Porto Alegre receberá R$ 150 milhões para obras de drenagem

Recursos serão investidos na execução de obras do Programa DrenaPOA. Divulgação/PMPA

Recursos serão investidos na execução de obras do Programa DrenaPOA. Divulgação/PMPA

O Ministério das Cidades anunciou, no final da tarde desta terça-feira, 24, a liberação de R$ 150 milhões para obras de macrodrenagem em Porto Alegre. O ministro Gilberto Kassab fez questão de comunicar ao prefeito José Fortunati, por telefone, a liberação dos recursos. O investimento será aplicado na execução de obras do Programa de Drenagem Urbana de Porto Alegre – DrenaPOA, lançado em dezembro de 2014.

O ministro já autorizou a Caixa Econômica Federal a negociar junto à prefeitura a assinatura dos contratos para a licitação das obras. Do total de R$ 150 milhões, R$ 107,2 milhões são para a bacia do Arroio Areia, R$ 40,7 milhões para bacia do Arroio Moinho e outros R$ 2,082 milhões para estudos e projetos de engenharia para macrodrenagem nas bacias do Arroio Manecão e Guabiroba.

Os valores anunciados acima foram atualizados pelo Mistério das Cidades.

Obras com licitação no primeiro trimestre de 2015:

1 – Sistema de proteção contra as cheias – O valor total para reforma e ampliação, com colocação de geradores próprios de energia, de 13 casas de bombas do Departamento de Esgotos Pluviais (DEP), é de R$ 86,99 milhões. Inicialmente, o valor investido será de R$ 41,64 milhões para reforma e ampliação de cinco casas de bombas – 12, 13, 15, 16 e Vila Farrapos. A diferença entre esses valores será destinada à segunda etapa das obras, com execução prevista para o segundo semestre de 2015. O DEP tem até junho do próximo ano para atender a complementação de documentação exigida pela Caixa Econômica Federal (anteprojetos e comprovação de titularidade). Quando as primeiras cinco casas de bombas forem ampliadas, a capacidade de bombeamento das águas das chuvas passará de 45 mil litros por segundo para 67 mil litros por segundo – um aumento de quase 50 % na capacidade de vazão das águas pluviais nos equipamentos. As obras beneficiarão toda a cidade e têm prazo estimado em 36 meses.

2 – Bacia Hidrográfica do Arroio Areia – Ampliação do sistema de macrodrenagem da bacia hidrográfica do Arroio Areia. A obra terá custo aproximado de R$ 106 milhões. Atenderá uma região crítica em dias de chuvas intensas. Nos últimos 20 anos, quatro pessoas já morreram no entorno em dias de alagamento devido à grande quantidade e à velocidade que volume de água adquire no deslocamento. A obra contemplará parte dos bairros Boa Vista, Chácara das Pedras, Cristo Redentor, Higienópolis, Jardim São Pedro, Passo D’Areia, Santa Maria Goretti, São João, Três Figueiras, Vila Ipiranga, Bom Jesus e Vila Jardim. Serão implantadas sete bacias de detenção e ampliados os condutos de macrodrenagem em diversos bairros e pontos. A casa de bombas Silvio Brum também passará por reformas. A expectativa é de que todo esse complexo de obras seja executado em 48 meses.

3 – Bacia Hidrográfica do Arroio Moinho – Ampliação do sistema de macrodrenagem da bacia hidrográfica do Arroio Moinho. O valor da obra é de aproximadamente R$ 38 milhões. A intervenção abrangerá parte dos bairros São José e Vila João Pessoa. Serão implantadas duas bacias de detenção de cheias e construídas novas tubulações e galerias pluviais, que alcançarão aproximadamente 4.827 metros de extensão. Os trabalhos têm prazo estimado em 36 meses.

Projetos executivos com licitação no primeiro trimestre de 2015:

4 – Bacia Hidrográfica do Arroio Guabiroba – O projeto compreende os bairros Belém Novo e Ponta Grossa. O valor para elaboração do projeto está orçado em R$ 457,75 mil. O projeto prevê a execução de um canal de macrodrenagem para evitar que as cheias dos arroios Guabiroba e Salso provoquem alagamentos no loteamento Parque Agrícola Albion, no bairro Ponta Grossa. A medida viabilizará a regularização fundiária do loteamento e a pavimentação do sistema viário do entorno.

5 – Bacia Hidrográfica do Arroio Manecão – O estudo abarca o bairro Lami e o Extremo-Sul da cidade. O valor do projeto é de R$ 1,49 milhão. Está prevista a implantação de oito reservatórios de detenção em diversos locais, uma casa de bombas na Vila Jardim Floresta e diques de proteção contra cheias na Vila Jardim Floresta e praia do Lami.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Outros assuntos

Tags:,

%d blogueiros gostam disto: