Aod Cunha vai apresentar ao Conselho riscos de assumir obras do Beira-Rio sem parceiros

Gerente-executivo do Inter diz que decisão tem que ser tomada logo

Aod Cunha explica riscos da reforma para as finanças coloradas - Genaro Joner

Aod Cunha vai apresentar, na próxima quarta, na reunião do conselho deliberativo do clube, um relatório completo dos fatores envolvidos no prosseguimento das obras de reforma do Estádio Beira-Rio, que visam à Copa do Mundo 2014. Em entrevista à Rádio Gaúcha neste domingo, o gerente-executivo do clube indicou o risco financeiro de o Inter assumir sozinho o custeio da construção:

— O Inter é um clube de futebol, e sua atividade-fim é o futebol. O futebol e as atividades relacionadas ao futebol já têm a caracteristica de ter nível elevado de risco. Quando vai para outros segmentos, agrega nível mais elevado de risco. Não só risco financeiro, mas sua capacidade de gerir.

Aod Cunha deixou claro, no entanto, que a parceria com uma construtora também envolveria riscos:

— Assim abre mão de algumas receitas durante algum tempo — explicou.

Por isso, um relatório completo será apresentado ao conselho deliberativo do clube na próxima quarta. Segundo o executivo, uma decisão tem que ser tomada logo.

— O mais custoso é não tomar alguma decisão. Se tivéssemos todo o tempo do mundo, poderíamos abrir todo um espaço maior de discussão. Mas o clube não tem tempo e vai ter de fazer sua escolha de riscos em um período muito curto. 

Na sexta, durante visita do ministro dos Esportes, Orlando Silva, o presidente do Inter, Giovanni Luigi, explicou o andamento da reforma do estádio: até o final de junho deste ano, um quarto do anel inferior — exatamente o trecho que está sem arquibancadas neste momento — já estará nos padrões da Fifa para a Copa do Mundo de 2014.

As arquibancadas pré-moldadas estão contratadas. Depois da primeira instalação, o clube fará a demolição dos assentos antigos e a instalação dos novos gradativamente, em outras três etapas. Além disso, até o final de março as fundações e o estaqueamento da cobertura do estádio estarão concluídas.

Luigi reconheceu que há a possibilidade de o clube contratar uma empreiteira para assumir a obra. Segundo o dirigente, no entanto, o assunto será debatido pelos conselhos consultivo e deliberativo.

— É algo que vai impactar muito além da minha gestão — justificou, garantindo que, se na empresa for contratada, o cronograma das obras não será alterado.

Zero Hora

Share



Categorias:COPA 2014, Gigante para Sempre (Beira Rio)

Tags:,

1 resposta

  1. Uma dúvida: ao contratar uma empreiteira para assumir a obra, ela estaria “financiando” a obra ao Inter? Ou que tipos de recursos ela poderia explorar apenas na reforma do estádio? (sem considerar o complexo que, infelizmente, vem sendo deixado fora de pauta)

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: