Primeira faixa reversível automatizada de Porto Alegre entra em operação

GP - Ínício da operação da primeira faixa reversível semafo

Marchezan parabenizou equipes envolvidas com iniciativa para melhorar a cidade  Foto: Eduardo Beleske/PMPA

A Prefeitura de Porto Alegre, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (Smim) e Empresa Pública de Transporte de Circulação (EPTC), anuncia a liberação do trecho e início da operação da primeira faixa reversível automatizada da Capital e uma das primeiras do país. Os equipamentos foram ligados durante a tarde da terça-feira, 20, e integram as alterações para qualificação viária na região das avenidas Cel. Marcos e Wenceslau Escobar. O tempo para deslocamento no trecho, que tem 1,8 km, deve reduzir em 50%. Com relação aos acidentes, a estimativa é que diminuam 25% em acidentes e feridos. A obra foi a primeira a ser viabilizada por meio de doações, através da ferramenta ConstruaPOA, do aplicativo #EuFaçoPoa.

O prefeito Nelson Marchezan Júnior, em sua manifestação, parabenizou as equipes envolvidas e a iniciativa de buscar apoio para melhorar a cidade. “Parabenizo todos àqueles da prefeitura que dizem o sim, que pegam o telefone e resolvem problemas. Para quem vive aqui na região Sul esse é um grande diferencial. É uma inovação, algo diferente que acontece em grandes cidades, e como toda inovação na máquina pública, deve ser prestigiada”, enfatiza o prefeito.

O fluxo de veículos será determinado pela sinalização indicada nos semáforos: uma seta vermelha indica a faixa liberada e um X indica que o fluxo está no sentido inverso. A previsão é organizar o fluxo conforme o movimento e avaliação da EPTC: duas faixas que vem da zona Sul durante a manhã e duas que retornam do Centro em direção à zona Sul do meio da tarde em diante. “Esse é o comportamento rotineiro do trânsito na região, mas é muito importante que os motoristas e pedestres estejam atentos e se familiarizem com a sinalização dos semáforos. Em qualquer situação atípica eles podem indicar outra configuração na mobilidade”, explica o diretor-presidente da EPTC, Marcelo Soletti.

“A qualificação viária dessa região, por essa sinalização moderna, vai permitir uma melhora significativa no fluxo da região. É uma obra com investimento baixo e grande entrega para cidade”, destaca o secretário da Smim, Luciano Marcantônio. O investimento do município foi de R$ 220 mil, além da participação da sociedade civil com a doação de 3.500 kg de cimento asfáltico e 416 kg adesivo para fixação de tachas, que têm valor estimado de R$ 15 mil. O vereador Elizandro Sabino, secretário da Smim durante a o planejamento da obra, parabenizou o Banco de Projetos da Prefeitura que, por meio do ConstruaPOA, viabilizou as obras. “O deslocamento consumia até 21 minutos durante os picos da manhã e tarde e deve ser reduzido pela metade. Em nome da Câmara de Vereadores parabenizo todos os envolvidos e destaco que é um dia muito especial para os moradores da zona Sul e Extremo Sul de Porto Alegre”, comemora.

Também estiveram presentes na entrega do Trecho 1 e 2 o vereador Gilson Padeiro, o gerente de Planejamento de Trânsito e Circulação da EPTC, João Paulo Cardoso Joaquim, além da ex-diretora técnica da EPTC, Carla Meinecke.

ConstruaPOA  – A ferramenta foi desenvolvida pela Procempa e EPTC, em parceria com a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (Smim). Tem como objetivo facilitar e dar transparência ao processo de doações por parte da sociedade civil. As doações podem ser realizadas apenas em material a ser usado na obra ou projeto. É proibida a doação em dinheiro, exceto na hipótese de se tratar de doação destinada à projeto ou atividade relacionada à educação para mobilidade. Os doadores podem indicar a destinação específica do bem ou serviço doado, desde que atendido o interesse público. Fornecedores da prefeitura não podem realizar doações.

As doações para projetos estão disponíveis no App separadas por categoria:

– Saúde
– Educação
– Inovação
– Mobilidade

Para baixar o #EuFaçoPOA



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito, Outros assuntos

10 respostas

  1. E os ciclistas ainda mais exprimidos!!

    Curtir

  2. Ótima ideia. Mas nem de longe resolve o problema presente e muito menos futuro. A população da Zona Sul disparou e vai continuar disparando. Quando eu morava na Juca Batista na década de 90 só havia casas. Hoje muitos prédios já surgiram. Quando tu chegava na Av. Serraria e no entroncamento com a Edgar Pires de Castro aquilo era praticamente zona rural. Condomínios surgiram às centenas. As vias continuam as mesmas de 30 anos atrás. Já é um caos sair e chegar na zona sul. Vai só piorar.

    Curtir

  3. não conhecia o ConstruaPOA, deveria ser mais divulgado.

    Curtir

  4. Enquanto a Zona Sul se torna Tudo de Bom como dizem seus moradores , a Zona Norte, a velha e boa Zona Norte vai ficando cada dia mais esquecida da Prefeitura, com falta de sinalização, falta de asfalto, buracos em excesso, praticamente um buraco dentro de outro, iluminação precária, transito congestionado, obras por fazer, obras por finalizar a exemplo da Anita, Cristovão Colombo, Ceará, obras por iniciar, a exemplo da Plinio Brasil Milano há mais de 6 anos com suas vias trancadas transformando o bairro num inferno diário.Conseguiram piorar o que já era ruim. Parabéns.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: