Projeto que prevê extinção da Fundação Zoobotânica terá avaliação ampliada

O pedido de retirada do regime de urgência foi protocolado na Assembleia Legislativa na tarde desta quinta-feira (27). (Foto: Divulgação)

O pedido de retirada do regime de urgência foi protocolado na Assembleia Legislativa na tarde desta quinta-feira (27). (Foto: Divulgação)

Atendendo a deputados estaduais e entidades de diversos setores que manifestaram questionamentos em relação ao projeto de lei (PL) 300/2015, o governo do Estado acatou a proposta de retirar o regime de urgência da matéria, que prevê a extinção da Fundação Zoobotânica. Desta forma, ela poderá ser avaliada por período mais dilatado. O pedido de retirada do regime de urgência foi protocolado na Assembleia Legislativa na tarde desta quinta-feira (27).

Para o governo, manifestações contrárias e também favoráveis ao projeto,  anunciado no último dia 6 de agosto, acrescentaram sugestões consideradas de extrema relevância para a discussão sobre o setor ambiental gaúcho. Para a secretária do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Ana Pellini, a possibilidade de ampliar a avaliação do PL oportunizará uma revisão mais profunda do sistema, incluindo outras estruturas vinculadas ao meio ambiente que hoje carecem de recursos humanos, tecnologia e agilidade nos serviços.

O chefe da Casa Civil, Márcio Biolchi, explicou que o esforço do governo tem sido para tornar a gestão mais moderna e eficiente, sem deixar, no entanto, de transigir em assuntos que suscitem dúvidas ou que possam receber novas contribuições. “Atendemos ao pedido dos deputados para que o tema possa ser aperfeiçoado pelas áreas ambiental, técnica e política do governo, sempre buscando alternativas que contribuam para o desenvolvimento do meio ambiente e de todo o Estado”, disse.

Jornal O SUL



Categorias:Outros assuntos

Tags:,

6 respostas

  1. Projeto ridículo. Não é acabando com uma fundação séria que contribui para a pesquisa no cenário nacional que o governo vai resolver a crise econômica do estado.

    Curtir

  2. Poxa vida!!

    Extingue logo essa fundação que está tirando recursos que poderiam ser destinados a funções mais nobres do estado(saúde,segurança e educação) e abre espaço para que a iniciativa privada possa criar varias fundações zoobotânicas. Nossas burocratas, juntamente com seus servos através do aparelhamento estatal estão acabando com o nosso estado e com o nosso Brasil.

    Curtir

    • tu deve achar que a fundação zoobotânica serve só pra manter os bichinhos bonitinhos de enfeite na jaula. Já ouviu falar em pesquisa científica? um dos motivos da saúde ser cara é porque requer medicamentos importados, se o país tivesse mais incentivo a ciência teriamos uma mudança DRÁSTICA nos valores da saúde, compare com a Aids, Brasil é/foi um dos unicos países a distribuir os coqueteis grátis, isso porque eles passaram a ser produzidos no Brasil, sendo muito mais barato.
      E assim vai com uso de pesticidas, transgênicos, seleção artificial, que resulta no custo da nossa produção agrícola para consumo/geração de energia.
      Barrar a pesquisa é aumentar os custos a longo prazo.

      Curtir

      • Hahaha coqueteis gratuitos. Nao existe almoco gratis meu amigo. Privatizem já

        Curtir

      • não me digaaa, quer comparar um infectado gastar milhares de reais em coquetéis por mês e por em risco todos ao seu redor, do que cada cidadão gastar uns míseros centavos pra sustentar isso?.
        Privatizar um medicamento que poem em risco a saúde pública?

        Curtir

  3. Não pode acabar, na situação em que o estado se encontra, deveriam privatizar.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: