Bem longe do Guaiba, capital ganha projeto imobiliário de R$ 500 milhões

Megaprojeto será em área verde no final da avenida Ipiranga

Um megaempreendimento imobiliário deverá renovar a região próxima da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), na Capital. O projeto da incorporadora Rossi, orçado em R$ 500 milhões, deve ser lançado no primeiro semestre de 2009 e prevê oito quadras privativas em uma região de 300 mil metros quadrados na Avenida Ipiranga.

Ao todo serão seis condomínios residenciais fechados (composto por apartamentos e casas), além de duas quadras comerciais, incluindo edifício de escritórios, centro de compras e um hotel com cerca de 120 apartamentos. O projeto ainda não foi concluído, mas o objetivo é estabelecer um novo conceito urbanístico em Porto Alegre em áreas ainda não saturadas, segundo a construtora. De acordo com o diretor da Regional Sul da Rossi, Rodrigo Martins, o conceito adotado é de um bairro.

– Cada vez mais o desenvolvimento imobiliário passa por buscar grandes áreas disponíveis fora dos bairros tradicionais. Esses empreendimentos envolvem a criação do que chamamos de novos bairros. Essa é uma das grandes áreas disponíveis dentro de Porto Alegre e próxima de tudo. O conceito é de um parque-clube, com baixa ocupação, muita área verde e espaço de lazer – detalha o executivo, acrescentando que o prazo para a execução total do projeto será de oito anos.

Sistema de segurança será um dos diferenciais

O empreendimento, que ainda terá o nome definido, é o maior gerenciado pela construtora Rossi no Brasil e deverá gerar aproximadamente 3 mil empregos diretos. No segundo semestre de 2009, está previsto o início das obras dos dois primeiros condomínios, com prazo de 30 meses para conclusão a partir do começo da obra.

Em um dos condomínios serão construídas cerca de 40 casas e três edifícios de 12 pavimentos. Em cada andar, haverá quatro apartamentos.

O segundo condomínio também terá cerca de 40 casas e cinco prédios de 12 pavimentos: serão dois apartamentos por andar em uma das torres e quatro por andar nas demais. Os imóveis contarão com três ou quatro dormitórios, com preços ainda não definidos.

Cada condomínio terá sua estrutura de lazer própria, com piscina aberta e piscina coberta, quadra poliesportiva e quadra de tênis, academia de ginástica para os moradores e área de playground, entre outros diferenciais.

– Esse é um empreendimento voltado para as famílias. É um produto classe A, mas a gente quer torná-lo acessível também para uma boa faixa da classe média, lançando (os apartamentos e casas) com um valor competitivo – explica Martins.

Outro diferencial apresentado para o projeto está baseado em uma nova proposta de segurança privada para o local. Cada condomínio fechado terá controle e monitoramento próprios, mas a idéia é de que haja um segundo sistema de segurança para toda a região, com câmeras e vigilância.

– Queremos fazer do “bairro” um modelo de segurança – antecipa o diretor da Rossi.

ZH

Veja o ante-projeto do empreendimento:

mega-empreendimento-ipiranga
Clique para ampliar



Categorias:Uncategorized

Tags:, , ,

%d blogueiros gostam disto: