Fortunati recebe entidades estudantis para falar sobre aumento da passagem

Da Redação

Foto: Ramiro Furquim/Sul21

Foto: Ramiro Furquim/Sul21

Após 15 dias de recorrentes protestos contra o aumento da passagem do transporte coletivo de Porto Alegre, o prefeito municipal José Fortunati (PDT) irá receber o movimento estudantil para tratar sobre o assunto. A reunião acontecerá nesta segunda-feira (1º), às 15 horas, no Paço Municipal. Foram chamados para o debate os representantes de entidades estudantis, Centros Acadêmicos, Diretórios Centrais de Estudantes e Grêmios Estudantis.

A conversa com os estudantes ocorre cinco dias após o grande protesto que mobilizou dois mil jovens em frente à Prefeitura de Porto Alegre. A reivindicação contrária ao aumento da tarifa iniciou antes mesmo da reunião do Conselho Municipal de Transporte Urbano (COMTU) de Porto Alegre que selasse o aumento de R$ 2,85 para R$ 3,05, a mais cara do Brasil. Porém, a reunião desta segunda não deve reunir as mesmas entidades que cobram a redução dos valores desde o reajuste aprovado no dia 21 de março.

A assessoria de imprensa do gabinete do prefeito, que informou sobre o encontro, não soube dizer quais entidades serão recebidas por José Fortunati. De acordo com a coordenadora do DCE da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Natalia Bittencurt, ‘nós não estamos sabendo de nenhuma reunião’. Pela manhã, estudantes ligados ao DCE da UFRGS inclusive realizaram protestos contrários ao aumento da passagem junto à Rodoviária.

O coletivo Juntos, que compõe o bloco de entidades estudantis que reivindicará às 18 horas desta segunda em frente à Prefeitura também não foi informado da reunião. “Não fomos chamados”, disse o ativista Lucas Maróstica.

Antes de a passagem aumentar, cinco protestos foram realizados no centro da Capital. Após o aumento, os manifestantes têm realizado praticamente um ato por dia.

SUL 21



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:, , ,

24 respostas

  1. Talvez a tática em dividir as entidades para um debate que deveria ser transparente, poderá na verdade inflar a participação do cidadão em mais esta jogada do Sr. Fortunati, infelizmente, ao taxar o cidadão de badernas e outros adjetivos deixou o mesmo em situação muito delicada frente a sociedade.

    Os idos da ditadura ficaram para trás, talvez não para o Sr. Fortunati.

    Quanto maior a falta de transparência, maior será a indignação do cidadão.

    Quem viver verá.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: