Prefeitura recebe Plano de Ação do Arroio Dilúvio

Meta é recuperar os 15 quilômetros de extensão do arroio   Foto: Francielle Caetano/PMPA

Meta é recuperar os 15 quilômetros de extensão do arroio Foto: Francielle Caetano/PMPA

A Prefeitura de Porto Alegre receberá nesta sexta-feira, 7, às 15h30, o Plano de Ação de Revitalização da Bacia do Arroio Dilúvio, no Salão Nobre do Paço Municipal (Praça Montevidéu, 10, Centro Histórico). O documento será entregue ao prefeito José Fortunati pelo reitor Carlos Alexandre Netto, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), e pela diretora do Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Betina Blochtein.

O documento é fruto de trabalho realizado ao longo do último ano pelas universidades, com a contribuição de secretarias de Porto Alegre e Viamão. O Plano de Ação define estratégias e atividades para a revitalização, mapeando e orçando os estudos a serem feitos na elaboração do Projeto Básico, a próxima etapa do processo.

Conforme o secretário municipal do Meio Ambiente e coordenador do projeto na prefeitura, Luiz Fernando Záchia, a entrega do documento permitirá que as universidades realizem a captação de recursos para a elaboração do Projeto Básico. “Após a contratação do Projeto Básico, a segunda etapa do processo deverá ser executada em um ano”, explicou.

Histórico da parceria – Em dezembro de 2011, foi assinado termo de cooperação histórico entre Ufrgs, PUCRS e as prefeituras de Porto Alegre e Viamão, com o objetivo de devolver à população das duas cidades um Arroio Dilúvio limpo e revitalizado. A meta é recuperar os 15 quilômetros de extensão do arroio, com intervenções integrando saneamento, inclusão social, acréscimo de áreas verdes, retomada da funcionalidade da bacia e educação ambiental.

Após assinatura do Protocolo de Cooperação Institucional e com base no documento “Marco Conceitual”, foi estabelecido o compromisso de produzir o Plano de Ação. O documento foi elaborado ao longo deste ano, após diversas reuniões entre as universidades e as secretarias envolvidas. O Plano de Ação contém atividades, metas e cronogramas que traduzem a estratégia de recuperação da bacia do Dilúvio, identificando estudos e levantamentos de dados a serem feitos e sua integração com ações e projetos em andamento.

Esta é a primeira vez que é realizado um trabalho integrado entre universidades e as prefeituras de Viamão e Porto Alegre na busca de soluções para o Dilúvio. Até hoje, as ações vinham sendo feitas de forma isolada. A Revitalização da Bacia do Arroio Dilúvio é composta de quatro fases: Plano de Ação, Projeto Básico, Projeto Executivo e Implantação.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Revitalização do Arroio Dilúvio

Tags:,

3 respostas

  1. Com a conclusão daquele programa integrado socioambiental, o tratamento de esgoto de POA passaria de 27% pra 77%, correto? Alguém sabe como ficaria esse índice se o Dilúvio fosse 100% tratado? Creio que boa parte desses 23% restantes deve vir do Dilúvio.

    Curtir

  2. Excelente notícia! Muito bom!

    Além disso, essa cooperação entre universidades públicas e privadas e com municípios diferentes é algo histórico! Como diz aquele chavão, “nunca antes na história…”

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: