Prefeitura contra o ar-condicionado

Foto: Gilberto Simon

Foto: Gilberto Simon

A Prefeitura de Porto Alegre entra, nesta segunda-feira (06), com uma ação de inconstitucionalidade contra a a lei promulgada na última quarta-feira (01), pela Câmara de Vereadores, que obriga a instalação imediata de ar-condicionado em toda a frota de ônibus.

De acordo com a EPTC, caso a proposta não seja derrubada, não está descartado o adiamento da publicação do edital para o transporte coletivo da Capital, prevista para ocorrer em 6 de maio.

De acordo com o presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, o maior entrave provocado pelo texto aprovado pelos vereadores é o de que ele põe em pé de desigualdade as empresas que hoje assumem o serviço de transporte coletivo e as que dispuserem a disputar a licitação.

Segundo ele, os atuais operadores vêm cumprido a determinação legal de colocar ônibus com ar condicionado quando ocorre a troca, de um antigo por um novo, mas não há possibilidade de equipar 100% da frota até o prazo de lançamento da licitação.

Affonso Ritter



Categorias:Ônibus

Tags:,

4 respostas

  1. que argumento furado!

    Curtir

  2. “Atrasar o edital”

    Já tá 20 anos atrasado mesmo.

    Curtir

  3. Desigualdade!?!?! hahaha, quer dizer que um novo tem que, na teoria, comprar todos ônibus com ar e os atuais tem que trocar os antigos por novos com ar e o pé é de desigualdade contra os atuais?

    Ao menos fica mais claro que o esquema está montado para manter as mesmas.

    Curtir

  4. Desse jeito, o prefeito ganhará um busto no saguão da sede da ATP.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: