que só cresce em todo o lugar. Por que Porto Alegre tem que ser diferente do resto do mundo ? Técnicos e arquitetos do mundo inteiro observam a orla de Porto Alegre e ficam estupefatos perante tamanha INUTILIZAÇÃO, ABANDONO, DESCASO ! Só nós não enxergamos ?

Sim, os arquitetos de Barcelona, de Miami, de Buenos Aires, os da Ilha da Madeira, os de Paris, os de Porto Rico, os de Los Angeles, os de Manaus, os de Belém, etc, ESTÃO TODOS ERRADOS.

NÓS estamos certos, e nos orgulhamos de sermos diferentes. Nós queremos barro, nós queremos um bar flutuante medíocre na orla, nós queremos todas as marinas fechadas, nós queremos as torres da cidade fechadas a visitação.

Mas afinal, por que estas pessoas se prestam ir CONTRA A CIDADE ?

Sim, eu repito quantas vezes for necessário, eles vão CONTRA A CIDADE E SUA POPULAÇÃO!

Quem de sã consciência deseja ver sua cidade estagnada urbanisticamente e turisticamente?

Quem de sã consciência não sabe que o turismo é uma atividade que gera MUITO DINHEIRO E MUITOS EMPREGOS, de forma limpa?

Sim, eu digo isso, por que quem se mostra contra a urbanização do Cais Mauá e de qualquer outro ponto da orla, não tem idéia do que representa o turismo no mundo. E faz questão de deixar a cidade à margem deste tipo de desenvolvimento. Porto Alegre turística ? Imagina, quero que minha cidade continue provinciana, sem atrações internacionais, sem nada para os outros visitarem. Usina do Gasômetro é uma grande atração, não precisamos de mais nada. Isso eles devem dizer ….

Barcelona, Espanha – um exemplo a ser seguido

E então, eles propagam, a meio mundo, que a população de Porto Alegre não quer prédios na orla, que a população de Porto Alegre não quer este desenvolvimento que seria representado pelo turismo. Claro, 1,8 % da povo desta capital votou contra os “espigões” na orla, quando da votação ao projeto Pontal do Estaleiro, em 2009. (e isso que a votação era somente para decidir se era a favor ou contra os PRÉDIOS RESIDENCIAIS NO PROJETO, pois o projeto sairia de qualqer forma. Isto eles não dizem a ninguém.)

ENGANAM-SE ELES. Ninguém aqui nesta cidade é tão ingênuo ou tão burro, que acredita que 1,8% deva decidir por 100% da cidade! Sabem quantas pessoas votaram no referendo do Pontal ? Não sabem? Cerca de 18 mil pessoas. Sabem quantos eleitores existem em Porto Alegre?  Mais de 1,1 milhão ! E agora? Vocês acham que a CIDADE de Porto Alegre é contra ou a favor de alguma coisa ?

Este foi apenas um exemplo da manipulação de informações a que a cidade é sujeita, se continuar esta idéia de que os ditos “ambientalistas radicais” são os que detém a verdade sobre o que acontece em Porto Alegre. Está na hora de nos depararmos com outra verdade, ou melhor, outras opiniões. Está na hora de deixarmos somente de escrever neste Blog e passarmos a escrever para os legisladores e representantes do poder executivo que comandam esta cidade. Está na hora de passarmos a integrar este tal “fórum de entidades”, pois este fórum é constituído somente por pessoas que querem ver Porto Alegre parada no tempo. Esta é minha sugestão.

E lembrem-se: ser radical não leva a lugar algum !

Obrigado.

Gilberto Simon



Categorias:Abandono, Descaso, ORLA, Pontal do Estaleiro, Projeto de Revitalização da Orla, Projeto de Revitalização do Cais Mauá

Tags:, , , , , , , ,

40 respostas

  1. Quem foi votar se mobilizou e foi lá dizer o que queria para a cidade, deu o seu tempo. Os errados não são os que foram votar pró ou contra e sim quem comodamente ficou em casa e não se importou….
    A eleição não foi válida…..o que fazer, tem muita coisa não válida neste pais, neste estado nesta cidade…

    Curtir

  2. Opa, se o chapéu serviu o problema não é meu. Por acaso eu disse que TU não fez nada?
    A única coisa que disse foi que sim, 1,8% da população pode representar democraticamente a vontade da maioria. Acho que a falta de conhecimento não está deste lado do teclado.

    Curtir

  3. Gostaria de saber quantas das pessoas que estão criticando a votação foram votar. Se apenas 1,8% da população compareceu em um fim de semana nas zonas eleitorais é por pura acomodação. Não podiam atrasar o churrasco em meia hora? Se a votação foi pública e democrática não importa quantos votaram. Talvez se este artigo (ou algum texto exagerado como esse) fosse produzido antes da votação, o processo teria sido mais equilibrado. Faz mais e fala menos, por favor.

    Curtir

    • Ja ta falando sem saber o que aconteceu na época. Sim, eu agi e não fiquei falando apenas. Fui pra rua fazer campanha, pois eu acredito no que falo. O eterno problema de quem afirma coias sem ter conhecimento….

      Curtir

  4. Polêmico o texto, o que a meu ver, o que o cidadão gostaria de saber e ter o esclarecimento é com relação as negociatas que foram realizadas em torno da orla e outros lugares desta cidade, em que Agentes Públicos manipularam e com grande maioria na Câmara Municipal de Porto Alegre negociaram os espaços públicos desta cidade em prol do progresso, fato que não tenho conhecimento que teria ocorrido em outros lugares mundo afora.

    Se conquista o desenvolvimento de uma cidade através de atos com transparência total e não negociatas como foram realizadas ou não foi isso que aconteceu.

    Como a privatização no país não deu certo e não puderam vender mais, os Agentes Públicos desta cidade negociaram os espaços públicos da cidade através de concessões que deixariam qualquer cidadão do primeiro mundo de cabelos arrepiados.

    Curtir

    • Pior ainda é que são concessões por migalhas, vejam o trabalho porco que a Coca-Cola fez na Praça XV e Largo Glênio Peres, o calçamento da Praça XV que foi arrumado há poucos anos, já possui pedras soltas na frente do chalé. O chafariz é uma monstruosidade mal-feita, tosca e que raramente é ligado. O Largo virou estacionamento e agora querem transformar outras praças e parques em mais espaço para carros. Não tem como ser a favor de tanta porcaria.

      Curtir

  5. Gilberto, antes de querer uma cidade para os “turistas” eu quero uma cidade boa para se morar, boa para as pessoas daqui, com qualidade de vida, etc. Uma cidade boa para se morar, será boa para quem quiser visitá-la também.

    Não sou contra a cidade mudar para melhor, pelo contrário. Se sou contra qualquer projeto apresentado é porque acredito que esse projeto piorará a cidade ao invés de melhorá-la. Por exemplo, a duplicação da Av. Beira-rio, que irá afastar ainda mais o portoalegrense da orla do Guaíba, e os viadutos e trincheiras, que degradam a cidade e a tornam mais hostil para o pedestre e ciclista.

    Sou totalmente a favor de projetos que privilegiem os pedestres – mas infelizmente não existem projetos desse tipo em Porto Alegre – e usuários do transporte público, como os corredores do BRT. Pois o transporte coletivo é muito mais importante para a mobilidade na cidade que qualquer viaduto ou rodovia, e as obras do BRT em comparação não exigiram o corte de quase nenhuma árvore e beneficiam muito mais pessoas.

    Pare de criar antagonismos infantis criando os “pró-progresso” e os “do contra”. Isso não existe, todos queremos o melhor para Porto Alegre. Só precisamos todos juntos discutir qual é a cidade que queremos que Porto Alegre seja.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: