Smam divulga análise sobre situação de árvores da Capital

Técnicos participam de curso sobre diagnóstico e análise de risco de queda   Foto: Sérgio Louruz/Divulgação PMPA

Técnicos participam de curso sobre diagnóstico e análise de risco de queda   Foto: Sérgio Louruz/Divulgação PMPA

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo (IPT) e a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam) apresentam nesta sexta-feira, 29, o relatório final das 150 árvores avaliadas externa e internamente no primeiro semestre. Na oportunidade, será apresentada a análise dos vegetais, resumo do curso de capacitação para técnicos da Smam e as próximas ações programadas para qualificar os serviços prestados. A coletiva à imprensa ocorrerá às 17h, na sede da secretaria (av. Carlos Gomes, 2120, sala 111).

Estarão presentes o chefe do Laboratório de Árvores, Madeiras e Móveis (LAMM) do IPT, Sérgio Brazolin, considerado um dos maiores especialistas brasileiros em avaliação de árvores de risco, o biólogo do IPT Vinícius Felix Pacheco, o titular da Smam, Claudio Dilda, o supervisor e o diretor de Praças, Parques e Jardins do município, Léo Bulling e Sergio Tomasini, respectivamente.

Curso – Os especialistas do IPT estão em Porto Alegre desde o início desta semana capacitando 30 técnicos da Smam, que trabalham diretamente com o manejo da arborização urbana. O objetivo é melhorar o diagnóstico e análise de risco de queda de árvores, a fim de qualificar as decisões sobre a arborização. O curso, com 40 horas de duração e aulas teóricas e práticas, integra conjunto de ações da Smam para aprimorar a prestação de serviços e reduzir os riscos de quedas de vegetais a partir de vistorias técnicas.

Análises – Dos 150 vegetais analisados pelo IPT, 86 situam-se na Redenção (das quais duas já foram removidas), 13 na Praça Dom Feliciano, 13 na rua Padre Tomé, 12 na Praça da Alfândega, 11 na Praça da Matriz, duas na Praça XV de Novembro e duas na Guilherme Alves. No Parque Moinhos de Vento (Parcão), na Praça José Comunal e nas vias João Pessoa, Gonçalo de Carvalho, Andradas, Barão do Gravataí, João Alfredo, Teresópolis, Saicã, Felizardo Furtado e Protásio Alves houve a avaliação de um vegetal.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:arborização urbana

Tags:, ,

3 respostas

  1. Se verificarem a fundo, vão ver que a maior parte das árvores da cidade estão comprometidas. É só andar pela cidade para verificar galhos prontos pra cair. Teremos muitas mortes, se nada for feito.

    Curtir

    • Verdade. Será coincidência que as únicas ruas em que as árvores estão saudáveis são aquelas com fiação subterrânea e onde a CEEE não faz aquelas podas sem critérios?

      Curtir

      • Odeio a fiação aérea e a poda horrenda que fazem mas não acho que seja por aí… tanto que várias são em parques ou praças. Acho que os locais listados tem árvores muito antigas e além disso exóticas. Não sou a favor do racismo vegetal da prefeitura, mas que eu saiba elas pegam mais erva de passarinho.

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: