Fortunati admite falha de comunicação e justifica derrubada de árvores

Prefeito destacou replantio da vegetação removida do entorno do Gasômetro para duplicação da Beira-Rio

arvores-derrubadasO prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, divulgou nota em seu blog, nesta quinta-feira, para prestar esclarecimentos sobre o corte de árvores para duplicação da avenida Beira-Rio. Fortunati reconheceu “falha de comunicação” sobre o caso, mas reforçou que a obra de duplicação foi devidamente planejada e autorizada pelos órgãos competentes, além de prever o replantio da vegetação derrubada. Protesto na região chegou a bloquear a avenida João Goulart com os galhos das árvores postas abaixo.

“Em primeiro lugar, é importante que todos saibam que foi feita a licença ambiental adequada para a execução da obra”, salientou o prefeito. “Além disso, há outros pontos que precisam ser observados como o fato de naquela área termos um dos principais focos de poluição ambiental pelo engarrafamento diário com a emissão de gases pelos automóveis”, relatou. “Isso mostra que a necessidade da duplicação da via é também uma questão ambiental e não somente um problema de mobilidade”, ponderou Fortunati.

Ele admitiu, porém, que a população deveria ter sido comunicada das operações necessárias, sem a realização do devido debate sobre a situação. “Sempre fui um homem do diálogo e da construção coletiva”, definiu o prefeito. Na quinta, ele chegou a justificar a derrubada pelo pouco uso da vegetação no entorno do Gasômetro, contudo. “As pessoas não utilizam estas árvores”, sustentou.

“É importante ressaltar que há uma grande preocupação por parte do poder público com a compensação das árvores que precisarão ser removidas”, emendou Fortunati. “No total, serão plantadas 401 mudas com essa finalidade. Seguindo critérios técnicos, as plantas exóticas serão substituídas por espécies nativas, uma exigência da Secretaria Municipal do Meio Ambiente”, frisou.

Confira abaixo os locais de replantio:

  • – Avenida Oswaldo Aranha – 100 mudas
  • – Rua da República – 08 mudas
  • – Parque Farroupilha – 80 mudas
  • – Rua Lopo Gonçalves – 08 mudas
  • – Avenida Jerônimo de Ornellas – 10 mudas
  • – Parque Maurício Sirotsky Sobrinho – 60 mudas
  • – Avenida Independência – 20 mudas
  • – Rua Washington Luiz – 10 mudas
  • – Rua Garibaldi – 05 mudas
  • – Rua Santo Antônio – 60 mudas
  • – Viaduto Otávio Rocha – 26 mudas
  • – Centro Histórico – 14 mudas

Correio do Povo

Leia mais sobre o protesto, clicando aqui, via Correio do Povo.

_______________________

Pois hoje a tarde, antes da manifestação, o Blog Porto Imagem enviou um e-mail ao prefeito apoiando-o no projeto de duplicação da Av. Beira-Rio, citando o corte das árvores.  Ta na hora de começar a sair estas obras sem interferência demasiada dos mesmos segmentos da população. E vamos começar a intensificar o nosso contato com o prefeito e com os técnicos da prefeitura. Ah, o prefeito respondeu pessoalmente ao e-mail através de seu smartphone, agradecendo ao apoio.

Aqui no Blog somos a favor destas obras de qualificação das avenidas, da orla, das praças. Algo está sendo feito.  Árvores se replantam mais tarde.  



Categorias:Duplicação de avenidas

Tags:, ,

76 respostas

  1. E agora Porto Imagem, vão mandar cartinha pro prefeito dando parabéns por isso também!??!

    Curtir

    • Posso te fazer uma pergunta ? O que fazes aqui comentando no Blog se tu discorda de tudo ? Não seria mais proveitoso tu sugerir soluções e não ficar criticando por criticar ? Que coisa mais tosca a tua participação !

      Curtir

  2. Me desculpe, Gilberto, mas “´árvores se replantam mais tarde” não é uma solução de bom urbanismo. Sabendo-se antecipadamente da necessidade da derrubada de árvores MADURAS e ENORMES, cujas funções ambientais E urbanísticas estão em plena fruição, deveriam já ter sido plantadas as reposições há muito tempo, e não fazer sempre a mesma besteira de derrubar as árvores maduras e replantar mudinhas, das quais muitas morrem sem reposição, e esperar 20, 30 anos para que cumpram suas funções no meio urbano. O Blog defende o bom urbanismo em muita coisa, mas no caso do meio ambiente urbano esse tipo de trogloditice me parece destoar. Árvore não é poste, espaços verdes são tão importantes para a vida da cidade quanto as avenidas da Copa-Roubalheira, e no mínimo gerir adequadamente as reposições deveria ser, isso sim, algo a apoiar efusivamente.

    Curtir

  3. Toda a obra vai ter um custo! Manter as árvores pode ser muito mais custoso que retirá-las e plantar outras novas. Não há como fazer um omelete sem quebrar os ovos.
    Se querem criticar alguma coisa, que seja contra o projeto.
    Se o projeto foi mal feito, OK. Agora contra a retirada em si das árvores é descabido.
    Pergunto: O projeto foi mal feito? Há falhas no projeto? Havia outra forma viável, por favor, nada de túnel ou algo que custe milhões, de fazer o trajeto sem impactar as árvores?
    Aquelas árvores eram nativas ou foram plantadas pelo homem?
    Se foram plantadas, podem novamente ser plantadas e crescer. Uma árvore não vive para sempre e mais dia menos dia irá cair.
    Antigamente plantava-se tudo que era tipo de árvore sem cuidado, resultado é que basta um vento para ver isso representar riscos à população. Ou seja, tem que haver um estudo sobre a melhor espécie a ser plantada, distância das vias e sua utilização.
    Concordo com alguns posts aqui do blog, basta ver a Redenção, não há um planjamento no plantio e manejo das árvores. É plantar e vá crescer feito mato. Tem-se as árvores mas sem qualquer utilidade.
    O Prefeito, imagino eu, se referiu nesses termos. Plantar por plantar, ter árvore por ter árvore pode plantar em qualquer lugar, e não vão aquelas arvóres, num espaço que ninguém utiliza que fará a diferença.
    É necessário um manejo adequado delas, hoje temos árvores coladas às vias, vide a Ipiranga, causando acidentes e colocando em risco vidas.
    Adianta ter árvores uma colada à outra, fazendo sombras à beça, acaba gerando só barro e local para instalação de moradias para mendigos?
    Moro no Menino Deus, aqui há inúmeras praças. Mais da metade é barro, onde não há barro há moradores de rua, fazem suas necessidades, masturbam-se durante o dia na praça.
    Acho muito legal, a praça é da população, mas não pode utilizá-la. Quando tentam cercar uma praça para uma empresa adotar e cuidar, vem reclamar da privatização.
    Assim temos um monte de praças e locais inservíveis.
    O Estado e Prefeitura não tem como cuidar disso, dar moradia, asfaltar ruas, fazer limpeza urbana, cuidar de árvores, praças, segurança e tudo o mais que necessitamos. Ou aceita-se a ajuda do privado ou fica assim. Existem os espaços mas não podem ser utilizados.

    Curtir

    • O projeto é mal feito. É um projeto de 30 anos atrás que privilegia o automóvel particular e não leva em consideração o transporte coletivo, o pedestre, o ciclista. A tendência mundial atual é reduzir as vias, dar mais espaço para o pedestre, deixar a cidade mais agradável. Fazer uma autopista em plena orla é uma idiotice sem tamanho.

      Curtir

  4. Gilberto, por mais que eu seja contra esta obra, aceito plenamente que haja pessoas a favor dela. Da mesma forma, não vejo problema o blog se posicionar politicamente. Contudo, e, por favor, não entenda como critica, tenho algumas dúvidas:
    1. Quando o blog se posiciona, esta posição é tua ou em comum acordo com os moderadores? Pergunto isso, pois o Mobus disse não gostar do projeto e o Marcelo não se manifestou (ou não vi).
    2. Há um reconhecimento, por parte do blog, que esta obra não é apoiada por setores desenvolvimentistas dos leitores? Ou a percepção é de que todos que são contra são contra tudo e sem argumentos?

    Curtir

    • Meu ponto, no final, talvez seja: admiro muito o teu trabalho e este blog. É provável, entretanto, que o que eu mais goste sejam os comentários. Temos aqui pessoas extremamente informadas, interessadas e com base de discussão.
      Aí, caso posição do blog seja equivalente a posição do Gilberto, embora plenamente legítima, corre o risco de alienar participantes, se não executada com cuidado.
      Abraços!

      Curtir

  5. O ócio é o pai de todos os vícios.

    Curtir

  6. Fortunati não é burro, obvio que fizeram isso justamente para evitar que esse povo que não tem o que fazer, vá la para reclamar e evitar que as obras saiam.

    E é assim mesmo que tem que fazer, só acho que deveria liberar o projeto das obras antes de qualquer coisa, depois começa as obras de surpresa mesmo.

    Curtir

  7. Sem união, não vamos chegar em lugar algum. É preciso bom senso. No RS é sempre assim, tudo dividido. E nada acontece. Não existe projeto perfeito. A postura do blog deveria ser de apresentar os dois lados e deixar que os leitores julguem. Acho o Fortunati bem fraco, mas paciência é o prefeito que temos por 4 anos. Sem apoio, serão mais 4 anos perdidos e disso estou cansado, POA precisa avançar, avançar com bom senso. O volume de carros vai aumentar, sim vai aumentar. Se construir estacionamento estamos pensando no beneficio apenas dos carros, sim estamos pensando apenas nos carros. São fatos, porém a necessidade pode mudar, desde que incentivemos outros modais. O loby da indústria é forte, sim é forte.. Precisamos trabalhar e melhorar o transporte público, cumprir o plano cicloviário (da forma correta) e construir uma cidade para PESSOAS! PESSOAS com bom senso. Rotular as pessoas de “desocupados” “eco-chatos” é preconceito puro, são pessoas que lutam por aquilo que acreditam. Rotular as pessoas de “carrolotras” é preconceito, são pessoas que acreditam não ter outra opção que lhe agrade ou por necessidade para se locomover pela cidade.

    Curtir

    • O problema é que existem radicais que não querem diálogo. O que vale é somente o ponto de vista deles.
      No RS não se soma, se divide.
      Se alguém tem um belo projeto e pensa no futuro, aparece alguém aguarrado ao passado e ao comodismo e faz de tudo para boicotar este projeto.

      Curtir

      • Cara, se tem radical não importa, sempre vai ter, e daí? Mostra, apresenta, conversa, une. “Ahh mas não querem ouvir”, dane-se! agora vai ficar pautando as atitudes de acordo com um ou outro grupo? A prefeitura deve fazer o que tem que fazer e pronto, mas com respeito, coerência, transparência… Eles estão com 1000CCs! Que coloquem esses CCs para conversar com os “radicais” pô!

        Curtir

    • Ótimo comentário, é exatamente esse o ponto. União se consegue com respeito, que tipo de respeito se consegue rotulando?

      Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: